conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Culinária

Aprenda como fazer farofa

Publicado

Farofa é comida de brasileiro. Nunca ouvi falar de nenhum outro canto do planeta onde se coma algo semelhante à nossa farofa, com os ingredientes que usamos.

Farinhas são utilizadas em todas as culinárias, seja para a preparação de pães, bolos, tortilhas ou para empanar alimentos e engrossar caldos. São muitos os usos dos variados tipos de farinhas mas, até onde me consta, só mesmo os brasileiros fazem o que chamamos de “farofa” (com direito a trocadilhos – se bem que por todo o mundo a gente vê pessoas fazendo picnic, que é um dos programas preferidos de um bom “farofeiro“).

Aliás, a má fama do farofeiro vem do preconceito com o pobre. Sim, porque a farofa é um acompanhamento barato e perfeito para absorver caldos, sendo uma boa opção para compor uma marmita que tenha uma carne ensopada, por exemplo. Imaginamos que ricos não carregam matula – o que é um engano, especialmente em tempos de obsessão por dieta.

Vamos seguir a linha do preconceito para entender a origem do termo “farofeiro”: o sujeito pretende levar um almoço para comer durante um passeio e economizar uma graninha. Ele pega a galinha cozida que sobrou do dia anterior, coloca em uma marmita, rega com o caldo e enche de farofa, que vai ficar ainda mais deliciosa depois que drenar o caldinho da galinha. Dupla perfeita. Aí, quando a fome bate, ele abre a quentinha e manda pra dentro seu almoço, sem ter como disfarçar o cheiro da comida e aquela sujeirinha de farofa que cai no peito. Dependendo da região do país onde ele vive, esse moço vai adorar comer com a mão, se a massaroca tiver uma boa liga. Está aí a figura do farofeiro.

Eu já vou dizer que sou mais o cara aí de cima do que pagar R$6,00 em uma esfirra ruim nas praias do Rio de Janeiro. Além de ser mais inteligente não gastar dinheiro à toa, levar a comida de casa é um hábito mais saudável. Mas isso é papo para outro post.

O que ninguém tem certeza é de como a farofa surgiu, mas sabemos que a farinha de mandioca já era um alimento básico para a população indígena do país antes da nossa colonização. Pode ser que os portugueses tenham incrementado com outros ingredientes comuns na culinária deles e que a farinha tenha, então, ficado “mais rica”.

Caso ainda não tenha percebido, existe uma diferença essencial entre “farinha” e “farofa”. Vamos esclarecer isso já.

Farinha é o pó obtido a partir da moagem de um cereal ou de outro vegetal rico em amido, como a mandioca (macaxeira ou aipim). Ela é usada como ingrediente para muitos pratos.

Farofa é um prato de acompanhamento, típico da culinária brasileira, feito com farinha, gordura e outros ingredientes que costumam dar seu nome: “farofa de miúdos“, “farofa de ovos“, “farofa de banana“, “farofa natalina” etc.

Uma certa confusão acontece na cabeça das pessoas por causa da “farinha de mesa“, que é a farinha de mandioca purinha, servida direto sobre a comida no prato. Muitas famílias têm um farinheirobonitinho na mesa (ai, que saudades do meu avô!) e não vivem sem uma boa farinha torrada, especialmente no norte e no nordeste do país.

Atenção: nem tudo que reluz é ouro e nem tudo que é farinha vai direto pro prato. A farinha de trigo, por exemplo, é utilizada para fazer um monte de coisas gostosas, mas você nunca vai usá-la para cobrir o feijão ou para fazer uma farofa.

“Então, Vanessa, como eu vou saber qual farinha usar?”

A farinha de mesa é fácil porque é sempre a mesma: de mandioca.

Já a farofa…

Como fazer farofa

Para fazer farofa, usamos principalmente a farinha de mandioca e de milho. Se você não tiver uma receita para seguir e quiser se aventurar, vá na farinha de mandioca primeiro, seja ela brancaamarelatostada ou crua. É o melhor a fazer se você está começando a cozinhar, até que se acostume com o preparo. Depois, experimente também a farinha de milho – só tome cuidado para não comprar fubá, a menos que seja para fazer angu.

De vez em quando é permitido também usar farofa pronta como substituta da farinha. Ela tem um sabor marcante e vai deixar sua farofa bem interessante – mas não faça disso um hábito, porque ela tem uma série de componentes que você não deve ficar comendo à toa.

Escolha os ingredientes que darão sabor à sua farofa: ovo, banana, bacon, alho, cebola, azeitona, cheiro-verde, miúdos, uvas-passas, castanhas. Use a criatividade.

Defina uma gordura para refogar esses ingredientes e saiba que ela também será a principal encarregada em umedecer e dar sabor à farinha. Na maioria das vezes, as pessoas usam manteiga. Eu gosto muito de misturar manteiga com azeite ou até combinar mais de um tipo deles: na minha farofa de banana, uso azeite de coco e de dendê, por exemplo.

Será preciso uma quantidade generosa, então não tenha medo de caprichar. Há quem diga que a proporção é de 1 para 3, ou seja: uma quantidade de gordura para três de farinha. Eu faço assim: cubro o fundo da panela (que sempre é proporcional à quantidade de farinha que vou usar) com manteiga ou azeite e voilà!

Então, refogue os ingredientes na gordura que escolheu e adicione a farinha. Misture com cuidado até que “todo mundo” esteja bem combinado. Se achar que a farofa está muito úmida, coloque mais farinha. Se estiver parecendo muito seca, coloque mais gordura. Simples assim!

Deixe para acrescentar no final aqueles ingredientes que forem menos resistentes ao calor e que você quer que permaneçam frescos (como cheiro verde, por exemplo).

Por fim, experimente um pouco da farofa e ajuste o tempero com sal e pimenta-do-reino preta. É claro, você pode usar outros temperos se quiser.

Procure anotar a quantidade de cada coisa que for usando, para que possa repetir a receita, se ela der certo. É comum a gente acertar a mão por acidente e depois não conseguir mais reproduzir o feito.

Dicas adicionais para sua farofa dar certo:

– Farinhas torradas fazem farofas mais crocantes e douradas. Você pode comprar a farinha já tostada ou fazer isso em casa: é só levar a farinha crua para torrar em uma frigideira antiaderente por uns 10 minutos, em fogo baixo. É você quem diz se vai torrar por menos ou mais tempo, só não se esqueça de mexer sempre.

– Farinhas cruas fazem farofas mais macias e claras. Apesar do nome, posso te adiantar que nenhuma farinha é crua de verdade. Todas passam pela torrefação no processo de produção, quando se retira a umidade da farinha.

– Apesar de existir uma variedade de mandioca com esta cor, a farinha de mandioca amarela que você encontra para comprar é misturada com corantes naturais (ou artificiais, dependendo da reputação dela). Se você for do norte ou do nordeste, talvez encontre uma farinha de mandioca amarela de verdade.

– Farinhas artesanais são sempre melhores do que as industrializadas. Não perca tempo nem dinheiro comparando, vá por mim.

É importante dizer aqui que as pessoas usam o nome “farofa” para designar outros preparos secos, por vezes até doces. O mesmo acontece com a palavra “farinha”, que virou nome de tudo o que é reduzido a pó, mesmo não tendo o amido como traço principal da matéria-prima (como a farinha que falávamos lá em cima). É o caso da farinha de berinjela, de banana verde, de maracujá, de coco e muitas outras.

É claro que você pode usar outras farinhas na sua farofa, sinta-se à vontade para criar suas receitas. Aproveite as sobras que estiverem na geladeira, este é um bom conselho! Se o resultado ficar ruim, tente de outro jeito, sem traumas. Se não der certo mais uma vez, não tem problema. Até os maiores chefs de cozinha quebram a cara. Vá em frente!

APRENDA A FAZER OUTRAS RECEITAS BÁSICAS:

Arroz

Feijão

Carne moída

Bife acebolado

Purê de batata

Macarrão

Comentários Facebook
Veja Mais:  Bolo de banana rápido de liquidificador: receita para o lanche

Culinária

Rosca de Leite condensado Mais Fácil do Mundo

Publicado

A Rosca de Leite condensado Mais Fácil do Mundo

✅ INGREDIENTES

✦ 1 lata de leite condensado
✦ 1 lata de óleo (mesma medida da de leite condensado)
✦ 1 lata de leite (a mesma medida da de leite condensado)
✦ 4 ovos
✦ 2 saquinhos de fermento biológico em pó fleischmann (20g)
✦ 1 kg de farinha de trigo (e mais um pouquinho para chegar no ponto até a massa desgrudar das mãos)

✅ MODO DE PREPARO

➥ Coloque todos os ingredientes menos a farinha, no liquidificador e bata por 2 minutos
Depois em uma bacia grande coloque os ingredientes batidos e junte a farinha aos poucos, até dar o ponto de soltar das mãos
Sove bem a massa para que cresça (não tenha preguiça esse é o segredo para ficar fofa)
Em seguida enrole a massa no formato que desejar
Coloque nas assadeiras e deixe crescer por 1 hora
Aqueça o forno antes de colocar os tabuleiros de rosca
Depois coloque no forno e asse por 30 minutos (dependendo da temperatura de cada forno, pode ser mais de 30 minutos ou menos)
Depois de assadas, jogue a calda que desejar em cima.

Comentários Facebook
Veja Mais:  7 receitas veganaspara colocar em prática no almoço de Páscoa
Continue lendo

Culinária

Está tentando emagrecer? 5 alimentos que podemsabotar sua dieta

Publicado

Para emagrecer rápido é preciso fazer alguns esforços, como abrir mão de alimentos que prejudicam a queima de gordura e aderir a uma dieta mais regrada. Outro ponto é ficar atento aos produtos que parecem saudáveis, mas que podem acabar atrapalhando a jornada da perda de peso.

Leia também: Pipoca emagrece? Pode fazer parte da dieta? Como deixá-la mais saudável?

emagrecer
shutterstock

Consumir esses alimentos pode não ser uma boa ideia se a sua intenção é emagrecer rápido. Saiba quais são eles

Há alimentos que funcionam como sabotadores de dietas como a low carb, em que o objetivo é emagrecer . O especialista em emagrecimento, Rodrigo Polesso, que também é idealizador do site “ Emagrecer de Vez ”, diz que esses produtos são ricos em glicose, substância que estimula a produção de insulina.

A insulina tem a missão de controlar a glicose no sangue, mas também pode bloquear a queima de gordura. Esse impedimento gera aumento no estoque de gordura no corpo e, consequentemente, eleva o peso.

Polesso conta que alguns alimentos populares são amplamente recomendados, entretanto contribuem com a ação da insulina em excesso e dificultam a perda de peso.

Pães feitos com farinha de trigo

pães
shutterstock

Ele afirma que pão, integral ou não, não ajuda a perder peso, e indica o consumo de pães de farinhas de oleaginosas

O especialista afirma: integral ou não, o pão não colabora com o emagrecimento. “Não é segredo para ninguém que pão colabora para o ganho de peso e deve ser evitado”, declara. Ele explica que o alimento tem farinha de trigo em sua composição, e trigo é, basicamente, amido. Depois do processo de digestão, o trigo se transforma em açúcar no sangue.

Veja Mais:  7 receitas veganaspara colocar em prática no almoço de Páscoa

Para substituir esse alimento, ele sugere pães feitos com farinhas de oleaginosas, como é o caso da farinha de amêndoa e da farinha de coco.

Sucos de frutas

suco de frutas
shutterstock

O açúcar presente nos sucos de frutas, por mais que seja natural, não colabora com a perda de peso

Polesso vai na contramão de muitos especialistas e garante que o suco de frutas não ajuda a perder peso . “É fisiologicamente impossível que açúcar, natural ou não, promova a queima de gordura”, enfatiza ele.

A laranja, uma das frutas mais escolhidas para fazer sucos, é composta basicamente por açúcares, ou seja, carboidratos. Para Polesso, é melhor comer a fruta ao invés de tomar o suco, e dar preferência àquelas que possuem baixo índice glicêmico.

Além disso, água com gás ou água saborizada com limão, por exemplo, também podem ocupar o lugar dos sucos, porém com moderação. “O objetivo é não ter bebida doce toda refeição para não criar uma espécie de vício com este hábito”, acrescenta.

Leia também: Como aumentar o consumo de alimentos com fibras e ainda emagrecer?

Café e chá com açúcar

café e chá
shutterstock

O café e o chá, para não prejudicarem a alimentação, devem ser adoçados com adoçantes, não açúcar

O alerta para o café e o chá serve para quando essas bebidas são adoçadas com açúcares brancos, de coco, demerara e mel, por exemplo. Para dar um gosto doce ao chá e o café, o especialista aconselha a substituir o açúcar por adoçantes sem calorias, como o eritritol e a stévia.

Veja Mais:  Pudim gelado mais prático do mundo: sem ovo, com 5 ingredientes e não vai ao forno

Apesar disso, Polesso ressalta a importância de tomar bebidas puras. “Ao acostumar o paladar com o gosto doce, acabamos ficando reféns desse hábito. É sempre melhor controlar o seu gosto por doce do que ser controlado por ele”, pontua.

Tapioca

tapioca
shutterstock

Tapioca não é recomendada para quem quer emagrecer, mas pode ser eficaz na manutenção do peso

A tapioca, tal como o pão, é uma fonte de energia, mas não de nutrientes, e se torna ainda mais prejudicial para perder peso quando é consumida com outras formas de gordura.

“Trata-se de uma questão de prioridade metabólica: o amido (glicose) será transformado em energia antes pelo corpo e a gordura consumida junto será estocada em velocidade recorde”, esclarece Polesso. Para substituir, ele aconselha omeletes ou panquecas de farinha de amêndoa.

Embora não seja recomendada para quem quer emagrecer rápido , a tapioca pode fazer parte de dietas. “Não se trata de um alimento tóxico e pode ser muito bem-vinda no estilo da alimentação forte, desde que a pessoa tenha como objetivo simplesmente a manutenção do peso”, reforça.

Barrinha de cereal

barrinha de cereal
shutterstock

Polesso declara que barras de cereal são “terríveis” e indica o que pode substituir o alimento na rotina

O especialista salienta que juntar grãos integrais e barras de cereal e vincular à ideia de emagrecer está errado. “A ingestão de algumas delas pode até fazer a pessoa engordar mais do que se tivesse comido uma barra de chocolate”, diz.

Veja Mais:  Bolo de banana rápido de liquidificador: receita para o lanche

Leia também: Não consegue perder peso? Veja 5 motivos que podem explicar essa dificuldade

Ele explica a afirmação e expõe que esses alimentos são adoçados e os cereais que também estão na composição são amidos, ou seja, açúcar. Para Polesso, as barrinhas de cereais são muito prejudiciais, e podem ser trocadas por nozes, amêndoas, avelãs e pedaços de coco. ­­­

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Culinária

Como preparar pratos saudáveis em restaurantes por quilo?

Publicado

Almoçar ou jantar em restaurantes por quilo é a opção de muita gente para os dias mais corridos ou por quem preza pela variedade e escolha de cada ingrediente do prato. No entanto, há quem acabe exagerando na hora de comer nesses locais, prejudicando a saúde – o que mostra a importância de saber como montar pratos saudáveis também fora de casa.

Leia também: 5 exercícios essenciais para quem quer ter um corpo definido

pratos saudáveis
shutterstock

Preparar pratos saudáveis em restaurantes por quilo não precisa ser um desafio. Nutricionista ensina e dá dicas

A nutricionista Maria Clara Pinheiro esclarece o cuidado que se deve ter para preparar pratos saudáveis em restaurantes por quilo . “Sempre que for comer, procure olhar todo o buffet antes de se servir”.

A dica ajuda a evitar excessos. “Se você já sabe que a carne que vai comer está no final do buffet, você não precisa pegar nenhuma outra que esteja no início, por exemplo”, destaca a nutricionista.

Cuidado com as armadilhas na hora de montar o prato

pratos saudáveis
shutterstock

Cuidado com as armadilhas! Comidas com muito molhos e frituras devem ser evitados, e é melhor variar nas escolhas

Pinheiro explica que é melhor optar por alimentos que não estejam “escondidos” em molhos e escolher apenas um tipo de carne ou massa, sem misturar. “Determine antes de se servir o que deve conter no seu prato. Por exemplo: um tipo de carne, um tipo de carboidrato (massa, batata ou arroz), um tipo de grão (feijão, grão de bico ou lentilha) e muitos vegetais”, enfatiza.

Veja Mais:  Rosca de Leite condensado Mais Fácil do Mundo

Leia também: “Farmácia natural”: 7 ervas para cultivar em casa que reduzem tipos de mal-estar

A nutricionista ressalta que nem todo alimento gelado é salada e, portanto, é saudável. “Tenha atenção! Se para consumir alface, você precisa de molho, bacon, cruton e queijo parmesão, é melhor não comer alface”, diz Pinheiro. Ela ainda declara que é melhor fugir da salada ceaser, por exemplo.

“Cuidado com legumes gratinados, cheios de molho branco e queijos, evite carnes empanadas e arroz à piamontese”, aconselha a especialista.

Foque nos alimentos saudáveis dos restaurantes

pratos saudáveis
shutterstock

Os restaurantes por quilo também possuem alimentos saudáveis nas opções, como é o caso de legumes e verduras

Pinheiro comenta que há diversos alimentos benéficos para a saúde que podem compor a refeição nesses restaurantes, como é o caso de legumes e verduras, filé de frango, carne bovina magra de churrasqueira, filé de peixe, feijão e arroz integral.

“Procure não misturar frituras, massas e molhos gordurosos. Opte por carnes magras, legumes e verduras. Tenha em mente que não se pode ser saudável consumindo ‘só o gostoso’”, acrescenta ela.

A nutricionista apresenta um exemplo de prato saudável que pode ser feito nesses restaurantes: a entrada, diz ela, pode ser uma salada com as folhas disponíveis no dia. “Varie! Não consuma só alface. Experimente agrião, acelga, rúcula, etc.”, indica. Também é recomendado o consumo de tomate, palmito, cebola, cenoura e beterraba.

Veja Mais:  Como acertar na escolha na hora de comprar peixe fresco ou congelado

Para o prato principal da refeição, Pinheiro sugere um filé de frango grelhado ou um filé de peixe assado. Pode ser até duas fatias de alcatra da churrasqueira. O importante é escolher apenas uma das opções para manter a alimentação adequada.

Para completar, ela aconselha o consumo de arroz integral ou de brócolis e o feijão. Além disso, a nutricionista fala que purê de abóbora, abobrinha refogada, berinjela assada ou legumes no vapor podem compor o prato. Na sobremesa, é recomendado investir em uma taça de salada de frutas ou uma rodela de abacaxi.

Leia também: Como turbinar o treino na esteira e ter mais resultado – no corpo e na corrida

Maria Clara Pinheiro alerta para importância de escolher os alimentos que proporcionem benefícios no momento de preparar  pratos saudáveis . “A comida é nosso combustível e, por isso, devemos priorizar a qualidade na maior parte do tempo”.

“Não deve comer como se fosse folga ou fim de semana. Procure escolher alimentos saudáveis, saladas e legumes, carnes magras, evite frituras e cuidado com molhos gordurosos”, sugere a nutricionista.

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana