conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Rondonópolis

Consema aprova intervenções para obras de drenagem e rede de esgoto em Rondonópolis

Publicado

O pleno do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Consema) autorizou a intervenção em Áreas de Preservação (APPs)para execução de duas obras importantes para melhoria da qualidade de vida de moradores de Rondonópolis, durantea última reunião ordinária de 2018, realizada nesta terça-feira (11), na sala de reuniões da prefeitura de Rondonópolis.

Uma intervenção autorizada pelo Consema é na região do Vila Rica e João de Moraes, para ampliação da rede de esgotamento sanitário.  E a outra, no Alfredo de Castro, à execução da tubulação da drenagem das águas pluviais.

“O conselho autorizou a realização destas intervenções dentro de APPs, conforme o cumprimento das exigências legais, para realização destas duas obras que representarão um grande benefício socioambiental,  uma vez que  possibilitarão obras de esgotamento sanitário e drenagem de águas pluviais, minimizando algumas ocorrências que impactam tanta sociedade como o meio ambiente”, disse o secretário de Meio Ambiente, João Fernando Copetti Bohrer, que também é o presidente do Conselho.

Após a reunião, o secretário fez uma avaliação positiva da atuação do Consema neste ano. Ele salientou que os conselheiros têm buscado ser proativos, “visando contribuir para o desenvolvimento do município de forma sustentável. Ou seja, aliar o desenvolvimento econômico, crescimento e não descuidar da preservação para beneficiar a todos”. O Consema reúne diferentes segmentos, constituindo uma ampla representação da sociedade.

Representatividade                               

Veja Mais:  Câmara encerra atividades com apresentação de orquestras e alunos do curso de libras e Oratória

Além da Semma, tem representante no Consema: a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Sinfra); Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); Serviço de Saneamento Ambiental de Rondonópolis (Sanear); Câmara Municipal de Rondonópolis; Ministério Público do Estado; Polícia Militar Ambiental; além de representatividade das instituições de ensino superior de Rondonópolis; um representante de Ongs não governamentais; um representante da Uramb ou Unisal; um representante dos clubes de serviços e um representante da Acir.

Comentários Facebook

Rondonópolis

Agentes de combate a endemias de Rondonópolis devem receber incentivo financeiro adicional pelo 2º ano consecutivo

Publicado

Foto: Assessoria

Os agentes de combate a endemias da Prefeitura de Rondonópolis devem receber pelo segundo ano consecutivo um abono financeiro no valor de um salário mensal líquido da categoria, que é de R$ 1,3 mil. O projeto de lei que autoriza o executivo municipal a conceder o incentivo financeiro adicional, em parcela única, aos agentes foi assinado pelo prefeito Zé Carlos do Pátio, na manhã desta terça-feira (15), em seu gabinete no Palácio da Cidadania.

A assinatura do projeto pelo prefeito ocorreu durante reunião com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Combate a Endemias no Estado de Mato Grosso (Sintrace), Wilson Cutas, que estava acompanhado da representante da entidade no município, Odete Maria de Freitas. Participaram ainda da reunião os secretários municipais de Saúde e de Gestão de Pessoas, Izalba Albuquerque e Argemiro Ferreira, respectivamente, além da gerente de departamento da Saúde Coletiva, Geraldina Ribeiro.

“Agora, vamos encaminhar o projeto à Câmara, a fim de que os vereadores possam votar o mais rápido possível este incentivo financeiro aos agentes de endemias, que têm se redobrado para manter a cidade livre das doenças. Como reconhecimento a toda dedicação e esforço em prol da nossa população, vamos recompensá-los com esta gratificação”, explicou o prefeito, reconhecendo o trabalho de destaque que estes profissionais têm feito.

Os agentes de combate a endemias atuam principalmente no combate à proliferação dos mosquitos que são transmissores de doenças, como Aedes aegypti, vetor da dengue, zika e chikungunya. “A atividade deles têm gerado resultados positivos, protegendo toda a população”, salientou Pátio. Rondonópolis nos últimos anos vem mantendo baixos índices de infestação do mosquito Aedes aegypti, o que mostra um trabalho eficaz dos agentes de combate de endemias.

Veja Mais:  Quase 100 mudas de ipês são plantadas em homenagem ao Dia da Árvore

Condições de trabalho

Como forma de valorização do esforço desses profissionais, que possuem função de extrema relevância à manutenção da Saúde Pública, a Prefeitura tem se empenhado para fazer a regularização profissional e, também, melhorar as condições de trabalho da categoria, com a entrega de Equipamento de Proteção Individual (EPIs).

O processo de regularização profissional da classe, que conta hoje com 137 agentes, abaixo do que é necessário para cobrir todas as áreas da Rondonópolis, está sendo finalizado, possibilitando assim a contratação de mais 116 agentes, por meio de processo seletivo.

“Isto mostra que os agentes atuais estão se redobrando para cobrir a cidade, segurando praticamente na mão os índices baixos de infestação do mosquito transmissor da dengue, por exemplo. Com a finalização do processo de certificação (regularização) dos que trabalham atualmente, vamos fazer o seletivo e praticamente dobrar o número de agentes de combate de endemias, cobrindo toda cidade”, destacou o prefeito.

O processo de certificação para adequação ao que exige a legislação vigente está próximo de ser concluído. Segundo o secretário municipal de Gestão de Pessoas, Argemiro Ferreira, o município está praticamente com tudo pronto para realização do processo seletivo para contratação de 137 novos agentes de combate de endemias. “Estamos com tudo pronto, assim que o processo de certificação dos 116 atuais agentes for concluído, podemos lançar o edital do seletivo”.

Veja Mais:  Alunos da rede pública de Rondonópolis aprendem práticas de sustentabilidade motivadas pelo World Cleanup Day

Salário extra

O projeto de lei proposto pela Prefeitura de Rondonópolis estabelece que o pagamento desse salário extra será feito em parcela única, no valor de um salário líquido da categoria, que é de R$ 1,3 mil, a todos os agentes que encontrem em pleno exercício das atividades de vigilância, prevenção e controles de doenças e promoção da saúde, mediantes ações domiciliares e comunitárias, sob responsabilidade da gestão municipal, por meio da Secretaria Municipal de Saúde.

A secretária municipal de Saúde, Izalba Albuquerque, destacou que o pagamento do abono pelo segundo ano consecutivo pela prefeitura de Rondonópolis é importante para a valorização desses profissionais que estão diariamente trabalhando nas ruas e com a comunidade, atuando tanto na parte da promoção da saúde quanto na prevenção com o controle químico.

Satisfeitos

O presidente do Sintrace-MT, Wilson Cutas, ressaltou que ficou muito feliz com a atitude da Prefeitura de Rondonópolis em reconhecer e valorizar a categoria com o pagamento deste incentivo financeiro.

Odete Maria de Freitas, representante do sindicato no município, também comemorou a assinatura do projeto de lei que garante o benefício para categoria pelo segundo ano consecutivo. “É a valorização e o reconhecimento do nosso trabalho”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Defesa Civil do Estado realiza visita de cortesia a Rondonópolis

Publicado

Foto: Assessoria

Rondonópolis recebeu a visita da equipe da capacitação da Defesa Civil do Estado de Mato Grosso que se colocou à disposição para demonstrar ao município tudo que pode usufruir da parceria com a Defesa Civil estadual e federal, conforme informações do 2º sargento do Bombeiro Militar e coordenador de prevenção e preparação, José Bruno de Souza Filho.

“A Defesa Civil é um sistema que funciona a nível estadual, federal e municipal. Aqui no estado de MT, a municipal é o elo mais frágil dessa corrente, por isso o sistema como um todo o ente federal e o ente estadual está pronto para apoiar a coordenadoria municipal no que precisar, tanto para projeto de obras preventivas, corretivas, reconstrutivas após um desastre”, relatou o coordenador.

Outro fato reforçado é a necessidade na prevenção feita por meio de capacitação da população e do coordenador Municipal para que ele possa ter uma visão mais ampla de todos os recursos disponíveis para o município para melhorar a qualidade de vida da população em uma época de eventos adversos.

O coordenador do Gabinete de Apoio à Segurança Pública (Gasp) e coordenador interino da Defesa Civil, Valdemir Castilho de Araújo, agradeceu pela visita, vista por ele como essencial e muito favorável.

“Uma visita produtiva, bem-vinda e orientativa uma vez que Rondonópolis é referência para 22 municípios. Tendo uma Defesa Civil forte aqui, serve como referência para os outros municípios além de cuidar dos próprios problemas que nós temos, pois é uma cidade muito pulverizada e demanda alguns problemas nesse período crítico”, comentou Araújo.

Veja Mais:  Prefeitura debate a LOA 2019 na próxima segunda (24)

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Sispmur alega que prefeito encaminha projeto que prejudica servidor

Publicado

Projeto de Lei, que tramita em regime de urgência na Câmara de Vereadores, prevê que servidores não tenham direito ao passivo da insalubridade.

O prefeito José Carlos do Pátio enviou no dia 10 de janeiro de 2019 em regime de urgência um projeto de lei que tira direito ao retroativo de insalubridade dos servidores, se aprovado os servidores só terão direito a receber a insalubridade partir do laudo do LTCAT em funcionamento, que ainda não foi entregue.

Segundo o secretário geral do Sispmur Rubens de Oliveira, o documento é uma afronta ao direito dos servidores que fizeram requerimento há mais de dois anos e não estão recebendo. “O servidor tem direito ao recebimento desses passivos, não podemos pagar pela inercia da gestão. O laudo está pronto desde dezembro, mais a administração alega que não, mesmo toda a categoria e o sindicato sabendo que o laudo está pronto. O sindicato enviou ofícios pedindo o laudo para periciar a legalidade e aplicação correta da legislação, mais ainda sem resposta.

Caso a administração insista em não enviar o laudo para que possamos junto com o perito do Sispmur avaliar, iremos recorrer à justiça como fizemos outras vezes, quando foi negado à entrega de documentos pela administração”, destaca.

Rubens de Oliveira enfatiza ainda que o Sindicato tem cobrado a conclusão do laudo e questionado que muitos servidores não estão recebendo a insalubridade. “Tem servidor que tem mais de dois anos sem receber, esse adicional que é de 20 a 40% a mais no salário, é um direito legal inquestionável e que inclusive afeta na aposentaria do trabalhador, pois quem recebe a insalubridade tem direito a aposentaria especial,” conclui.

Veja Mais:  Município espera reunir cerca de 3 mil crianças neste sábado (20)

O adicional de insalubridade é um instrumento legal de compensação ao trabalhador por períodos de trabalho exposto a agentes nocivos, com potencial para prejudicar a sua saúde. Esse benefício é reconhecido pelo Ministério do Trabalho e está previsto na Consolidação das Leis do Trabalho – CLT nos artigos 189 a 197. Além disso, a Norma Regulamentadora NR-15 determina quais são os riscos passíveis de gerar o benefício.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana