conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Portal Agro

Inscrições para o Selo de Integridade do Ministério da Agricultura terminam dia 31

Publicado

As inscrições para a seleção ao Selo de Integridade do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento encerram no 31 deste mês. O selo é um prêmio de reconhecimento concedido pelo ministério a empresas e cooperativas do agronegócio que, reconhecidamente, desenvolvam práticas de integridade, ética, responsabilidade social e sustentabilidade, adotando ações de governança e gestão capazes de evitar desvios de conduta e de fazer cumprir a legislação, em especial a Lei Anticorrupção (Lei 12.846, de 1º de agosto de 2013).

O Pacto pela Integridade que empresas assinam com o Mapa é um compromisso do setor com a implementação de políticas internas de compliance, entendendo que atos ilícitos devem ser impedidos e repudiados não somente pela autoridade pública, mas por toda a sociedade.

O ministro em exercício da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes, destacou a importância de as empresas do agronegócio aderirem ao Selo de Integridade do Mapa. Na avaliação dele, o selo é uma alavanca para estimular as empresas no combate à corrupção e na adoção de boas práticas administrativas. Ele ressaltou a parceria do programa do Mapa com a Controladoria Geral da União (CGU), a Embrapa e entidades privadas como CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) CNI (Confederação Nacional da Indústria), Febraban (Federação Brasileiras dos Bancos) e o Instituto Ethos.

“O Brasil atravessa um momento de austeridade, um momento onde nós temos que mostrar ao mundo que nós precisamos de mais credibilidade, e o selo é uma grande alavanca para que a gente possa realmente estimular as empresas a demonstrarem o comportamento de moralidade, o combate à corrupção”, disse o ministro. “A gente convoca as empresas para que participem, que ponham o Selo de Integridade à frente de seus produtos, mostrando com clareza essa grande parceria das empresas privadas com o setor público, para a gente fazer a transformação que o Brasil precisa, mostrando ao mundo que o Brasil procura a qualidade associada à integridade”.

Veja Mais:  Campanha de Mulheres Rurais da América Latina visa erradicar fome, pobreza e desigualdade de gênero

O Ministério da Agricultura foi o primeiro a implementar um Programa de Integridade alinhado ao Programa de Fomento à Integridade do Governo Federal (Profip) do extinto Ministério da Transparência e da CGU. O objetivo foi implementar e melhorar as instâncias internas voltadas para o tema integridade e fundamentar essa cultura.

Marcos Montes chama a atenção dos empresários para o fim do prazo de inscrição para aderir ao Selo de integridade. A empresa premiada poderá usar o Selo de Integridade, anualmente, nos seus produtos, sites comerciais, propagandas e publicações. Marcos Montes disse que o ministério vai premiar as empresas contempladas como reconhecimento dos esforços, a fim de que sirvam de exemplo e estímulo para as demais.

“No final de maio, encerram-se as inscrições e temos um comitê que vai avaliar a participação de cada empresa. Depois iremos premiar essas empresas numa festa bonita, de reconhecimento para mostrar ao mundo a credibilidade que todos esperam de nós”, reforçou o ministro.

As empresas de todos os setores da economia já estão sendo cobradas pelo mercado por ações voltadas para a responsabilidade social, sustentabilidade e eliminação de práticas corruptas, seja na relação entre si, com governos municipais, estaduais e federal, no Brasil, e nas suas relações comerciais internacionais.

Mais informações à Imprensa:Coordenação geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook

Portal Agro

Ministério estuda a implantação de polo de inovação agropecuária no Rio de Janeiro

Publicado

O diretor do Departamento de Apoio à Inovação para a Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Luiz Cláudio de França, reuniu-se nesta sexta-feira (24), durante a  8ª Conferência Green Rio, na capital fluminense, com representantes da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento (Seappa-RJ), da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RJ (Pesagro-Rio), e da Embrapa Solos, para discutir  a implantação de um polo de inovação agropecuária no Rio de Janeiro.

A ideia é agregar órgãos públicos ligados à agricultura, ciência e tecnologia, universidades e iniciativa privada em busca do desenvolvimento do agronegócio regional e também da difusão de conhecimento em benefício da agricultura de outras regiões do país.

Segundo o diretor, o Mapa já está analisando o instrumento jurídico mais apropriado para viabilizar a articulação interinstitucional necessária para a criação do polo de inovação. “O objetivo é coordenar todas as iniciativas de inovação para agricultura, de forma aberta e transparente para potencializar os esforços das instituições no objetivo comum de elevar a produtividade da agricultura e melhorar os padrões de vida no campo”, declarou França. 

Para o subsecretário de Agricultura Familiar da Seappa-RJ, Adriano Lopes, o polo de inovação agropecuária será a oportunidade  para desenvolver, conjugar e empreender esforços nas áreas de pesquisa, desenvolvimento e inovação,  em busca de melhorias para a agricultura fluminense. “Vai permitir identificar gargalos nas cadeias produtivas da nossa agricultura do ponto de vista tecnológico e encontrar saídas para o desenvolvimento do agronegócio no Estado do Rio de Janeiro”, disse o representante da Seappa-RJ.

Veja Mais:  Rússia retoma compras de carne suína e bovina do Brasil

O presidente da Pesagro-Rio, Nilton Leal destacou durante a reunião  a importância da iniciativa para a pesquisa agropecuária no Rio de Janeiro. “Será a grande chance de salto em pesquisa e desenvolvimento na área da agricultura familiar que permitirá ao  Estado do Rio de Janeiro planejar uma agricultura com visão de futuro, de desenvolvimento”, afirmou.

Também participaram da reunião o chefe da Embrapa Solos, José Carlos Polidoro e o chefe da Divisão de Política,  Produção e Desenvolvimento Agropecuário, da Superintendência Federal de Agricultura no RJ, Celso Merola.

Mais informações à imprensa:Coordenação-geral de Comunicação Social
Sidney Dantas
imprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Nota Conjunta do Ministério da Agricultura e do Ministério das Relações Exteriores sobre a ampliação, pelo México, da quota livre de tarifas para importação de carnes de aves

Publicado

O governo brasileiro tomou conhecimento, com satisfação, da decisão do governo mexicano de ampliar em 55 mil toneladas a quota livre de tarifa para importação de carnes de aves.

A medida garantirá a continuidade das exportações brasileiras de frango para o México, que alcançaram o volume de 110 mil toneladas em 2018. As exportações brasileiras foram as principais beneficiárias da quota, aberta em 2013, com utilização de 98% de seu volume total, que havia atingido seu limite quantitativo em fevereiro deste ano.

O México é um destino prioritário para as exportações brasileiras de carnes de aves, que já constituem o terceiro produto na pauta de nossas exportações para aquele país.

O governo brasileiro continuará trabalhando para fortalecer a relação comercial com o México e garantir a ampliação do acesso àquele mercado dos produtos agrícolas brasileiros.

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Veja Mais:  Tereza Cristina participa de encontro de agricultores indígenas no MT
Continue lendo

Portal Agro

Ministra participa da abertura da colheita de café no Espírito Santo e destaca a presença do produto no Japão

Publicado

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) participou nesta sexta-feira (24) do início da colheita de café no Espírito Santo. Ela falou sobre a presença do produto brasileiro entre os consumidores do Japão, país que visitou nos últimos dias em missão oficial.

“Eu tive a grata satisfação de ver que o café, inclusive o do Espírito Santo, que nós experimentamos lá, é um produto que tem acesso enorme ao mercado japonês. Mas a gente pode crescer mais”, disse a ministra, no município de Águia Branca.

A  ministra disse estar buscando retomar uma maior parceria com o país. “Eles nos prometeram vir aqui. O ministro da agricultura virá aqui em agosto deste ano e aí nós vamos ver, retomar os assuntos de carnes, frutas, lácteos, café”.

No continente asiático, o Japão é o principal importador da região, tendo registrado crescimento expressivo de 37,04% na compra dos cafés do Brasil, se comparado com o mesmo quadrimestre do ano anterior.

No discurso que fez a produtores, Tereza Cristina comentou sobre a promoção do produto feita em uma cafeteria em Tóquio, na viagem. “Quero parabenizar a todos os produtores daqui. Quando cheguei no Japão, eu fiz um evento e vocês não imaginam o que tinha lá de japoneses que importam o café, que conhecem aqui o Espírito Santo, que conhece o café de vocês, conhece o bom café, o café gourmet”.

Veja Mais:  Rússia retoma compras de carne suína e bovina do Brasil

Mercado

A ministra comentou também sobre o comportamento dos preços no mercado. “Nós vivemos num mercado globalizado e quando a gente tem excesso de produção acontece isso, baixa o preço. Nós temos um problema a corrigir e vamos juntos achar uma solução para os produtores brasileiros, para que a gente ache um caminho e que todos possam continuar morando no campo que é isso que a gente quer”, disse.

A ministra lembrou que a bancada do Espírito Santo esteve no ministério conversando sobre o preço mínimo do produto. “Não é uma coisa fácil mexer, quando o preço está vigente. Há regras, leis, mas nós achamos que é procedente o pedido, é justo e nós estamos fazendo cálculos, novas fórmulas na Conab para ter um preço mínimo de referência e ver se a gente consegue mudar um pouco a situação e a cafeicultura brasileira vem vivendo, não só aqui no Espírito Santo, mas no Brasil todo”, afirmou.

O Espírito Santo é o 2º maior produtor brasileiro de café, com produção de arábica e conilon. É responsável por 22% da produção do país, em 435 mil hectares. A atividade é responsável por 35% do Produto Interno Bruto (PIB) Agrícola capixaba.

WhatsApp Image 2019-05-24 at 14.00.08.jpeg

 Plano Safra

Tereza Cristina destacou a importância da tecnologia desenvolvida pelo Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural), que organizou o evento, para a cultura cafeeira no estado e para a agricultura familiar.

Veja Mais:  Comitê Executivo da Camex aprova fim do imposto de exportação do couro wet blue

“Vocês podem ter certeza de que hoje o nosso foco principal no Ministério da Agricultura tem sido a agricultura familiar. Esse é o grande desafio, do presidente Bolsonaro e de todos aqueles que estão no ministério, arrumar recurso para que a assistência técnica chegue até vocês. Mas não a assistência técnica de preencher papel, de formulário de pedir dinheiro no banco. Eu vou arrumar esses recursos e começar a ter aquela assistência técnica que o pequeno e o médio produtor tanto precisam”.

A ministra também comentou sobre o Plano Safra, que deve ser anunciado no dia 12 do próximo mês. “A nossa agricultura cresceu muito e o dinheiro para atender a toda essa gama de produtores rurais brasileiros é pequeno. Hoje, o dinheiro oficial cobre praticamente um terço da nossa agricultura. Mas, conversando muito com a equipe econômica, nós temos hoje pelo menos o que tivemos no ano passado. E ainda vamos perseguir outras ferramentas de crédito para aumentar esse cobertor e ele não ficar tão apertado”, disse.

A prioridade do Plano Safra, destacou, é para os pequenos. “Vocês não terão dificuldade de crédito, os pequenos produtores serão contemplados. No seguro rural, nós também conseguimos um ganho, aumentar a dimensão. É isso que o Ministério da Agricultura vem estudando e trabalhando firme em cima de melhorar o seguro rural. Estivemos com o presidente Jair Bolsonaro, com o ministro Paulo Guedes e com toda a equipe econômica e nós conseguimos R$ 1 bilhão de subvenção para o seguro, o que já melhora”.

Veja Mais:  Proteção de cultivares passa a ser cem por cento automatizada

Dia Nacional do Café

Nesta sexta-feira (24) é comemorado o Dia Nacional do Café. O Brasil é o maior produtor e exportador de café e segundo maior consumidor da bebida no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. O consumo no país é calculado em 21 milhões de sacas anuais, número que representa em torno de 13% do que é bebido de café no planeta

Neste ano, a previsão é que o Brasil registre uma safra de 50,92 milhões de sacas de café beneficiado, somando-se as espécies arábica e conilon, segundo estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). No ano passado, a safra registrou 61,7 milhões de sacas beneficiadas. A área total cultivada no país com as duas espécies totaliza 2,16 milhões de hectares.

Mais informações à Imprensa:Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana