conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Tecnologia

Mensagens que se autodestroem estão chegando ao WhatsApp; confira

Publicado

source
whatsapp arrow-options
shutterstock
Em breve, novos recursos chegam ao WhatsApp.


Mensagens que se  autodestroem devem chegar em breve ao  WhatsApp . O  aplicativo de mensagens vem trabalhando no novo recurso, segundo o site especializado WABetaInfo . De acordo com análises feitas em versões  beta do aplicativo – aquelas que ainda não estão disponíveis para o público geral -, a empresa já vem testando as mensagens que se autodestroem. 

Leia também: WhatsApp vai liberar novos recursos em breve; confira quais

Quando disponível, o recurso vai funcionar para qualquer usuário, que poderá definir o tempo em que a mensagem fica no ar – depois disso, ela é  automaticamente destruída . Em  conversas privadas , qualquer pessoa poderá fazer uso da função. Em  grupos , porém, o recurso só estará disponível para asministradores.

whatsapp arrow-options
Reprodução/WABetaInfo
O site WABetaInfo encontrou o recursos em versões teste do WhatsApp.




Além das  mensagens que se autodestroem , o  WhatsApp também vem trabalhando no queridinho da internet: o  modo escuro . Disponível em diversas redes sociais e recentemente inaugurado no  Instagram , o recurso também já está sendo testado no mensageiro. 

Leia também: Modo escuro chega ao Instagram; veja como ativar

modo escuro apareceu em uma atualização recém-enviada pelo  WhatsApp para a versão beta do aplicativo. Quando em funcionamento, a tela fica em um tom “noite azulada”, e funciona em todas as abas do app. Vale lembrar que os recursos estão em teste e ainda não têm data para chegarem a todos os usuários. 

Veja Mais:  Fim de ano à vista: ainda dá tempo de comprar a lembrancinha de Natal na China?

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Publicado

source
macbook pro arrow-options
Reprodução/9to5Mac
Novo design do MacBook Pro deve trazer bordas mais finas

A Apple  deve anunciar amanhã (14) o tão aguardado  MacBook Pro de 16 polegadas . O modelo deve custar US$ 2.399 nos Estados Unidos, pouco mais de R$ 10 mil em conversão direta. O novo dispositivo deve substituir o clássico MacBook Pro de 15 polegadas, por isso, o mesmo preço; a informação é de Mark Gurman, da Bloomberg.

Além do aumento da tela, o MacBook Pro de 16 polegadas terá um novo teclado, projetado para ser mais confiável que os teclados apresentados nos MacBooks desde 2016. Isso porque o modelo borboleta conviveu com diversos problemas, como teclas presas, pressionamento de teclas repetidas, entre outros – o que obrigou a Apple  a fazer alguns recalls.

Leia também: iPhones devem deixar de existir; veja qual gadget é a próxima aposta da Apple

Os rumores apontam, agora, para a volta do tradicional teclado  tesoura.  O modelos, considerado convencional, foi utilizado pela  Apple até 2015, antes da implementação do teclado borboleta. 

macbook pro teclado arrow-options
Reprodução/9to5Mac
O teclado borboleta deve ser abandonado no novo MacBook Pro


Outra caracaterística notável do novo  MacBook Pro deve ser o design. Fotos vazadas mostram um notebook com bordas bastante finas. Além disso, a esperada tela de 16 polegadas será a maior fabricada pela  Apple desde 2012. Segundo o analista de mercado Ming-Chi Kuo, os novos displays também devem ter uma tecnologia que minimiza a chance das telas queimarem, evitando manutenção. 

Veja Mais:  Você precisa de um gerenciador de senhas?

Leia também: Apple, Xiaomi e Huawei: veja quem ganha na disputa de câmeras

Também é esperado que este modelo do  MacBook Pro resolva o problema de bateria presente na versão anterior. Os rumores indicam, ainda, para a presença do Touch ID , em um botão separado do teclado.  

A expectativa é que o modelo topo de linha do MacBook seja lançado oficialmente em algum momento de dezembro. Após lançar os iPhones 11, 11 Pro e 11 Pro Max, e em seguida, os novos AirPods, a Apple deve encerrar 2019 com foco no MacBook.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Publicado

source

Olhar Digital

bicicleta xiaomi arrow-options
Divulgação/Xiaomi
Xiaomi lança bicicleta dorbrável


Além dos smartphones de baixo custo, a Xiaomi  é bastante conhecida por seus produtos curiosos. A nova aposta da empresa é o Himo H1 , uma bicicleta elétrica dobrável . Seu design é bastante curioso. A justificativa para isso é que a bicicleta foi projetada como ênfase na portabilidade. Quando dobrada, ela fica do tamanho de uma folha de papel A3.

A Xiaomi  está oferecendo o Himo H1 por 2.999 yuan (aproximadamente R$ 1.700). Entretanto, o dispositivo não está disponível fora da China. Porém, como sabemos, todo e qualquer dispositivo lançado pela empresa logo é disponibilizado por sites de compra chineses, e que enviam os produtos para diversas partes do mundo.

Leia também: Celulares da Black Friday: confira os melhores modelos para adquirir na data

A Xiaomi  se orgulha de sua bicicleta possuir mais pontos de dobragem do que alguns outros aparelhos. Quase todas as partes são dobráveis e possuem travas para garantir que elas fiquem na posição que foram deixadas para que não alterem seu estado em momentos inoportunos.

A bicicleta elétrica é relativamente leve, pesando apenas 13 kg, além de caber dentro de uma maleta. Para facilitar o transporte, a Xiaomi  disponibiliza um estojo para acomodar o dispositivo. O guidão pode ter sua altura ajustável e inclui um velocímetro de LED e medidor de bateria.

Veja Mais:  League of Legends comemora 10 anos com eventos e documentário na Netflix

Leia também: Apple, Xiaomi e Huawei: veja quem ganha na disputa de câmeras

O motor presente, e que se localiza na parte traseira, não é exatamente potente, tendo apenas 180 W, com isso, a velocidade máxima atingida pela bicicleta é de 18 km/h . Além disso, a falta de pedais pode fazer com que esse aparelho não seja classificado como uma bicicleta, mas sim como uma espécie de scooter , já que há apenas apoio para os pés.

Embora pareça pequena, a bicicleta da Xiaomi  não possui um limite de altura, dois adultos conseguem usá-la sem problemas. As imagens também mostram adesivos temáticos da franquia Transformers, porém, não se sabe se a marca solicitou a licença para uso dos personagens.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Publicado

source

Olhar Digital

mavic mini drone DJI arrow-options
Reprodução/DJI
Novo drone da DJI cabe na palma da mão


DJI  anunciou nesta quarta-feira (13) o lançamento do drone compacto Mavic Mini no Brasil. Descrito como “quase tão leve quanto um smartphone”, o aparelho pesa apenas 249 gramas e vai custar R$ 4.049. Ele pode realizar filmagens estáveis em até 2,7K de resolução, tirar fotos em 12 megapixels e voar por até 30 minutos sem precisar recarregar. Além disso, não precisa de registro em inúmeros países.

O drone tem um design compacto , que permite ser dobrado para facilitar o transporte. Além disso, ele pode atingir velocidade máxima de até 47 km/h e conta com recursos de sensores visuais e planagem precisa com GPS , permitindo aterrisagens em locais fechados. As vendas começam na última semana de novembro e o produto tem um ano de garantia.

Leia também: Novo drone da DJI cabe na palma da mão; veja fotos


Câmera

A câmera do aparelho tem um sensor de 1/2,3 polegadas, lentes com abertura f/2,8 e estabilização triaxial para tirar fotos de 12 megapixels. No caso da filmagem, ela pode ser gravada em 2,7K a 30 quadros por segundo ou Full HD a 60fps em alturas máximas de 3.000 metros.

Também é possível realizar uma gravação em vídeo em HD de até 4 km de maneira estável, proporcionada pelo estabilizador triaxial.

Veja Mais:  League of Legends comemora 10 anos com eventos e documentário na Netflix

Leia também: Estudo revela o que acontece se um drone cair na sua cabeça

Controle

controle drone mavic mini arrow-options
Reprodução/DJI
Controle do Mavic Mini se conecta via Wi-Fi


O controle tem o design simples, realizando a conexão com o drone via wi-fi e com um espaço para você deixar seu telefone e monitorar o voo pelo aplicativo da DJI Fly , disponível em Android e iOS .

Ainda, o aplicativo DJI Fly dá aos usuários o acesso à rede social SkyPixel, onde membros podem compartilhar suas fotos e vídeos aéreos, criando uma “galeria” de locações na hora de se inspirar para gravar.

Peso e polêmica

drone mavic mini DJI arrow-options
Reprodução/DJI
Mavic Mini pode ser transportado facilmente


Uma das vantagens do Mavic Mini é a possibilidade de não ser registrado em algumas nações. Estados Unidos, Canadá, Austrália e alguns países da Europa normalmente exigem o registro de drones, mas consideram que aparelhos abaixo de 250 gramas são seguros e, portanto, não exigem o cadastro de dispositivos que se enquadram na categoria.

Contudo, no Brasil , a regulamentação da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) determina que regras mais leves sejam aplicadas apenas em drones com peso máximo de decolagem de até 250 gramas. No caso do Mavic Mini , qualquer protetor de hélice ou acessório pode aumentar o peso do dispositivo durante o vôo e implicar na necessidade de cadastro, que pode ser realizado no site da agência.

Veja Mais:  Fim de ano à vista: ainda dá tempo de comprar a lembrancinha de Natal na China?

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana