conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Economia

Bolsonaro não vai exercer poder de veto e permitirá fusão entre Embraer e Boeing

Publicado


Bolsonaro não vai se opor à fusão entre Embraer e Boeing
Reprodução/ Twitter

Bolsonaro não vai se opor à fusão entre Embraer e Boeing

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (10) que o governo federal não vai se opor ao acordo de fusão entre as empresas Embraer, nacional, e Boeing, dos Estados Unidos. Bolsonaro se reuniu nesta tarde com ministros e comandantes das Forças Armadas. Segundo o presidente, o acordo entre as duas empresas não fere a soberania nacional e os interesses do país.

Leia também: PDT cita “risco à soberania nacional” e vai à Justiça contra Embraer-Boeing

“Reunião com representantes dos Ministérios da Defesa, Ciência e Tecnologia, Rel. Ext. e Economia sobre as tratativas entre Embraer (privatizada em 1994) e Boeing. Ficou claro que a soberania e os interesses da Nação estão preservados. A União não se opõe ao andamento do processo”, disse o presidente no Twitter.

O governo brasileiro detém a chamada “ação de ouro” (ou “golden share”, como é conhecida), que dá poder de veto a esse tipo de negociação. Bolsonaro foi municiado de informações que, segundo o Palácio do Planalto, mostram que a proposta de fusão das duas empresas “preserva a soberania e os interesses nacionais”.

Leia também: Bolsonaro diz que Embraer é “patrimônio” e cobra mudanças em acordo com a Boeing

Na apresentação para o presidente, foi explicado que os projetos em curso na área de defesa serão mantidos, bem como preservação do sigilo e prioridade do governo em definições em projetos de defesa. Haverá ainda a manutenção da produção no Brasil das aeronaves já desenvolvidas e dos empregos já existentes no Brasil. Com isso, o presidente decidiu não exercer o poder de veto a que tinha direito.

Veja Mais:  Estimativa de inflação para o fim de 2018 cai pela sétima vez consecutiva

“O Presidente foi informado de que foram avaliados minuciosamente os diversos cenários, e que a proposta final preserva a soberania e os interesses nacionais. Diante disso, não será exercido o poder de veto [Golden Share] ao negócio”, informou a Presidência da República, em nota. 

Leia também: Justiça derruba segunda liminar que vetava a fusão entre Embraer e Boeing

Com a aprovação do governo brasileiro, as empresas estão livres para assinar o acordo. Em seguida, será submetida à aprovação dos acionistas, das autoridades regulatórias, e a outras condições relacionadas a este tipo de transação.

O acordo em andamento entre as duas companhias prevê a criação de uma nova companhia, uma joint venture, no termo do mercado, na qual a Boeing teria 80% e a Embraer , 20%. Caberia à Boeing, a atividade comercial, não absorvendo as atividades relacionadas a aeronaves para segurança nacional e jatos executivos, que continuariam somente com a empresa brasileira.

*Com Agência Brasil

Comentários Facebook

Economia

Em São Paulo, IPVA de veículos com placa final 8 vence nesta sexta-feira

Publicado


Valor do IPVA teve queda e quem optar pelo pagamento à vista terá mais desconto
shutterstock

Valor do IPVA teve queda e quem optar pelo pagamento à vista terá mais desconto

Em São Paulo, os proprietários de veículos com placas terminadas em 8 tem até esta sexta-feira (18) para pagar o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) à vista com desconto de 3%. Aqueles que pretendem parcelar o imposto em três vezes também têm, nesta sexta-feira, a última chance de fazê-lo.

Leia também: Prazos, valores e parcelamento: saiba tudo sobre o IPVA 2019

O valor a ser pago pode ser consultado nos caixas eletrônicos, pela internet ou diretamente nas agências bancárias. Para isso, basta que o contribuinte tenha em mãos o número do Renavam (Registro Nacional de Veículos Automotores) de seu automóvel. Também é possível verificar o valor do IPVA no  site da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo .

Para pagar o imposto , o proprietário deve ir a uma agência bancária ou casa lotérica com o número do Renavam. Também é possível quitar o valor  nos caixas eletrônicos, pela internet ou por quaisquer outros canais oferecidos pela instituição financeira, como os aplicativos, por exemplo.

Confira as datas de vencimento para os outros finais de placa do estado de São Paulo :

  • Final 1 – 9 de janeiro (primeira parcela ou à vista com desconto), 11 de fevereiro (segunda parcela ou à vista sem desconto), 11 de março (terceira parcela)
  • Final 2 – 10 de janeiro (primeira parcela ou à vista com desconto), 12 de fevereiro (segunda parcela ou à vista sem desconto), 12 de março (terceira parcela)
  • Final 3 – 11 de janeiro (primeira parcela ou à vista com desconto), 13 de fevereiro (segunda parcela ou à vista sem desconto), 13 de março (terceira parcela)
  • Final 4 – 14 de janeiro (primeira parcela ou à vista com desconto), 14 de fevereiro (segunda parcela ou à vista sem desconto), 14 de março (terceira parcela)
  • Final 5 – 15 de janeiro (primeira parcela ou à vista com desconto), 15 de fevereiro (segunda parcela ou à vista sem desconto), 15 de março (terceira parcela)
  • Final 6 – 16 de janeiro (primeira parcela ou à vista com desconto), 18 de fevereiro (segunda parcela ou à vista sem desconto), 18 de março (terceira parcela)
  • Final 7 – 17 de janeiro (primeira parcela ou à vista com desconto), 19 de fevereiro (segunda parcela ou à vista sem desconto), 19 de março (terceira parcela)
  • Final 8 – 18 de janeiro (primeira parcela ou à vista com desconto), 20 de fevereiro (segunda parcela ou à vista sem desconto), 20 de março (terceira parcela)
  • Final 9 – 21 de janeiro (primeira parcela ou à vista com desconto), 21 de fevereiro (segunda parcela ou à vista sem desconto), 21 de março (terceira parcela)
  • Final 0 – 22 de janeiro (primeira parcela ou à vista com desconto), 22 de fevereiro (segunda parcela ou à vista sem desconto), 22 de março (terceira parcela)
Veja Mais:  Estimativa de inflação para o fim de 2018 cai pela sétima vez consecutiva

IPVA: à vista ou parcelado


Para os contribuintes que têm a quantia guardada para quitar o IPVA, a cota única é mais vantajosa financeiramente
Reprodução

Para os contribuintes que têm a quantia guardada para quitar o IPVA, a cota única é mais vantajosa financeiramente

Para os contribuintes que têm a quantia guardada para quitar o IPVA de uma vez, a  cota única  é mais vantajosa financeiramente. Segundo cálculos feitos pela associação de consumidores Proteste, o parcelamento só valeria a pena se o dinheiro investido estivesse numa aplicação de rendimento mensal líquido de pelo menos 1,55% ao mês ou 20,27% ao ano. Em termos brutos, isso equivale a 2% ao mês ou 26,82% ao ano.

Com a taxa Selic em 6,5% ao ano, o menor patamar desde o início da série histórica do Banco Central (BC), esse é um rendimento impossível de se conseguir em aplicações mais conservadoras e indicadas para essa finalidade, como o Tesouro Direto e a caderneta de poupança. Esta última, a título de comparação, hoje paga cerca de 0,35% por mês.

Leia também: IPVA à vista ou parcelado: qual é a melhor forma de pagar o imposto?

“Numericamente não vale a pena [parcelar o valor do IPVA ]”, explica o educador financeiro Fabrizio Gueratto, do canal 1Bilhão. “Se você consegue um desconto de 3% [valor praticado em São Paulo, por exemplo] à vista, teria que encontrar um investimento que rendesse mais do que esses 3% em três meses [máximo de parcelas do  IPVA]. Atualmente, com a Selic em 6,5% ao ano, nenhum investimento de renda fixa com liquidez diária rende 1% ao mês”, completa.

Veja Mais:  Dia dos pais deve movimentar quase R$ 14 bilhões no varejo, projeta CNDL/SPC

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

BNDES divulga lista de empréstimos e Bolsonaro comenta: “vamos bem mais a fundo”

Publicado


No Twitter, Bolsonaro divulgou novo link com informações do BNDES e afirmou que investigações serão mais profundas
Evaristo SA/AFP

No Twitter, Bolsonaro divulgou novo link com informações do BNDES e afirmou que investigações serão mais profundas

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou, nesta sexta-feira (18), um link que reúne os nomes dos 50 maiores clientes do banco e as operações realizadas para eles durante os últimos 15 anos. A plataforma também divulgou uma lista de países que fizeram empréstimos com o Brasil.

Leia também: BNDES planeja abrir “caixa-preta” e divulgar lista com seus 50 maiores devedores

De acordo com o BNDES , essas informações sempre estiveram presentes em seu site, mas a nova visualização disponível é mais simples e acessível à população, já que engloba todas as informações em uma única página.

O banco também informou que pretende ser mais transparente, facilitando transparência e facilitar ao público entendimento sobre suas operações e investimentos. “A disponibilização da lista, com acesso a um grande número de detalhes de cada operação, é parte do esforço de transparência que o Banco tem feito e que deve ser a marca das suas ações sempre”, informou, em nota.

Segundo o site da instituição financeira, os cinco maiores clientes do banco entre 2004 e 2018 foram Petrobras , Embraer, Norte Energia, Vale e a construtora Odebrecht, respectivamente. 

Entre os R$ 18 bilhões em empréstimos do BNDES nesse período, a Petrobras também ficou em primeiro como a maior tomadora de recursos: foram R$ 62,429 bilhões.

Veja Mais:  Tribunal nega indenização a funcionária de pet shop que foi mordida por filhote

Confira a lista com as dez maiores tomadoras de recursos do banco:

  1. Petrobras
  2. Embraer
  3. Norte Energia
  4. Vale
  5. Construtora Odebrecht
  6. Estado de São Paulo
  7. Transportadora Associada de Gás (TAG)
  8. Tim
  9. Telefônica Brasil
  10. Fiat Chrysler

Para conferir a lista completa com as 50 empresas que mais pediram empréstimos ao BNDES , clique aqui .

Além do ranking, a instituição financeira também divulgou os 14 países que mais pediram recursos para o Brasil.  Além de elencar os nomes dessas nações (Angola, Argentina, Costa Rica, Cuba, Equador estão no topo da lista), a  plataforma também especifica as razões pelas quais foram pedidos e cedidos cada empréstimo.

Em sua conta no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) elogiou o link do BNDES e afirmou que esse tipo de empréstimo será investigado “mais a fundo”.  “Tire suas conclusões”, escreveu, publicando o site do banco.

Confira a lista completa de países que conseguiram empréstimos com o  Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social :

  1. Angola
  2. Argentina
  3. Costa Rica
  4. Cuba
  5. Equador
  6. Gana
  7. Guatemala
  8. Honduras
  9. México
  10. Moçambique
  11. Paraguai
  12. Peru
  13. República Dominicana
  14. Venezuela

A “caixa-preta” do BNDES


Desde o início da corrida eleitoral, uma das principais pautas da campanha de Jair Bolsonaro é abrir a
EVARISTO SA / AFP

Desde o início da corrida eleitoral, uma das principais pautas da campanha de Jair Bolsonaro é abrir a “caixa-preta” do BNDES

Veja Mais:  Brasileiros poderão receber remessas do exterior em reais a partir de novembro

Uma das promessas de campanha de Bolsonaro era justamente “abrir a  caixa-preta do BNDES  e de outros órgãos”. Após eleito, o presidente foi às redes sociais reafirmar o compromisso de “revelar ao povo brasileiro o que feito com seu dinheiro nos últimos anos.”

O representante do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União ( TCU ), procurador Júlio Marcelo de Oliveira, reclamou em um debate no Senado, em 2015, que não há como avaliar se o banco aplica os recursos bem ou não. “O banco é hoje uma caixa preta na administração pública. O BNDES resiste a todas as tentativas de fiscalização mais profunda do TCU”, disse. 

Leia também: Joaquim Levy assume BNDES prometendo transparência e combate às distorções

Após o atrito,  BNDES  e TCU firmaram parceria para divulgar mais dados ao público, e desde então o processo de transparência da instituição ganha força. A expectativa é que, sob o novo governo, isso se amplie, tendo em vista as posições de Bolsonaro. Historicamente, de fato, não eram divulgados dados das transações que envolviam o banco, algo que foi transformado a partir de 2012, quando entrou em vigor a Lei de Acesso à Informação.

Veja Mais:  Crediário e cartão de crédito são os maiores vilões dos brasileiros endividados

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

O que o recorde de pontos do Ibovespa significa na prática

Publicado


É a terceira vez no ano que o Ibovespa supera seu próprio recorde; alta acumulada em 2019 é de 8,49%
Getty Images

É a terceira vez no ano que o Ibovespa supera seu próprio recorde; alta acumulada em 2019 é de 8,49%

O Ibovespa, principal indicador de desempenho da Bolsa de Valores brasileira, renovou sua máxima histórica nesta quinta-feira (17) e bateu a marca dos 95 mil pontos. A variação positiva de 1,01%, puxada por ações da Vale e da Petrobras, foi motivada pelo otimismo quanto à reforma da Previdência e uma melhora geral no cenário externo ao longo do pregão.

Leia também: Embraer vai pagar US$ 1,6 bilhão a acionistas após acordo com Boeing

Já é a terceira vez no ano que o Ibovespa supera seus recordes: o índice ultrapassou os 93 mil pontos no último dia 9 e passou de 94 mil nesta segunda-feira. Depois de ter encerrado 2018 na casa dos 89 mil pontos, o Ibovespa já acumula alta de 8,49% nestes primeiros dias de 2019.

Criado em 1968, o Ibovespa é o resultado de uma carteira hipotética de ações das principais empresas que compõem a B3, como é oficialmente chamada a Bolsa de Valores de São Paulo (antiga BM&FBovespa). Ao todo, a B3 engloba mais de 300 empresas, mas somente 65, que são responsáveis por cerca de 80% dos valores negociados diariamente, pertencem ao Ibovespa.


Combinados, os dois papéis da Petrobras – PETR3 e PETR4 – têm peso de mais de 12% no Ibovespa
Fernando Frazão/Agência Brasil

Combinados, os dois papéis da Petrobras – PETR3 e PETR4 – têm peso de mais de 12% no Ibovespa

Dentre as ações que integram o índice, estão as de empresas como a Ambev (ABEV3), Petrobras (PETR3 e PETR4) e Vale (VALE3). O peso de cada um desses papéis no Ibovespa varia: a participação do primeiro, por exemplo, é de 5,07%; dos segundos e do terceiro, de 5,06%, 7,04% e 10,58%, aproximadamente. Isso significa que valorizações ou quedas acentuadas nessas ações podem influenciar bastante no desempenho do Ibovespa no pregão.

Veja Mais:  Classe média tem que pagar mais juros por habitação, diz presidente da Caixa

A grosso modo, os pontos divulgados no noticiário representam o preço das ações que compõem o índice multiplicado pela quantidade teórica de ações, número divulgado diariamente pela própria B3. Dizer que o Ibovespa encerrou o dia em 95.351 pontos, como aconteceu hoje, significa que a carteira com os principais papéis da Bolsa vale, no total, exatamente R$ 95.351.

Leia também: Três estados brasileiros já decretaram calamidade financeira em 2019

Essa carteira hipotética de ações é reformulada pela B3 a cada quatro meses, mas a metodologia do sistema de pontos é a mesma desde a criação do Ibovespa , tendo passado apenas por algumas readequações para facilitar sua divulgação. Ambas podem ser consultadas a qualquer momento no site oficial da B3.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana