conecte-se conosco


Nacional

Marcos Pontes promete aconselhar Bolsonaro sobre saída do Acordo de Paris

Publicado

Ministro da Ciência e Tecnologia de Bolsonaro, Marcos Pontes se reuniu com representantes da comunidade científica
Rafael Carvalho/Governo de Transição

Ministro da Ciência e Tecnologia de Bolsonaro, Marcos Pontes se reuniu com representantes da comunidade científica

O futuro ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, prometeu fornecer informações ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), antes que haja decisão sobre eventual retirada do Brasil do Acordo de Paris. À imagem do presidente norte-americano, Donald Trump, Bolsonaro já manifestou em mais de uma ocasião que não é simpático à íntegra dos termos previstos no tratado internacional sobre o meio ambiente.

“Nós temos, dentro da comunidade científica, participação muito grande em estudos e análises de clima e a importância do desenvolvimento sustentável. Essas informações todas serão levadas ao presidente. Obviamente, quem tem o poder de decisão é o presidente, mas nós temos a obrigação de informar sobre esses assuntos” disse Marcos Pontes nesta quinta-feira (6).

Questionado sobre o impacto do anúncio de que o  Brasil não sediará mais a Conferência do Clima da ONU em 2019, o astronauta e futuro ministro respondeu em tom de lamentação. “Existe, do nosso ponto de vista, pontos favoráveis para que a gente faça isso [sediar o evento]. Mas a gente respeita essas decisões”, disse.

O futuro ministro explicou ainda que, até segunda ordem, sua pasta seguirá responsável pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e pelo Inmetro. “Está no nosso organograma, mas, até sair o decreto, a gente não tem certeza das coisas”, afirmou.

Veja Mais:  General nega que será vice de Bolsonaro: “Partido não teminteresse em vaga”

Os Correios também segue sob a pasta do Ministério da Ciência e Tecnologia e, de acordo com o futuro ministro, a possível privatização da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos “não está em pauta”.

Pontes participa de reunião ao longo desta quinta com representantes de entidades da comunidade científica para definir prioridades do futuro governo. O futuro ministro explicou que a pasta deve ter três missões: produzir conhecimento, produzir riquezas para o País e contribuir para a qualidade de vida das pessoas.

“A gente tem que desenvolver isso ao longo do ano para que recuperemos o prestígio do País. Ciêntia e Tecnologia são estratégicas para o desenvolvimento do País e nós precisamos ter esse prestígio para que a gente produza esse retorno para a sociedade”, disse.

“Temos uma série de projetos que podemos trabalhar em conjunto para melhorar saneamento e a vida de um modo geral. A nossa ideia é sempre pensando em desenvolvimento sustentável. A ciência pode colaborar muito com isso”, complementou Marcos Pontes .

Comentários Facebook
publicidade

Nacional

Acumulou de novo! Mega-Sena pode pagar R$ 42 milhões na próxima quarta

Publicado


Aposta mínima da Mega-Sena (seis números) custa R$ 3,50 e pode ser feita em qualquer casa lotérica do País
Paulo Pinto/Fotos Públicas

Aposta mínima da Mega-Sena (seis números) custa R$ 3,50 e pode ser feita em qualquer casa lotérica do País

A Caixa Econômica Federal sorteou, nesta quarta-feira (12), as dezenas da  Mega-Sena para o concurso 2.106. Nenhum apostador acertou as seis dezenas e o prêmio máximo para o próximo sorteio, que será realizado no próximo sábado (15), será de R$ 42 milhões.

Apesar de nenhuma aposta ter acertado o prêmio máximo da  Mega-Sena , 82 jogos acertaram a quina e levaram R$ 35.639,55 cada um. A quadra teve 5.610 apostas ganhadoras, e cada uma faturou o valor de R$ 744,19. Confira as dezenas sorteadas.

03 – 27 – 36 – 39 – 40 – 43

Para participar, é necessário realizar uma aposta mínima de R$ 3,50 em qualquer uma das 13 mil  lotéricas  espalhadas pelo País. Apostadores também podem entrar no sorteio pela internet, o valor mínimo para fazer uma compra pelo sistema online é de R$ 30 em apostas. O serviço do site funciona 24 horas por dia.

Leia também: Vencedor da Mega-Sena não aparece para receber prêmio e perde R$ 22 milhões

Saiba mais sobre as dezenas da Mega Sena e o concurso


Para ganhar o prêmio principal da Mega-Sena, é preciso acertar os seis números sorteados no concurso
iG São Paulo

Para ganhar o prêmio principal da Mega-Sena, é preciso acertar os seis números sorteados no concurso

Esse é um concurso realizado pela  Caixa  Econômica Federal que pode pagar milhões ao apostador que acertar seis números, que são sorteados ao menos duas vezes por semana – normalmente, de quarta-feira e sábado. Ainda é possível ganhar prêmios menores ao acertar quatro (Quadra) ou cinco dezenas (Quina).

Veja Mais:  Vice de Bolsonaro critica 13º salário e adicional de férias: ‘são jabuticabas’

O próprio jogador pode escolher os números da aposta ou tentar a sorte com a “Surpresinha”, em que o sistema escolhe os números. É possível também concorrer com as mesmas dezenas por dois, quatro ou oito concursos consecutivos na chamada “Teimosinha”.

Os prêmios iniciais desta loteria costumam ser em torno de R$ 2,5 milhões para quem acerta seis dezenas. O valor vai acumulando a cada concurso sem vencedor. Também é possível ganhar prêmios ao acertar 4 ou 5 números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas. Para isso, é preciso marcar de 6 a 15 números do volante.

Leia também: Quase milionários: a emoção de quem acertou a quina na Mega

O prêmio bruto da  Mega-Sena  corresponde a 46% da arrecadação. Dessa porcentagem, 35% são distribuídos entre os acertadores das seis dezenas da Mega-Sena sorteadas, 19% entre os acertadores de cinco números (Quina), 19% entre os acertadores de quatro números (Quadra), 22% ficam acumulados e distribuídos aos acertadores dos seis números nos concursos de final 0 ou 5 e 5% ficam acumulado para a primeira faixa (Sena) do último concurso do ano de final zero ou 5.

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Após pressão de caminhoneiros, Fux revoga decisão sobre a tabela de frete

Publicado


Ministro Luiz Fux decidiu revogar decisão sobre tabela do frete que desagradou caminhoneiros
Roberto Jayme/ Ascom /TSE – 15.3.18

Ministro Luiz Fux decidiu revogar decisão sobre tabela do frete que desagradou caminhoneiros

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta quarta-feira (12) voltar atrás e revogar sua decisão que suspendeu a cobrança de multas, pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a transportadoras por descumprimento das regras de tabelamento do frete rodoviário em todo o país. A decisão inicial foi criticada por caminhoneiros que ameaçaram fazer uma nova greve .

A revogação foi determinada depois de um pedido de reconsideração, feito mais cedo, pela Advocacia-Geral da União (AGU). No pedido, a AGU argumentou que a criação da tabela assegurou a normalidade nas rodovias do país e atendeu às reivindicações dos caminhoneiros após a greve da categoria, em maio.

Para a advocacia, a manutenção da norma é recomendável até que seja feita uma reavaliação pelo novo governo, que tomará posse no dia 1º de janeiro.

A tabela de preços mínimos de frete foi instituída por uma Medida Provisória, que mais tarde foi convertida na Lei 13.703/2018, e pela Resolução 5.820/2018, da ANTT, que regulamentou a medida.

Ao decidir a questão, o ministro concordou com os argumentos apresentados pela AGU e entendeu que soluções amigáveis para o conflito devem ser priorizadas.

“Por esses motivos, as informações acostadas aos autos pela Advocacia-Geral da União sugerem a existência de periculum in mora inverso, qual seja, a interrupção dos canais consensuais administrativos de resolução da controvérsia, na iminência de posse do novo governo”, afirmou Fux.

Veja Mais:  Palocci é chamado a depor ainda nesta semana em ação da Zelotes contra Lula

Na segunda-feira (10), um grupo realizou bloqueio durante as primeiras horas do dia na Rodovia Presidente Dutra, no trecho de Barra Mansa, no Rio de Janeiro. A via ficou parcialmente interditada nos dois sentidos, na altura do quilômetro 274, o que provocou congestionamento desde as 5h25 da madrugada. O protesto foi uma reação da categoria a decisão do Fux.

A primeira decisão de Fux havia atendido um pedido da Associação do Transporte Rodoviário de Carga do Brasil (ATR Brasil), que argumentou que a fixação de um piso mínimo para os fretes representa “paternalismo estatal”.

A política de preços mínimos para o transporte rodoviário de cargas foi definida pelo governo federal em resposta à greve dos caminhoneiros, que afetou o abastecimento de todo o País em maio deste ano. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Maduro liga Brasil a plano para derrubá-lo e acusa EUA de orientar Bolsonaro

Publicado


Nicolás Maduro reforçou que neste plano está incluso um treinamento de tropas regulares nos EUA
Twitter/ @NicolasMaduro

Nicolás Maduro reforçou que neste plano está incluso um treinamento de tropas regulares nos EUA

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou nesta quarta-feira (12) que os Estados Unidos estão preparando um plano “terrorista” para derrubá-lo e assassiná-lo, com a ajuda dos governos de Brasil e Colômbia. A declaração foi dada durante coletiva de imprensa no palácio presidencial em Caracas e, segundo o chefe de Estado venezuelano, o suposto plano tem como objetivo estabelecer uma ditadura no país sul-americano.

Leia também: Venezuela vai receber US$ 9,2 milhões de ajuda humanitária da ONU

Além disso, ele afirmou que a ideia é dirigida pelo conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton. “Hoje eu vou denunciar mais uma vez o complô que a Casa Branca se prepara para violentar a democracia venezuelana, para me assassinar e para impor um governo ditatorial na Venezuela”, disse Nicolás Maduro .

Bolton “está desesperado, designando missões para provocações militares na fronteira”, ressaltou Maduro, fazendo referência ao encontro do assessor norte-americano com o presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, no último dia 29 de novembro.

“As forças militares do Brasil querem paz. Ninguém no Brasil quer que o futuro governo se meta em uma aventura militar contra o povo venezuelano”, acrescentou.

Durante a coletiva a jornalistas estrangeiros, o presidente da Venezuela reforçou que neste plano está incluso um treinamento de tropas regulares nos EUA e totalmente irregulares no território colombiano.

Veja Mais:  Em primeira entrevista após ataque, Bolsonaro se diz alvo de covardia de Alckmin

Leia também: “Não são mercadoria para serem devolvidos”, diz Bolsonaro sobre venezuelanos

“Manter contato com setores da direita golpista venezuelana transformou a Colômbia em um centro de conspirações, desses planos enlouquecidos cheios de ódio que vamos derrotar”, expressou o mandatário.

Maduro ainda ressaltou que há “734 mercenários colombianos e venezuelanos que treinam no município Tona del Norte de Santander para simular ataques na fronteira”. Por fim, o chefe de Estado explicou que sua denúncia é baseada em “fontes internacionais cruzadas” e que Bolton quer encher seu país de violência, buscar um golpe de Estado e impor o que eles chamam de um conselho de governo transitório.

Na segunda-feira (10), a
Venezuela recebeu dois bombardeiros russos
, a fim de realizar testes militares conjuntos. A situação causa apreensão para a possibilidade de se ter início a uma corrida armamentista na América do Sul.

O Aeroporto Internacional de Maiquetía Simón Bolívar, nos arredores de Caracas, foi o local escolhido pela Rússia para realizar o pouso de quatro aeronaves – entre elas, dois bombardeiros estratégicos Tupolev 160 (Tu-160) capazes de transportar armas nucleares. Além dos aviões, mais de cem funcionários do governo russo também viajaram à Venezuela.

Diante de uma crise humanitária no país, a possibilidade de uma intervenção militar na Venezuela, com o objetivo de derrubar o governo de Nicolás Maduro , veio à tona no cenário internacional. No domingo (9), o presidente se posicionou contra o país norte-americano afirmando que a Casa Branca estaria coordenando uma tentativa de golpe de Estado contra o governo “constitucional, democrático e livre do país”.

Veja Mais:  General nega que será vice de Bolsonaro: “Partido não teminteresse em vaga”

* Com informações da Ansa

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana