conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Economia

Amazon inicia a venda de novos produtos no Brasil; confira as novidades

Publicado


Amazon passará a ter mais produtos vendidos no Brasil
shutterstock

Amazon passará a ter mais produtos vendidos no Brasil

A Amazon, maior empresa varejista digital do mundo, começa a vender nesta terça-feira (22) 11 novas categorias de produtos no Brasil, expandindo a marca para além dos livros na maior economia da América Latina.

Leia também: Puxado pela Black Friday, comércio tem melhor resultado do século em novembro

No Brasil desde 2012, a Amazon concentrou suas vendas no segmento de livros físicos e digitais, e, a partir de 2017, passou a vender novas categorias a partir de parceiros. Com a novidade anunciada, a companhia passa a vender seus próprios produtos de outros segmentos no País.

A varejista passa a oferecer mais produtos dentro de sua operação própria, deixando de oferecê-los exclusivamente pelo marketplace (modelo que permite que parceiras usem o site amazon.com como uma espécie de canal de vendas). Até então, somente livros e dispositivos originais da própria Amazon, como o leitor digital Kindle , eram vendidos diretamente pela companhia. 

No início deste ano, a companhia se tornou a mais valiosa da bolsa de Nova York. Alex Szapiro, diretor da Amazon no Brasil, avalia que a ideia é trazer a conveniência de compras pela qual a Amazon é reconhecida para outros produtos dentro do mercado brasileiro.

Com o lançamento, segundo Szapiro, o objetivo é “Dar uma boa experiência de compra, para que o consumidor volte quando precisar de algo”, e, para isso, uma das medidas implementadas pela empresa será não cobrar frete para compras feitas no site a partir de R$ 149. Para livros e CDs vendidos pela empresa, o consumidor não gastará com o custo de entrega para compras a partir de R$ 99.

Veja Mais:  Bolsonaro critica perda de propriedade em caso de trabalho análogo à escravidão

Sobre o momento da expansão da marca no Brasil coincidir com o início de um noo governo, o executivo justifica “Temos sido otimistas no Brasil há anos. Eram outros governos quando tomamos decisões lá atrás, então para nós não influencia em nada.”

Leia também: Empresário e ex-chefão da Record se unem para fundar a CNN Brasil

Produtos, serviços e a logística da Amazon  no Brasil


Novo centro de distribuição da Amazon no Brasil fica em Cajamar (SP)
Julio Vilela/Amazon

Novo centro de distribuição da Amazon no Brasil fica em Cajamar (SP)

Com o lançamento, a companhia passa a oferecer mais de 20 milhões de produtos, em 15 categorias, que incluem itens vendidos e entregues pela empresa ou por vendedores parceiros. Apenas as categorias esporte e moda continuarão sendo vendidas exclusivamente por parceiros no marketplace.

Utensílios de cozinha, eletrônicos e informática terão produtos da empresa, além de outras quatro novas categorias, que são: bebê, beleza, cuidados pessoais e brinquedos. A empresa informa que, ao todo, venderá produtos de 12 diferentes categorias, dentre elas a de livros.

A logística da venda de livros seguirá sendo operada no município de Barueri (SP), enquanto os demais itens para venda direta serão despachados por meio do galpão logístico em Cajamar, outro município paulista.

Leia também: Cade aprova venda do Grupo Abril a empresário pelo valor simbólico de R$ 100 mil

O diretor da Amazon no Brasil não confirma o número de pessoas que serão contratadas com as novidades, e tampouco revela o investimento feito pela companhia para expandir o mercado no País.

Veja Mais:  Governo venezuelano rompe silêncio e divulga inflação de 130.060% em 2018

Comentários Facebook

Economia

Equipe de Guedes avalia congelar salário mínimo para economizar R$ 35 bilhões

Publicado

source
Paulo Guedes arrow-options
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Congelamento de salário mínimo vai de encontro com medidas de Paulo Guedes

A equipe econômica avalia propor ao Congresso retirar da Constituição  a previsão de que o salário mínimo seja reajustado pela inflação. 

Na prática, o governo seria autorizado a congelar o piso nacional. A sugestão faz parte de um pacote de medidas de ajuste fiscal elaborada pelos deputados Pedro Paulo (DEM-RJ) e Felipe Rigoni (PSB-ES).

Governo reduz estimativa de salário mínimo em 2020 para R$ 1.039

Segundo Rigoni, a medida poderia trazer uma economia de até R$ 35 bilhões em um ano. Para ir à frente, no entanto, a ideia precisa do apoio do governo.

Hoje, a Constituição prevê que o salário mínimo terá “reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo”. A proposta dos parlamentares vai ao encontro da ideia do ministro da Economia, Paulo Guedes, de flexibilizar os gastos públicos.

Guedes costuma se referir à ideia como os “três Ds”: desobrigar, desvincular e desindexar. A informação de que a equipe econômica planeja desindexar o salário mínimo foi antecipada pelo jornal “O Estado de S. Paulo” e confirmada pela agência O Globo.

Veja também: Tribunal do Cade pode voltar em outubro após dois meses parado

As ações fazem parte de uma proposta de emenda à Constituição (PEC) de autoria de Pedro Paulo e que será relatada por Rigoni. O texto ainda precisa ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).


Na semana passada, o Globo mostrou que as ações teriam impacto de ao menos R$ 40 bilhões por ano, um valor que poderia chegar a R$ 102,3 bilhões com a ajuda de outras medidas não identificadas. O congelamento do mínimo  faz parte dessas outras ações em estudo.

De acordo com Rigoni, a ação seria temporária , valendo por até dois anos. Funcionaria como um gatilho para ser usado em momentos de desequilíbrio fiscal, como o atual.

A permissão para propor um reajuste salarial abaixo da inflação seria justificada pelo descumprimento da regra de ouro, que proíbe que o governo se endivide para pagar despesas correntes. Essa regra foi descumprida neste ano e será novamente no ano que vem.

Segundo o futuro relator, o impacto da medida poderia chegar a R$ 77 bilhões em dois anos, o que seria suficiente para diminuir as despesas obrigatórias do governo e abrir espaço no Orçamento para investimento público — hoje, limitado a menos de R$ 20 bilhões.

Rigoni ressalta, no entanto, que ainda será preciso fazer um cálculo político para saber quanto da medida poderá ser aprovada. “Só vai acontecer se o governo tomar isso como prioridade”, disse.

Por enquanto, o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) prevê para 2020 que o  salário mínimo  de R$ 1.039, exatamente a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a alta de preços sentida pela população que ganha até cinco salários mínimos.

Veja Mais:  Mesmo sem reajuste da Petrobras, preço da gasolina sobe e chega a R$ 4,652

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Tribunal do Cade pode voltar em outubro após dois meses parado

Publicado

source
prédio do Cade em Brasília arrow-options
Cade/Divulgação

Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) não tem quórum desde julho deste ano

O Senado começa a destravar nesta terça-feira (17) o processo de sabatina dos indicados pelo presidente Jair Bolsonaro às vagas do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Crise da CPMF pode abalar apoio de Bolsonaro à agenda fiscal da equipe de Guedes

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) vai dar início à análise dos seis nomes encaminhados pelo Palácio do Planalto à Casa, e a sabatina dos novos conselheiros deve ocorrer no dia 24 de setembro.

De acordo com fontes do órgão, o Cade deve voltar a seu pleno funcionamento já na primeira quinzena de outubro – e sessões extraordinárias de julgamento podem ser marcadas até o final do ano para compensar o tempo perdido.

Minha Casa, Minha Vida vai perder 42% do orçamento em 2020

Desde o dia 17 de julho, o Cade está sem quórum suficiente para analisar os casos mais complexos de fusões, aquisições e joint-ventures que chegam ao seu tribunal.   

Dados desta segunda-feira (16) mostram que, para além dos processos que aguardam julgamento pelo próprio tribunal – a exemplo da compra da empresa de tecnologia Red Hat pela gigante do setor IBM -, outras 81 operações, aprovadas sem restrições pela Superintendência Geral (SG) do órgão, ainda estão em compasso de espera.

Mesmo após a aprovação sem restrições pela SG, não é possível consumá-las até que o quórum mínimo do tribunal seja reestabelecido. 

O conselho do órgão tem sete vagas, mas apenas três estão ocupadas, e são necessários pelo menos quatro conselheiros para realizar sessões de julgamento.

Assim, se o Senado aprovar pelo menos um dos nomes indicados às vagas de conselheiros nas próximas semanas, o funcionamento do tribunal já pode ser retomado.

Na semana passada, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (MDB-AP) repassou aos senadores a mensagem de Bolsonaro com os nomes de Walter Agra Júnior, que deverá ser reconduzido ao cargo de procurador-chefe do órgão, e  de Alexandre Cordeiro Macedo, também indicado para ser reconduzido ao cargo de Superintendente-Geral do Cade.

Davi Alcolumbre arrow-options
Roque de Sá/Agência Senado – 28.8.19

Davi Alcolumbre, presidente do Senado, repassou aos senadores os nomes indicados por Jair Bolsonaro

Alcolumbre leu ainda os nomes de outras quatro indicações para as vagas de conselheiros: o da advogada Lenisa Rodrigues Prado; do atual subchefe adjunto de política econômica da Casa Civil, Sérgio Costa Ravagnani, do professor de economia da Fundação Getúlio Vargas Luiz Henrique Bertolino Braido, e do advogado Luiz Augusto Azevedo de Almeida Hoffmann.

No caso dos conselheiros, o mandato é de quatro anos. Para a procuradoria e para a superintendência, a permanência no cargo é de dois anos.

Veja Mais:  Mesmo sem reajuste da Petrobras, preço da gasolina sobe e chega a R$ 4,652

Segundo o senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CAE, há disposição dos senadores em levar os nomes à votação ainda em setembro. Só depois da chancela dos senadores é que os nomes de Bolsonaro poderão assumir os cargos em aberto.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Gasolina e diesel podem subir até 10% no Brasil após ataques

Publicado

source
refinaria de petróleo arrow-options
BBC

Instalações atacadas neste fim de semana na Arábia Saudita produzem três vezes mais que a Petrobras

O ataque às instalações de produção de petróleo na  Arábia Saudita  no último fim de semana deve ser sentido no bolso do brasileiro.

Isso porque com o preço do barril ultrapassando a cotação de U$ 70, o valor da gasolina e do diesel deve ser alvo de reajustes por parte da Petrobras.

Preço do petróleo dispara e atinge maior alta desde a Guerra do Golfo

Na abertura do mercado de Londres nesta segunda-feira (16), a cotação do barrill disparou quase 20% , a quase US$ 72, a maior alta em uma sessão desde a   Guerra do Golfo  em 1991 .

De acordo com Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), com a  commodity chegando ao patamar de US$ 70, a gasolina e o diesel podem ter um aumento entre 8% e 10% em seus preços. Além da cotação internacional do petróleo, o preço dos combustíveis ainda é influenciado pelo câmbio.

Petrobrás

Petrobras arrow-options
Divulgação

Para analista, Petrobras deve ter calma na hora de reajustar os combustíveis no Brasil e que o preço do combustível pode subir ainda mais

“Mas a Petrobras tem de esperar alguns dias ou semanas para ver como ficarão realmente os preços. Nós devemos ver nas próximas semanas um mercado muito volátil com viés de alta no preço do petróleo”, explica Pires.

Veja Mais:  Governo vai liberar mais de R$ 100 bilhões a bancos privados, diz Paulo Guedes

Para o especialista a estatal precisa de serenidade para definir o valor da gasolina no atual mercado “volátil”, diz. “Tudo seria mais fácil se já tivéssemos criado algum fundo de estabilização dos preços”, avalia.

Rússia considera “inaceitável” resposta militar ao ataque na Arábia Saudita

Para ele, o mercado vai observar qual será a reação da Petrobras em relação à sua política de preços em um momento em que a estatal está em processo de venda de suas refinarias . “Esse cenário é um desafio para a Petrobras”, destaca.

Segundo analistas, o preço do barril do petróleo pode ultrapassar os U$ 80 no curto prazo. O acidente envolvendo a Arábia Saudita vai afetar 5% do fornecimento mundial de petróleo a curto prazo. 

As instalações que foram alvo de ataques no fim de semana são responsáveis por 5,7 milhões de barris por dia. É quase três vezes o total produzido pela Petrobras.

“Por isso, o governo dos Estados Unidos já autorizou o uso de estoques estratégicos para evitar que o preço chegue a US$ 100 por barril. Isso é mais um desafio  para a economia global, até porque haverá um aumento das tensões entre Estados Unidos e Irã”, conclui Pires.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana