conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Política MT

Emancipação da UFR vai garantir autonomia administrativa para a instituição

Publicado

 

 

Parlamentares das esferas federal e estadual de MT se reúnem em Brasília para tratar sobre a implantação definitiva da UFR

A pró-reitora da UFR apresenta as instalações da instituição ao deputado Delegado Claudinei

 

Com a liberação de cargos e funções para a nomeação do reitor e vice-reitor, a Universidade Federal de Rondonópolis (UFR) estará a um passo de ser emancipada e se tornará definitivamente, conforme a Lei Federal de n.º 13.637/2018, um campus universitário desmembrado da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Para essa possível concretização, no próximo dia 20 de agosto, essa pauta será tratada pelo deputado federal José Medeiros (PODE) e deputado estadual Delegado Claudinei (PSL), em Brasília (DF).

 A pró-reitora do campus de Rondonópolis, Analy Polizel, esclarece que infelizmente não tinha o cargo para reitor e vice-reitor na legislação que cria a UFR, já os demais cargos foram todos instituídos. “O que mais emperra a implantação do campus, são os cargos e funções. A nossa luta é desde a criação da Universidade, há mais de 15 anos atrás. No entanto, em 2018, foi sancionada no dia 20 de março, a lei que cria a UFR. De lá para cá, a luta é para a implantação”, explica.

 

Conforme Medeiros, este processo de emancipação da UFR já se arrasta a bastante tempo e é uma solicitação feita por Claudinei para que seja concluída a implantação dos cargos e funções no campus da região sul de Mato Grosso. “Já foi votado na Câmara e no Senado, foi aprovado e sancionado o processo. Mas, agora deu este problema de nomeação do reitor. A bancada já solicitou e está pendente ainda. Nós, vamos marcar algumas audiências aqui, o deputado está vindo com a reitora para que a gente possa se Deus quiser, ter a tão sonhada Universidade Federal de Rondonópolis”, explica o parlamentar federal.  

 

Em relação a reunião nos próximos dias, Analy está na expectativa que realmente efetive essa situação, pois vai garantir autonomia administrativa, financeira e pedagógica para o desenvolvimento das ações e, até mesmo, a expansão do ensino superior em Rondonópolis e região.

 

 “Nós temos um planejamento de desenvolvimento institucional que é de melhorias e o aumento do ensino de graduação e pós-graduação, atividades de pesquisa e extensão. A emancipação do campus, a gente consegue expandir um ensino de qualidade no nosso Estado. Hoje, recebemos estudantes de diversas partes do país, são 19 cursos de graduação, seis programas de pós-graduação. Muita coisa já avançou, mas com a emancipação, a gente consegue avançar ainda mais”, destaca a pró-reitora.

 

 Polizel salienta que todo este processo para resolver a situação, primeiramente parte do Ministério da Educação (MEC). Para ela, a atuação dos parlamentares da esfera federal e estadual contribui bastante já que são responsáveis em realizar as devidas negociações com órgão federal. “Eles fazem toda essa articulação diretamente com o Ministério da Educação que consegue prever e liberar estes cargos e funções para conseguir implantar a universidade”, pontua.

 

 Delegado Claudinei esclarece que Rondonópolis hoje é considerado o segundo município com maior economia no estado de Mato Grosso e a implantação definitiva da UFR será uma importante conquista para intensificar ainda mais o desenvolvimento deste município na região. “Com a nomeação dos cargos para este campus só vai potencializar o ensino público superior, seja referente a qualidade ou quantidade. Em Mato Grosso, temos a UFMT e a Unemat (Universidade do Estado de Mato Grosso) que possuem campus espalhados no interior, mas que não possuem autonomia administrativa. A UFR já foi criada com base na lei, agora com a implantação será um grande diferencial para a região sul mato-grossense”, diz o deputado.

 

 UFR – Essa instituição de ensino superior público federal está vinculada ao MEC. A implantação deste campus ocorreu em 1978 pela UFMT, sendo considerada a mais antiga em relação às outras espalhadas pelo Estado. No entanto, o interesse para a emancipação da UFR ocorre desde o ano de 2008 e a criação definitiva da UFR ocorreu somente em 2018 por meio de legislação federal vigente.

 

Comentários Facebook
Veja Mais:  Thiago Silva foca primeiro semestre de mandato nas áreas de educação, saúde e infraestrutura
publicidade

Política MT

Projeto cultural capacita mais 100 músicos em Rondonópolis

Publicado

Foto: Assessoria

O projeto Tocando em Frente, inciativa do deputado estadual Thiago Silva (MDB) é uma grata surpresa para a cultura e formação intelectual de crianças, jovens e adultos.  A iniciativa visa oportunizar sem custos aulas violão em associações de bairros e igreja.

A ação implantada inicialmente em Rondonópolis contabiliza quatro polos: Jardim Iguaçu, Mathias Neves, Alfredo de Castro e Conjunto São José. Em pouco mais de 240 dias atende mais de 100 alunos. Alessandro Zaqueu está entre os atendidos. O adolescente de 15 anos nunca tinha tocado qualquer instrumento, mas nos últimos quatro meses tudo mudou. “Não dá para explicar o quanto é prazeroso fazer essas aulas. Muda muita coisa, inclusive na escola, ajuda na concentração, disciplina. É um grande estímulo, muito bom”.

Alessandro ainda lembrou que parte dessa transformação tem como responsável direto o professor Valdick Arantes. “Fico feliz pelo reconhecimento dos alunos. Eu aceitei esse grande desafio do deputado Thiago Silva por acreditar que a música é uma grande ferramenta de inclusão social. Isso passo para eles em todas as aulas. E é justamente isso que está fazendo toda a diferença”.

O pastor Jorge Estevan de Souza que ajuda na coordenação do projeto, diz que o projeto Tocando em Frente é aberto para todos que queiram entrar no mundo de sons, ritmos e acordes. “Nossa única exigência é a presença constante, disciplina, dedicação e sempre que possível o acompanhamento dos pais. Isso é um grande estímulos para os alunos”.

Veja Mais:  Rondonópolis recebe palestra sobre Direitos Humanos nesta quinta-feira

O deputado Thiago Silva complementa a citação acima e explica que até o momento os resultados estão acima da média. “O aprendizado para um instrumento musical é bem complexo. A maioria do projeto nunca teve contato com a música, mas estão mostrando muito talento. Hoje temos um grande grupo de crianças que já estão ajudando nos trabalhos das igrejas e comunidade em geral. E o mais importante de tudo isso é que todo esse aprendizado está influenciando positivamente na formação destas crianças e  jovens. O nosso objetivo é formar músicos e cidadãos capazes de através da música construir uma sociedade mais feliz e com mais inclusão social.

Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Câmpus avançado da Unemat em Rondonópolis é aprovado

Publicado

Foto: Assessoria

Em reunião realizada na quarta-feira (4), o Conselho Universitário da Unemat (Consuni) definiu a criação do câmpus avançado de Rondonópolis. Desta forma, o câmpus do município passa a responder administrativamente direto para a reitoria da universidade e não mais para o câmpus de Alto Araguaia. A informação foi dada em primeira mão pelo deputado estadual Thiago Silva e pela reitoria da Unemat. A Unemat em Rondonópolis até hoje funcionava como extensão do câmpus de Alto Araguaia, sem autonomia administrativa.

Thiago Silva é o autor do Requerimento 2859/219 para a criação do câmpus avançado e comemorou a maior autonomia dada para a universidade estadual no município.

“Sempre trabalhamos para a consolidação da Unemat em Rondonópolis e essa é mais uma conquista para nossos jovens. Já destinei para a construção da sede R$ 1,1 milhão e R$ 500 mil para a instalação de novos cursos, e continuaremos lutando para mais melhorias”, disse o parlamentar.

De acordo com o diretor político, pedagógico e financeiro da Unemat em Sinop, Roberto Arruda, o câmpus de Rondonópolis, criado hoje pelo Consuni, é o primeiro câmpus avançado da instituição, assim como foi criado em Lucas do Rio Verde. Com a decisão do Consuni, o município está dando mais um passo para o fortalecimento, a melhoria da estrutura e a chegada de novos cursos.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
Veja Mais:  Comissão analisa projetos sobre direitos e qualificação de trabalhadores
Continue lendo

Política MT

Câmpus do IFMT em Confresa não tem título de regularização fundiária

Publicado

Intermediando a situação, o Delegado Claudinei e os representantes do Instituto estiveram reunidos nesta terça-feira (3) com o superintendente Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), em Mato Grosso

Foto: SANDRA LUCIA RODRIGUES COSTA

O câmpus do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) em Confresa não tem título de regularização fundiária definitiva, o que muitas vezes tem impedido mais investimentos do governo federal. Preocupados com a situação, o diretor de Políticas, Projetos e Articulação Institucional, Adriano Breunig, e o pró-reitor de Desenvolvimento Institucional do IFMT, João Germano Rosinke, procuraram o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) em busca de uma solução definitiva.

Intermediando a situação, o parlamentar e os representantes do instituto estiveram reunidos na terça-feira (3) com o superintendente regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Mato Grosso, Ivanildo Teixeira Thomas. Eles falaram sobre a conclusão do Processo Administrativo 54246.000137/2008-76, que trata da doação de uma área no Projeto de Assentamento Independente 1, no município de Confresa, com o objetivo de construir uma unidade do IFMT.

“O câmpus em Confresa já está instalado nesse assentamento há 10 anos e contamos com registro provisório junto ao Incra. Temos esse processo administrativo que corre aqui no Instituto de Terras, em que buscamos a escrituração do terreno que nos foi doado, porém ainda não efetivada essa doação”, explicou o diretor de Políticas Adriano Breuning, lembrando que o câmpus atende 1,3 mil alunos.

Veja Mais:  Deputado confirma títulos de posse para Rodovia do Peixe e Gleba Rio Vermelho em Rondonópolis

Na ocasião, o superintendente do Incra informou que o processo administrativo se encontra parado, pois a área, em questão do projeto de Assentamento Independente 1, foi judicializado. “Essa judicialização é que tem impedido a titularização definitiva dessa área. Vamos ver o que é possível fazer”, informou Ivanildo.

“Conseguirmos a titularização definitiva dessa área é de grande importância para os mais de 1,3 mil alunos que estudam na unidade de ensino. Isto porque muitos investimentos deixam de ser realizados por conta dessa questão jurídica da falta da regularização fundiária”, finalizou o deputado estadual Delegado Claudinei.

Incra Rondonópolis – Aproveitando a oportunidade, o superintendente do Incra pediu apoio do deputado estadual sobre a situação do Incra de Rondonópolis, que necessita de mais efetivo para continuar a desenvolver as atividades e atender a região. O deputado fará o encaminhamento da demanda.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana