conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Esportes

Com VAR decisivo, Palmeiras vence o Botafogo em Brasília e segue na liderança

Publicado

Lance


Jogadores do Palmeiras comemorando
Rudy Trindade / FramePhoto / Agência O Globo
Palmeiras venceu o Botafogo em Brasília

Em um jogo bastante movimentado, com 11 cartões amarelos para o Botafogo
e nenhum para o Palmeiras, foram os paulistas que saíram de campo com a vitória por 1 a 0. O gol foi marcado por Gustavo Gómez, em penalidade assinada pela arbitragem depois do uso do VAR
, o árbitro de vídeo.

Leia também: VAR em ação! Confira os melhores memes sobre árbitro de vídeo na web

Mais de 30 mil torcedores foram ao Mané Garrincha, em Brasília (DF), na tarde deste sábado, assistir ao jogo que manteve o Palmeiras
na liderança isolada do Campeonato Brasileiro para esta rodada.

Com o resultado, o time alviverde chegou a 16 pontos, na liderança do Brasileirão
, não podendo ser alcançado nesta rodada – já o Botafogo ficou na sétima colocação, com nove pontos.

Pela competição, ambas as equipes voltam a campo no primeiro domingo de junho – enquanto o Alvinegro recebe o Vasco, o Verdão visita a Chapecoense. Antes, na quarta, o Bota enfrenta o Sol de América, no Nilton Santos, pela volta da segunda fase da Sul-Americana e, no dia seguinte, pela volta das oitavas de final da Copa do Brasil, o Palmeiras recebe o Sampaio Corrêa.

PRESSÃO!

Devido ao fato de a partida ter sido disputada em Brasília, em um campo neutro, o Palmeiras, mesmo visitante, esteve em casa. A maior parte dos torcedores que foram ao Mané Garrincha acompanhar a partida foi do Verdão, que pressionou desde o minuto inicial – até com certa facilidade. Os comandados de Luiz Felipe Scolari chegaram com perigo com Deyverson, Dudu e Zé Rafael. O Botafogo pouco chegou ao ataque, mas conseguiu se segurar em um bom esquema defensivo, levando a partida ao intervalo com o placar sem gols.

Veja Mais:  “Não quero morrer, socorro”, disse jogador Daniel antes de ser assassinado

CARTÕES, VAR E GOL


Gustavo Gómez marcou o gol do Palmeiras de pênalti
Rudy Trindade / FramePhoto / Agência O Globo
Gustavo Gómez marcou o gol do Palmeiras de pênalti

Depois de muitos cartões amarelos para os jogadores do Botafogo no primeiro tempo, o panorama se repetiu no segundo. Com direito a dois no banco de reservas – Gustavo Bochecha e o preparador de goleiros Flávio Tênius -, o árbitro Paulo Roberto Alves Junior distribuiu 11 cartões para o Alvinegro. E a arbitragem sendo acionada em campo seguiu com o uso do árbitro de vídeo, com pênalti marcado para o Palmeiras após Gabriel pisar em Deyverson. Aos 16, Gustavo Gómez foi para a cobrança e converteu, 1 a 0.

ACORDOU TARDE DEMAIS…

Atrás do marcador, o Botafogo passou a se arriscar mais, acordando em campo. Porém, acabou sendo tarde demais. Os comandados de Eduardo Barroca tiveram chances com Fernando e Gustavo Ferrareis, com o Palmeiras tentando o segundo, sem conseguir, com Diogo Barbosa em boa defesa de Gatito Fernández, e com Dudu, após passe de Lucas Lima. Fim de jogo, vitória do Verdão por 1 a 0, garantindo que terminará a rodada mais uma vez na liderança isolada. Jogo complicado, mas pontos justos pelo desempenho em campo.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 0 X 1 PALMEIRAS

Estádio
: Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data/hora
: 25/5/2019, 16h (de Brasília)
Árbitro
: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Assistentes
: Guilherme Dias Camilo (FIFA/MG) e Clovis Amaral da Silva (PE)
Árbitro de vídeo
: Adriano Milczvski (PR)
Renda/público
: R$ 2.320.830,00 / 33.143 pessoas
Cartões amarelos
: João Paulo, Gilson, Gustavo Bochecha, Leonardo Valencia, Flávio Tênius, Fernando, Gabriel, Gatito Fernández, Cícero, Diego Souza, Gustavo Ferrareis (BOT)

Veja Mais:  Tetracampeão da NBA, Manu Ginóbili anuncia aposentadoria do basquete aos 41 anos

GOL
: Gustavo Gómez 16’/2ºT (0-1)

BOTAFOGO
: Gatito Fernández, Fernando, Marcelo Benevenuto, Gabriel e Gilson; Cícero, João Paulo (Yuri 34’/2ºT) e Alex Santana; Leonardo Valencia (Gustavo Ferrareis intervalo), Diego Souza e Luiz Fernando (Igor Cássio 28’/2ºT). Técnico
: Eduardo Barroca.

PALMEIRAS
: ​Weverton, Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Luan (Antônio Carlos 26’/2ºT) e Diogo Barbosa; Thiago Santos e Bruno Henrique; Lucas Lima (Moisés 41’/2ºT), Zé Rafael (Gustavo Scarpa 28’/2ºT) e Dudu; Deyverson. Técnico
: Luiz Felipe Scolari.

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Flamengo vence Bahia e abre 10 pontos do Palmeiras

Publicado

source

O Flamengo venceu o Bahia por 3 a 1, neste domingo (10), no Maracanã, pela 32° rodada do Campeonato Brasileiro.

No primeiro tempo o volante Willian Arão, aos 38 minutos, marcou contra para o Bahia. No segundo, veio a virada do Flamengo. Aos 8 minutos, Reinier empatou. Bruno Henrique, aos 26, colocou os cariocas na frente. E Gabigol, aos 42, fechou o placar.

Com este resultado a equipe rubro-negra amplia a vantagem de 8, do início da rodada, para 10, em relação ao Palmeiras, vice-líder do Brasileirão. 

Mesmo com o empate, o tricolor baiano se manteve na nona posição, com 43 pontos conquistados. 

O Flamengo volta a campo nesta quarta-feira (13), contra o Vasco, no Maracanã. O jogo será válido pela 34° rodada, que foi antecipada em função da final da Copa Libertadores da América. 

O clássico inicialmente estava marcado para o dia 23, justamente a data da decisão da competição internacional.

Já o Bahia volta a campo no próximo domingo (17), no Estádio Fonte Nova, em Salvador-BA.

Edição: Verônica Dalcanal

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Veja Mais:  Cuiabá empata e garante classificação paras 2ª fase na Copa São Paulo
Continue lendo

Esportes

De volta, Arthur Nory explica estratégia que rendeu título mundial

Publicado

source

Arthur Nory fez história ao conquistar o título Mundial na barra fixa, inédito para a ginástica artística brasileira. Mas não foi só esse pioneirismo que tornou o feito especial para o atleta de 26 anos. A medalha de ouro que trouxe de Stuttgart (Alemanha) tem a assinatura de um de seus ídolos, o alemão Fabian Hambüchen, campeão olímpico do aparelho em 2016.

“Tenho a foto dele no armário aqui do clube [Pinheiros]. Quando descobri que ele fez a medalha, tive mais vontade ainda de querer ganhar, pois ela é única, exclusiva”, revela o ginasta em entrevista à Agência Brasil.

O brasileiro chegou à final em Stuttgart como candidato à medalha. Para brigar pelo ouro planejava uma série diferente da executada na fase classificatória, com um grau de dificuldade maior. A estratégia mudou à medida que os rivais se apresentaram.

“Vínhamos trabalhando essa outra série já pensando na Olimpíada. Para a final ele tinha as duas prontas. Mas final é algo tenso. Não se pode cometer erros médios. E os adversários que foram antes dele foram cometendo esses erros. Analisamos e concluímos que não precisaríamos da série mais difícil, mas a apresentação [com a série da classificatória] teria que ser impecável”, diz o técnico Cristiano Albino.

“Eu treinei a série mais difícil aquela semana toda, pois queria ganhar, queria ser campeão. Fui lá para isso. Então eu poderia correr esse risco ou fazer bem a da classificatória, que me garantiria uma nota boa. Fui para cima e deu tudo certo”, completa Arthur, que obteve 14.900 pontos, contra 14.666 do croata Tin Srbic (segundo colocado) e 14.533 do russo Artur Dalaloyan (terceiro colocado).

Veja Mais:  Confira a agenda do futebol desta quarta-feira, dia 17 de julho de 2019

A medalha conquistada na Alemanha enriqueceu a bagagem de Arthur nos dois meses que ficou longe do Brasil. Antes foram três nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru (ouro por equipes e duas pratas, na barra fixa e no individual geral). O brasileiro ainda esteve em Wuhan, na China, mas foi poupado nos Jogos Mundiais Militares por causa de dores no ombro.

Arthur Nory.

Arthur Nory em ação no Mundial de Ginástica de Stuttgart (Alemanha) – Ricardo Bufolin/CBG Confederação Brasileira de Ginástica

As conquistas vieram após a constatação, em maio, de que as dores no joelho esquerdo que incomodam Arthur há dois anos não tinham cura. Elas são causadas por uma condromalácia, um desgaste crônico na cartilagem. Por causa disso, apesar de já ser medalhista olímpico de bronze no solo, em 2016, a preparação visando a Olimpíada de Tóquio, no ano que vem, passou a priorizar de vez a barra fixa.

“Isso [lesão no joelho] dificulta a evolução no solo. [A apresentação] é boa, pode levá-lo à final, mas [disputar] medalha complica. Como ele sempre foi muito bom de barra, desde o início do ano demos um foco maior nesse aparelho. Vamos adotar estratégias para o Arthur fazer os demais aparelhos, até porque tem a competição por equipe e, provavelmente, ele pode disputar o individual geral. Porém, o planejamento será voltado para a barra”, explica Albino.

Veja Mais:  Trio brasileiro aparece em lista de atletas sub 21 mais valiosos do mundo

Arthur é o quarto brasileiro campeão mundial de ginástica. Antes dele venceram Daiane dos Santos (2003), Diego Hypolito (2005 e 2007) e Arthur Zanetti (2013). Deles, porém, apenas Zanetti também subiu ao pódio olímpico no ciclo, com a prata nas argolas nos Jogos de 2016, no Rio de Janeiro. Para repetir o “xará” em 2020, Nory aposta no trabalho da equipe com a qual trabalha diariamente no Pinheiros, em São Paulo.

“No ano que vem também tenho que estar bem, competindo bem, preparar a cabeça para lidar com a pressão, entre aspas, de ser campeão mundial, de defender um título olímpico. Tenho acompanhamento com psicóloga, a Carla, desde 2009. São anos de trabalho com ela. São detalhes que podem fazer a diferença. Venho treinando técnicas de respiração, mentalização, de sentir a emoção na hora da série, da comemoração. E é tudo trabalhado em conjunto. O fisioterapeuta fala com o treinador, que fala com o médico. A nutrição também entra. Tudo para chegar ao resultado”, conclui.

Edição: Fábio Lisboa

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Um olho na Superliga e outro em Tóquio

Publicado

source

Começa neste sábado (9) a mais importante edição da Superliga dos últimos tempos. É claro que para os clubes participantes, no final das contas, o que vale é o título. Só que para as seleções brasileiras feminina e masculina a principal competição interclubes do país vai servir como uma espécie de preparatório para Tóquio 2020. Tanto Renan Dal Zotto quanto José Roberto Guimarães estarão ligados no desempenho dos atletas que ainda buscam uma vaga nas seleções brasileiras. Um bom desempenho na competição pode carimbar a vaga de algum deles. Um desempenho vacilante pode tirar um atleta da Olimpíada.

No feminino este é o caso de Sheilla. Mais novo reforço do Itambé/Minas, a oposta estará sob pressão. Se não conseguir retomar à velha forma que lhe rendeu a glória na seleção brasileira, dificilmente estará no time que vai tentar o tricampeonato olímpico em Tóquio 2020. Entre os homens a briga pela posição de ponteiro da equipe nacional é boa. Leal e Lucarelli parecem ter vaga garantida. Maurício Borges e Douglas Souza têm preferência na posição. Mas se Lucas Lóh, do Sesi São Paulo, arrebentar na Superliga, será que Renan vai deixá-lo de fora da lista olímpica?

Mesmo regulamento para homens e mulheres

A Superliga Masculina conta com doze equipes que jogam em turno e returno. As oito mais bem colocadas avançam às quartas-de-final, e o mata-mata continua até a final, que vai ser disputada em melhor de três jogos. Participam desta edição o atual campeão EMS Taubaté Funvic, o América Vôlei, o Apan Blumenau, o Denk Academy Maringá, o Fiat/Minas, o Pacaembu Ribeirão Preto, o Sada Cruzeiro, o Sesc Rio, o Sesi São Paulo, o Vôlei Renata e o Vôlei Um Itapetininga. O Ponta Grossa Vôlei entrou na última hora em substituição ao Botafogo, que desmontou o time e desistiu de participar da competição.

Veja Mais:  “Não quero morrer, socorro”, disse jogador Daniel antes de ser assassinado

Comandado por Renan Dal Zotto, o Taubaté aparece como o principal favorito. Reunindo uma verdadeira seleção brasileira em quadra, o vencedor do ano passado começou bem a atual temporada levando os títulos da Supercopa e do Campeonato Paulista. Outras três equipes podem ser consideradas postulantes à taça: O supercampeão Sada/Cruzeiro, o Sesc Rio e o Sesi São Paulo. O Fiat/Minas e o Vôlei Renata devem comer pelas beiradas para tentar uma vaga na grande decisão.

Disputa feminina

A Superliga feminina tem o mesmo regulamento da masculina. Participam doze clubes: Flamengo, Curitiba Vôlei, Dentil/Praia Clube, Pinheiros, Fluminense, Osasco/Audax, São Cristóvão Saúde/São Caetano, São Paulo/Barueri, Sesc Rio, Sesi Bauru, Valinhos, além do atual campeão Itambé/Minas.

Ao menos cinco equipes surgem em condições de disputar o título. Nenhuma delas têm o status de favorita absoluta. Neste início de temporada o Dentil/Praia Clube aparece com força. A equipe de Uberlândia foi campeã mineira e também da Supercopa, os dois títulos foram obtidos em cima do rival Itaimbé/Minas, outro que deve dar trabalho às adversárias. Além dos times mineiros, Sesc Rio (do técnico Bernardinho), Osasco/Audax e Sesi Bauru também são candidatos ao título. Outras equipes podem surpreender. É o caso do São Paulo Barueri. A equipe é formada por jovens jogadoras, mas conta com o comando do tricampeão olímpico José Roberto Guimarães e já mostrou força ao chegar à final do Campeonato Paulista.

Veja Mais:  Confira a agenda do futebol desta quarta-feira, dia 17 de julho de 2019

As dúvidas ainda são muitas, e as respostas devem aparecer rodada a rodada na Superliga. A promessa é de muita emoção e disputas acirradas em quadra.

Edição: Fábio Lisboa

Fonte: IG Esportes
Comentários Facebook
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana