conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Na Capital

Defesa Civil alerta população para alguns cuidados nesse período de chuvas

Publicado

O mês de novembro está sendo marcado por fortes chuvas que geralmente começam no final da tarde, seguindo à noite até a madrugada. A Defesa Civil chama atenção da população para alguns cuidados necessários nessa época chuvosa do ano. Apesar do período tradicionalmente começar em dezembro e seguir até o mês de março, quando se compreende a estação mais quente do ano, verão, os primeiros sinais já começam a aparecer com pancadas quase todos os dias da semana.

Para se prevenir deste tempestuoso estágio, a Defesa Civil emitiu uma série de orientações práticas e eficazes, que vão garantir uma maior tranquilidade, mesmo em dias turbulentos. É importante que as pessoas mantenham-se alertas ao menor sinal de incidentes, e acionem o socorro e procurem abrigo seguro até que o resgate chegue ao local.

O mês de outubro desse ano fechou com 140,9mm de precipitação acumulada, sendo que a média climatológica de 1981 a 2010 esperada é 114 mm conforme levantamento feito pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e monitorada pela Defesa Civil Municipal, tendo um aumento de 23,60%. No mesmo período de 2017, o acumulado foi de 91,6 mm de precipitação, tendo uma diminuição de 19,65% de chuvas ocorridas durante o mês.

“Num período de 90 anos, entre 1930 a 2010 a média climatológica caiu de 130,3 para 114 mm. No entanto, o acumulado de chuvas mensais aumentou. Apesar de estar acima da média, o nível de precipitação ainda não atingiu uma escala preocupante. De um ano para outro, este índice pode variar. No entanto, é preciso analisar quais fatores levaram a isso. Algum fenômeno que atuou na região, por exemplo, pode diminuir a quantidade de chuva”, explicou o diretor da Defesa Civil de Cuiabá, coronel Paulo Wolkmer.

Veja Mais:  Mais de 580 coordenadores pedagógicos e professores de Cuiabá são qualificados

Diante de uma situação de iminente perigo, explica o diretor, as pessoas devem manter a calma, procurar locais seguros e acionarem os órgãos competentes para o devido socorro. “Evite se locomover pelas enxurradas, não se abrigue ou estacione debaixo de árvores, e também não utilize equipamentos elétricos no caso de eles estarem molhados ou em locais úmidos, por causa das descargas elétricas. Isso são alguns cuidados que protegem a vida diante de uma tempestade,” reforça Wolkmer.

O diretor também lembra que além das técnicas de proteção que sempre são passadas, com o objetivo de resguardar vidas, as pessoas precisam se conscientizar quanto aos cuidados antes dos períodos chuvosos, como o descarte incorreto do lixo, que reflete negativamente, causando grandes danos, durante e depois das chuvas.

“Trabalhamos em conjunto com os demais órgãos de proteção e resgate no objetivo maior, que é resguardar a vida das pessoas. E para que isso seja mantido, precisamos da colaboração de todos. Um ponto crucial é a conscientização das pessoas como mecanismo de proteção, que começa antes destes períodos considerados críticos, como não jogar lixo nas ruas, pois esse lixo acaba indo para a rede de esgoto, causando entupimento dos bueiros, assoreamento ou enchimento da rede fluvial. Cada um precisa fazer sua parte para que tanto o meio ambiente e a vida sejam preservados.”

Veja Mais:  Mais de 400 crianças da rede municipal de ensino devem participar da Semana da Transparência

As pessoas que se encontrarem expostas às situações de risco e precisarem de resgate, o primeiro contato, deve ser com o setor de urgência e emergência do Corpo de Bombeiro pelo número 193. Antes dos riscos eminentes, em casos de possíveis desmoronamentos, rachaduras, entre outros, a população pode acionar a Defesa Civil pelo número 65 3623-9633.

Comentários Facebook

Na Capital

Secretarias de Saúde de Cuiabá e VG fazem acordo com SES para evitarem retenção de macas do SAMU

Publicado

O Pronto Socorro de Cuiabá é historicamente a unidade hospitalar mais demandada do estado de Mato Grosso, pois recebe pacientes de várias cidades do interior e até mesmo de outros estados e países. Com 263 leitos, a unidade constantemente funciona com um quantitativo maior de pacientes, que chegam diariamente nas ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU.

Como as unidades de saúde de Cuiabá não negam atendimento a nenhum cidadão, a alta procura no Pronto Socorro tem ocasionado frequentemente retenção das macas do SAMU, para que o paciente fique devidamente acomodado quando não há leitos disponíveis.

Para discutir essa questão e chegar a uma solução viável para todos, o secretário municipal de Saúde, Luiz Antonio Pôssas de Carvalho reuniu-se na semana passada com o secretário de estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, além do secretário municipal de Saúde de Várzea Grande, Diógenes Marcondes e a equipe técnica das 3 secretarias.

Tanto o secretário de Cuiabá quanto o de Várzea Grande explicaram que a única razão para a retenção das macas é a superlotação das unidades e durante a reunião as gestões do estado e dos dois municípios chegaram a um acordo para evitar a sobrecarga dos prontos socorros. “Sempre que as ambulâncias do SAMU socorrem alguém já levam diretamente para o Pronto Socorro de Cuiabá ou de Várzea Grande. Ficou decidido que o SAMU deverá melhorar o protocolo dos pacientes, para não sobrecarregar o Pronto Socorro. Neste caso eles deverão ser levados para UPAs e Policlínicas também, caso realmente tenham o perfil para serem atendidos lá. Desta maneira conseguiremos evitar que as unidades fiquem lotadas”, explicou o secretário Luiz Antonio Pôssas de Carvalho.

Veja Mais:  Prefeitura em parceria com a AMA fortalece educação especial com construção de Centro de Apoio ao Autista

 

 

 

Comentários Facebook
Continue lendo

Na Capital

Saúde de Cuiabá inova com palestra lúdica e desmistifica crenças históricas sobre amamentação

Publicado

Gustavo Duarte

Neste mês de agosto, cujo calendário nacional de Saúde é marcado pela intensificação das ações de conscientização e esclarecimento à população sobre a amamentação, as unidades de saúde de Cuiabá vêm inovando com abordagens lúdicas e, com isso, desmistificando crenças e mitos populares históricos acerca do tema.

Nesta quarta-feira (21), mais de 100 pacientes entre gestantes, lactantes e puérperas, atendidas nos Programas de Saúde de Família (PSFs) Serra Dourada I e II puderam atestar este novo método por meio de palestra ministrada pela enfermeira municipal, Izadora Ribeiro. Com apetrechos representativos, a profissional ressaltou a importância do aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida, e ainda orientou sobre diversas formas de realizar a amamentação visando o bem estar dos recém-nascidos e das mães.

“Embora o leite materno seja o melhor alimento que a criança pode receber em seus primeiros meses de vida, muitas mães deixam de ofertá-lo por dor, ou medos que vêm sendo disseminado historicamente, como o de que o leite materno é fraco e insuficiente para sustentar o bebê. Então, além de desmistificar esses e outros mitos, nosso papel nessas palestras e rodas de conversa é apoiar incondicionalmente essas mães para que compreendam que o gesto de amamentar é fundamental para o crescimento saudável do bebê e fortalecimento do vínculo mãe e filho”, destacou Ribeiro.

Veja Mais:  Sine tem vagas com salário de até R$ 3.800; confira

Mãe de quatro filhos, Luana Campos de 23 anos, ressaltou que estes mitos sempre estiveram presentes em sua vida e, inclusive, foram os motivos dela não ter amamentado corretamente seus três primeiros filhos. “Essa palestra foi emocionante esclarecedora para mim. Os meus três primeiros filhos não foram amamentados corretamente porque me diziam que meu leite não sustentava. E só agora, no meu quarto bebê é que eu compreendi que tudo isso era mentira. Graças a esse evento, poderei fazer diferente dessa vez”, frisou.

Além das palestras, o evento que foi promovido com a ajuda de toda a equipe técnica da unidade, em parceria com o Núcleo de Atenção à Saúde da Família – NASF Norte, também orientou sobre a estrutura dos bancos de leite em Cuiabá. Dentre eles, estão o Hospital Geral Universitário (HGU), que recebeu pelo quinto ano consecutivo o certificado ouro de excelência em Bancos de Leite Humano e o Hospital Júlio Müller. Nesses dois locais são feitos a captação, processamento, pasteurização e armazenamento do leite materno, que é disponibilizado para o aleitamento de recém-nascidos e bebês prematuros que não podem ser amamentados pela mãe.

De acordo com a diretora de Atenção Básica, Mirian Naschenveg, até o fim do mês as ações de conscientização intensificadas continuarão nas unidades de saúde, sendo que o encerramento será na Regional Sul, na próxima sexta-feira (26) na zona urbana e no sábado (27) no Distrito da Guia.  “Durante toda essa semana, daremos sequência às ações em unidades, e para fechar com chave de ouro vamos fazer um grande evento na sexta, no Sesc no bairro São João Del Rey, com a presença de toda a comunidade. E no sábado estaremos na Guia com a população rural”, finalizou.  

Veja Mais:  Semana do Idoso é comemorada com dia de laser no Sesc Balneário

Comentários Facebook
Continue lendo

Na Capital

Cuiabá intensifica vacinação contra sarampo em crianças de 06 meses a menores de 1 ano

Publicado

Gustavo Duarte

A partir desta quinta-feira (22), crianças de seis meses a menores de 01 ano, devem ser imunizadas contra o sarampo em Cuiabá. Ainda que o município não tenha casos confirmados, a ação segue a iniciativa preconizada pelo Ministério da Saúde em todo país, visando intensificação vacinal, em decorrência do último boletim epidemiológico que apontou 1.680 casos confirmados de sarampo, em 11 estados brasileiros.

“Embora Mato Grosso não tenha casos confirmados, os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia, Paraná, Goiás, Maranhão, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Sergipe, tiveram. Totalizando um coeficiente de incidência da doença de 0,80 por 100.000 habitantes. Dessa forma, o Ministério elaborou essa estratégia em resposta rápida para proteger esse público-alvo, que se mostrou mais suscetível a casos graves da doença e óbitos”, frisou a Responsável Técnica de Imunização de Cuiabá, Sandra Horn.

Com a medida preventiva, chamada de ‘dose zero’, 1,4 milhão de crianças devem ser vacinadas em todo país.  Para isso, o Ministério da Saúde informou que irá enviar 1,6 milhão de doses a mais para os estados.

Ainda segundo Horn, é importante esclarecer que a chamada “dose zero” não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança. “Além dessa dose que está sendo aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as doses. Ou seja, a vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente de a criança ter tomada a “dose zero” da vacina”, enfatizou.

Veja Mais:  Saúde realiza “1ª Amostra de Experiências Exitosas da Atenção Primária” nesta quinta-feira

ROTINA

Em Cuiabá, a Secretaria de Saúde realiza rotineiramente por meio das unidades de Atenção Básica, ações de atualização do calendário Vacinal. Na rotina, a tríplice viral está disponível em todas as salas vacinais para crianças de 12 a 15 meses.  A vacina previne também contra rubéola e caxumba.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana