conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Economia

Inflação na Venezuela supera 2.600.000% em 12 meses, diz Assembleia Nacional

Publicado

Inflação da Venezuela supera os 2,6 milhões por cento em 12 meses, segundo o Parlamento
Divulgação

Inflação da Venezuela supera os 2,6 milhões por cento em 12 meses, segundo o Parlamento

A inflação da Venezuela no acumulado de 12 meses que leva em conta o período até janeiro deste ano é de 2.688.000% (2,688 milhões por cento), de acordo com dados divulgados pela Assembleia Nacional, que é controlada pela oposição ao presidente Nicolás Maduro. O Banco Central venezuelano não divulga os dados oficiais.

Em recessão há cinco anos, o país vive grave crise econômica, política e social. A legitimidade do presidente é questionada pela oposição, que controla a Assembleia Nacional, e tem Juan Guaidó como principal nome. A inflação da Venezuela fez com que, em janeiro, o preço dos alimentos subisse cerca de 266%.

O economista e deputado da oposição a Maduro, Ángel Alvarado, afirma que o resultado da inflação de janeiro se deveu à “depreciação do câmbio paralelo”. Um dos principais aumentos se deu no transporte público, que, segundo a Assembleia Nacional, subiu 451% em janeiro.

Maduro iniciou, também em janeiro, sob contestação nacional e internacional e alegações de falta de legitimidade, seu segundo mandato como presidente da República Bolivariana da Venezuela. Em uma de suas primeiras medidas, anunciou o aumento de 300% do salário mínimo local , que passou de 4,5 mil para 18 mil bolívares, o que é equivalente a um salto de cerca de R$ 19 para um valor em torno de R$ 77.

Veja Mais:  Correios passam a cobrar R$ 15 em todas as encomendas internacionais

O presidente atribui a grave crise à “guerra econômica” que envolve os Estados Unidos e diz acreditar que há empresas interessadas no petróleo local, além de uma “campanha midiática para justificar um golpe de estado na Venezuela”, que seria, segundo ele, apoiada, organizada e financiada pelo governo de Donald Trump. Maduro cita ainda o uso de fake news e montagens com intuito de prejudicar seu governo, sobretudo por meio da imprensa americana.

Em contrapartida, a oposição e grande parte da comunidade internacional defendem que Maduro se usurpou do poder, é um ditador, e o grande responsável pela crise do País. Economistas defendem que as distorções se devem ao modelo de controle estatal. Em meio a crise, Juan Guaidó, principal líder oposicionista,  se autoproclamou presidente da Venezuela, e tem apoio de muitos países, inclusive os Estados Unidos e o Brasil.

No início de 2018, o Fundo Monetário Internacional (FMI) previu que a inflação da Venezuela superaria 1.000.000% naquele ano e poderia passar de 10.000.000% em 2019.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook

Economia

Joice Hasselmann fala em fechar acordo para votar reforma na CCJ nesta terça

Publicado


joice hasselmann
Luiz Macedo/Agência Câmara

“Que a gente a gente discuta isso e que possa fechar um texto para ser aprovado”, pediu a deputada Joice Hasselmann (PSL)

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL), líder do governo no Congresso, admitiu a possibilidade de negociar mudanças no texto da reforma da Previdência para votá-lo na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados nesta terça, “virando essa página”. O Palácio do Planalto decidiu abrir o diálogo sobre quatro itens da proposta original , a pedido de partidos do chamado centrão.

“Nós estamos ainda em fase de conversação com alguns líderes do centro. É claro que se for preciso dar um pequeno passinho para trás para a gente andar dez para frente, é muito mais inteligente fazer essa negociação”, argumentou a deputada. “Que a gente a gente discuta isso amanhã [23] para que possa fechar um texto para ser aprovado. Chega, gente, já deu”, completou, dizendo que preciso “conversar com todos”, inclusive com a oposição.

Para Joice , “já teve de tudo” na CCJ e chegou a hora de votar o texto, depois de a oposição fazer “seu show”. O que o governo não pode fazer, segundo a parlamentar, é ceder em um ponto para que depois haja uma série de outros pedidos. “Essa coisa de pedir sem fim a mexida no texto na CCJ não pode acontecer, até porque nós temos uma comissão especial, e é nela que nós vamos discutir todas as outras questões”, defendeu.

Veja Mais:  Bolsonaro analisa proposta de aposentadoria para militares nesta quarta-feira

Dentre os pedidos de mudanças na Proposta de Emenda Constitucional (PEC), estão a desistência de  acabar com a multa de 40% do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) nos casos de aposentados que forem demitidos sem justa causa e de restringir às varas estaduais processos contra a União contestando algum aspecto da aposentadoria.

O governo também aceitou negociar um trecho que assegurava ao Executivo a prerrogativa exclusiva de propor mudanças nas regras de aposentadoria e outro que transfere para uma lei complementar, mais fácil de ser aprovada, a definição da idade máxima para aposentadoria compulsória dos servidores públicos. O limite, hoje em 75 anos, permitiu que os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e de outros tribunais ficassem mais tempo no cargo.

Segundo Joice, ainda não foram definidos especificamente se serão esses os pontos alterados, que constam em “um primeiro pedido”. Sobre o possível impacto que a manutenção da multa de 40% do FGTS teria na meta de R$ 1 trilhão estipulada pelo governo, ela disse que “o governo não está se furtando de conversar ou abrir mão de qualquer ponto, desde que seja mantida nossa espinha dorsal”.

“Nós temos repetido isso: é R$ 1 trilhão, pronto, acabou. É o que nós precisamos. Se desidratar mais do que isso, aí a gente vai ter problemas com a nova Previdência, a gente já não vai ter o impacto necessário para o Brasil, pelo menos para dar uma tranquilidade durante décadas para o nosso País. Aí é uma escolha do Parlamento”, declarou.

Veja Mais:  Correios passam a cobrar R$ 15 em todas as encomendas internacionais

Leia também: “Não sei se foi a melhor decisão”, diz Maia sobre sigilo na Previdência

A deputada ainda acrescentou que os cálculos que embasaram a reforma da Previdência serão apresentados na próxima etapa. “Primeiro, não há censura nenhuma. Os números estão aí, basta buscar os números no Congresso, olhar os números e ponto final. Agora se além desses números, os líderes quiserem esmiuçar cada ponto, a gente vai fazer isso, mas é na Comissão Especial. Não tem a menor condição de a gente fazer isso agora pra CCJ”, disse Joice.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Portal IG lança plataforma para compra e venda de criptomoedas

Publicado

O mercado de criptomoedas tem ganhado cada vez mais espaço e muitos especialistas já disseram acreditar que esse é o futuro do mundo financeiro. A desconfiança e insegurança anterior estão dando lugar ao interesse e maior procura pela compra e venda de criptomoedas. Bancos, incluindo os Bancos Centrais, já pensam em criar suas próprias moedas virtuais e investir em outras.

Acompanhando esse movimento de mercado o Portal IG, em parceria com a corretora nacional BitcoinTrade, criou uma plataforma para compra e venda de criptomoedas , a IG TradeCoin . A ideia é que os clientes do IG possam negociar suas moedas criptografadas – Bitcoin, Ethereum, Bitcoin Cash, Litecoin e Ripple – com segurança, transparência e facilidade. 


A imagem mostra várias criptomoedas
shutterstock

Agora você pode comprar e vender criptomoedas pelo IG TradeCoin


Como criar uma conta na IG TradeCoin?

A IG TradeCoin disponibiliza para os clientes dois tipos de contas. Para o cadastro da conta de pessoa física (CPF) é necessário somente informações básicas como nome, e-mail, CPF, data de nascimento, comprovante de residência, um documento com foto (CNH/Passaporte/ID) e uma selfie segurando o documento de identificação. Para o cadastro conta de empresas, é preciso enviar o contrato social da instituição e os documentos de todos os sócios (comprovante de residência e documento com foto).

Após a aprovação da conta, o sistema gera automaticamente uma carteira digital para cada criptomoeda que a plataforma opera. Também existe a possibilidade do cliente enviar seu saldo para outra carteira (Hot Wallet ou Cold Wallet). Caso ele não queira, a plataforma garante a segurança do saldo, já que é a primeira corretora da América Latina com o padrão de segurança mais alto do mundo, o PCI DSS.

Veja Mais:  Mais de 1,85 milhão de trabalhadores ainda não sacaram abono salarial de 2016

Leia também: Você conhece a criptomoeda Bitcoin? Confira mitos e verdades sobre ela

Como comprar criptomoedas na IG TradeCoin?

Para a compra de moedas, a plataforma recebe saldo dos clientes por meio de transferências bancárias entre contas dos bancos Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Santander e Banrisul. Na maioria dos casos o depósito é reconhecido em uma hora, mesmo aos fins de semana. Caso o cliente não tenha conta em nenhum desses bancos, a plataforma aceita transferência por TED ou DOC.

A IG TradeCoin cobra taxas?

A plataforma não cobra nenhuma taxa ou qualquer tipo de mensalidade para abertura de contas. No caso de saque em reais, é cobrado 0,99% sob o valor mais o custo fixo de R$4,90. Operações de compra e venda de criptomoedas são aplicadas taxas de 0,50% para ordens executoras e 0,25% para ordens executadas.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Sigilo sobre a Previdência será quebrado na comissão especial, diz Major Olímpio

Publicado


Senador Major Olímpio (PSL-SP)
Oliveira/Agencia Senado

Major Olímpio, líder do PSL no Senado, afirmou que o sigilo dos dados da Previdência será quebrado na comissão especial

O senador Major Olímpio (PSL-SP), líder do partido no Senado, acalmou os ânimos em relação ao sigilo dos dados sobre a reforma da Previdência, afirmando, após ter conversado com o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, que o conteúdo técnico da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/19 será explanado na comissão especial da Câmara dos Deputados.

Leia também: “Não sei se foi a melhor decisão”, diz Maia sobre sigilo da Previdência

Nesta segunda-feira (22), o líder do PSL na Casa Legislativa escreveu no Twitter: “Conversei com o Rogério Marinho e todos os dados técnicos sobre P revidência serão disponibilizados para a comissão especial da câmara, que irá analisar o mérito. Nada oculto! Transparência e respeito ao cidadão!”. A expectativa é de que a proposta seja votada nesta terça-feira na primeira etapa da tramitação, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), que avalia se o texto fere direitos constitucionais. 




No último domingo (20), uma reportagem da Folha de S.Paulo revelou que o ministério da Economia decretou sigilo de pareceres técnicos que embasaram o conteúdo da proposta, impedindo acesso a argumentos e estatísticas que sustentam a mais importante proposta apresentada pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) até então.

Veja Mais:  Ao todo, Avianca Brasil cancela 180 voos até quarta-feira

A negativa inicial do governo sobre a apresentação dos dados trouxe reações negativas da oposição, de parlamentares indecisos que podem decidir a aprovação ou não da nova Previdência e até mesmo de integrantes da base aliada. Manuela D’Ávila (PCdoB), candidata a vice-presidente de Fernando Haddad (PT), chegou a dizer que a imposição do sigilo provava que Previdência  “não é justa nem necessária”.

Janaina Paschoal, deputada estadual do PSL em São Paulo, defendeu que ” transparência é sempre melhor” e que essa atitude poderia atrasar ainda mais a tramitação da reforma no Congresso Nacional.

Leia também: Previdência deve ser aprovada na CCJ com “boa margem de votos”, diz Francischini

Se a afirmação do líder do PSL no Senado se confirmar, a apresentação de dados sobre a Previdência ocorrerá na próxima fase da tramitação do texto no Congresso, a comissão especial. O colegiado discutirá o mérito da proposta, mas ainda aguarda a aprovação na CCJ.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana