conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Mato Grosso

Hospital Regional de Sinop encerra semestre com alta produtividade e redução de custos

Publicado

O Hospital Regional de Sinop, que desde o início da atual administração está sob a gestão estadual por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), registrou alta produtividade e redução de custos no primeiro semestre de 2019, em relação ao ano de 2018 – quando ainda estava sob a administração de uma Organização Social privada.

De acordo com o fluxo de internações de urgência, emergência e atendimentos ambulatoriais eletivos, as principais causas de internações são derivadas de traumatologia em ortopedia.

“Nos últimos meses, o Hospital Regional de Sinop contou com o acréscimo de mais de 50 novos funcionários e, atualmente, a unidade funciona em sua capacidade máxima, dispondo de 92 leitos totais e realizando procedimentos eletivos. Quando assumimos a gestão desse hospital, existia material suficiente para apenas um dia de funcionamento; hoje isso não é mais um problema. Foram muitos os avanços”, pontuou o secretário Gilberto Figueiredo.

No período concebido entre janeiro e junho, o hospital atendeu 4.162 pacientes via urgência e emergência; foram registradas 1.375 saídas hospitalares das clinicas e contabilizados 14.180 leitos operacionais – sendo atendidos, no total, 11.600 pacientes (entre as áreas cirúrgica, ortopédica, médica e UTI).

Apenas na área de ortopedia, foram atendidos 2.832 pacientes no ambulatório, via procedimento eletivo; em cirurgia geral, foram 417; na especialidade de neurologia e neurocirurgia, foram 115 atendimentos. A unidade ainda registrou 1.115 cirurgias, sendo 332 de urgência e 783 eletivas.

Veja Mais:  Curso busca aprimorar atendimento às mulheres vitimas de violência doméstica

Ampliação dos serviços

De acordo com o diretor da unidade hospitalar, Jean Carlos Alencar da Silva, a estimativa para o mês de julho é realizar 300 procedimentos cirúrgicos. “Estamos fazendo muito mais e gastando muito menos. Reduzimos o custo da unidade em 25% e otimizamos os recursos”, destacou Jean.

Neste mês, a unidade passou a realizar o serviço ambulatorial e cirúrgico de otorrinolaringologia – o único a integrar a rede estadual.

A diretoria do hospital ainda enfatiza que a conclusão da nova ala da unidade está prevista para o segundo semestre; o feito que irá proporcionar um salto em qualidade e quantidade de atendimentos. Para fazer frente aos novos serviços, a unidade realizará pregões para a contratação de todos os serviços e insumos fornecidos.

Em razão da demanda da região, o Hospital Regional também deverá abrir a quinta sala cirúrgica. A unidade contava com apenas uma sala em janeiro de 2019; atualmente, já são quatro salas em atividade.

Outro aspecto ressaltado pelo diretor é o trabalho em parceria com os municípios da região norte e outros entes envolvidos diretamente com a saúde pública como, por exemplo, o Ministério Público. “O caminho a percorrer ainda é longo, mas temos a certeza que com seriedade e união de esforços a população seguirá ganhando”, finalizou o diretor.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Mato Grosso

Rescindido contrato de obra de ampliação da sede do MPC no TCE

Publicado

O Tribunal de Contas e o Ministério Público de Contas de Mato Grosso decidiram pela rescisão do contrato com a empresa Tirante Construtora e Consultoria Eireli. A decisão foi publicada no Diário Oficial de Contas na edição do dia 12/07, que circula nesta segunda-feira. A construtora era responsável pela execução da reforma e ampliação do prédio administrativo para as novas instalações do MPC-MT.

Além da rescisão contratual de maneira unilateral, a construtora foi multada em R$ 598.908,31, referente a 10% do valor da obra (R$ 5.989.083,11) e deverá ainda ressarcir cerca de R$ 16 mil por serviços não executados. O TCE-MT e o MP de Contas declararam ainda a inidoneidade da empresa que fica impedida de participar de licitações e contratar com a administração pública.

A decisão foi tomada depois do processo administrativo 168661/2018, que possibilitou a ampla defesa e o contraditório dos envolvidos no contrato. O Tribunal de Contas e o MP de Contas criaram uma comissão especial para apurar os fatos. No relatório, a comissão comprovou que foram medidos e pagos o total de R$ 2.196.328,32. Entretanto, haviam sido executados somente R$ 2.180.406,74, o que demonstrou o recebimento de R$ 15.921,58 além do executado.

O Tribunal de Contas e o Ministério Público de Contas tentaram por diversas vezes promover a retomada das obras. De acordo com a comissão, a empresa apresentou indícios de que não pretendia concluir a execução da obra, com questionamentos, pedidos de dilação de prazo e solicitações de reajuste e de reequilíbrio econômico-financeiro, pediu rescisão amigável e sugeriu a terceirização dos serviços com outra empresa.

Veja Mais:  Operação da Decon e Procon Municipal apreende produtos falsificados em loja da Capital

Como havia interesse do Tribunal de Contas e do Ministério Público de Contas na conclusão dos trabalhos um novo prazo para reinício das obras foi concedido à empresa. Novamente a empresa pediu a dilação de prazo para retomar os trabalhos. Em resposta, o Tribunal de Contas deferiu a prorrogação, conforme sugerido pelo gestor do contrato, com a ressalva de que o não cumprimento caracterizaria abandono da obra com as consequentes sanções.

Depois de aproximadamente 30 dias da decisão que determinou o reinício dos serviços, a empresa ainda não havia se mobilizado com essa finalidade, caracterizando abandono do serviço.

Por esses motivos, além da rescisão do contrato pela inexecução parcial da obra, o TCE-MT e o MP de Contas determinaram o ressarcimento de R$ 15.921,58, declaração de inidoneidade com a suspensão em contratar e participar de licitações com o poder público pelo prazo de 2 anos e ainda a aplicação de multa de 10% sobre o valor total do contrato.

Fonte: TCE MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Período Proibitivo de Queimadas começa nessa segunda-feira (15.07)

Publicado

O Decreto que institui o período proibitivo de queimadas no Estado de Mato Grosso entre os dias 15 de julho e 15 de setembro de 2019 foi publicado nesta segunda-feira (15.07), no Diário Oficial. Fica proibido o uso de fogo em áreas rurais para limpeza e manejo durante esses meses, levando em consideração o risco de incêndios florestais de grandes proporções. 

A normativa se fundamenta na Lei Complementar nº 233, de 21 de dezembro de 2005, que considera o aumento de focos de calor no estado no mês de julho com tendência a se agravar nos meses de agosto e setembro. O período de estiagem favorece a incidência de queimadas e incêndios decorrentes do uso do fogo na vegetação, colocando em risco a saúde, qualidade de vida e segurança da população.  

No perímetro urbano as queimadas são proibidas durante todo o ano. Na área rural ficam suspensas, entre os dias 15 de julho e 15 de setembro, as licenças de queima controlada emitidas pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT).

“Está proibido durante estes meses até mesmo para os proprietários que tem uma certidão com autorização de queima controlada. Este decreto suspende todo e qualquer documento emitido pela Sema para uso do fogo”, explica o secretário Executivo do Comitê Estadual de Gestão do Fogo, coronel BM Paulo Barroso.

Veja Mais:  Governador destaca relação produtiva em visita ao novo presidente da Fiemt

Barroso esclarece que se tiver flagrante, o infrator será conduzido para delegacia, fichado e vai responder um processo por crime contra o meio ambiente. “O infrator responde por atirar fogo na vegetação. Pode também receber, dependendo da área queimada, uma multa que varia entre mil e 7,5 mil reais por hectare”.

Combate à Incêndios Florestais

O Comitê Estadual de Gestão do Fogo articula com várias agências que atuam no combate à incêndios florestais nas etapas preparação, prevenção, resposta e responsabilização. A etapa de resposta acontece em 48 municípios do Estado, que tem unidades do Corpo de Bombeiros, equipes do Ibama por meio do PrevFogo, pessoal do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio) ou Brigadas Municipais Mistas estruturadas pelas prefeituras.

O combate em Mato Grosso é feito em parceria entre Ibama, ICMbio, Secretarias de Estado de Meio Ambiente e de Segurança Pública – por meio do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar Ambiental, Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema) e  Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec). A defesa civil do estado é solicitada quando o incêndio atinge grande proporção, que pode se transformar em desastre.

Para esta temporada está previsto, na soma de pessoal, viaturas, equipamentos e recursos investidos no combate a incêndios florestais dos órgãos estaduais e federais o uso de 87 veículos, dois aviões e um helicóptero e 1.327 combatentes entre civis e militares, se revezando entre 350 e 400 homens por dia. A previsão é que somando os recursos de todas agências serão investidos aproximadamente R$8,5 milhões.

Veja Mais:  Novo Complexo da Salgadeira já recebeu mais 30 mil visitantes

Denúncias e atendimentos

O atendimento a ocorrência de incêndios florestais devem ser acionados pelo número 193 do Corpo de Bombeiros. Já em caso de denúncias de queimadas nas áreas rurais o cidadão deve entrar em contato pelo 0800 647 7363.

Queimadas urbanas devem ser denunciadas na prefeitura do município de ocorrência, nas secretarias municipais de meio ambiente ou defesa civil municipal.  

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Seciteci retoma obra da Escola Técnica de Primavera do Leste

Publicado

As obras da Escola Técnica de Primavera do Leste serão retomadas, com um investimento de R$ 6 milhões e expectativa de conclusão em dois anos. A ordem de serviço para as obras foi assinada pelo secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Nilton Borgato, na última sexta-feira (12.07).

Borgato destacou a importância do diálogo e da confiança da comunidade escolar para a conclusão da obra. Segundo ele, a ação atende ao compromisso da gestão em destravar obras e processos, contribuindo com o desenvolvimento do Estado. “Vamos começar e finalizar o que está há 10 anos parado”.  

O espaço físico irá permitir qualificar para o mercado de trabalho 1,2 mil alunos, para Primavera e região. “Hoje a secretaria conta com 4.180 alunos, em dez escolas técnicas e 42 unidades remotas”.

O prefeito de Primavera do Leste, Leonardo Bortolin destacou que o município passa por um momento de transformação, com muita expectativa de desenvolvimento econômico, geração de emprego e renda. “São 12 indústrias se instalando em Primavera e essa escola vai formar mão de obra para atender a demanda que já existe e a tendência é aumentar, daí o nosso esforço em qualificar nossos jovens para enfrentar esse futuro que já começou”.

Borgato esteve em Primavera acompanhado dos deputados Nininho, Thiago Silva e Janaina Riva, além de autoridades municipais e sociedade civil.

O secretário lembrou a importância do trabalho do chefe do Escritório de Representação de Mato Grosso (Ermat) em Brasília, Carlos Fávaro, para a liberação dos recursos junto ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), por meio do Ministério da Educação (MEC) para a conclusão da obra. “O Fávaro está trabalhando para destravar esse recurso que é um dos empecilhos para a conclusão dessas obras”, finalizou.

Veja Mais:  Curso busca aprimorar atendimento às mulheres vitimas de violência doméstica

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana