conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Portal Agro

Aprosoja recebe prêmio de empresa socialmente responsável

Publicado

Fortalecimento Institucional

Aprosoja recebe prêmio de empresa socialmente responsável

Prêmio Brotar é concedido às empresas que colaboram com Instituto Desportivo da Criança

Instituto Desportivo da Criança

05/12/2018

Thiago tem 10 anos e Mayara, 14 anos. Ambos são alunos do projeto Vôlei Kids há quatro anos e gostam de participar das atividades realizadas no contraturno escolar. “Eu acho muito legal jogar vôlei, acho que vou continuar por muito tempo. É importante fazer esporte”, diz Thiago de Souza Hungria, que já está finalizando o 5º ano do Ensino Fundamental.

A adolescente Mayara de Almeida Pereira, estudante do 8º ano e moradora do bairro Pedra 90, acredita que “não é legal ficar em casa sem fazer nada, o bom é sair e se exercitar”.

O Vôlei Kids é um dos projetos do Instituto Desportivo da Criança, organização que trabalha esporte, educação e musicalização em escolas de Cuiabá, Várzea Grande e Chapada dos Guimarães. Em 2018, foram 650 crianças e adolescentes atendidas no contraturno escolar.

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) apoia o instituto desde 2012, por meio do programa Agrosolidário, e recebeu nesta terça (04) o Prêmio Brotar de empresa socialmente responsável.

“Por meio destes projetos colaboramos, principalmente, com a inclusão social das crianças. Hoje, neste evento, vemos que muitas crianças são tiradas das ruas, ocupando seu tempo com atividades. Isso as transforma em cidadãos valorizados que darão bons frutos no futuro”, diz Lucas Costa Beber, diretor administrativo da Aprosoja.

Veja Mais:  Serviço de inspeção de Caxias do Sul tem equivalência ao Sisbi-Poa reconhecida

O instituto só consegue atender tantas crianças e adolescentes porque conta com a parceria e patrocínio de diversas empresas, entidades e voluntários, como a Aprosoja. “A associação é fundamental para este projeto e temos muita seriedade em relação ao controle e a gestão do instituto para que todos possam apoiar com a certeza de um trabalho bem feito. Se conseguirmos melhorar a condição de vida de uma criança, já terá valido a pena”, afirma José Roberto Schmaltz, presidente do Instituto Desportivo da Criança.

Schmaltz lembra que, em 15 anos, muitas histórias de sucesso podem ser contadas. “Temos ex-alunos que hoje são professores de Educação Física do instituto, outros são bons profissionais, outros conseguiram boas bolsas de estudo. Há pouca evasão, então sabemos que é um trabalho importante”, conta. Há acompanhamento não só no esporte, mas ainda da situação econômico financeira e familiar de cada criança. “E vai além de ter sucesso na vida, queremos ajudar a criar pessoas melhores para o mundo”, finaliza o presidente do IDC.

 

 

Fonte: Ascom Aprosoja


Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215

Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Comentários Facebook
publicidade

Portal Agro

Embalagens de margarina terão que informar o percentual de gordura presente no produto

Publicado

Foi publicada no Dário Oficial da União desta quarta-feira (11) a Instrução Normativa Nº 66, que estabelece o Regulamento Técnico de Margarina, definindo o seu padrão oficial de classificação, com os requisitos de identidade e qualidade, a amostragem, o modo de apresentação e a marcação ou rotulagem, nos aspectos referentes à classificação do produto. 

O novo regulamento da margarina estabelece a exigência de que o produto apresente em sua rotulagem o teor de gordura, em porcentagem (% de gordura) no painel principal, possibilitando ao consumidor escolher o produto de acordo com as suas preferências ou finalidades. 

Segundo a IN, a informação qualitativa da margarina com relação ao teor de gordura deverá estar em destaque na marcação ou rotulagem do produto, utilizando numeral arábico, em números inteiros, seguido do símbolo da porcentagem (% de gordura), em caracteres do mesmo tamanho, segundo as dimensões utilizadas para a denominação de venda do produto.

A Instrução Normativa entra em vigor 180 dias após a publicação e será concedido o prazo de ano para a adequação das embalagens às especificações de rotulagem. 

Inspeção 

Recentemente, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento passou a atribuição sobre a inspeção da margarina para o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (Dipov), por ser um produto constituído em sua maioria de matérias-primas vegetais. Anteriormente, o produto era inspecionado pelo Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), e, por isso, recebia o selo do Serviço Inspeção Federal (SIF). 

Veja Mais:  Recursos do BID vão aprimorar programas de defesa agropecuária no país

“Então, se a partir de agora o consumidor não verificar o símbolo do SIF na embalagem do produto, não precisa ficar receoso, pois a margarina continua com a mesma qualidade de antes e o Mapa continua prezando pela idoneidade desse produto”, explica a coordenadora de regulamentação de produtos vegetais do Mapa, Karina Leandro.

Informações à Imprensaimprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Embrapa e Banco Central firmam convênio para ampliar e modernizar Zarc

Publicado

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), ligada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e o Banco Central firmaram convênio nesta quarta-feira (11) para ampliação e modernização do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) de 2020 a 2022. A assinatura ocorreu na sede do Mapa, com a participação da ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento). 

O acordo vai permitir o aprimoramento metodológico, a atualização do Zarc e ampliação do zoneamento climático de mais de 20 culturas. O convênio prevê a aplicação de R$ 28,5 milhões no período, provenientes da Embrapa e do Banco Central. O acordo tem a participação da Fundação de Apoio à Pesquisa e ao Desenvolvimento (Fapep). A iniciativa irá beneficiar produtores atendidos pelo Proagro, Seguro Rural e do Garantia-Safra, que usam o zoneamento para terem acesso à cobertura securitária.

O chefe Nacional de Pesquisa do Zoneamento Agrícola de Risco Climático da Embrapa Informática Agropecuária, pesquisador Eduardo Monteiro, explicou que o convênio permitirá, por exemplo, processamento do zoneamento de cinco culturas simultaneamente, integração e capacitação de mais equipes da Embrapa, desenvolvimento de metodologia para zoneamento de culturas específicas (como sistemas agroflorestais) e ampliação do zoneamento de produtividade.

“Neste projeto, estamos colocando as bases para responder as questões de como plantar minimizando os riscos climáticos adversos na propriedade”, disse.   

A ministra Tereza Cristina destacou que a ampliação do zoneamento “vai fazer com que o seguro chegue mais barato ao produtor”. Atualmente, agentes financeiros condicionam a concessão de crédito rural às recomendações do Zarc. Ela citou ainda que neste ano 100% do orçamento do Programa do Seguro Rural foram executados, totalizando R$ 440 milhões, o que não ocorria desde 2013. Para 2020, a previsão é de R$ 1 bilhão para subvenção do seguro.

Veja Mais:  Serviço de inspeção de Caxias do Sul tem equivalência ao Sisbi-Poa reconhecida

O chefe substituto do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural e do Proagro do Banco Central, José Luis Guerra Silva, ressaltou que ferramentas, como o Zarc, tem ajudado o setor agrícola a alavancar as produções de forma consistente.

Já o presidente da Embrapa, Celso Moretti, enfatizou o papel do zoneamento agrícola no desenvolvimento da agricultura aliada à sustentabilidade. “É um exemplo do que o Brasil tem feito para o desenvolvimento sustentável da agricultura brasileira”, disse.

De acordo com o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, a modernização do Zarc está alinhada ao trabalho que os produtores do país têm feito.

 Ações previstas com o convênio:

 – Ampliação da capacidade da Embrapa em desenvolver a modelagem e o processamento das informações do Zarc;

– Digitalização completa dos sistemas de informação e comunicação;

– Atualização da metodologia de quantificação de risco e modelagem apropriada para culturas já zoneadas ou adaptação de metodologia para novas culturas e sistemas de produção com diferentes níveis de manejo;

– Atualização das bases de dados meteorológicos utilizados no Zarc;

–  Manutenção e atualizações da versão Android do aplicativo Zarc Plantio Certo e desenvolvimento e disponibilização da versão IOS;

– Desenvolvimento do novo sistema web para consulta de resultados de Zarc por empreendimento e município em substituição ao modelo atual de publicação de tabelas no Diário Oficial;

Veja Mais:  Ceplac investe em pesquisa contra a ameaça da monilíase

– Construção do novo sistema de classificação de solos para o Zoneamento e critérios de enquadramento de áreas/empreendimentos.

Para que serve o Zarc?

O zoneamento tem o objetivo de reduzir os riscos relacionados a problemas climáticos e permite ao produtor identificar a melhor época para plantar, levando em conta a região do país, a cultura e os diferentes tipos de solos.

O sistema considera elementos que influenciam diretamente no desenvolvimento da produção agrícola como temperatura, chuvas, umidade relativa do ar, ocorrência de geadas, água disponível nos solos, demanda hídrica das culturas e elementos geográficos (altitude, latitude e longitude).

Os agricultores são obrigados a seguir as indicações do Zarc para contratar recursos do crédito rural, da agricultura familiar e do seguro rural.

O Zarc foi publicado pela primeira vez na safra de 1996 para o trigo. Hoje contempla os 26 estados e o Distrito Federal, incluindo mais de 40 culturas.

Informações à imprensaimprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Mapa participa de ações de capacitação de combate à mosca da carambola na Guiana

Publicado

A Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), com o apoio da Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores (MRE), realizou, de 1º a 11 de dezembro, uma capacitação para 16 técnicos e agentes de extensão que atuam no National Agricultural Research and Extension Institute (NAREI), na Guiana. O objetivo é combater à mosca da carambola (Bactrocera carambolae), que atinge áreas dos estados do Amapá, de Roraima e do Pará, e manter o Brasil livre da praga, 

O treinamento realizado na cidade fronteiriça de Lethem contou com a participação de especialistas do Mapa, da Embrapa e da Agência de Defesa Agropecuária de Roraima (ADERR).

O Brasil é o terceiro maior produtor de frutas do mundo e a mosca da carambola é a principal ameaça à manutenção dos mercados de exportação já estabelecidos e em constante expansão do segmento fruticultura. Em função de sua importância econômica, ações de educação fitossanitária fazem parte da rotina do Programa Nacional de Combate e Erradicação da Mosca da Carambola (PNCEMC).

Para o ano de 2020, está programado um segundo treinamento na capital Georgetown, com vistas à implementação de ações de monitoramento e controle da praga de forma conjunta na região fronteiriça dos dois países. As medidas em questão visam reduzir a incidência da praga no país, com vistas à sua erradicação.

Informações à Imprensa
imprensa@agricultura.gov.br

Veja Mais:  Recursos do BID vão aprimorar programas de defesa agropecuária no país

 

 

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana