conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Carros e Motos

Era uma vez no México. Com a linha Touring 2019 da Harley-Davidson

Publicado


A Harley-Davidson Road Glide Special em Izamal, a cidade amarela
Divulgação

A Harley-Davidson Road Glide Special em Izamal, a cidade amarela

Se ainda existe alguém que considere a Harley-Davidson uma marca essencialmente tradicional, pode rever os seus conceitos. Sim, a tradição de sua longa história jamais estará ausente de qualquer de seus modelos, mas a empresa norte-americana de forma alguma se encontra repousada sobre todas as glórias que já alcançou no passado.

LEIA MAIS:  Harley-Davidson antecipa sua linha 2019. Saiba detalhes

A prova disso é a sua quase total renovação a cada ano, sempre com novidades, seja com novos motores, novos equipamento e, principalmente, novos modelos de motocicletas. Você conhece de cor todas as 23 motocicletas que compõem o line-up da Harley-Davidson para 2019? Não é fácil decorar todas elas.

Há algumas semanas mostrei aqui três motocicletas totalmente novas das famílias Sportster e Softail, prometendo uma sessão especial com as novas Touring, só que em uma viagem pela península de Yucatán, no México. E aqui está o relato dessa aventura pelas terras maias, que inclui a visita a alguns pontos de extrema importância histórica. Mas vamos às motocicletas.


A Harley-Davidson Ultra Limited, circulando na cidade de Mérida
Divulgação

A Harley-Davidson Ultra Limited, circulando na cidade de Mérida

Para percorrer os quase 300 km de boas estradas asfaltadas que ligam as cidades de Mérida, Progreso, Dzilam de Bravo, Dzidzantún e Izamal, estavam à disposição dos 30 jornalistas brasileiros e latino-americanos toda a linha Touring da Harley-Davidson , equipadas com o novo motor Milwaukee-Eight 114 de 1.868 cm3 de cilindrada. Dessa forma, alternei o percurso com a Street Glide Special, a Road Glide Special, a Road Glide Ultra e a Ultra Limited, todas elas equipadas com o novo sistema de informação e lazer Boom! Box GTS, que agora é compatível com Apple CarPlay.

Veja Mais:  Toyota Etios Sedan 1.5: sedã automático para quembusca uma compra racional

Esse sistema reúne as informações de navegação, GPS e músicas em uma tela de TFT de 6 polegadas, informações essas que podem ser acessadas por toque, mesmo com luvas grossas, pelos controles nos punhos do guidão ou mesmo por voz. É claro que o que eu mais curti foram as músicas, ouvidas sem medo de incomodar alguém naquela imensidão com uma potência sonora de 25 Watt por canal. Nas Ultra são quatro alto-falantes e nas Special são dois alto-falantes.

Bem, cheguei sim, a incomodar alguém, com o volume das minhas músicas: o jornalista que vinha na moto de trás me disse depois que era possível ouvir nitidamente o som vindo da minha motocicleta. Acredita nisso?

LEIA MAIS: O lado negro da Harley-Davidson Road King Special. Veja avaliação

A família Touring ainda conta com as duas versões da Road King, a Special 114, que já mostrei aqui há cerca de um mês (rodei com ela no Brasil), e a Classic 107, a única da família que manteve para 2019 o motor de 1.745 cm3 de cilindrada.

Saí de Mérida com a Harley-Davidson Street Glide Special , uma bagger que tem dois alforjes laterais rígidos e estendidos, que encobrem parcialmente os escapamentos pretos, e a carenagem fixada ao guidão, com dois alto-falantes e farol único redondo. O estilo é o seu forte, o que explica o parabrisa mínimo e o guidão compacto preto.

Veja Mais:  Novo SUV francês DS7 Crossback terá versão híbrida no Salão de Paris

Pé na estrada com a nova Harley-Davidson


A Harley-Davidson Street Glide Special a caminho da cidade de Progreso
Divulgação

A Harley-Davidson Street Glide Special a caminho da cidade de Progreso

O caminho é uma auto-estrada larga e de bom asfalto, fazendo chegarmos rapidamente à cidade litorânea de Progreso. Trata-se de uma cidade pequena e muito acolhedora, com as praias banhadas pelo Golfo do México. Prosseguindo até Dzilam de Bravo, desta vez o caminho era bastante peculiar, com a estradinha estreita cercada de água pelos dois lados, já que estávamos sobre uma faixa de terra entre o golfo e um canal natural.

Em Dzilam, troquei a Street pela Road Glide Special, praticamente a mesma bagger só que com uma enorme carenagem fixa, dois alto-falantes e parabrisa baixo. Também tem alforjes estendidos e escapamentos pretos.

A estrada, já entrando para o interior da península em direção a Dzindantún, era mais recortada, passando por dentro de vários povoados bem típicos da região.

Deixei a Road Glide Special na interessante cidade de Izamal, conhecida como “a cidade amarela” por ter todas as suas construções dessa cor. Com uma arquitetura bem mais peculiar, Izamal mostra com intensidade os resquícios da civilização maia, ainda presente no local. Durante o almoço, uma trupe local mostrava na dança as comemorações pelo Dia de los Muertos, o equivalente para nós ao dia de Finados.

LEIA MAIS: Fomos ao aniversário da Harley-Davidson nos Estados Unidos

De Izamal até o destino final, que fechou o percurso novamente em Mérida, a estrada de asfalto bem novo foi percorrida à noite, em uma viagem extremamente sossegada. É claro que os três faróis da Ultra Limited, a motocicleta com a qual encerrei o dia, me deram uma dose extra de tranquilidade.

Veja Mais:  Cadillac mostra teaser de futuro SUV elétrico no Salão de Detroit (EUA)

A Harley-Davidson Ultra Limited tem carenagem móvel do tipo batwing, fixada ao guidão, com dois alto-falantes mais dois no tour-pak traseiro. Os dois alforjes laterais são um pouco menores do que os das Special e deixam mais à mostra os escapamentos cromados.

Ao fim do dia, deixamos as motocicletas de volta à concessionária Península, em Mérida, onde rolou uma festa bastante animada.


A Harley-Davidson Road Glide Ultra e seu parabrisa elevado
Divulgação

A Harley-Davidson Road Glide Ultra e seu parabrisa elevado

No dia seguinte, a viagem prosseguiu até as ruínas da cidade de Chichém Itzá, o sítio arqueológico mais visitado do México. A pirâmide principal é o Templo de Kukulkán, que todas as noites se torna o centro de um incrível espetáculo visual. Chichén Itzá foi eleito uma das Novas Sete maravilhas do Mundo.

A minha companheira nesse dia foi a Harley-Davidson Road Glide Ultra, que é uma fusão da Road Glide Special, de quem toma a carenagem fixa e os dois faróis retangulares, só que com parabrisa alto, e a Ultra Limited, de quem toma o tour-pak com mais dois alto-falantes e os alforjes menores mostrando os escapamentos cromados.

LEIA MAIS: Harley-Davidson CVO Road Glide encara passeio de fim de semana

Para quem curte a família Touring carenada, essas quatro motocicletas podem deixar um candidato a harlista em um grande nível de indecisão. Quem sabe o preço de cada uma o ajude a escolher: a Harley-Davidson Street Glide Special custa R$ 95.400, a Road Glide Special custa R$ 97.900, a Road Glide Ultra custa R$ 101.900 e a Ultra Limited custa R$ 102.900.

Comentários Facebook

Carros e Motos

Flagra! Novo Chevrolet Prisma é visto em testes, ainda camuflado

Publicado


Nova geração do Chevrolet Prisma é flagrada em testes, ainda camuflada. Deverá chegar às lojas no fim do ano
Leonardo Gomes/ Reprodução

Nova geração do Chevrolet Prisma é flagrada em testes, ainda camuflada. Deverá chegar às lojas no fim do ano

Um apressado sedã foi visto na Rodovia dos Imigrantes, em São Paulo, conforme publicado pelo site Auto Aventura. Apesar da camuflagem que esconde boa parte de suas linhas, podemos ver que se trata da nova geração do Chevrolet Prisma, que está nas etapas finais dos testes, assim como o hatchback Onix. O modelo seguirá os passos do Prisma chinês, com linhas que lembram o Cruze e o Monza do mercado asiático.

LEIA MAIS: Vazam imagens oficiais da nova geração do Chevrolet Tracker

O Chevrolet Prisma da nova geração é feito sobre a plataforma GEM (Global Emerging Market), que servirá de base para boa parte dos veículos da Chevrolet na virada da década em mercados emergentes. Os novos modelos estão sendo desenvolvidos em parceria com a SAIC, braço da GM na China. As lanternas dianteiras ficarão mais afiadas e esportivas, diferentemente do modelo atual que é reconhecido pelos lustres grandes. A grade dianteira também fica maior, sendo cortada apenas por um estreito filete que leva a “gravatinha” da Chevrolet.

Com 4,47 metros de comprimento e 2,61 de entre eixos, fica claro que o objetivo da GM é criar um modelo capaz de brigar com os modelos intermediários, como VW Virtus , Honda City e Fiat Cronos . Na categoria dos sedãs de entrada, é possível que a atual geração do Prisma continue sendo vendida como uma versão Joy. Vale lembrar que a estratégia de manter modelos de baixo custo em linha foi determinante para que a GM fosse líder de mercado em 2018. Dentro dessa estratégia, é possível que o sedã Cobalt deixe de ser oferecido no Brasil. 

Veja Mais:  Novo SUV francês DS7 Crossback terá versão híbrida no Salão de Paris

LEIA MAIS: Segredo! Nova picape da GM chega em 2020 para concorrer com a Fiat Toro

Mais detalhes do Chevrolet Prisma 2020


Nova geração do Chevrolet Prisma será bem diferente da atual, inclusive, como nova plataforma
Reprodução/Autohome

Nova geração do Chevrolet Prisma será bem diferente da atual, inclusive, como nova plataforma

Ainda entre as novidades da nova geração do Prisma também se destacam os novos motores que vão sair da fábrica de Joinville (SC) a partir do terceiro trimestre do ano que vem. Entre os quais estará o 1.0, de três cilindros, que segue o projeto da Opel, marca alemã que era da GM e agora faz parte da Peugeot-Citroën. A novidade promete ser mais eficiente e moderna que o atual, uma vez que a linha Onix e Prisma tem alguns entre os motores mais defasados do mercado brasileiro. Para se ter uma ideia, trata-se da mesma família de motores que equipou o antigo Corsa.

LEIA MAIS: Flagra! Novo Peugeot 208 é visto em testes, ainda disfarçado

Na China, o novo Chevrolet Prisma será equipado com um 1.0 turbo, de três cilindros, capaz de render 116 cv e 1.3, que também deverá ser triciclíndrico, mas aspirado, de 103 cv. Ainda não se sabe se essas duas versões vão fazer parte das que vão estar disponíveis no Brasil. De qualquer forma, o sedã vai subir de nível, não apenas pelo porte de carro intermediário, mas pelo grau de sofisticação e de equipamentos. Na China, o Chevrolet Prisma da nova geração terá até teto-solar, equipamento que dificilmente aparecerá no modelo brasileiro.

Veja Mais:  VW começa a implementar concessionárias virtuais noBrasil

Fonte: Autoaventura

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Flagra! Novo Chevrolet Prisma é visto em testes, ainda camuflado

Publicado


Nova geração do Chevrolet Prisma é flagrada em testes, ainda camuflada. Deverá chegar às lojas no fim do ano
Leonardo Gomes/ Reprodução

Nova geração do Chevrolet Prisma é flagrada em testes, ainda camuflada. Deverá chegar às lojas no fim do ano

Um apressado sedã foi visto na Rodovia dos Imigrantes, em São Paulo, conforme publicado pelo site Auto Aventura. Apesar da camuflagem que esconde boa parte de suas linhas, podemos ver que se trata da nova geração do Chevrolet Prisma, que está nas etapas finais dos testes, assim como o hatchback Onix. O modelo seguirá os passos do Prisma chinês, com linhas que lembram o Cruze e o Monza do mercado asiático.

LEIA MAIS: Vazam imagens oficiais da nova geração do Chevrolet Tracker

O Chevrolet Prisma da nova geração é feito sobre a plataforma GEM (Global Emerging Market), que servirá de base para boa parte dos veículos da Chevrolet na virada da década em mercados emergentes. Os novos modelos estão sendo desenvolvidos em parceria com a SAIC, braço da GM na China. As lanternas dianteiras ficarão mais afiadas e esportivas, diferentemente do modelo atual que é reconhecido pelos lustres grandes. A grade dianteira também fica maior, sendo cortada apenas por um estreito filete que leva a “gravatinha” da Chevrolet.

Com 4,47 metros de comprimento e 2,61 de entre eixos, fica claro que o objetivo da GM é criar um modelo capaz de brigar com os modelos intermediários, como VW Virtus , Honda City e Fiat Cronos . Na categoria dos sedãs de entrada, é possível que a atual geração do Prisma continue sendo vendida como uma versão Joy. Vale lembrar que a estratégia de manter modelos de baixo custo em linha foi determinante para que a GM fosse líder de mercado em 2018. Dentro dessa estratégia, é possível que o sedã Cobalt deixe de ser oferecido no Brasil. 

Veja Mais:  Primeiro carro voador começa a ser encomendado nos Estados Unidos

LEIA MAIS: Segredo! Nova picape da GM chega em 2020 para concorrer com a Fiat Toro

Mais detalhes do Chevrolet Prisma 2020


Nova geração do Chevrolet Prisma será bem diferente da atual, inclusive, como nova plataforma
Reprodução/Autohome

Nova geração do Chevrolet Prisma será bem diferente da atual, inclusive, como nova plataforma

Ainda entre as novidades da nova geração do Prisma também se destacam os novos motores que vão sair da fábrica de Joinville (SC) a partir do terceiro trimestre do ano que vem. Entre os quais estará o 1.0, de três cilindros, que segue o projeto da Opel, marca alemã que era da GM e agora faz parte da Peugeot-Citroën. A novidade promete ser mais eficiente e moderna que o atual, uma vez que a linha Onix e Prisma tem alguns entre os motores mais defasados do mercado brasileiro. Para se ter uma ideia, trata-se da mesma família de motores que equipou o antigo Corsa.

LEIA MAIS: Flagra! Novo Peugeot 208 é visto em testes, ainda disfarçado

Na China, o novo Chevrolet Prisma será equipado com um 1.0 turbo, de três cilindros, capaz de render 116 cv e 1.3, que também deverá ser triciclíndrico, mas aspirado, de 103 cv. Ainda não se sabe se essas duas versões vão fazer parte das que vão estar disponíveis no Brasil. De qualquer forma, o sedã vai subir de nível, não apenas pelo porte de carro intermediário, mas pelo grau de sofisticação e de equipamentos. Na China, o Chevrolet Prisma da nova geração terá até teto-solar, equipamento que dificilmente aparecerá no modelo brasileiro.

Veja Mais:  A volta do Corsa ao Brasil. O que há de verdade nessa história

Fonte: Autoaventura

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Dez carros da Porsche, que são do co-fundador do WhatsApp, vão a leilão; veja

Publicado


Coleção Porsche tem como um dos maiores destaues o hiper esportivo e exclusivo 918 Spyder
Divulgação

Coleção Porsche tem como um dos maiores destaues o hiper esportivo e exclusivo 918 Spyder

Co-fundador do WhatsApp, o bilionário Jan Koum, vai vender 10 exemplares da sua coleção de Porsche. Os esportivos serão oferecidos no dia 8 de março, em um leilão organizado pela Gooding & Company, em Amelia Island (EUA). De acordo com a Forbes, Koum está atualmente na 170ª posição da lista de homens mais ricos do mundo, com uma fortuna estimada em US$ 9,4 bilhões (cerca de R$ 35 bilhões). Mesmo assim, o co-fundador do WhatsApp justificou a falta de tempo e de espaço na garagem como os motivos para se desfazer da sua coleção.

LEIA MAIS: Porsche raro é arrematado por US$ 16 milhões nos Estados Unidos

A coleção de Porsche inclui dois Carrera RS geração 964, um Carrera RS da geração 993, um GT3 RS 3.8 2010, um GT3 RS 4.0 e um GT2 RS (ambos de 2011), um Cayman GT4 de 2016 (produzido sob encomenda e que rodou menos de 800 quilômetros), e um 911 R, também de 2016 e mantido no estado em que saiu da fábrica. Já entre as raridades está uma das únicas 53 unidades produzidas para a América do Norte do GT3 RS 3.6 de 2008 e um dos 162 exemplares vendidos nos EUA do 918 Spyder Weissach, de 2015.

O Porsche 918 Spyder é um dos modelos que mais tem despertado interesse, uma vez que foram produzidas apenas 918 unidades, sete das quais no mesmo tom “Liquid Metal Chrome Blue” do exemplar do executivo. Como se isso não fosse o bastante, Koum foi o seu único dono e rodou apenas 32 quilômetros com ele. Ao que tudo indica, o 918 Spyder deve ser comprado por algo em torno dos 1,4 milhão.

Veja Mais:  Toyota Etios Sedan 1.5: sedã automático para quembusca uma compra racional

LEIA MAIS: Porsche celebra 70 anos de mercado e fala sobre o futuro de seus carros

“Muitos desses Porsche estão entre os melhores exemplares disponíveis para venda no mundo e são parte importante da minha coleção de carros. Se eu tivesse tempo e espaço ilimitado para guardá-los, não venderia nenhum deles”, destacou Koum em uma nota divulgada pela Gooding & Company.

Apesar da coleção de Porsche, há um recordista


Grande herói das pistas, com direito, ainda, às telas do cinema. O santo graal para qualquer coleção de Porsche
Divulgação

Grande herói das pistas, com direito, ainda, às telas do cinema. O santo graal para qualquer coleção de Porsche

Conhecido por ter sido dirigido no clássico do cinema “Le Mans”, de 1971, o 917 restaurado em 2001 foi vendido no ano passado, em Pebble Beach, na Califórnia (EUA), por impressionantes US$ 14 milhões (ou quase R$ 45 milhões). O valor é considerado “apenas” justo, mas ainda contrariou algumas expectativas de que ultrapassasse os R$ 50 milhões.

Seu motor é um boxer arrefecido a ar, de 12 cilindros e 4,5 litros, que produz nada menos que 580 cv. A traseira do Porsche de Steve Mcqueen era ajustável, permitindo que a equipe escolhesse entre baixo arrasto ou mais pressão aerodinâmica. Além disso, sua suspensão era do tipo duplo wishbone nas quatro rodas, que contava com molas de titânio, material bastante complexo – logo, caro – para ser usinado.

Veja Mais:  Primeiro carro voador começa a ser encomendado nos Estados Unidos

LEIA MAIS: Raro VW Fusca de 1964, quase sem uso, está à venda por US$ 1 milhão nos EUA

O “senhor” de 60 anos de idade encanta por sua concepção simples e resgata o glamour dos tempos que, para muitos, são “dourados”, quando se pensa em corridas e automobilismo. Definitivamente o “foguete” que correu nas 24 horas de Le Mans é um exemplar que o co-fundador do WhatsApp adicionaria em sua coleção de Porsche , se tivesse a oportunidade de pôr as mãos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana