conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Mulher

Bebê tem clavícula trincada durante o parto: “Ele gritava de dor”

Publicado

source

Em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, o filho de Kimberly Fernandes, 19 anos, sofreu uma lesão na clavícula durante o parto. “Quando o peguei nos braços, percebi que ele gritava muito de dor, até achei que tivesse quebrado o braço. Então, pedi para a pediatra fazer um raio-x para saber se estava tudo bem”, relata à Crescer .

Leia também: “Amarraram meus tornozelos à mesa de parto”, diz vítima de violência obstétrica

bebê chorando após o parto arrow-options
shutterstock

Em Campo Grande, bebê tem clavícula fissurada durante o parto

Segundo a mãe, a médica afirmou que era normal o bebê chorar, pois fica dolorido quando nasce. “Insisti para fazer o exame e foi comprovado que ele teve a clavícula quebrada durante o parto”, relata.

“A enfermeira ainda me disse que isso era normal acontecer e que o osso ia ‘colar rápido’, era só eu fazer a mobilização dele em casa e levar para a fisioterapia em outro hospital. Se é normal isso acontecer eu não sei, mas, para nós que somos mães, é desesperador”, desabafa.

Kimberly diz que sua mãe sabe fazer a imobilização, pois, caso contrário, o bebê ficaria 15 dias com dor, já que ela não teve a assistência necessária. “Só conseguimos marcar atendimento em outro hospital para essa semana”.

A família será atendida no Hospital Universitário de Campo Grande nesta quarta-feira. “Não quero que isso aconteça com mais nenhuma criança. Dá muita dó. Meu filho chora muito de dor”, diz ao afirmar que denunciará o caso.

Veja Mais:  Noiva se sente ‘traída’ com noivado de madrinha meses antes de seu casamento

Leia também: Mãe revela truque incrível para fazer bebê parar de chorar em segundos

Este não foi o primeiro caso de bebê com a clavícula fraturada durante o parto. Também em Campo Grande , dia 2 de novembro, segundo o site Midiamax , os médicos da Maternidade Cândido Mariano utilizaram um fórceps para ajudar a saída da criança, o que teria causado a lesão.

“Não deram nenhuma justificativa. As enfermeiras ainda comentaram: ‘O bom é que o osso cola rápido’. Dá uma dó dela, ela chora o tempo todo com dores”, fala a tia da criança.

Posicionamento dos hospitais

A assessora do Hospital Santa Casa de Campo Grande afirma que Kimberly passou por um parto normal sem intercorrências nem qualquer sintoma de gerasse desconfiança da anormalidade por parte dos profissionais. “O bebê nasceu com uma fissura (trincado) na clavícula direita, não houve fratura, que foi avaliada pela equipe da ortopedia”.

Eles ainda acrescentam: “Bebês choram normalmente após o parto sobre fraturas e/ou fissuras de clavícula, embora, seja uma situação desagradável e que gera transtornos, o evento apontado é fato fortuito, bem estabelecido na literatura e com estatística relevante na prática obstétrica, não configurando, desta forma, má assistência ou ato violento. Portanto, não há qualquer evidência de erro no atendimento prestado à referida paciente e seu recém-nascido”.

Leia também: Mãe dá à luz 2 pares de gêmeos seguidos e celebra: “Família é uma em um milhão”

Veja Mais:  Mãe faz camiseta para filho registrar todos os seus “primeiros dias de aula”

A Maternidade Cândido Mariano também se posicionou. Apesar da evolução normal, em dado momento, ”quando estava com dilatação total e o bebê bem encaixado no canal de parto, houve dificuldade para expulsão espontânea do mesmo, apesar de todo o esforço feito pela paciente”. A assessoria ainda diz “para evitar que o bebê entrasse em sofrimento fetal, o médico plantonista se utilizou de um fórceps de alívio, abreviando o nascimento”.

“De imediato, o bebê foi avaliado pelo pediatra de plantão que constatou uma fratura na clavícula e imediatamente já iniciou o tratamento (imobilização). Esse tipo de complicação pode ocorrer subitamente, já no período expulsivo do parto, quando os ombros não tem espaço suficiente para atravessar o canal.

E como o bebê já estava muito encaixado, não havia mais como realizar uma cesariana. Hoje, o bebê está em boas condições e será encaminhado para acompanhamento especializado até recuperação completa da fratura”.

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
publicidade

Mulher

Sem desperdícios! Comer a casca da banana tem vantagens e ajuda até a emagrecer

Publicado

source

A banana possui diversos benefícios, como ser um dos alimentos que melhora o sistema imunológico , além de ser rica em nutrientes, fibras e vitaminas. Porém, consumir a casca da banana, que costuma ser descartada, também é uma ótima maneira de aproveitar as vantagens da fruta.

comer a casca da banana ajuda a emagrecer e melhora a qualidade do sono arrow-options
shutterstock

De acordo com a nutricionista Susie Burrell, comer a casca da banana ajuda a melhorar o sono e até a emagrecer

A nutricionista australiana Susie Burrell, em uma publicação em seu blog, destaca que, atualmente, muito se discute sobre evitar o desperdício de alimentos, e comer a casca da banana é uma excelente maneira de colaborar com o meio ambiente e ainda proporcionar benefícios à saúde, como melhorar o sono e a pele e até ajudar a emagrecer.

“Você aumentará seu nível de fibras em pelo menos 10%, já que muita fibra alimentar pode ser encontrada na casca da banana. Você receberá quase 20% a mais de vitamina B6 e quase 20% a mais de vitamina C, e aumentará sua ingestão de potássio e magnésio”, explica a nutricionista.

As  fibras são aliadas da perda de peso e devem fazer parte do cardápio de quem deseja emagrecer , uma vez que aumentam a saciedade, ajudando assim a diminuir a ingestão de calorias das refeições seguintes, e queimam gorduras.

Susie afirma que a cor da casca também reflete os benefícios que se têm ao ingerí-la. “As bananas com cascas amarelas brilhantes têm uma proporção mais alta de antioxidantes associados aos efeitos anticâncer, enquanto as de cascas verdes (bananas menos maduras) são particularmente ricas no aminoácido triptofano, associado à boa qualidade do sono”, diz.

Veja Mais:  Camila Pitanga aposta nas tranças box braids; inspire-se no visual

Leia também: Banana está na lista de alimentos que te deixam mais feliz

Além disso, bananas verdes são ricas em amido resistente, que, segundo ela, é um tipo especial de fibra que colabora com o pleno funcionamento do intestino.

Como inserir a casca da banana no dia a dia

comer a casca da banana tem benefícios arrow-options
shutterstock

Não é necessário mastigar a casca. Fazer smoothies, por exemplo, é uma forma de incluí-la no cardápio

A nutricionista pontua que não é necessário mastigar a casca, e apresenta modos de aproveitar essas vantagens de maneiras sutis.

“[Você pode] cozinhar a casca para amaciar, isso ajudará a quebrar algumas das paredes celulares dentro dela, colaborando com a absorção dos nutrientes. Em seguida, misture a casca em receitas ou smoothies. É a maneira mais prática de usá-las”, garante Susie.

A australiana também explica que cozinhar uma carne em cima da casca da banana , por exemplo, é outro modo de ingerir os nutrientes.

Leia também: Jovem que “odeia academia” consegue emagrecer 38 kg com exercícios

Mais benefícios da banana

banana arrow-options
shutterstock

Além de colaborar com o intestino e a melhora do sono, os nutrientes da banana ajudam a melhorar a saúde cardíaca

Além disso, o portal New York Post comenta que consumir bananas frequentemente ajuda a prevenir ataques cardíacos e derrames. Segundo o site, cientistas também descobriram que o potássio presente na fruta combate o endurecimento e estreitamento das artérias e auxiliam o fluxo sanguíneo.

Veja Mais:  Noiva se sente ‘traída’ com noivado de madrinha meses antes de seu casamento

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

5 erros nos cuidados com a pele que podem piorar as espinhas

Publicado

source

Você costuma ter espinhas que sempre “voltam”? Além de motivos como estresse e alimentação, principalmente em quem já tem pele oleosa, a forma como você cuida da sua pele também pode ser a explicação do por quê você nunca consegue se livrar da acne. 

Leia também: Como aparecem e como tratar as espinhas que são causadas por estresse?

mulher com espinhas no rosto se olhando no espelho arrow-options
shutterstock

A forma como você cuida da sua pele, com produtos, por exemplo, pode influenciar o aparecimento de espinhas

Mas, afinal, quais são esses cuidados que fazem as espinhas aparecerem? Paola Pomerantzeff, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, destaca os cinco piores erros que podem favorecer o agravamento do quadro acneico. Confira:

1. Utilizar produtos antiacne apenas quando as espinhas aparecem

Quem sofre com acne sabe que, em alguns dias, as espinhas estão melhores e, em outros, elas pioram de novo. Apesar disso, é essencial que o uso de produtos indicados seja contínuo para proporcionar os melhores resultados, independentemente da presença ou não de espinhas, devendo ser parado apenas sob orientação do dermatologista.

“Isso porque é mais eficaz usar um produto menos agressivo todos os dias para controlar o quadro acneico do que tratar as espinhas apenas quando elas aparecem. O tratamento diário também minimiza a irritação da pele”, afirma a especialista.

Outra dica da profissional é não aplicar o produto apenas onde há acne , mas no rosto todo, pois as substâncias secativas também podem ajudar a prevenir o surgimento de novas espinhas. 

Veja Mais:  Camila Pitanga aposta nas tranças box braids; inspire-se no visual

2. Abusar das concentrações dos produtos

O peróxido de benzoíla, um ativo antibacteriano que tem como alvo as bactérias que causam acne e a inflamação, é um conhecido e eficaz ingrediente para o tratamento da acne. Porém, não adianta utilizar grandes concentrações da substância para aumentar sua eficácia.

Na verdade, o peróxido de benzoíla mata as bactérias causadoras da acne mesmo em níveis baixos e estudos mostram que altas quantidades da substância são mais irritantes e não mais efetivas. “Por isso, siga corretamente as indicações de uso de seu dermatologista”, explica.

Leia também: Espremi, e agora? 4 dicas fáceis para evitar manchas de espinhas na pele

3. Acreditar em todas as dicas que aparecem na internet

Pasta de dente, cola, colírio, entre diversas outras técnicas que prometem ajudar a dar fim à acne são receitas caseiras que tendem a piorar sua pele e agravar ainda mais o quadro acneico.

“Sabores como mentol ou canela em creme dental, por exemplo, são super irritantes e podem até causar uma queimadura química leve na pele. Por isso, evite seguir dicas que você encontra pela internet, respeitando sempre as orientações do seu dermatologista”, alerta a médica.

4. Lavar o rosto muito rápido

É comum a reclamação de que sabonetes com ingredientes antiacne, como ácido salicílico e extratos vegetais, não fazem efeito na pele. Porém, na maior parte das vezes, o problema não está no produto e sim no modo como realizamos a higiene de nossa pele.

Veja Mais:  Ivete Sangalo aposta no loiro com raiz escura para mudança de visual; inspire-se

“Os limpadores faciais precisam de tempo de contato na pele para começar a fazer efeito. Por isso, não adianta aplicar o sabonete em sua face apenas por alguns segundos. O ideal é massagear o sabonete na pele, contar até 30 e só então enxaguar o rosto”, diz a especialista.

5. Não usar hidratante

A acne tende a surgir principalmente em peles oleosas , o que faz com que grande parte das pessoas que possuem acne e pele oleosa parem de utilizar hidratantes na tentativa de evitar a oleosidade. Porém, o que poucos sabem é que óleo e água na pele são questões separadas.

“Você pode ter pele oleosa e propensa à acne, mas ainda não ter hidratação adequada, o que estimula o organismo a produzir mais óleo, piorando ainda mais o quadro acneico. Por isso, se você possui a pele oleosa, é necessário dosar a quantidade de água e óleo na pele, utilizando preferencialmente um hidratante oil-free”, acrescenta. 

Leia também: Como evitar espinhas? 5 hábitos simples da sua rotina podem te ajudar

Por fim, a dermatologista ressalta que o mais importante para dar fim à acne é consultar um dermatologista, já que apenas ele poderá realizar uma avaliação de seu rosto a fim de indicar os melhores produtos e tratamentos para manter a saúde da pele.

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Orgasmo cerebral: saiba o que é e descubra se você já teve um

Publicado

source

Women's Health

Imagine esse cenário: Você teve um dia cansativo, chega em casa e deita no seu sofá e uma brisa fresca entra pela janela. Você relaxa seu corpo inteiro e coloca seu fone. Você escuta o som de uma mulher gentilmente falando dentro de seus ouvidos. Ela sussurra, intimamente exalando sua respiração enquanto alterna entre um lado e o outro, causando um arrepio que corre seu corpo. É isso, você acabou de ter um orgasmo cerebral!

mulher tendo orgasmo sozinha arrow-options
shutterstock

Orgasmo cerebral pode trazer várias sensações, entre elas felicidade e relaxamento

Leia também: 7 tipos de orgasmo diferentes e como chegar a cada um deles

Ou melhor: você é uma das felizardas portadoras da Resposta Sensória Meridiana Autônoma ( ASMR , na sigla em inglês para autonomous sensory meridian response ). O nome complicado se refere a uma sensação curiosa e formigante, conhecida em alguns cantos da internet como um orgasmo cerebral .

Como é ter um orgasmo cerebral

Pessoas afetadas pelo ASMR costumam ter sensações distintas, o que torna sua descrição algo complicado. Em alguns casos, estímulos diversos podem causar reações de prazer físico intenso. Enquanto para outros a resposta de seu organismo se resume a um quase hipnótico estado de relaxamento e felicidade .

Porém uma das reações mais comuns é uma sensação de formigamento no interior e no topo da cabeça, que pode se estender para baixo pelo pescoço e até mesmo chegar aos braços e pernas. Os fanáticos pelo assunto afirmam que há uma distinção óbvia entre o ASMR e um simples arrepio.

Embora sussurros com uma voz sedosa sejam um dos principais gatilhos, qualquer coisa entre o som que uma caneta faz quando alguém desenha em um pedaço de papel e um discurso monótono e ritmado pode causar um episódio, variando de pessoa para pessoa. E não são apenas estímulos sonoros que podem fazer você ter uma das sensações de um orgasmo cerebral.

Veja Mais:  Pessoas gordas também podem ser fitness, como prova professora fora dos padrões

Leia também: Orgasmo vaginal x orgasmo clitoriano: qual é a diferença?

O que pode fazer você ter um episódio de ASMR

mulher lavando cabelo no salão de beleza arrow-options
shutterstock

O orgasmo cerebral pode acontecer em diversos lugares, até no salão de beleza

Para algumas pessoas, a sensação de que alguém está se concentrando exclusivamente em você – como quando um oftalmologista examina seus olhos ou uma cabeleireira corta suas madeixas – também funciona. Ter alguém gentilmente traçando linhas nas suas costas ou acariciando seu cabelo é outra possível causa para a sensação familiar.

Mesmo com tantas possibilidades, existem também aqueles que simplesmente não sentem nada. Para saber se esse é o seu caso ou não, a única forma é testar por conta própria. Ainda que não exista um padrão que funcione para absolutamente todas as pessoas, há alguns temas que aparecem com certa recorrência nos relatos de quem já teve um episódio de ASMR:

  • Vozes suaves e calmantes;
  • Sussurros bem próximos a um microfone ou aos ouvidos;
  • Tons de voz equilibrados, controlados;
  • Ruídos feitos com a boca, como estalar os lábios;
  • Atenção pessoal exclusiva, como receber cortes de cabelo, maquiagem ou exames médicos;
  • Ver a realização de trabalhos manuais feitos com precisão;
  • Sons de batidas leves e repetitivas em materiais diversos;
  • Ruídos suaves de materiais raspando ou cliques sucessivos;
  • Manuseio cuidadoso de objetos preciosos;
  • “Barulhos brancos”, como zumbidos baixos ou som de chuva.
Veja Mais:  Afogamentos de crianças aumentam quando pais mexem no celular, dizem salva-vidas

O embasamento científico

Embora o fenômeno tenha um nome complicado, existem poucos estudos científicos sobre o assunto. Segundo o professor Tom Stafford, especialista em psicologia e ciências cognitivas da Universidade de Sheffield, o fenômeno pode até ser algo real, mas é inerentemente difícil de estudar.

“A experiência interior é alvo de muitas investigações psicológicas, mas, quando você tem algo desse tipo que não se pode ver ou tocar, e que nem acontece com todo mundo, isso cai em um ponto cego. É como a sinestesia, que permaneceu como um mito por anos até que, na década de 1990, foi inventada uma forma de mensurá-la com confiança”, disse.

O termo ASMR foi criado por Jenn Allen, uma moradora de Nova York, no EUA, que trabalha no setor de cuidado com a saúde. Ela fundou o Instituto de Pesquisa ASMR, uma organização não oficial que depende de voluntários.

O psicólogo e pesquisador do Instituto D’Or Ronald Fischer afirma que há alguns estudos, porém poucas certezas. “O que sabemos é que, talvez, haja uma diferença nas conexões cerebrais que faça com que algumas pessoas tenham realmente uma maior sensação de relaxamento e bem-estar”, diz para o G1.

Por que o orgasmo cerebral acontece

mulher relaxando no sofá arrow-options
shutterstock

Você também pode ter um orgasmo cerebral sozinha, no sofá da sua casa, ao relaxar depois do trabalho

Algumas pessoas acreditam que o ASMR é uma resposta residual oriunda da nossa primeira infância. Um eco da atenção cuidadosa dos nossos pais e do efeito relaxado da voz de uma mãe sobre seu bebê. Já outros pensam que isso está mais relacionado a uma questão evolutiva que data de nossas raízes como primatas, algo como uma recompensa sensorial por nos submetermos aos cuidados de outros membros dos nossos grupos.

Veja Mais:  Ivete Sangalo aposta no loiro com raiz escura para mudança de visual; inspire-se

Leia também: Você sabe o que é orgasmo perfeito?

O YouTube

Cientificamente comprovado ou não, o fato é que tem muita gente que sente e acredita nos no orgasmo cerebral. Já existe uma sólida e crescente comunidade de “ASMRístas” no YouTube e em outras páginas, produzindo uma enorme quantidade de material voltado especificamente para os gatilhos distintos de seus espectadores.

De acordo com o Google Trends, as buscas no YouTube para ASMR mais que dobraram de janeiro de 2018 a janeiro de 2019. São 13 milhões de vídeos sobre o tema. Já o Instagram registrou mais de 5 milhões de vídeos do tipo, o que colocou o ASMR como uma das grandes tendências de 2018 na rede social.

Funciona, basicamente, assim: diante da câmera, os youtubers fazem movimentos lentos e repetitivos, como o de um lápis escrevendo sobre a folha, e sussurros e ruídos suaves, tipo o de amassar papéis. Do outro lado, o espectador vai relaxando. Em “Vídeo para dar soninho”, Mariane Carolina Rossi, dona do canal Sweet Carol, o maior do Brasil sobre o assunto (1,2 milhão de assinantes e vídeos que somam 220 milhões de visualizações), bate e arrasta as unhas sobre uma caixa de papelão e faz os sons “tuc tuc” e “sh sh” com a boca. Em outro, varre suavemente a lente com um pincel de maquiagem enquanto sussurra palavras gentis.

A jovem criou um canal para falar sobre bullying na escola, mas mudou o foco para ASMR depois que uma seguidora disse que sua voz era “calminha e ajudava a dormir”. Passou a ganhar dinheiro e trocou a carreira de enfermeira pela de ASMRtist, como é conhecido quem faz esse tipo de vídeo.

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana