conecte-se conosco


Saúde

Menina com sangue raro enfrenta câncer e busca por doador gera comoção mundial

Publicado


Campanha procura tipo de sangue raro para salvar menina de 2 anos com câncer
Divulgação/ OneBlood

Campanha procura tipo de sangue raro para salvar menina de 2 anos com câncer

A necessidade de encontrar doadores suficientes que possam salvar uma menina de dois anos de idade está gerando comoção no mundo todo. Zainab Mughal mora na Flórida, nos Estados Unidos, e foi diagnosticada com neuroblastoma há dois meses, um tipo de câncer que geralmente atinge crianças.  

Leia também: Infectologista explica as formas de transmissão do HIV e como preveni-las

Porém, o principal problema que Zainab enfrenta é o de encontrar doadores que sejam compatíveis com o seu tipo sanguíneo, um dos mais raros do mundo. O banco de sangue OneBlood é quem conduz uma campanha internacional a fim de encontrar ao menos dez doadores, tornando possível que a garota passe pelas transfusões necessárias para o seu tratamento.

De acordo com Frieda Bright, gerente de laboratório da empresa, um antígeno comum chamado Inb, ou “B indiano”, é ausente no sangue de Zainab, o que restringe a busca para doadores que também não tenham esse antígeno, para que o corpo não rejeite a transfusão . Em seus 20 anos de profissão, a pesquisadora diz nunca ter visto um caso como este.

Leia também: Menina de oito anos que teve queimaduras após avião atingir sua casa recebe alta

Entre as mais de 1 mil amostras recebidas e testadas, apenas três são compatíveis – sendo que duas são dos Estados Unidos e uma foi enviada de Londres, na Inglaterra.

Veja Mais:  Casos de sarampo na região das Américas chegam a 5 mil, de acordo com Opas

Os organizadores da campanha pedem que os doadores, além de terem o sangue do tipo A ou O, tenham ascendência, exclusivamente, paquistanesa, indiana ou iraniana, já que a chance de que esse tipo sanguíneo seja encontrado entre essas populações é de 4%, pouco maior do que no resto do mundo, de acordo com estatísticas.

Leia também: Novo tratamento do câncer por congelamento evita que a célula se espalhe

A garota está sendo tratada no Memorial Regional Hospital em Hollywood.  Familiares e amigos da menina já doaram, mas mesmo entre a família, não houve compatibilidade. De acordo com os médicos, a quimioterapia está obtendo sucesso, mas Zainab ainda precisa de dois transplantes de medula óssea e de várias transfusões sanguíneas a longo prazo, para que a menina aguente passar por todo o tratamento.

Juntamente com o OneBlood, outros bancos de sangue estão em busca de doadores, como o American Rare Donor Program (ARDP), em tradução para o português, Programa Americano de Doadores Raros, que liga doadores de diversos países a bancos de sangue .

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

A importância da língua em nossa saúde bucal, por Bruno Puglisi

Publicado

Quando falamos em saúde bucal, logo pensamos em dentes, mas há muito mais coisas envolvidas e um delas é a condição de nossa língua. Nesta coluna, doutor Bruno Puglisi fala sobre sua importância, anatomia, prevenção de doenças em nossa boca e maneiras de manter sua higiene.

Leia também: A importância da língua em nossa saúde bucal, por Bruno Puglisi


Doutor Bruno Puglisi explica os cuidados que devemos ter com a nossa língua
Thinkstock/Getty Images

Doutor Bruno Puglisi explica os cuidados que devemos ter com a nossa língua

A língua tem duas partes: a anterior e posterior. A anterior ocupa aproximadamente dois terços da língua e é visível quando você abre a boca. A posterior está localizada em direção à sua garganta.

O ponto aqui é que sua língua abrange o comprimento de sua cavidade oral. Assim, naturalmente desempenha um grande papel na sua saúde bucal . Se não estiver limpa, então tem o potencial de espalhar bactérias pelo resto da boca.

Quando você mastiga comida, a língua ajuda na digestão, movendo as partículas parcialmente dissolvidas em direção à garganta para engolir. A ponta da língua é capaz de se mover de modo que pode ajudar a limpar os detritos das partes superiores da nossa boca .

Leia também: Você sabe os males que o cigarro traz para sua boca? Dr. Bruno Puglisi explica

Outro atributo da nossa  língua é que ela tem entre 3.000 a 10.000 papilas gustativas  que a revestem. Eles abrigam os receptores de sabor, que lhe permitem desfrutar de uma infinidade de sabores.

Veja Mais:  Sua gengiva sangra quando escova os dentes ou passa o fio dental?

É importante manter a língua limpa, porque as bactérias podem ficar presas entre as papilas e contribuir para problemas de saúde bucal e mau hálito.

Infelizmente, na língua pode crescer ninhos de bactérias. Com o tempo, eles ficam mais suscetíveis a doenças na gengiva, cárie dentária e uma série de outros problemas. Além disso, eles impedem os mecanismos naturais de defesa da língua que protegem seu corpo de germes invasores.

Dicas para uma língua mais saudável:

Depois de terminar de escovar os dentes, não se esqueça de passar suavemente sua escova de dentes sobre sua língua para remover qualquer excesso de detritos.

Use um raspador de língua – o raspador é projetado especificamente para limpar a superfície da sua língua. Usando um movimento de deslizamento, mova-o de trás para a frente. Isso ajuda a tirar as bactérias e partículas de alimentos que podem estar escondidos entre as papilas.

Lave com enxaguatório bucal – Uma maneira final para ajudar na saúde da sua língua e sua boca inteira é enxaguar com bochechos após uma refeição ou escovar. Isso fornece fortificação extra contra intrusos.

Leia também: Veja os cuidados necessários com os dentes das crianças durante as férias

Agora que você sabe como a sua língua é vital para a sua saúde bucal, certifique-se de dedicar mais tempo à sua manutenção. Para ir mais longe em sua busca, entre em contato com seu dentista local para agendar uma consulta de cuidados preventivos hoje.

Veja Mais:  Idoso sul-coreano contrai infecção e tem braço amputado após comer peixe cru

Uma das principais maneiras de proteger a saúde de sua língua é visitando seu dentista semestralmente para limpezas e exames. Tenha em mente que essas consultas não são apenas para monitorar a condição de seus dentes. Seu dentista também examinará sua língua para ter certeza de que ela está saudável.

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Mais de 500 cidades podem ter grande incidência de Aedes aegypti em 2019

Publicado

Mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue, Zika e chikungunya
Shutterstock/Divulgação

Mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue, Zika e chikungunya

Pelo menos 504 municípios brasileiros registram alto índice de infestação pelo Aedes aegypti e apresentam risco de surto para doenças transmitidas pelo vetor – incluindo dengue, zika e chikungunya.

Dados divulgados nesta quarta-feira (12) pelo Ministério da Saúde revelam que, das 5.358 cidades que realizam algum tipo de monitoramento do mosquito Aedes aegypti, 1.881 estão em situação de alerta, enquanto 2.628 apresentam índices considerados satisfatórios.

O mapa da dengue, como é chamado o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo mosquito (LIRAa), mostra que, das 27 capitais em todo o país, Palmas (TO), Boa Vista (RR), Cuiabá (MT) e Rio Branco (AC) estão em risco de surto não apenas de dengue, mas também de zika e chikungunya.

Outras 12 capitais, de acordo com o estudo, registram situação de alerta: Manaus (AM), Belo Horizonte (MG), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), São Luís (MA), Belém (PA), Vitória (ES), Salvador (BA), Porto Velho (RO), Goiânia (GO) e Campo Grande (MS).

Já Curitiba (PR), Teresina (PI), João Pessoa (PB), Florianópolis (SC), São Paulo (SP), Macapá (AP), Maceió (AL), Fortaleza (CE) e Aracaju (SE) têm índices considerados satisfatórios. Natal (RN) e Porto Alegre (RS) fizeram a coleta de dados por armadilha – metodologia utilizada quando a infestação pelo mosquito é muito baixa ou inexistente.

Veja Mais:  Desfralde do bebê – confira tudo que você precisa saber

Além de identificar onde estão concentrados os focos do mosquito em cada município, o levantamento revela quais os principais tipos de criadouros por região. No Nordeste, por exemplo, o armazenamento de água no nível do solo (doméstico), como tonel, barril e tina, foi o principal tipo identificado.

No Sudeste, o maior número de depósitos encontrados foi em domicílio, caracterizados por vasos e frascos com água e pratos e garrafas retornáveis. Já nas regiões Centro-Oeste, Norte e Sul, predominou o lixo, como recipientes plásticos, garrafas PET, latas, sucatas e entulhos de construção.

Dengue, chikunguya e zika neste ano

Zika, que tem o aedes aegypti como vetor, levou a quatro óbitos em 2018

shutterstock

Zika, que tem o aedes aegypti como vetor, levou a quatro óbitos em 2018

Dados do ministério apontam que, até 3 de dezembro, foram notificados 241.664 casos de dengue em todo o país – um pequeno aumento em relação ao mesmo período de 2017 (232.372 casos). A taxa de incidência, que considera a proporção de casos por habitantes, é de 115,9 casos para cada 100 mil habitantes.

Em relação ao número de óbitos causados pela doença, a queda é de 19,3% quando comparado ao mesmo período do ano anterior, passando de 176 mortes em 2017 para 142 neste ano.

No mesmo período, foram notificados 84.294 casos de chikungunya no Brasil – uma redução de 54% em relação ao mesmo período de 2017 (184.344 casos). A taxa de incidência da doença é de 40,4 casos para cada 100 mil habitantes.

Veja Mais:  ANS suspende venda de 26 planos de saúde de 11 operadoras; veja lista

Em relação ao número de óbitos, a queda é de 81,6% quando comparado ao mesmo período do ano anterior, passando de 191 mortes em 2017 para 35 neste ano.

Os números mostram ainda que, até 3 de dezembro, foram notificados 8.024 casos de zika em todo o país – uma redução de 53% em relação ao mesmo período de 2017 (17.025 casos). A taxa de incidência é de 3,8 casos para cada 100 mil habitantes.

Este ano, foram registrados quatro óbitos causados pelo vírus Zika, uma das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

*Com Agência Brasil

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Brasileiros preenchem 98,7% das vagas no Mais Médicos; governo abre novo edital

Publicado


Médicos cubanos deixaram o programa Mais Médicos por decisão do país caribenho
Luciano Lanes / PMPA

Médicos cubanos deixaram o programa Mais Médicos por decisão do país caribenho

O governo federal conseguiu preencher 98,7% das vagas abertas após a saída dos cubanos do programa Mais Médicos. Somente 106 das  8.517 disponíveis na primeira etapa de seleção não tiveram interessados. As vagas ociosas estão distribuídas em 29 municípios e distritos indígenas, todos na região Norte do País.

De acordo com balanço divulgado nesta segunda-feira (10) pelo Ministério da Saúde, pouco mais de a metade dos brasileiros selecionados para o Mais Médicos (53%) já se apresentaram nas cidades onde irão atuar. São 4.507 médicos prontos para iniciar os atendimentos em seus novos postos de trabalho. O prazo para apresentação vai até sexta-feira (14).

Na semana passada, o Ministério da Saúde informou que mais de 300 médicos que fizeram a inscrição desistiram de participar do programa. Entre os motivos das desistências estão novas oportunidades e a dificuldade de conciliação com outros projetos dos profissionais. 

Leia também: Futuro ministro da Saúde avalia uso de médicos militares para suprir cubanos

Novo edital do Mais Médicos


Programa Mais Médicos foi lançado em 2013; Cuba anunciou saída do programa após eleição de Bolsonaro
Karina Zambrana/Ministério da Saúde

Programa Mais Médicos foi lançado em 2013; Cuba anunciou saída do programa após eleição de Bolsonaro

Foi publicado hoje novo edital para o programa , agora visando atrair profissionais brasileiros e estrangeiros formados no exterior (sem registro no Brasil). Os candidatos têm entre os dias 11 e 14 de dezembro para acessar o sistema e, assim, estarem aptos para validação da inscrição no programa.

Veja Mais:  Ministro da Saúde vai propor a Bolsonaro que alunos do Fies substituam cubanos

São exigidos dos candidatos 17 documentos, entre eles o reconhecimento da instituição de ensino pela representação do país onde os profissionais obtiveram a formação. A partir do dia 20, brasileiros sem registro no país poderão escolher vagas disponíveis.

Na primeira seleção, aberta no dia 20 de novembro, houve 36.490 inscrições. Segundo o governo, será feito um novo balanço das vagas disponíveis, o que soma as desistências e as aquelas que não tiveram procura, no dia 17 de dezembro. Então, os profissionais com registro no país (CRM) terão nova chance para se inscrever no programa e escolher os municípios disponíveis nos dias 18 e 19 de dezembro. 

Confira abaixo o cronograma informado para o Mais Médicos:

  • Dias 11 a 14 – Profissionais formados no exterior enviam documentação para validação da inscrição.
  • Dia 14 – Último dia para os profissionais com registro no país inscritos no primeiro edital se apresentarem nos municípios.
  • Dia 17– Balanço das vagas disponíveis (soma desistências e não selecionadas)
  • Dia 18 e 19 – Os profissionais com registro no país escolhem os municípios disponíveis.
  • Dias 20 a 22 – Os médicos brasileiros formados no exterior e sem registro no país que tenham a inscrição previamente validada poderão escolher os municípios remanescentes
  • Dias 26 a 28 – Os estrangeiros formados no exterior e sem registro no país poderão escolher as vagas remanescentes.
Veja Mais:  Casos de sarampo na região das Américas chegam a 5 mil, de acordo com Opas

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana