conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Saúde

Após terceira morte no país, EUA desencoraja uso dos vapes

Publicado

Enquanto o Brasil  estuda a liberação dos cigarros eletrônicos e vaporizadores – conhecidos como vapes – os Estados Unidos caminha na direção contrária. De acordo com os Centros de Prevenção e Controle de Doenças (CDC, em inglês) do país, existem pelo menos três mortes associadas ao uso contínuo do dispositivo. Os casos ainda são investigados.

vitrine mostra vaporizadores e utensílios para o fumo arrow-options
Ana Weiss/ IG
Mercado de vaporizadores deu um salto nos últimos anos

A morte mais recente relacionada aos vaporizadores foi notificada nesta sexta-feira, no estado de Indiana. Além das mortes, outras centenas de pessoas podem ter adquirido doenças cuja ligação com os vapes ainda não é completamente certa.

Por enquanto, a recomendação – pelo menos nos Estados Unidos – é de que “enquanto as investigações correm, as pessoas não devem usar os vaporizadores ”. Com cerca de 2 milhões de jovens em idade escolar que fazem uso dos cigarros eletrônicos, o governo norte-americano trata o hábito como uma epidemia. 

De acordo com a vice-diretoria interina do CDC, Ileana Arias, a prioridade neste momento é descobrir qual componente está deixando as pessoas doentes. “Ainda estamos enfrentando perguntas complicadas nesse surto”, disse a profissional ao ABC News. 

A suspeita até agora é de que um aditivo específico que contém vitamina E pode ser a causa das doenças. A possibilidade, porém, ainda não foi confirmada, uma vez que existem dezenas de aditivos e substâncias que podem ser inaladas pelo dispositivo. Todas as vítimas também afirmaram ter feito uso de THC, tabaco ou ambas as substâncias imediatamente antes da doença. 

Veja Mais:  Alcoólicos Anônimos lançam aplicativo para celular em comemoração aos 70 anos

De acordo com os centros, pelo menos 450 pessoas apresentaram sintomas similares após o uso dos cigarros , refil ou inalação dos líquidos especiais. Entre eles, a dificuldade para respirar, fadiga, febre, náuseas, diarréia e vômito. 

Brasil discute queda de proibição dos vapes

Os dispositivos eletrônicos para fumar – grupo onde está incluído o vape – são proibidos no Brasil desde 2009. A medida compõe a política antifumo do país. Nos últimos anos, porém, o comércio de vaporizadores deu um salto, o que conduziu a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa a discutir, junto à população, uma eventual flexibilização na regra. 

Quem se posiciona a favor do produto alega, principalmente, que a liberação pode beneficiar a economia além de oferecer uma via mais saudável às 18 milhões de pessoas dependentes de tabaco no Brasil, uma vez que a vaporização ofereceria menos riscos do que a combustão do fumo.

Leia mais: Como funciona o cigarro eletrônico 

A última audiência pública sobre o assunto aconteceu no dia 27 de agosto, no Rio de Janeiro. Apesar do diálogo, a  Anvisa garante que ainda existe um longo caminho até que a liberação dos vapes aconteça.

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook

Artigos

Maior parte de casos de desvio da coluna tem origem na boca

Publicado

 Dr. Rosário Casalenuovo Júnior

Qualquer dente que se perca, até mesmo os de leite, pode desviar a mandíbula (maxilar inferior) e com isto formar uma escoliose na criança. A escoliose é o desvio da coluna na vista frontal do corpo é tida como idiopática (sem causa definida), porém a odontologia funcional estuda há anos as interferências da boca sobre o corpo e constata que a boca é o causador mais influente da curvatura da coluna.

Segundo Bernard Bricot, que é um fisioterapeuta francês de renome internacional, uma autoridade no assunto, autor do livro Posturologia, o corpo possui 4 captores (regiões ou órgãos que influenciam na postura). Coclea (labirinto ou de se dá o equilíbrio), olhos, boca e pés. Todos devem estar com seu plano paralelo entre si e paralelos ao solo. Porém a boca é a mais vulnerável e também influente.

Ainda que com todos os dentes, uma simples mordida cruzada é o suficiente para causar alteração na coluna. Por isso, sou contra a ortodontia que busca descruzar a mordida  com aparelhos, sem levar em consideração que as funções que causarão as alterações nos dentes. Assim como o sapato torto é porque o pé pisa torto, então o que deve ser corrigido não é o sapato, mas sim as funções do corpo como a marcha e a postura.

Os dentes são posicionados pelas funções, então o que deve ser corrigido não são os dentes, mas sim as funções da boca que quando em desequilíbrio, estas que causam os encurtamentos dos músculos do pescoço (escalenos, esternocleidomastóide, trapésio). Nos casos de dores de cabeça, testa ou nuca e até os ombros, tendem a aparecerem no lado mais funcional, assim como a compressão da ATM (articulação da boca), podendo alterar o labirinto e ouvido causando labirintite, perda auditiva e zumbido.

Veja Mais:  Comissão do Senado votará projeto que concede meia-entrada a doadores de sangue

Certa vez, escrevi um artigo onde destaquei os males que a ortodontia causa nas crianças porque estão em crescimento e os aparelhos travam, contem e desequilibram o crescimento dos ossos e músculos da face.

A influência muito sutil de uma restauração na proporção de um grão de areia no dente de uma criança simplesmente altera o modo de mastigar ocorrendo um desvio na boca que leva a um domínio mastigatório de apenas um lado da boca, que influencia nos músculos do pescoço do lado da mastigação causando encurtamento nestes músculos e levando a escoliose ou seja o desvio da coluna, mudando o centro de gravidade da cabeça em relação ao corpo, com isto a pelve (quadril) se desloca também para compensar a mudança da cabeça ocorrendo assim o desvio do plano da pelve em relação ao solo, ou melhor se instala o não paralelismo dos planos do corpo em relação ao plano horizontal do solo, um lado da pelve fica mais alto e o lado mais baixo deixa a perna mais comprida em relação ao chão e com isso esta perna sofrerá um encurtamento torcendo o pé e fazendo o joelho dobrar levemente concluindo assim a alteração postural por compensação causada por uma simples restauração no dente da infante levando o corpo inteiro mudar seu centro de gravidade e alterar até os pés.

Praticamente todos os adultos possuem uma alteração postural causada pela boca, pois raramente alguns deles não precisou fazer intervenção em dentes ou até mesmo a extração. Portanto quando levar uma criança ao dentista o objetivo maior não deve ser tratar dos dentes, mas sim EQUILIBRAR AS FUNÇÕES DA BOCA QUE SÃO RESPIRAÇÃO, DEGLUTIÇÃO E MASTIGAÇÃO. Dentes devem ser preservados, mas isto é muito pouco. É o mínimo. A partir de 3 anos existe recurso sem uso de aparelho ortodôntico que trata de todas estas funções em uma ou duas seções. Então pais, a partir de agora, leve seus filhos ao dentista para equilibrar sua postura e as funções corpóreas.

Veja Mais:  Dia Mundial da Obesidade: um a cada oito adultos é obeso, diz OMS

Dr. Rosário Casalenuovo Júnior, é Diretor Clínico do Instituto Machado de Odontologia; Co-autor do livro Cirurgia Ortognática e Ortodôntica; Presidente da ABOR-MT (Associação Brasileira de Ortodontia – SEC.MT); Membro da Academia Libero-Latino-Americana de Disfunção Crâneo-mandibular e Dolor Facial; Membro da Academia Libero Latino Americana de Estética Médica e Interdisciplinar. Especialista em: Ortondontia (Bioprogressiva e Arco reto); Ortopedia Funcional dos Maxilares Dor Orofacial e Disfunção de ATM; Formação no Conceito Castillo Morales de Reabilitação; Autor do Conceito Arquitetura da Face; Autor do Conceito Ortodontia Funcional e Estética.

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Nariz entupido? Saiba as causas, o que fazer e quando partir para a cirurgia

Publicado

Nariz entupido é um problema que atrapalha – e muito – a rotina de qualquer pessoa. Quando a obstrução nasal é crônica, ela é capaz de afetar drasticamente a qualidade de vida e traz prejuízos ao sono, como roncos e apneia. Além disso, causa sinusite, dores de cabeça e muito desconforto no dia a dia.

Leia também: Está com o nariz entupido? Saiba como descongestioná-lo de forma caseira

nariz entupido arrow-options
shutterstock
Nariz entupido é um problema que afeta – e muito – a qualidade de vida das pessoas que sofrem com o problema no dia a dia

“Quando o nariz entupido se torna frequente ou persistente, devemos investigar o que está acontecendo”, aponta Gustavo Gosling, otorrinolaringologista do Rio de Janeiro. “Nas crianças, em longo prazo, poderá induzir uma série de problemas, incluindo distúrbios de sono e comportamento, além de alterações irreversíveis no desenvolvimento da arcada dentária e da face”, completa.

Diante dessas questões, é importante procurar pelo médico o quando antes quando sentir que há algo de errado. No geral, o incômodo é passageiro e persiste apenas por, no máximo, duas semanas. “Se o nariz entupido não melhora após esse período, já é hora de uma investigação com um especialista”, ressalta Gosling.

A causa mais comum da obstrução nasal está relacionada com processos infecciosos virais ou bacterianos, como gripe, resfriado e sinusite. No caso em que o entupimento persiste, geralmente tem relação com rinites alérgicas, desvios no septo nasal, presença de pólipos ou tumores. Nos pequenos, hipertrofia das adenoides e amígdalas são as causas.

Veja Mais:  Comer amendoim ajuda a prevenir câncer; confira esse e outros benefícios

Quais os tratamentos?

descongestionante nasal arrow-options
shutterstock
O uso descongestionante nasal é bem-vindo, mas deve ser usado com cautela para evitar o surgimento de complicações

O especialista destaca que o tratamento vai depender da causa. De acordo com ele, não há necessidade de medicação no caso das infecções virais. Geralmente, o processo regride de forma espontânea em duas semanas. Por outro lado, algumas medicações e técnicas podem ser usadas para diminuir os sintomas e deixar o indivíduo mais confortável.

Leia também: Você está assoando seu nariz da maneira correta?

“Contamos com um grande arsenal de medicamentos que podem ajudar a melhorar o nariz entupido. Antialérgicos, anti-inflamatórios e descongestionantes são os mais utilizados, dependendo da causa. Por isso, é importante que a pessoa seja avaliada por um otorrinolaringologista para diagnóstico e tratamento específico”, alerta Gosling.

No entanto, apesar do uso de descongestionantes nasais ser válido, a utilização abusiva deve ser evitada. O especialista ressalta que, por trazerem alívio rápido, esses itens têm sido usados de forma exagerada. “Quando utilizados de forma crônica, podem causar rinite medicamentosa, provocando um ‘efeito rebote’ e piorando a obstrução nasal”, detalha.

Em alguns casos, o otorrinolaringologista ainda destaca que a situação pode evoluir para hipertensão, arritmia cardíaca e problemas pulmonares. “Essas medicações devem ser utilizadas com muito critério e acompanhamento médico”, alerta o profissional. Com isso, é importante não se automedicar.

“Já as rinites alérgicas costumam ser crônicas e não podem ser curadas. Apenas seus sintomas são controlados com antialérgicos e vacinas. As obstruções causadas por desvios do septo nasal, hipertrofia das adenoides ou cornetos nasais inferiores e pólipos nasais poderão ser corrigidos com cirurgia”, pontua Gosling.

Veja Mais:  Crianças que vão viajar para cidades com surto de sarampo devem ser vacinadas

Quando chega a hora da cirurgia?

A pessoa que sofre com o problema deve procurar um otorrino para avaliar a possibilidade de uma cirurgia quando a obstrução se torna persistente, mesmo após a utilização das medicações usuais. Ainda deve procurar o especialista quando há piora de outros sintomas, como dor de cabeça recorrente, diminuição do olfato ou secreção nasal com pus ou sangue.

Leia também: Tempo seco: aprenda a lidar com a baixa umidade do ar

A cirurgia, independente da causa, pode trazer muito alívio para o indivíduo com nariz entupido , na maioria das vezes. Isso mesmo naqueles casos incuráveis de rinite alérgica. “Corrigindo as alterações estruturais do nariz como desvios do septo e reduzindo as ‘carnes esponjosas’, conseguimos melhorar muito a qualidade vida do paciente”, finaliza.

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Criança contrai meningite durante férias e precisa amputar as duas pernas

Publicado

Brogan Partridge tinha sete anos quando perdeu as duas pernas devido à meningite depois que os médicos a mandaram para casa após a diagnosticarem apenas com dor de barriga. Segundo a agência de notícias Caters News Agency , a menina, hoje com 11, estava de férias com seus pais quando contraiu uma infecção.

Leia também: Garoto de 13 anos morre após sinusite se espalhar pelo cérebro

meningite arrow-options
Reproduçao/DailyMail
A pequena Brogan Partridge precisou amputar as duas pernas após ser diagnosticada dom meningite

Na época, ela começou a vomitar depois de um dia na praia, mas os pais pensaram que não era nada grave e disseram-lhe para descansar. Quando a situação piorou, ela foi levada ao hospital, mas liberada rapidamente. 

Logo depois, a mãe, Aimee, começou a notar “hematomas” aparecendo em suas pernas e foi levada às pressas para a emergência. “Ela contraiu meningite B. Os médicos confirmaram nossos piores medos. Temos tanta sorte que ela foi salva, mas ficamos arrasados quando ela teve que amputar o pé esquerdo por conta de uma infecção generalizada”, diz, segundo o The Sun .

A mulher explica que, mais tarde, ainda lhe informaram que a filha teria que amputar também o pé direito. “Quando descobrimos que ela iria perder as pernas , pensamos que não havia absolutamente nenhuma maneira de isso acontecer. Eu não queria que minha garotinha perdesse as pernas, mas era a única opção”, continua.

Veja Mais:  Nova etapa da campanha de vacinação contra a gripe começa nesta segunda-feira

Leia também: Entenda por que é importante ter a vacina contra meningite em dia

Brogan perdeu as duas pernas para a doença  e, hoje, Aimee diz que os hematomas não se pareciam em nada com com erupções cutâneas que as pessoas geralmente se preocupam e pediu aos pais que sejam mais consistentes com os sintomas dessa complicação que pode levar à morte.

Leia também: Menino de nove anos morre de meningite quatro dias após ter alta de hospital

Atualmente, Aimee elogia sua filha por reconstruir sua vida após o episódio de meningite . “Agora, ela tem 11 anos e está tudo muito bem. Ela sempre teve uma boa mentalidade e está determinada a recuperar sua total independência”, finaliza. 

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana