conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Mato Grosso

Homenagens, festa e emoção marcam celebração dos 40 anos de Unemat

Publicado

A Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) celebrou seus 40 anos de existência em uma cerimônia realizada nesta quinta-feira (8), no Auditório Sophia Leite, na Secretaria Municipal de Indústria, Comércio, Meio Ambiente e Turismo de Cáceres (Sicmatur).

Comemorando os 40 anos de sua ideia fundadora, a Unemat realizou uma sessão solene conjunta do Conselho Curador (Concur), Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Conepe) e Conselho Universitário (Consuni), formados por alunos, professores e profissionais técnicos de todos os 13 câmpus da Instituição.

Ao comemorar 40 anos, a Unemat desponta como a única universidade pública estadual descentralizada e multicâmpus do estado. Durante sua trajetória, formou e forma profissionais de diferentes áreas do conhecimento, que se encontram desenvolvendo atividades dentro e fora do Estado, contribuindo para o desenvolvimento social, econômico e educacional de Mato Grosso e do País.

A história de sucessos da Unemat, que faz parte de muitas outras, vem transformando as realidades das cidades mato-grossenses com a oferta de cursos, nos câmpus, núcleos e polos, que formam e transformam a história de pessoas e contribuem para alterar a realidade de Mato Grosso.

A reitora da Unemat, Ana Maria Di Renzo, explica que este é um dia para celebrar a coragem e a força de vontade de trabalhar em prol das pessoas que não tem acesso ao ensino superior. “Esta é uma experiência inesquecível, um dia para celebrarmos a coragem, a resistência e a vontade política de se fazer ensino superior no interior do Brasil, apesar de todas as dificuldades”, defende Ana.

O vice-reitor Ariel Lopes Torres explica que fazer 40 anos é um marco histórico, e relembrarmos da história de como a Unemat começou, homenageando quem começou e parabenizando quem está construindo esta história é fundamental. “Precisamos cada vez mais deixar marcado e mostrar para aqueles que ainda não passaram pela Unemat a importância que ela tem para nosso Estado”, disse Ariel. “A Unemat é uma difusora de conhecimento e trata-se também de uma instituição transformadora de vidas, patrimônio do povo do Estado de Mato Grosso, que merece e deve ter a Unemat”, afirma o vice-reitor.

Professora da Unemat há quase 24 anos, Maria do Socorro Araújo hoje também é diretora da Editora Unemat, e alega que qualquer frase de efeito fica muito pequena em relação aos depoimentos de ex-alunos da Unemat. “A história de vida que eles possuem justifica todo e qualquer argumento que a gente possa ter na importância desta Universidade, da importância institucional que ela tem para a vida das pessoas, seja aluno, seja técnico ou seja professor, destas pessoas que passaram por aqui em toda a existência dos 40 anos da Unemat”, defende Socorro. “A Unemat está presente em todo o Estado de Mato Grosso, transformando vidas pela educação, e é nisso que temos que acreditar: num País com tantas dificuldades, adversidades e inseguranças, a educação é capaz de reanimar, de dar forças e de produzir um País com muita qualidade de vida”, explica a professora.

O pró-reitor de Extensão e Cultura e presidente da Comissão Organizadora da Celebração dos 40 Anos, Anderson Marques do Amaral, defende que é de grande importância celebrar estes 40 anos com a sociedade e com toda a comunidade acadêmica. “A Unemat possui uma grande contribuição na história não só de Cáceres, mas de todos os municípios onde ela está presente e, principalmente, na história da vida das pessoas, porque através da Unemat muitas pessoas transformaram a sua própria história e a de suas famílias”, explicou Anderson.

Além da reitora Ana Maria di Renzo e do vice-reitor Ariel Lopes Torres, a mesa de autoridades foi composta pela deputada estadual Janaína Riva; pelo prefeito de Cáceres, Francismaris Cruz; e pelo ex-deputado e articulador político à época da consolidação da Unemat, José Esteves de Lacerda.

Cortejo dos câmpus

A cerimônia teve início com um cortejo formado por professores, profissionais técnicos e alunos dos 13 câmpus da Unemat, conduzindo as bandeiras de suas respectivas cidades:

Alta Floresta, Alto Araguaia, Barra do Bugres, Cáceres, Colíder, Diamantino, Juara, Luciara, Nova Mutum, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Sinop e Tangará da Serra.

Também foram realizadas homenagens aos motoristas da Instituição, que possibilitam a integração das unidades e são imprescindíveis na construção da história da Universidade, e aos servidores terceirizados, que zelam pelo patrimônio institucional, se fazendo indispensáveis para a continuidade do legado da Unemat.

Veja Mais:  PRF vai leiloar 1.700 veículos no Mato Grosso

“A Unemat não é os prédios, a Unemat não é os cursos, a Unemat é as pessoas que a fizeram, a fazem a continuarão fazendo”, explicou o ex-reitor Dionei Silva. “Então nestes 40 anos estão de parabéns todas as pessoas que acreditaram, que acreditam e que continuarão acreditando que a educação transforma e que a Unemat é uma instituição transformadora”, disse Dionei.

Cortejo das bandeiras

Alunos da Escola Estadual Esperidião Marques, onde funcionava o Instituto de Ensino Superior de Cáceres (Iesc) que deu origem à Unemat, conduziram a antiga bandeira da Universidade, instituída em 2003. Eles foram seguidos pelos alunos da Unemat, que conduziram a atual bandeira da Instituição, instituída em 2017. Na sequência, as bandeiras do Brasil e de Mato Grosso foram conduzidas por membros da Associação Paramaçônica Juvenil (APJ) da Maçonaria Cacerense.

A Orquesta da Unemat executou o Hino de Mato Grosso e o Hino Nacional Brasileiro, sob regência do maestro Elizene Nunes Mota. Também marcou o evento a execução, ao final da solenidade, do Hino Oficial da Unemat, também executado pela Orquestra da Universidade.

Canção e arte

As celebrações começaram com uma performance da música ‘Cativar’ pela reitora Ana Di Renzo e pelo vice-reitor Ariel, acompanhados pelas servidoras Cristhiane Santana de Souza e Valci Aparecida Barbosa, pelo aluno Julio Cesar Rodrigues da Silva e por Jaýne Santos Borges, enfermeira graduada pela Unemat e aluna do mestrado em Ciências Ambientais.

Em seguida, ao lado do pró-reitor de Extensão e Cultura, Anderson Marques do Amaral, a reitora e o vice-reitor descerraram quadro pintado pelo artista plástico Sebastião Mendes em razão dos 40 anos da Unemat.

O pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação e reitor eleito da Unemat, Rodrigo Bruno Zanin, afirma que celebrar os 40 anos é importante por reconhecer que esta Universidade faz a diferença neste estado. “Esta Universidade muda a vida das pessoas deste Estado há mais de 40 anos, então a perspectiva é que nesta comemoração mostremos para a sociedade a nossa força e o quanto nós podemos ajudar mais ainda este Estado nos próximos 40 anos”, explica Zanin.

A diretora de Gestão de Educação à Distância e vice-reitora eleita, Nilce Maria da Silva, explica que a parte mais bonita da Unemat é que, mesmo sendo do interior e até por ser do interior, ela é uma das Universidades mais inclusivas. “Inclusivas para as pessoas que não tem condições de sair de casa para estudar, inclusiva para as Modalidades Diferenciadas, para os índios, para os negros, para os surdos, para os professores que não tinham ainda curso superior lá no Médio Araguaia na década de 1990, assim como na educação à distância, que começamos ainda em 1989, para oferecer educação em todos os lugares de Mato Grosso”, detalha Nilce. “É uma Universidade inclusiva, e que ela permaneça assim por mais 40 anos”, almeja a diretora.

Lançamento da loja virtual da Editora Unemat

O vice-reitor Ariel Lopes Torres também realizou o lançamento da loja virtual da Editora Unemat, onde estão disponíveis para aquisição produtos como caneca, bloco de anotações, pen card de 8 gigabytes e broche metalizado da Unemat, além dos livros produzidos pelos pesquisadores da Unemat. Para saber mais, clique aqui.

Selo comemorativo

A cerimônia também foi marcada pela obliteração do Selo Comemorativo Personalizado dos 40 anos da Unemat, feito pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Para saber mais, clique aqui.

Apresentações culturais e testemunhos

A cerimônia foi intercalada por diversas apresentações culturais: o motorista da Unemat, Jose Junio Lara da Costa, emocionou a todos cantando a música ‘Coração de estudante’. O professor Edson Flávio, graduado, mestre e atualmente doutorando pela própria Unemat, proclamou a poesia ‘Tecendo a manhã’, de João Cabral de Melo Neto. Além de proclamar o poema, Edson também deu seu testemunho sobre como a Unemat lhe deu a oportunidade de mudar sua vida, seguido de o emocionante testemunho do professor Evaldo Ferreira, graduado em Geografia pela Unemat. Também houve a apresentação da tribo indígena Umutina, representando as 43 etnias indígenas do Estado, atendidas pela Faculdade Intercultural Indígena da Unemat.

“A Unemat fez e está fazendo um trabalho fundamental dentro das comunidades indígenas, que é levar o ensino superior de qualidade para as aldeias, um processo do qual a gente não participava”, afirma o indígena Márcio Monzilar. “E mais ainda porque faz um trabalho de uma educação diferenciada, onde reconhece os conhecimentos tradicionais de escolas indígenas, o que vem fortalecendo cada vez mais nossas escolas e nossas comunidades”, explica Márcio.

Veja Mais:  Mato Grosso integra operação nacional de combate às empresas noteiras

Livro ‘Unemat: Uma história que faz parte de muitas outras’

Durante a sessão solene também foi realizado o lançamento do livro ‘Unemat: Uma história que faz parte de muitas outras’ que, além de contar os 40 anos de história da Universidade, também traz os dados atuais sobre o impacto da Instituição no Estado. O lançamento foi feito pelas jornalistas e profissionais técnicas da Unemat, Danielle Tavares, Hemilia Maia e Lygia Lima, autoras do livro em parceria com a professora e fundadora da Universidade, Neuza Zattar.

Homenagens

A Unemat entregou homenagens às pessoas que contribuíram para a existência e manutenção da Universidade e seus câmpus.

Em 1978 reuniram-se em Cáceres o diretor da Escola de Comércio, Edival dos Reis; o vice-diretor da Escola de Comércio, João Porto Rodrigues; e os servidores da Escola, Luttgards Saavedra, Miriam Benedita Menezes e Neuza Zattar. Os cinco tinham o objetivo de criar uma instituição de Ensino Superior na cidade, nascendo o Instituto de Ensino Superior de Cáceres (Iesc), que evoluiu e se tornou a Unemat em 1993.

Foram homenageados, além dos cinco fundadores, o prefeito que assinou a criação do Iesc, Ernani Martins (in memoriam); o deputado estadual à época da criação do Iesc, Airton dos Reis (in memoriam); o presidente da Câmara Municipal à época da criação do Iesc, Pedro Paulo Pinto Arruda; o bispo da Dicoese de Cáceres à época da criação da Iesc, Dom Máximo Biennes; o prefeito de Cáceres que assumiu, em sua gestão, o Iesc, Ivo Cuiabano Scaff; o chefe de gabinete do prefeito Ernani Martins, Natalino Ferreira Mendes (in memoriam), que elaborou a minuta do projeto de lei encaminhada à Câmara Municipal para criação do Iesc; e a proprietária da Rádio Difusora, Maridalva Amaral Vignardi, pelos espaços de divulgação concedidos na defesa da Unemat.

Além das personalidades responsáveis pela fundação do Instituto que deu origem à Unemat, também receberam homenagens os responsáveis pela estadualização e expansão da Instituição: o ex-governador Júlio José de Campos, que estadualizou o Iesc; o secretário de Educação do Estado à época da transformação em Unemat, Osvaldo Roberto Sobrinho; o ex-governador, Jaime Veríssimo Campos, que cria a Unemat; o primeiro reitor da Unemat, Carlos Alberto Reyes Maldonado (in memoriam); e o professor Dimas Santana Souza Neves, representante os alunos no movimento de luta pela reestruturação da Unemat em 1989.

Também receberam homenagens pelos serviços prestados à Universidade o ex-prefeito de Cáceres, Túlio Fontes, pela doação da área da Cidade Universitária; o ex-deputado e articulador político à época da consolidação da Unemat, José Esteves de Lacerda, pela vinculação de 1% da receita do Estado para a Unemat; o ex-reitor da Unemat, Adriano Aparecido Silva, pela conquista do artigo 246 na Constituição do Estado que vincula o orçamento da Unemat; e a professora Vera Regina Martins e Silva, uma das professoras mais antigas em atividade na Instituição e fundadora do curso de Letras.

Por fim foram homenageadas as entidades sindicais pelo seu papel de defesa da carreira das categorias que constituem a Unemat: a presidente da Associação de Docentes da Universidade do Estado de Mato Grosso (Adunemat), Silvia Nunes; e o presidente do Sindicato dos Profissionais Técnicos do Ensino Superior de Mato Grosso (Sintesmat), Carlos Roberto dos Santos Júnior.

Carta de 40 Anos da Unemat

O ponto alto da solenidade aconteceu com a leitura e a aprovação da Carta de 40 Anos da Unemat. A leitura foi realizada pela pró-reitora de Ensino de Graduação, Vera Lúcia da Rocha Maquêa, e pelo ex-reitor e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGL), Taisir Mahmudo Karim. A Carta foi aprovada por unanimidade pelos 67 conselheiros do Concur, Conepe e Consuni.

Homenagens aos câmpus

A Unemat foi criada com o intuito de ser uma instituição multicâmpus e atender as diversas cidades do interior de Mato Grosso, levando formação acadêmica de qualidade.  Por isso, os câmpus que compõem a Instituição também forma homenageados, recebendo medalhas comemorativas pelos 40 anos.

Do Câmpus de Alto Araguaia foram homenageadas as diretoras Gislaine Aparecida de Carvalho e Iolanda Castro Souza Borges e o aluno Gabriel Simões, além de Edileuza Gimenes Moralis (in memorian).

Veja Mais:  Sesp renova frota das forças de segurança e gera economia de R$ 4,7 milhões

O Câmpus de Alta Floresta teve as homenagens recebidas pelos diretores Luis Fernando Ribeiro e Clerineia Araldi Kenger, pelo aluno Gustavo Brito Bortolan e pelo homenageado Jesus da Silva Paixão. A diretora administrativa do Câmpus de Alta Floresta, Clerinéia Araldi Krüger, alega ser possível perceber que a Unemat realmente faz a diferença na história de vida de muitas pessoas. “Conversando com as pessoas que já estudaram na Universidade você vê como, depois que se formaram, como a vida deles mudou, então a Universidade, principalmente por atuar em todo o interior, é um patrimônio do povo mato-grossense”, disse a diretora.

Os diretores Carlos Edinei de Oliveira e Eder Geraldo de Oliveira, o aluno Maykon Vinicius Dourados e o homenageado Julio Cesar Geraldo receberam a homenagem pelo Câmpus de Barra do Bugres.

O Câmpus de Cáceres foi representado pelos diretores Antonio Francisco Malheiros e Luiz Wanderley dos Santos, pelo aluno João Ricardo de Souza Dalmolin e pelo homenageado Anely Paesano Ortiz Faquini.

O Câmpus de Câmpus de Colíder foi homenageado, representado pelos diretores Ralf Hermes Siebiger e Ilson Henrique Moreira, pelo aluno Joao Ricardo dos Santos Rosa e pelo homenageado Claudio Scalon.

O Câmpus de Diamantino recebeu as homenages pelos diretores Wilbun Andrade Cardoso e Carlos Henrique Martins, pelo aluno Genecir Franca Vieira e pelo homenageado Carlos Henrique Martins de Arruda.

Os diretores Gildete Evangelista da Silva e Alberto Franchini Angelici, a aluna Gabriella Moura da Silva e o homenageado Jose Geraldo Riva representaram o Câmpus de Juara ao receber as homenagens

 Pelo Câmpus de Luciara receberam as homenagens o diretor Luiz Antonio Barbosa Soares, a aluna Tatiane Fernandes Santana e a homenageada Dagmar Aparecida Teodoro Gatti.

Já o Câmpus de Nova Mutum foi representado pelos diretores Jose Leonildo Lima e Gicela Terezinha Nicoletti, pela aluna Morgana Romano dos Santos e pelo homenageado Jose Carlos Menolli.

Os diretores Ricardo Keichi Umetsu e Raphael Fernandes Lopes, a aluna Daylane da Silva e o homenageado Oswaldo Takashi Toyama foram os homenageados do Câmpus de Nova Xavantina.

O Câmpus de Pontes e Lacerda recebeu as homenagens pelos diretores Eurico de Sousa Neto e Anderson França Rosa, pelo aluno Willian Santos de Oliveira e pela homenageada Tereza de Pazos da Silva. O diretor político-pedagógico e financeiro do Câmpus de Pontes e Lacerda, Eurico Lucas de Sousa Neto, afirma que participar dos 40 anos da Unemat é um motivo de grande satisfação e alegria. “É um trabalho sendo bem feito ao levar o ensino superior em diversas regiões do Estado e com qualidade. Hoje encerra-se um ciclo e virão muitos outros”, disse o diretor.

Pelo Câmpus de Sinop receberam as homenagens foram para os diretores Marion Machado Cunha e Darlan Guimaraes Ribeiro, para a aluna Rafaela Ketlyn Moreira Dahmer e para a homenageada Sandra Luzia Wrobel Straub. O diretor administrativo do Câmpus de Sinop, Darlan Guimarães Ribeiro, acredita que a Unemat cumpre papel fundamental no desenvolvimento político, educacional e econômico de Mato Grosso. “Ao oportunizar às comunidades e à população mais distante dos grandes centros formas de se constituir enquanto sociedade, de forma justa e democrática, a Unemat tem sido um instrumento muito importante, que se consolida a cada dia, graças ao povo do Mato Grosso, que defende e entende que a Unemat é um grande instrumento transformador”, explica Darlan.

Os diretores Anderson Fernandes de Miranda e Tony Hirota Tanaka e o aluno Renan Trindade Pacheco da Silva representaram o Câmpus de Tangará da Serra, quem também homenageou Eugenio Carlos Stieler (in memorian). “Esse momento coroa uma trajetória brilhante da Unemat, momentos de muita glória”, disse o diretor político-pedagógico e financeiro do Câmpus de Tangará da Serra, Anderson Fernandes de Miranda. “Fico muito satisfeito de poder estar nesta celebração de 40 anos e, se tudo correr bem, estarei aqui na virada dos 80 também!”, disse o diretor.

Parabéns

Ao final da solenidade, os presentes cantaram parabéns à Unemat, e compartilharam um bolo de 40 quilogramas, um para cada ano da Universidade, feito com doações dos funcionários.

Cápsula do Tempo

Durante toda a cerimônia, esteve disponível para os presentes escreverem textos para depositar em uma cápsula do tempo, que será fixada posteriormente na Sede Administrativa da Unemat, para ser aberta quando a Universidade completar seus 50 anos, em 2028.

Comentários Facebook

Mato Grosso

Polícia Militar troca de comando em Nova Mutum

Publicado

A Polícia Militar fará nesta sexta-feira (22) a passagem de comando do 14ª CR, em Nova Mutum (a 264 quilômetros de Cuiabá). Em lugar do tenente-coronel Claudio Fernando Carneiro Souza, assumirá o coronel Marcos Vieira da Cunha. A cerimônia de troca será às 10 horas, no Auditório do Sindicato Rural do município, região central.

Serviço

Evento: Troca de comando em Nova Mutum

Data: 22/03 (sexta-feira)

Horário: 10h

Local: Sindicato Rural de Nova Mutum, Avenida dos Canários, nº 841, centro.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Veja Mais:  Sema define novas orientações para evitar irregularidades em APF
Continue lendo

Mato Grosso

Polícia Civil inaugura sede da Delegacia de Porto Esperidião

Publicado

A Polícia Judiciária Civil inaugura, nesta quinta-feira (21), a sede própria da Delegacia de Polícia de Porto Esperidião (326 km a Oeste de Cuiabá). A unidade passa a funcionar na região central do município, visando melhor atender os moradores.

A nova Delegacia de Polícia de Porto Esperidião foi instalada por meio do Termo de Cooperação nº. 0368/2017, firmado entre a Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp), por meio da Polícia Judiciária Civil, e a Prefeitura Municipal de Porto Esperidião.

A unidade da Polícia Civil está em um imóvel locado pela Prefeitura Municipal, na Rua Ernesto da Silva, bairro Parque das Américas, Porto Esperidião, centro da cidade. A delegacia conta com salas apropriadas e ambientes adaptados para os trabalhos policiais, bem como para servir o cidadão.

Nove servidores, sendo seis investigadores e três escrivães de polícia, coordenados pelo delegado regional de Cáceres, Alex de Souza Cuyabano, desempenham as  atividades e atribuições de polícia judiciária, no atendimento a ocorrências e esclarecimentos de ilícitos penais.

Desde o ano de 2008, a Delegacia Municipal de Porto Esperidião funcionava no prédio do Grupo Especial de Fronteira (Gefron), que fica na Rodovia BR 174. A localidade tornava difícil acesso à população, por estar fora da cidade. As vítimas, muitas vezes, deixavam de comparecer para registrar boletins de ocorrências, fazendo somente em casos graves e de emergência.

Veja Mais:  Sesp renova frota das forças de segurança e gera economia de R$ 4,7 milhões

A localização antiga da unidade também dificultava o deslocamento dos policiais, nas atividades diárias de expediente e atendimentos a ocorrências gerais. Para o escrivão de polícia, Renato Antônio Moraes Castro, que exerce suas funções há 18 anos no município, pelo fato de estar anexa ao Gefron, a Polícia Civil também deixou de ter uma identidade própria, sendo às vezes confundida pelo cidadão.

“Importante destacar a gratidão aos amigos e parceiros do Grupo Especial de Fronteira, por todos os anos de companheirismos em ceder o espaço, para os trabalhos em prol da segurança pública, fato que nos honrou e engrandeceu muito”, agradeceu o escrivão de polícia.

O policial avalia que, com a inauguração do prédio próprio, a população terá sanado o desejo de ter mais próximo um aparato de combate a criminalidade, como a Polícia Civil, o que vai promover o atendimento mais rápido e eficaz, facilitando os trabalhos também servidores lotados na unidade.

Participam da cerimônia de inauguração o prefeito de Porto Esperidião, Martins Dias de Oliveira, o delegado geral adjunto, Gianmarco Paccola Capoani, o diretor de interior, Walfrido Franklin do Nascimento, o delegado regional da Delegacia de Cáceres, Alex de Souza Cuyabano, entre outras autoridades e convidados.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Estudantes de MT concorrem à premiação na área de Agrárias durante feira nacional

Publicado

Os vencedores da 10ª Mostra Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação de Mato Grosso (MECTI), Marcelo Ribeiro Vilela e Thallisson Alves de Santana dos Santos, da Escola Técnica Estadual de Poxoréu, estão participando da 17ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que está ocorrendo esta semana na Universidade de São Paulo (USP).

Eles desenvolveram o projeto ‘Capim Citronela como Repelente Natural de Moscas causadoras da Miísea’, que fez com que ganhassem em primeiro lugar a MECTI do ano passado.

Para Marcelo, o reconhecimento faz querer fazer mais pesquisa. “Nosso projeto ganhou em todos os requisitos da MECTI, então avançamos ainda mais a nossa pesquisa para ajudar todos àqueles que não conheciam sobre o composto da citronela e com isso, todos nós ganhamos”.

Segundo ele, o simples fato de participar de uma feira de ciências como a Febrace é suficiente para expandir os horizontes do aluno e do professor orientador. “Como orientador, eu fico emocionado de ver que o pouco que eu consegui transferir de conhecimento, eles fizeram crescer de uma maneira incrível. Todo professor tem dentro de si um orientador de trabalho de pesquisa. Às vezes ele ainda não está desperto, mas quando ele desperta, não dorme mais”.

A superintendente de Desenvolvimento Cientifico, Tecnológico e de Inovação, Lecticia Figueiredo, afirma que os projetos apresentados na Febrace são a melhor prova do potencial que os brasileiros têm de inovar e de buscar novas soluções. “As feiras de ciências são um dos melhores mecanismos para descobrir os talentos e incentivar os jovens a buscarem a ciência, a serem cidadãos conscientes do mundo, sempre buscando uma vida melhor”.

Veja Mais:  Mato Grosso integra operação nacional de combate às empresas noteiras

O professor destaca que a metodologia científica possibilita que os estudantes despertem competências e habilidades necessárias para cidadãos atentos às transformações do mundo. “Quando se envolve jovens em projetos, estimulamos a leitura, a pesquisa, a comunicação e argumentação. Eles passam a ver sentido no estudo e no que estão fazendo”.

O estudante Thallisson Alves de Santana dos Santos não esconde a realização de poder participar da Febrace, evento em que todos os estudantes só se credenciam se forem premiados em uma das feiras de ciências habilitadas. “Para nós, ter sido selecionado para expor nosso projeto é uma grande conquista. É como se eu estivesse participando de uma Copa do Mundo, representando o nosso país”, compara o estudante.

A participação em eventos científicos tem sido uma oportunidade que Thallisson considera fundamental para seu desenvolvimento educacional. “A gente sabe que para que um trabalho de pesquisa avance, além dos resultados obtidos, é importante divulgá-lo e ter a avaliação de outras pessoas e é esta oportunidade que estamos tendo ao participar de eventos como este, quando ocorre também muita troca de informação”.

Lecticia conta que eles ainda estão concorrendo à premiação da Febrace na área de Agrárias. “Estamos torcendo para que a próxima sexta-feira (22) eles voltem vitoriosos para Mato Grosso”.

Febrace

Participam da Febrace estudantes do ensino fundamental, no ensino médio e técnico de instituições públicas e privadas de todo o Brasil. São inscritos projetos individuais ou em grupos de até três pessoas, com a participação de um professor orientador. Os projetos enquadram-se nas áreas das Ciências (Exatas, da Terra, Biológicas, da Saúde, Agrárias, Sociais e Humanas) e Engenharia.

Veja Mais:  Sesp renova frota das forças de segurança e gera economia de R$ 4,7 milhões

Os critérios utilizados para a seleção são criatividade e inovação; conhecimento científico do problema; maneira como foram levantados os dados e conduzido o projeto; profundidade da pesquisa e clareza de apresentação na documentação do projeto.

Durante a mostra, os estudantes são avaliados por 300 professores mestres e doutores, que identificam os primeiros, segundos e terceiros lugares de cada categoria. Os ganhadores serão contemplados com troféus, medalhas e certificados.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana