conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Nacional

Criminosos explodem viaduto e queimam ambulância no 10º dia de ataques no Ceará

Publicado


Veículos seguem sendo queimados no décimo dia consecutivo da onda de violência no Ceará que começou em 2 de janeiro
Reprodução/Twitter – @betura

Veículos seguem sendo queimados no décimo dia consecutivo da onda de violência no Ceará que começou em 2 de janeiro

A onda de violência no Ceará chegou ao 10º dia consecutivo nesta sexta-feira (11) depois que criminosos tentaram explodir mais um viaduto na capital Fortaleza e colocaram fogo numa ambulância nesta madrugada. A Força Nacional e a Polícia Militar tentam conter os ataques desencadeados em forma de protesto à fala do novo secretário de Administração Penitenciária, Luis Mauro Albuquerque, escolhido pelo novo governador do Ceará, Camilo Santana (PT).

Leia também: Fuga de mais de 20 presos agrava onda de violência no Ceará

Ao todo, a série de ataques já contabiliza 187 ações criminosas em 43 das 184 cidades do estado desde o dia 2 de janeiro nesta que já é a onde de violência no Ceará mais longa da história.

Em contrapartida, o governo federal, através do novo ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou o envio de mais 106 homens da Força Nacional para reforçar o contingente. Eles se juntam aos mais de 300 outros agenste federais que já estavam no estado desde o sábado (5).

Além destes, a Polícia Militar do Ceará também recebeu o reforço de policiais de outros estados. O governo da Bahia enviou 100 oficiais na última semana para o Ceará e o outros 43 policiais militares e agentes de inteligência do Piauí, Pernambuco e Santa Catarina também estão no estado.

Também para tentar conter a onda de violência no Ceará, o governo do Estado promoveu a transferência de 35 presos considerados chefes das principais facções criminosas que atuam no estado, como o Comando Vermelho (CV) e os Guardiôes do Estado (GDE), de Cadeias Públicas no interior do Ceará para a Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Veja Mais:  Ceará pede apoio do Exército e da Força Nacional após ataques

Vintes presos foram transferidos na madrugada de quarta-feira para a Penitenciária Federal de Mossoró e mais 15 foram transferidos na madrugada de hoje
Divulgação/Sejus

Vintes presos foram transferidos na madrugada de quarta-feira para a Penitenciária Federal de Mossoró e mais 15 foram transferidos na madrugada de hoje

Vinte presos foram transferidos na madrugada de quarta-feira  (9) em ação realizada em conjunto pelo governo estadual, o Departamento Penitenciário Nacional e a Polícia Rodoviária Federal. Nesta madrugada de sexta-feira (11), outros 15 presos também foram transferidos. Após chegarem a Mossoró, parte deles ainda será transferidas para presídios em outras regiões do Brasil.

Ao todo, pelo menos 239 suspeitos de promoverem os ataques já foram presos, mas nem isso foi capaz de fazer cessar a violência no Ceará, apesar dos moradores já começarem a sentir uma melhora na segurança pública do estado. Nesta noite, porém, os bandidos tentaram explodir mais um viaduto em Fortaleza , a exemplo do que já tinham feito na véspera .

De acordo com a Polícia Militar, no entanto, parte do explosivo não detonou e, por conta disso, a área do viaduto na rodovia CE-040, no Bairro Messejana, em Fortaleza, chegou a ser isolada por agentes de segurança. Uma equipe do esquadrão antibombas foi acionada e foi até o local para manipular o artefato e evitar uma nova explosão.

O procedimento foi bem parecido com o adotado na madrugada de quinta-feira (10), quando criminosos também explodiram uma bomba caseira na parede de um viaduto da estação Linha Sul do Metrô de Fortaleza, no bairro Parangaba da capital cearense.

Leia também: Criminosos explodem viaduto e queimam ônibus na 10ª noite de ataques no Ceará

Na ocasião, mesmo a explosão tendo ocorrido por volta das 0h40 da madrugada, a estação de metrô mais próxima chegou a ficar fechada 1h30 além do tempo normal na manhã seguinte enquanto os engenheiros da prefeitura de Fortaleza averiguavam se havia danos na estrutura do viaduto e outros funcionários faziam a limpeza e a “reconstrução” do trecho atingido.

Veja Mais:  Militares são flagrados dançando hit “Jennifer” em embarcação oficial da Marinha

Por outro lado, se ontem (10) criminosos atearam fogo em mais um ônibus municipal, nesta madrugada o veículo que se tornou alvo foi uma ambulância. 

Violência no Ceará entra no décimo dia


Onda de violência no Ceará já registrou 187 ataques; criminosos querem saída de novo secretário de Administração Penitenciária
Reprodução

Onda de violência no Ceará já registrou 187 ataques; criminosos querem saída de novo secretário de Administração Penitenciária

Mesmo com 187 ações criminosas registradas em 43 das 184 cidades do estado, o número de vítimas é pequeno: apenas uma pessoa morreu e outra três ficaram feridas como decorrência da onda de violência no Ceará. Segundo os agentes de segurança, esse é um sinal de que os ataques criminosos iniciados no dia 2 de janeiro são um protesto contra o poder público. Hipótese reforçada pelo fato da série de ataques ter começado focada em prédios públicos.

Os atos seriam uma retaliação das facções criminosas que atuam no estado à declaração do novo secretário de Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque, nomeado pelo novo governador Camilo Santana (PT). O secretário declarou que o estado não reconheceria facções criminosas e os presos poderiam ser misturados nas mesmas alas dentro do presídio. Além disso, o novo secretário conduziu uma série de ações para comabter o crime dentro dos presídios e coordenou a apreensão de celulares, drogas e armas em celas.

Leia também: Reforço de 106 homens da Força Nacional chega ao Ceará em meio a ataques

Enquanto isso, o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), fez um pronunciamento oficial na tarde de sábado (5), após o terceiro dia consecutivo da onda de ataques no estado em que subiu o tom contra os criminosos e afirmou que não pretende recuar . Ele negou que o estado irá recuar no combate ao crime organizado após os ataques realizados desde a noite da última quarta-feira (2).

Veja Mais:  Ceará entra em seu 7º dia de terror com explosão de ponte e ônibus incendiados

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), subiu o tom após a onda de ataques no estado e afirmou que não vai recuar
Divulgação

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), subiu o tom após a onda de ataques no estado e afirmou que não vai recuar

Em vídeo divulgado nas suas redes sociais, o governador afirmou ter “absoluta confiança nos mais de 29 mil profissionais cearenses que formam as forças de segurança do nosso estado, que têm se doado noite e dia para combater o crime, especialmente neste momento em que o Estado do Ceará toma medidas duras e necessárias de combate ao crime organizado, fora e dentro de unidades prisionais”, disse o político. 

“Criamos uma secretaria especialmente para a atuação rigorosa em todos os presídios, agindo com firmeza, dentro da lei e mostrando que o comando é do Estado”, continuou o governador. “Endureceremos cada vez mais contra o crime”, desafiou. Santana também disse ter total confiança nas forças de segurança de estado e fez questão de mencionar o apoio federal que o estado está recebendo.

“Aproveito para dar as boas-vindas aos agentes da Força Nacional de Segurança e tropas federais que começaram a chegar ao Ceará ontem para contribuir com nossa Polícia nesse enfrentamento”, disse o governador.

Apesar do número reduzido de vítimas, os moradores do estado têm enfrentado uma série de transtornos. Isso porque, com o avanço dos ataques, os cidadãos estão tendo dificuldades para se locomover de casa para o trabalho. Segundo relatos, desde que policiais militares passaram a andar dentro dos coletivos, o transporte começou a se normalizar durante o dia, mas no retorno para casa à noite, o medo ainda toma conta porque é ao anoitecer que a maioria dos ataques tem sido realizados.

Há problemas também com o transporte escolar e a coleta seletiva de lixo. As empresas que atuam na limpeza do estado tiveram que reduzir a circulação de caminhões que recolhem os resíduos nas cidade e o lixo já se acumula nas ruas e principais avenidas de Fortaleza.

Leia também: Câmara dos Vereadores, rádio e estação ambiental são alvos de ataques no Ceará

Diante da  violência no Ceará , o turismo também teve uma queda por conta da insegurança em plena alta temporada. A rede hoteleira que contava com 85% da capacidade ocupada, já contabiliza uma redução para 65% com o cancelamento de reservas. Os prejuízos, no entanto, só poderão ser contabilizados ao final da série de ataques, a princípio, ainda sem hora para acabar.

Comentários Facebook

Nacional

Bretas afasta possibilidade de Gilmar Mendes julgar recurso de Temer em decisão

Publicado


Gilmar Mendes não deverá julgar possíveis recursos da defesa de Michel Temer
Beto Barata/PR – 6.2.18

Gilmar Mendes não deverá julgar possíveis recursos da defesa de Michel Temer

O juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro e responsável pelo mandado de prisão contra o ex-presidente Michel Temer fez questão de afastar a possibilidade de um futuro recurso da defesa do emedebista ser julgado pelo ministro Gilmar Mendes no Supremo Tribunal Federal.

Leia também: Ex-presidente Michel Temer é preso pela força-tarefa da Lava Jato

Em sua deliberação, o juiz informou que a prisão de Temer não tem “relação entre este com as ações penais derivadas das denominadas operações Saqueador e Calicute e seus desdobramentos”. Gilmar Mendes é o relator da operação Calicute no Supremo.

“Apenas para evitar confusões a respeito da competência para eventual impugnação desta decisão, repito que estes autos guardam relação de conexão e continência com a ação penal derivada da denominada operação Radioatividade e seus vários desdobramentos”, reiterou Bretas no documento.

O juiz também fez questão de afirmar que a operação não encontrou indícios de crimes eleitorais. “No caso dos autos não há elementos que indiquem a existência de crimes eleitorais, razão pela qual deve ser reafirmada a competência constitucional desta Justiça Federal”, escreveu.

Confira, na íntegra, o pedido de prisão de Michel Temer


Entenda a investigação contra Temer


O ex-presidente Michel Temer foi preso nesta quinta-feira (21)
Marcos Corrêa / PR

O ex-presidente Michel Temer foi preso nesta quinta-feira (21)

Na operação Radioatividade foi identificada organização criminosa que atuou na construção da usina nuclear de Angra 3, praticando crimes de cartel, corrupção ativa e passiva, lavagem de capitais e fraudes à licitação. Nos processos relacionados à mencionada operação houve a condenação de, dentre outros, Othon Luiz Pinheiro da Silva, Ana Cristina da Silva Toniolo e José Antunes Sobrinho, por diversos fatos, inclusive lavagem de dinheiro em razão de repasses embasados em contratos fictícios da Engevix Engenharia e Link Projetos.

Veja Mais:  Apoio de deputados do PSL a Márcio França gera atrito na campanha de Bolsonaro

Na presente investigação são apurados crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro, em razão de possíveis pagamentos ilícitos feitos por determinação de José Antunes Sobrinho para o grupo criminoso liderado por Michel Temer, bem como de possíveis desvios de recursos da Eletronuclear para empresas indicadas pelo referido grupo.

Após celebração de acordo de colaboração premiada com um dos envolvidos e o aprofundamento das investigações, foi identificado sofisticado esquema criminoso para pagamento de propina na contratação das empresas Argeplan , AF Consult Ltd e Engevix, para a execução do contrato de projeto de engenharia eletromecânico 01, da usina nuclear de Angra 3.

Leia também: “É muito ruim para o País”, diz Mourão sobre prisão de Michel Temer

A fim de executar o mencionado serviço, a Eletronuclear contratou a empresa AF Consult Ltd, que se associou às empresas AF Consult do Brasil e Engevix. A empresa AF Consult do Brasil conta com a participação da empresa finlandesa AF Consult Ltd e Argeplan, que, conforme as investigações revelaram, está ligada a Michel Temer e ao Coronel Lima. Em razão de a AF Consult do Brasil e a Argeplan não terem pessoal e expertise suficientes para a realização dos serviços, houve a subcontratação da Engevix. No curso do contrato, conforme apurado, Coronel Lima solicitou ao sócio da empresa Engevix o pagamento de propina, em benefício de Michel Temer.

A propina foi paga no final de 2014 com transferências totalizando R$ 1,9 milhão da empresa Alumi Publicidades para a empresa PDA Projeto e Direção Arquitetônica, controlada por Coronel Lima. Para justificar as transferências de valores foram simulados contratos de prestação de serviços da empresa PDA para a empresa Alumi. O empresário que pagou a propina afirma ter prestado contas de tal pagamento para o Coronel Lima e Moreira Franco.

Veja Mais:  Militares são flagrados dançando hit “Jennifer” em embarcação oficial da Marinha

As investigações demonstraram que os pagamentos feitos à empresa AF Consult do Brasil ensejaram o desvio de R$ 10,8 milhões, tendo em vista que a referida empresa não possuía capacidade técnica, nem pessoal para a prestação dos serviços para os quais foi contratada.

As investigações apontam que a organização criminosa praticou diversos crimes envolvendo variados órgãos públicos e empresas estatais, tendo sido prometido, pago ou desviado para o grupo o valor de mais de R$ 1,8 bilhão. A investigação atual mostra ainda que diversas pessoas físicas e jurídicas usadas de maneira interposta na rede de lavagem de ativos de Michel Temer continuam recebendo e movimentando valores ilícitos, além de permanecerem ocultando valores, inclusive no exterior. Quase todos os atos comprados por meio de propina continuam em vigência e muitos dos valores prometidos como propina seguem pendentes de pagamento ao longo dos próximos anos.

As apurações também indicaram uma espécie de braço da organização de Temer , especializado em atos de contrainteligência, a fim de dificultar as investigações, tais como o monitoramento das investigações e dos investigadores, a combinação de versões entre os investigados e, inclusive, seus subordinados, e a produção de documentos forjados para despistar o estado atual das investigações.

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Temer é quinto ex-presidente a ser preso no Brasil

Publicado


Michel Temer presidiu o país de 2016, após o impeachment de Dilma Rousseff, a 2018
Antonio Cruz/ABr

Michel Temer presidiu o país de 2016, após o impeachment de Dilma Rousseff, a 2018

O ex-presidente Michel Temer (MDB)  foi preso na manhã desta quinta-feira (21). Ele é o segundo ex-presidente a ser preso em dois anos e o quinto na história do Brasil. Além de Temer e Lula, que cumpre pena de 12 anos e 1 mês na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, outros três ex-presidentes foram presos e um chefe de Estado foi detido enquanto ainda estava no cargo.

Antes de Lula e Michel Temer , todas as prisões haviam se dado por motivações exclusivamente políticas, sem acusações de corrupção ou qualquer outra justificativa. A última detenção aconteceu em 1968 e o alvo foi o ex-presidente Juscelino Kubitschek. Lula e Temer foram presos por crimes comuns.

Juscelino foi preso durante a ditadura militar, após a publicação do Ato Institucional nº 5 (AI5). Ele já havia sido cassado e tinha perdido seus direitos políticos por dez anos em 1964, quando exercia o mandato de senador por Goiás. O mineiro ficou alguns dias detido e cumpriu cerca de um mês em prisão domiciliar.

Leia também: E agora, Temer? Ex-presidente perde foro e enfrentará ações na 1ª instância

Mais de trinta anos antes, Artur Bernardes, que presidiu o Brasil entre 1922 e 1926, foi preso em 1932 por apoiar articulações que tentavam derrubar Getúlio Vargas do poder. Ele ficou detido por dois meses e depois foi para o exílio. Quase paradoxalmente, Bernardes tinha apoiado a Revolução de 30 , que levou Getúlio Vargas ao poder.

Veja Mais:  Autor de ataque contra Bolsonaro disse que “cumpria ordens de Deus”

A mesma Revolução de 30 foi a responsável pela prisão do único político brasileiro a ser detido enquanto ocupava a Presidência da República . Washington Luís foi destituído pelo movimento pouco antes do fim de seu mandato, no período em que Júlio Prestes, seu indicado, se preparava para assumir o cargo depois de ter vencido a disputa contra Getúlio Vargas. Washington Luís foi levado para o Forte de Copacabana, onde ficou por pouco tempo antes de ir para o exílio.

O primeiro ex-presidente a ser preso na história do país foi o Marechal Hermes da Fonseca. Ele foi detido em 1922, poucos anos após a implantação do sistema republicano no Brasil. Hermes da Fonseca ocupou o cargo entre 1910 e 1914 e foi preso em 1922 simplesmente por criticar publicamente a intervenção federal no estado de Pernambuco, ordenada pelo então presidente Epitácio Pessoa. Ele ficou preso por cerca de seis meses.

Leia também: Polícia Federal indicia Lula e filho por lavagem e tráfico de influência

Michel Temer foi preso pela força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro. O mandado de prisão foi assinado pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Ele foi detido em São Paulo e será encaminhado para a sede da Polícia Federal do Rio.O ex-presidente responde a dez inquéritos, cinco deles em primeira instância e cinco no Supremo Tribunal Federal. Ainda não sabe qual delas determinou a prisão do emedebista.

Veja Mais:  Idoso é agredido e morto a pauladas no Guarujá, litoral de São Paulo

Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Temer transformou Estado em “máquina de arrecadação de propinas”, diz Lava Jato

Publicado


Presidente Michel Temer foi preso nesta quinta-feira, em São Paulo; ele será transferido para o Rio de Janeiro
Marcos Corrêa/PR – 1.3.18

Presidente Michel Temer foi preso nesta quinta-feira, em São Paulo; ele será transferido para o Rio de Janeiro

O ex-presidente Michel Temer (MDB) é “líder de organização criminosa” e que se valeu de duas décadas atuando em cargos públicos para “transformar os mais diversos braços do Estado brasileiro em uma máquina de arrecadação de propinas”.

As afirmações são da força-tarefa da Operação Lava Jato no Rio de Janeiro e constam do pedido de prisão preventiva de Michel Temer e de mais sete pessoas (outras duas foram alvos de prisão temporária). Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal do Rio, e cumpridos nesta quinta-feira (21) .

A prisão do ex-presidente tem relação com irregularidades em contratos para a construção da usina nuclear de Angra 3. Segundo as investigações, o esquema criminoso envolvia pagamentos (alguns desviados, outros efetuados, e mais outros prometidos) que superam R$ 1, 8 bilhão.

Leia também: Prisão de Michel Temer repercute nas redes sociais e vira meme


Mais informações em instantes

Confira a lista de alvos dos mandados de prisão abaixo:

  1. Michel Miguel Elias Temer Lulia, ex-presidente – prisão preventiva
  2. João Batista Lima Filho (coronel Lima), amigo de Temer e dono da Argeplan – prisão preventiva
  3. Wellington Moreira Franco, ex-ministro do governo Temer – prisão preventiva
  4. Maria Rita Fratezi, arquiteta e mulher do coronel Lima – prisão preventiva
  5. Carlos Alberto Costa, sócio do coronel Lima na Argeplan – prisão preventiva
  6. Carlos Alberto Costa Filho, diretor da Argeplan e filho de Carlos Alberto Costa – prisão preventiva
  7. Vanderlei de Natale, sócio da Construbase – prisão preventiva
  8. Carlos Alberto Montenegro Gallo, administrador da empresa CG IMPEX – prisão preventiva
  9. Rodrigo Castro Alves Neves, responsável pela Alumi Publicidades – prisão temporária
  10. Carlos Jorge Zimmermann, representante da empresa finlandesa-sueca AF Consult – prisão temporária
Veja Mais:  Ciro volta ao Brasil e Haddad espera fala dura do pedetista contra Bolsonaro

Confira a íntegra do pedido de prisão de Michel Temer:


Fonte: IG Nacional
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana