conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Portal Agro

Fiscalização apreende sementes de milho híbrido no Oeste do Paraná

Publicado

Fiscais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizaram operação de fiscalização da produção ilegal de sementes de milho híbrido, na região oeste do Paraná, que resultou na autuação de oito agricultores – entre eles um grande produtor – em área de 122 hectares. A maior parte deles multiplicava as sementes para uso próprio. A fiscalização de sementes é feita duas vezes por ano no estado.

A ação fiscal coibiu a utilização e comercialização de 614.322 kg de sementes piratas de milho híbrido em estado bruto, que resultariam em cerca de 460.700 kg de sementes ilegais de milho híbrido após o beneficiamento e classificação.

Foram fiscalizadas propriedades em 12 municípios: Marechal Cândido Rondon, Quatro Pontes, São Jose das Palmeiras, Palotina, Terra Roxa, Maripá, Guaíra, Mercedes, Nova Santa Rosa, Santa Helena, Entre Rios do Oeste, Pato Bragado, abrangendo 17 áreas de produção, com total de mais de 250 mil hectares.

A operação contou ainda com a utilização de drone para varredura das áreas e captura das imagens que permitiram a constatação da produção ilegal de sementes de milho em áreas de difícil acesso.

Os infratores foram tiveram a suspensão da comercialização das sementes e o acompanhamento pelo Mapa da colheita, destruição e descarte dos grãos.

O Mapa alerta que o uso próprio de sementes está regulamentado na legislação de sementes e mudas e requer que as cultivares produzidas estejam devidamente inscritas no Registro Nacional de Cultivares (RNC). É ilegal fazer o cruzamento de grãos híbridos que irão gerar um terceiro híbrido não registrado no RNC. Também é ilegal cruzar híbridos de grãos transgênicos que irão resultar em outros grãos geneticamente modificados não registrados.

Veja Mais:  Reunião do Comitê Gestor do Selo Agro+ aprova premiação para 10 empresas do Agronegócio

O uso de sementes ilegais implica em perigos e potenciais prejuízos à produção de grãos do país que pode ser comprometida pela combinação não autorizada de eventos transgênicos. A ação é parte de iniciativa do Mapa no combate à produção e ao uso de insumos ilegais, mais especificamente contra a pirataria de sementes.

 

Mais informações à imprensa:Coordenação-geral de Comunicação Social
Janete Lima
imprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook

Portal Agro

Aprosoja contribui com Agenda Única do Agro promovida pela CNA

Publicado

Política Agrícola e Logística

Aprosoja contribui com Agenda Única do Agro promovida pela CNA

Na pauta: Fex, Funrural, Licenciamento Ambiental, dentre outros

23/05/2019

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) apresentou os temas prioritários para o Estado na Agenda Única do Agro, promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília, pelo Instituto Pensar Agropecuária (IPA) e a Organização da Cooperativas do Brasil (OCB), nesta quinta-feira (23.05).

Vice-presidente Norte da Aprosoja e coordenador da Comissão de Política Agrícola e Logística, Zilto Donadello, representou a entidade nas discussões. Dentre as pautas da entidade apontadas como prioritárias estão o Fex, licenciamento ambiental, Funrural, dentre outros.

Conforme consta na pauta apresentada pela Aprosoja-MT, em relação ao Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX) (PL511/2018), que dispõe sobre a compensação financeira devida pela União aos Estados em virtude da aplicação da Lei Kandir, a falta de perspectivas tem resultado em prejuízos aos Estados produtores. Outro fator gerado pela falta de previsão do recurso é o aumento do apelo político pela taxação do agronegócio. Exemplo disso é o Fethab sobre a cultura do milho, que será aplicado este ano em Mato Grosso.

A partir da reunião, serão enviados questionários às entidades para verificação das demandas, encontros regionais, além de acompanhamento dos projetos que impactam o setor e estão em tramitação no Congresso Nacional. O objetivo é construir a agenda com os pontos em comum que as entidades representativas apresentarem.

Veja Mais:  Ministério da Agricultura e CNA realizam jantar com países islâmicos que deve ter a presença de Bolsonaro

Também consta na pauta o licenciamento ambiental para atividade agropecuária, busca nesse tema é pela celeridade no processo. Aprosoja-MT entende que não há necessidade de licenciamento para realização das atividades do agro, já que todos os insumos utilizados passam por inspeção e autorização ambiental.

“A Aprosoja defende a isenção do Licenciamento Ambiental para a atividade agropecuária por entender que todos os insumos utilizados na produção já precisam passar por uma avaliação de risco e prévio licenciamento antes da aplicação comercial, além disso, é obrigatória a contratação de um responsável técnico para acompanhamento da produção, bem como acompanhada por uma profissional habilitado no CREA”, explicou o vice-presidente Norte, Zilto Donadello.

Também em pauta o PL 6299/2002, qual a Aprosoja apoia e pede celeridade na aprovação. O PL 2182/2011, que dispõe sobre Classificação Vegetal e o Funrural. Esse último a luta é pela remissão do passivo.

 

Fonte: Ascom Aprosoja


Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215

Email: comunicacao@aprosoja.com.br

Fonte: APROSOJA
Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Ministério da Agricultura tem estande com atividades na Green Rio 2019

Publicado

 Com programação diversificada e interativa, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo, conta com um dos estandes âncoras na 8ª edição do Green Rio Brasil, que começa nesta quinta-feira (23), no Rio de Janeiro, na Marina da Glória.

A estrutura conta com dois ambientes, Espaço Diálogos e Sala de Negócios, onde ocorrerão palestras, debates, mesas redondas, lançamento de publicações e a exposição de produtos da agricultura familiar.

A abertura do estande acontece, às 14h30, pelo Secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo, Fernando Schwanke, com o reitor da Universidade Federal Fluminense (UFF), Antônio Claudio Lucas da Nóbrega. Após o ato, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) inicia as atividades do Espaço Diálogos com três palestras, das 15h às 16h, com o temas: “Agroturismo, Agricultura Familiar e Agroindústrias: um trio com potencial de sucesso no RJ”, “Soja Hortaliça: Desenvolvimento da cadeia de valor no Estado do RJ” e “Desenvolvimento Territorial em ambientes de Montanha”.

Em seguida, às 17h15, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) fará apresentação sobre “Uso Sustentável da Biodiversidade – Políticas Públicas”. Ao mesmo tempo, na Sala de Negócios do estande, serão realizados encontros de oportunidades para aproximar empreendedores da agricultura familiar (setores dos chás alimentícios e medicinais, óleos essenciais, fitocosméticos e azeites) à iniciativa privada. O objetivo é conectar pequenos e médios agricultores com grandes investidores e possíveis compradores, visando a geração de novos negócios e oportunidades.

Veja Mais:  Ministério da Agricultura e CNA realizam jantar com países islâmicos que deve ter a presença de Bolsonaro

Na sexta-feira (24), a programação comecará às 10h, com apresentação da Embrapa Agroenergia sobre Biodiesel 2.0. Na sequência, às 11h, o Serviço Florestal Brasileiro vai abordar o tema “Produtos Florestais Não Madeireiros: Produção e Disseminação do Conhecimento”. Antes do intervalo para o almoço, entre 11h30 e 12h, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) apresentará palestra com o tema “Biodiversidade e Bioeconomia: Plantas Medicinais, Aromáticas, Condimentares, Azeites e Chás Especiais do Brasil”.

As atividades voltarão às 14h, com o lançamento da Campanha de Orgânicos 2019 e da Semana da Alimentação Orgânica no RJ, organizadas pela Comissão da Produção Orgânica do Rio de Janeiro (CPOrg-RJ). Às 16h25, será a vez do Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola (Imaflora) falar sobre o selo Origens Brasil, que surgiu para dar mais transparência às cadeias de produtos da floresta, e ajudar os consumidores a identificar empresas e produtos que valorizam e respeitam, em suas práticas comerciais, as populações e seus territórios.

A Cativa Natureza também vai dividir suas experiências de mercado e assinar um protocolo de intenção de compra de pimenta rosa do Assentamento Rural Ademar Moreira, localizado em São Pedro da Aldeia, no Rio de Janeiro, onde vivem, atualmente, cerca de 35 famílias que têm na aroeira a maior fonte de renda.

Encerrando a programação do segundo dia, a partir das 17h25, serão lançados uma publicação sobre Sistemas Agrícolas Tradicionais, pela Embrapa, e o Catálogo de Fornecedores de Produtos da Sociobiodiversidade, pela empresa de cooperação técnica alemã Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ).

Veja Mais:  Ministra vai discutir na Câmara retorno de desconto na conta de energia elétrica dos produtores rurais

No sábado (25), entre 10h e 10h50, o Espaço Diálogos receberá a Embrapa com o tema “Agricultura Urbana e Periurbana”, a Associação Social Beneficente Humanitária (ASBH) para falar sobre telhado orgânico e medicinal e a galeria viva na Comunidade do Vidigal, e a dupla Mariluce Coelho e Jean Carlos Rocco, que apresentará o caso de sucesso do Chalé Agroecológico.

A Universidade Federal Fluminense fecha a programação do estande do Mapa, com palestra sobre o perfil da agricultura familiar no estado do Rio de Janeiro e apresentação dos Projetos de Hortas Urbanas e de Fortalecimento e Dinamização da Agricultura Familiar.

Mais informações à Imprensa:Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Mais 27 autorizações de pesca complementar da tainha são publicadas pela SAP

Publicado

A relação das 27 embarcações cujas pendências foram sanadas junto a Secretaria de Aquicultura e Pesca (SAP) para a concessão de Autorização de Pesca Complementar na captura de tainha (Mugil Liza), na modalidade de emalhe anilhado, para a temporada deste ano foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (23). As embarcações autorizadas cumpriram as exigências estabelecidas pela Instrução Normativa nº 9, de 8 de maio de 2019.

A Portaria 2.362 também traz a relação das 21 embarcações que não tiveram suas pendências sanadas e que não terão acesso a Autorização de Pesca Complementar.

De acordo com a SAP, ficou estabelecido que a Superintendência Federal de Agricultura do estado de Santa Catarina (SFA/SC) realizará as impressões das Autorizações de Pesca Complementar para aquelas embarcações listadas no Anexo I, conforme autorizações constantes no Sistema Eletrônico de Informações (SEI).

O proprietário da embarcação ou seu representante legal, mediante apresentação de procuração, poderá retirar a referida Autorização de Pesca Complementa da tainha na SFA/SC. A Portaria entra em vigor na data da sua publicação.

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Veja Mais:  Relatório aponta importância da polinização para a agricultura
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana