conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Saúde

Brasil registrou 10.274 casos confirmados de sarampo em um ano

Publicado


Brasil vive dois surtos de sarampo: um em no Amazonas e outro em Roraima
Marcelo Camargo/ABr

Brasil vive dois surtos de sarampo: um em no Amazonas e outro em Roraima

Desde o início de 2018 até 8 de janeiro de 2019, o Brasil identificou o total de 10.274 casos confirmados de sarampo. Atualmente, o país luta contra dois surtos da doença: um no Amazonas, onde há 9.778 casos e outro em Roraima, onde foram contabilizados 355 ocorrências.

Leia também: Quem é quem no Ministério da Saúde? Conheça os secretários de Mandetta

Casos isolados de sarampo ainda foram registrados em São Paulo (3), Rio de Janeiro (19), Rio Grande do Sul (45), Rondônia (2), Bahia (2), Pernambuco (4), Pará (61) e Sergipe (4), além do Distrito Federal (1). Foram registrados 12 óbitos por conta da enfermidade no período: quatro em Roraima, seis no Amazonas e dois no Pará.

Os surtos, segundo o Ministério da Saúde , estão relacionados à importação, já que o genótipo do vírus que circula no Brasil é o mesmo da Venezuela, país com surto da doença desde 2017.

Por meio de nota, a pasta informou que a explosão de casos confirmados no Amazonas é resultado de uma força-tarefa realizada no final de 2018 em Manaus, quando mais de 7 mil casos que estavam em investigação foram concluídos.

“Nas últimas semanas, houve diminuição na notificação de casos novos no Amazonas e em Roraima. No Amazonas, a concentração de casos desta semana se deu nos meses de julho e agosto. No estado de Roraima, o pico da doença ocorreu entre fevereiro e março de 2018. Em ambos os estados, no momento, a curva de novos casos é decrescente”, explicou o Ministério da Saúde por nota oficial.

Veja Mais:  Mais da metade dos adolescentes que passam pelo SUS não se alimenta bem

Leia também: Fake news! Jornalista que morreu de H1N1 não era militante antivacinas

De janeiro de 2018 até janeiro deste ano, o ministério encaminhou 15,5 milhões de doses da vacina tríplice viral para atender a demanda dos serviços de rotina e a realização de ações de bloqueio nos seguintes estados: Rondônia, Amazonas, Roraima, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco e Sergipe, além do Distrito Federal.

O Brasil tem até fevereiro deste ano para reverter os surtos de sarampo, sob pena de perder o certificado de eliminação da doença concedido pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) em 2016. O critério adotado pela Opas para conferir transmissão sustentada é que o surto se mantenha por um período superior a 12 meses. 

O alerta foi feito pela assessora regional de Imunizações da entidade, Lúcia Helena de Oliveira, durante a 20ª Jornada Nacional de Imunizações, que aconteceu em setembro, no Rio de Janeiro. Ela lembrou que a Venezuela , de onde veio a cepa de sarampo identificada no Brasil, perdeu seu certificado de eliminação em junho deste ano.

Leia também: Mais Médicos: 1707 profissionais devem se apresentar nas prefeituras até hoje

“Sabemos que os casos no Brasil são de importação, lamentavelmente, pelas condições de saúde em que vive a Venezuela. Mas só estamos tendo casos de sarampo no Brasil porque não tínhamos cobertura de vacinação adequada. Se tivéssemos, esses casos viriam até aqui e não produziriam nenhum tipo de surto”, destacou a assessora da Opas durante o evento.

Veja Mais:  Sarampo, pólio, rubéola e difteria: doenças erradicadas voltam a ameaçar o País

Comentários Facebook

Saúde

Residencial Santa Cruz dá dicas para idoso curtir o verão com saúde e disposição

Publicado

Não importa a fase da vida, o verão é a estação mais festejada pelas pessoas. Os dias ensolarados têm relação direta com a sensação de bem-estar e prazer e o ímpeto de aproveitar o que aparecer pela frente. Para a turma da terceira idade, no entanto, as altas temperaturas e o tempo abafado comuns do período exigem alguns cuidados especiais que são oferecidos na Residencial Santa Cruz. 

Leia também: Dicas para o idoso se manter saudável durante as estações de baixa temperatura


Residencial Santa Cruz faz idoso aproveitar o verão com saúde e disposição
Divulgação

Residencial Santa Cruz faz idoso aproveitar o verão com saúde e disposição

“A saúde do idoso pode sim ficar comprometida nos dias quentes de verão, já que sua menor capacidade de se adaptar à elevação dos termômetros, decorrente do processo de envelhecimento, pode levar à desidratação e à hipertermia”, observa Diego Rodrigues, enfermeiro gerontólogo e responsável pela área de saúde e bem-estar do Residencial Santa Cruz

De acordo com o especialista, a vida pode ser leve na estação mais otimista do ano, basta um pouco de atenção para evitar desconforto ou problemas de saúde

Hidratar para não secar

Beba grande quantidade de água, de preferência a cada duas horas, mesmo que a sensação de sede não seja evidente. Desta forma, é possível evitar lábios e língua secos, diminuição da quantidade de urina, agitação, apatia e confusão mental. Um corpo hidratado também evita as temíveis hipertermias (alta temperatura corporal), cujos sintomas vão desde contraturas musculares, tonturas, fraquezas a náuseas e vômitos “No caso dos idosos , não se pode esperar ter vontade para tomar água, sucos ou afins para fazê-lo. Eles devem procurar ingerir líquidos com constância, como uma rotina mesmo”, adverte o enfermeiro gerontólogo. 

Veja Mais:  Nova epidemia de ebola atinge a República Democrática do Congo

Leia também: cientistas desenvolvem novo procedimento que promete a cura para talassemia

Pele vistosa e macia

Perda de elasticidade da pele, redução da camada de gordura e redução das secreções sebáceas fazem parte do processo de envelhecimento. Por isso, a hidratação da pele não pode ser esquecida por quem já chegou nessa fase. A pele necessita de uma hidratação melhor, que deve ser interna, por meio de ingestão de líquidos e alimentos, e também com uso de produtos que podem ser utilizados na pele. Os cremes e loções hidratantes são opções para auxiliar a hidratação e manter a pele sadia, colaborando também para uma sensação de bem-estar, pois a pele seca pode coçar ou descamar. Para regiões mais secas, como os pés e as mãos, os especialistas aconselham o uso de cremes que contenham silicone e óleos vegetais e minerais, que conseguem a chamada hidratação por oclusão (redução da perda de água pela pele). Para regiões mais delicadas, como o rosto, a orientação é que se utilize produtos com ureia ou pantenol. 

Leia também: durante cirurgia, paciente descobre isqueiro dentro do seu estômago há 20 anos

Movimento sem exaustão

Atividades recreativas e exercício físico são grande aliados do corpo, mas nesses dias de muito calor vale um pouco de atenção para a escolha do local e horários. Evite qualquer atividade de muito movimento entre 10h e 16h, já que aumenta o risco de desidratação e contraturas musculares, e procure fazer as atividades em lugares cobertos e arejados ou em áreas que possuam ar-condicionado. 

Veja Mais:  Edital paracontratação de 8,5 mil médicos sai nesta terça-feira, diz ministro

Cardápio leve e com frequência

Evite refeições quentes e privilegie alimentos leves e saudáveis, como as frutas, verduras e legumes, pois são fontes de vitaminas, minerais e fibras, além de serem opções mais refrescantes. Alimente-se com uma frequência a cada três horas e opte, sem abusar, do sorvete. 

Sombra e água fresca

De acordo com o Residencial Santa Cruz , vista-se com roupas leves, frescas, como as de algodão e cor clara. Óculos de sol e bonés também são aliados na proteção do corpo contra o calor, assim como um bom filtro solar. E dê preferência aos banhos mais frios, que melhoram a sensação de frescor na pele.

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Ex-ministro da Saúde é acusado de favorecer empresas na compra de medicamentos

Publicado


Ricardo Barros é acusado de improbidade administrativa durante sua gestão no Ministério da Saúde
Wilson Dias/Agência Brasil

Ricardo Barros é acusado de improbidade administrativa durante sua gestão no Ministério da Saúde

A Procuradoria da República no Distrito Federal, órgão do Ministério Público Federal, ajuizou uma ação contra o ex-ministro da Saúde e deputado federal Ricardo Barros (PP) por improbidade administrativa durante sua gestão no ministério. A investigação que resultou na ação teve início com a apuração de problemas na aquisição de medicamentos sem licitação por conta de demandas judiciais.

Leia também: Ministério da Saúde anuncia novas regras para repasse de recursos federais

Segundo o MPF, entre as irregularidades cometidas sob a gestão de Ricardo Barros estariam favorecimento de empresas, desrespeito à legislação sobre exigências no serviço público e de normas sobre licitações, prejuízo a patrimônio público, descumprimento de decisões da Justiça e medidas que teriam contribuído em casos que resultaram nas mortes de 14 pacientes.

O parlamentar ficou à frente da pasta da Saúde de 2016 a 2018, quando foi substituído por Gilberto Occhi. Saiu para disputar as eleições do ano passado, quando se reelegeu deputado federal pelo Paraná. A ação também abrange a empresa Global Gestão em Saúde e outros dirigentes integrantes da equipe de Barros à época, como Davidson Tolentino Almeida, ex-diretor do Departamento de Logística da pasta.

Leia também: SUS terá novo medicamento para hepatite C a partir dos próximos seis meses

Veja Mais:  Sarampo, pólio, rubéola e difteria: doenças erradicadas voltam a ameaçar o País

Conforme a ação, teriam sido constatadas irregularidades em processos de compra de medicamentos para doenças raras, como Aldurazyme, Fabrazyme, Myozyme, Elaprase e Soliris. Nessas aquisições, o ministério teria favorecido empesas Global , Tuttopharma e Oncolabor, entre outras.

De acordo com a ação, essas empresas não tinham histórico de já ter realizado serviços de fornecimento desses medicamentos a governos. Elas teriam atrasado a entrega dos fármacos, além de terem sido selecionadas sem atenderem a todas as exigências, como ter a Declaração de Detentor de Registro. A Global, indica a ação, não teria nem licença de importação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para um dos medicamentos.

Em um processo de compra emergencial em 2017, a Global teria ganho sem atender aos requisitos. O Ministério da Saúde teria sido avisado que a empresa não dispunha de todas as licenças, não era cadastrada pelo fabricante, nem tinha o medicamento em estoque. O MS, segundo a ação, não somente não cancelou o contrato como adiantou um montante à empresa para que ela adquirisse os fármacos.

“Não há como não classificar de flagrantemente ilegal e temerária tal conduta dos réus que, com a prática, obviamente beneficiaram indevidamente a empresa Global Gestão em Saúde, sem haver o Ministério da Saúde obtido qualquer contrapartida, desconto ou economia em troca do risco suportado”, conclui a ação.

Condenação de Ricardo Barros e ressarcimento


Ricardo Barros é acusado de favorecer empresas na compra de medicamentos
shutterstock

Ricardo Barros é acusado de favorecer empresas na compra de medicamentos

O MPF pede, além da condenação dos acusados por improbidade administrativa, reparação do dano moral coletivo dos pacientes afetados pelos problemas decorrentes das irregularidades na aquisição dos medicamentos , inclusas aí as 14 mortes em decorrência dessa situação. Além de ressarcimento dos pagamentos feitos à empresa, no montante de pouco mais de R$ 19 milhões em caráter liminar.

Veja Mais:  Mais Médicos ainda tem 123 vagas não preenchidas; inscrições terminam amanhã

Em nota, o Ministério da Saúde informou que inscreveu na Dívida Ativa da União o repasse de R$ 20 milhões feito à empresa Global pelo não atendimento do contrato de entrega dos medicamentos Myozyme, Fabrazyme e Aldurazyme, como o não cumprimento de prazo em relação à quantidade estabelecida.

No tocante à ação, o ministério respondeu que “realizou todos esforços, incluindo uma compra emergencial, para garantir a assistência aos pacientes que utilizam os medicamentos Aldurazyme, Fabrazyme, Elaprase, Myozyme e Soliris mesmo com as ocorrências conhecidas”. O órgão acrescentou que os processos de aquisição respeitaram a legislação.

Por meio de nota, Ricardo Barros afirmou que o Ministério Público Federal escolheu “o lado errado da luta no Sistema Único de Saúde (SUS). Deveria acusar as empresas que mantém monopólio de representantes para explorar o erário público”. Segundo o parlamentar, a legislação foi cumprida rigorosamente para aquisições por judicialização da Saúde.

*Com Agência Brasil

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Lente de contato dental pode causar cáries nos dentes?

Publicado

Um sorriso perfeito é uma bela maneira de deixar uma boa primeira impressão  e sentir-se bem consigo mesmo. Se seus dentes não são tão bonitos como você gostaria, você pode estar pensando em colocar a famosa lente de contato dental. Elas são uma ótima maneira de cobrir as imperfeições e a cor amarelada dos seus dentes. No entanto, você pode se perguntar se elas são boas para os dentes. Elas podem aumentar as chances de você acabar com cáries?

Leia também: A importância da língua em nossa saúde bucal, por Bruno Puglisi


Lente contato dental é uma boa solução para ter os dentes perfeitos
shutterstock/Reprodução

Lente contato dental é uma boa solução para ter os dentes perfeitos

A lente de contato dental ou facetas são simplesmente capas de porcelana coladas na frente de seus dentes. Para que as lentes pareçam naturais, será necessário remover uma fina camada de esmalte dos dentes. No entanto, esse processo não aumenta as chances de você ter carie nessa parte desgastada porque a parte de seus dentes que perdeu o esmalte será protegida pela porcelana.

Mas os dentes com as porcelanas ainda podem acumular placa e tártaro, o que significa que eles podem eventualmente desenvolver pequenas infiltrações. Por mais bem adaptadas que essas lentes forem, sempre haverá uma união entre porcelana e dente, e ai que deve existir uma atenção especial, principalmente com a escovação .

Veja Mais:  Mais Médicos ainda tem 123 vagas não preenchidas; inscrições terminam amanhã

Se cavidades se desenvolvem nesses dentes, eles podem não de suportar suas lentes.

Leia também: Você sabe os males que o cigarro traz para sua boca? Dr. Bruno Puglisi explica

Quando você começa o tratamento, seu dentista lhe dará algumas dicas sobre como cuidar dos dentes. Doutor Bruno Puglisi recomenda algumas para você:

·         Escove pelo menos duas vezes por dia – ou depois de cada refeição, se possível.

·         Não se esqueça do fio dental. Você não quer que pequenas partículas de alimentos fiquem alojadas entre os dentes e causem danos aos lados de seus dentes brancos.

·         Use enxaguatório bucal duas vezes por dia para combater as bactérias.

·         Não consuma muitos alimentos e bebidas ácidas, como frutas cítricas, café e refrigerante.

·         Cuidado com hábitos de morder canetas e outros que podem quebrar ou soltar as lentes

·         Cuidado com alimentos muito duros ao morder um osso por exemplo

·         A manutenção e limpeza no consultório é o mais importante para que o dentista possa avaliar algum, problema ainda no início, não prejudicando a lente colocada  

As lentes não são ruins para os dentes, elas são uma solução estética fantástica, desde que você tenha todos os cuidados para que ele permaneça por muitos e muitos anos.

Leia também: Dr. Bruno Puglisi diz como a diabetes pode afetar a saúde bucal

Veja Mais:  Mais Médicos: mais de 97% das vagas foram preenchidas, mas só 0,5% se apresentou

No entanto, se você ainda não tem certeza se deseja se submeter a esse tipo de procedimento com lente de contato dental , tire todas as suas dúvidas com seu dentista antes de iniciar o tratamento.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana