conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Portal Agro

Cultura do algodão faz parte dos debates do 4º Congresso Nacional das Mulheres do Agro

Publicado

Voltado ao público feminino ligado ao agronegócio, as plenárias do evento neste ano contemplarão o tema “AGIR – Ação Global: Integração de Redes”

Foto: Assessoria

A 4ª edição do CNMA – Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio reúne em São Paulo (SP) quase 2 mil mulheres ligadas ao setor do agronegócio. O evento neste ano conta com o tema “AGIR – Ação Global: Integração de Redes”. A cadeia do algodão no Brasil e em Mato Grosso foi um dos pontos debatidos na tarde desta terça-feira, 08 de outubro, no evento durante palestra do presidente da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (AMPA), Alexandre Pedro Schenkel.

O 4º CNMA é realizado no Transamérica Expo Center, em São Paulo (SP), e se consolida como vitrine brasileira de cases de sucesso de mulheres à frente de empreendimentos agropecuários, tornando-as protagonistas de suas histórias. O evento teve início nesta terça-feira, 08, e segue até terça, 09.

Para a edição de 2019, o Congresso conta com uma programação focada não apenas no setor produtivo do agronegócio. Segundo a show manager do CNMA, Renata Camargo, o evento nesta edição traz um olhar mais aprofundado para os desafios das cadeias produtivas mais importantes do país, promovendo debates e discussões que possam gerar ações.

Os painéis batizados de “Arenas do Conhecimento” abrem espaço para debates sobre os desafios e oportunidades das cadeias do algodão, café, carnes, grãos, leite, floresta, hortifruticultura e ao setor sucroenergético. A temática do algodão foi abordada pelo presidente da AMPA e vice-presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Alexandre Pedro Schenkel, que apresentou um panorama da cultura.

Veja Mais:  Começou a valer novo sistema de rastreabilidade de vegetais frescos

“A cadeia do algodão cresceu muito nos últimos anos no Brasil, em especial Mato Grosso. Somos o 3º maior país produtor de algodão em pluma e a cada dia o produtor investe em pesquisas, novas tecnologias, que visam o melhoramento genético da cultura e qualidade da fibra, e controle biológico”, pontuou Schenkel que em sua apresentação destacou ainda a história do algodão em Mato Grosso e o que hoje o algodão brasileiro e mato-grossense significam no mercado internacional.

A temática do algodão também foi abordada pelo diretor Executivo de Operações e Planejamento Estratégico da Vicunha, Marcel Yoshimi Imaizumi, que abordou a importância do Algodão Brasileiro Responsável (ABR). A campanha #SOUDEALGODAO não ficou de fora e foi destacada pelo gerente de Marketing e Vendas da Tama Brasil, Bruno Caetano Franco, e pelo diretor de Negócios da Cerrados Leste da Bayer, Fernando Prudente.

Confira a apresentação do presidente da AMPA, Alexandre Pedro Schenkel, aqui.

Comentários Facebook

Portal Agro

Secretaria de Defesa Agropecuária publica prazos para aprovação de processos

Publicado


Foi publicada no Diário Oficial da União, nesta quinta-feira (27), a Portaria nº 43 que estabelece os prazos para fins de aprovação de licença, autorização e registro (atos públicos de liberação) de responsabilidade da Secretaria de Defesa Agropecuária, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A medida atende ao disposto no Decreto 10.178, de dezembro de 2019, que regulamenta a Lei de Liberdade Econômica (Lei nº 13.874).

Os prazos foram estabelecidos para dar mais celeridade aos atos da Secretaria. Foram baseados no risco identificado em sete áreas temáticas – podendo ser de baixo, médio e alto. A definição do risco está relacionada à complexidade da atividade desenvolvida, levando-se em consideração a inocuidade, fidedignidade, eficiência e qualidade dos produtos obtidos e destinados à comercialização; e impacto na saúde da população, na sanidade animal e no ambiente, sendo assim necessária análise técnica complexa.

A Secretaria destaca que está mantido o controle rígido dos estabelecimentos e produtos agropecuários, com as garantias necessárias ao consumidor, e que não há risco de aprovação de atos sem análise técnica ou que não atendam à legislação vigente.

A iniciativa confere transparência e previsibilidade ao setor produtivo, que passa a conhecer previamente o prazo máximo de resposta a seus requerimentos, com a possibilidade de aprovação tácita em caso de ausência de manifestação do órgão ou entidade responsável pelo ato de liberação para o exercício de atividade econômica.

Os prazos indicados na portaria podem ser revisados a qualquer momento, uma vez que a Secretaria de Defesa Agropecuária mantém uma revisão constante dos processos internos.

Veja Mais:  Portaria traz cancelamento de 500 licenças de pescadores profissionais

A portaria entra em vigor no dia 1º de abril de 2020. 

Desburocratização

A Lei de Liberdade Econômica (Lei nº 13.874) instituiu a Declaração de Direitos de Liberdade Econômica, que trouxe inovações significativas como a retirada da necessidade de autorização prévia pelo Estado para exercício de atividades de baixo risco, o direito do interessado de conhecer previamente o prazo máximo para a análise de seu pedido pela autoridade competente e a aprovação tácita para todos os efeitos, em caso de inércia da administração pública.

Informações à imprensa
imprensa@agricultura.gov.br

Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Ministérios debatem medidas para fortalecer a criação de camarões no país

Publicado


A ministra Tereza Cristina, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), se reuniu hoje (27) com o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, para discutir medidas de fortalecimento da atividade da carcinicultura no país, que é atividade de cultivo de camarões. Representantes do setor que participaram da reunião solicitaram a autorização para importação de matrizes de camarões livres ou resistentes a doenças.

O objetivo do pedido, segundo o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Camarão (ABCC), Itamar Rocha, é alavancar a atividade no Brasil, que tem um grande potencial para crescer, principalmente na Região Nordeste, onde há maior concentração de produtores, representando mais de 95% da atividade. “Temos um produto nobre, mas precisamos realizar investimentos em genética de qualidade. Assim, teremos um produto ainda mais competitivo no mercado interno e externo”, afirmou.

A ministra Tereza Cristina destacou a importância social e econômica do setor para o Brasil.  Atualmente, cerca de 70% são empreendimentos de micro e pequeno porte, 25% são médios e 5%, grandes. Também participaram da reunião os secretários de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Jr., e de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação, Fernando Camargo.  

Consulta pública

A ministra lembrou que o Mapa finalizou recentemente uma consulta pública sobre a minuta do texto da análise de risco de importação de camarões não viáveis (limpos, eviscerados, sem casca e sem cabeça) destinados ao consumo humano. O objetivo foi estimar os riscos de introdução e disseminação de doenças de camarão no território nacional a partir da importação de camarões limpos destinados ao consumo humano. A análise tem caráter genérico, ou seja, as conclusões se aplicam ao produto originado de qualquer país exportador.

Veja Mais:  Produção sustentável de algodão é discutida na Costa do Marfim

Foram analisados 44 agentes patogênicos apontados como perigos potenciais para a carcinicultura nacional. Seis foram retidos para a avaliação de risco e os outros 38 não foram considerados perigosos, tendo em vista já terem sido reportados no Brasil, ou porque não foram encontradas evidências científicas que permitissem enquadrar o agente patogênico como um perigo. A fase agora é de análise das sugestões apresentadas durante o processo de consulta pública, que finalizou no dia 14 de fevereiro.

Informações à Imprensa
imprensa@agricultura.gov.br

Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Aprosoja lança minissérie para contar 15 anos de história

Publicado


Fortalecimento Institucional

Aprosoja lança minissérie para contar 15 anos de história

Terá três episódios

27/02/2020

Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) lançou nesta quinta-feira (27.02), em todas as plataformas digitais, a série Cultivando um Novo Tempo, que contará a história dos 15 anos da entidade em três episódios. Próximos vídeos estão previsto para março.

Cada pedaço da história dos 15 anos será contado por personagens reais que fizeram parte da construção da associação, que atualmente conta com mais de 6 mil produtores associados.

Em pouco mais de sete minutos, o primeiro episódio intitulado “Fundação” traz três associados Carlos Sfreddo, Rui Prado e Rogério Salles, que contam as principais dificuldades da época, falam o porquê da criação da entidade e o que pensam do futuro dessa representação.

 

Assistam o primeiro vídeo completo:

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Veja Mais:  Portaria traz cancelamento de 500 licenças de pescadores profissionais
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana