conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Tecnologia

Modo privado: WhatsApp permite responder mensagens de grupos no chat particular

Publicado


Nova atualização do WhatsApp possibilita envio de mensagens de grupos de forma privada
Reprodução

Nova atualização do WhatsApp possibilita envio de mensagens de grupos de forma privada

Uma nova atualização do WhatsApp criou mais uma novidade para as conversas em grupo: a partir de agora, é possível citar uma mensagem enviada por algum membro do grupo em uma conversa particular. A nova função já está disponível para os usuários de Android que estão com a atualização do aplicativo em dia. A versão atual é a 2.18.335.

Leia também: Prepare-se: a partir de segunda, WhatsApp vai apagar backup de celulares Android 

Chamada “responder em particular”, a nova atualização do WhatsApp aparece quando o usuário clica em cima de uma mensagem enviada por qualquer pessoa que participe de um determinado grupo. Ao selecionar essa opção, basta escrever a resposta – ela será transferida e enviada diretamente para o chat privado, junto com a citação escolhida.

A novidade é inspirada no “responder”, que já acontece há algum tempo tanto em grupos como em conversas particulares. Para a utilização nos grupos, a diferença é que agora, caso o usuário não queira, não precisa mais enviar a resposta na frente de todo mundo.

 A ferramenta é vista como uma forma de facilitar a contextualização da resposta, que ficou mais direta, uma vez que em um mesmo chat podem existir mensagens de diversos assuntos. Dessa forma, também não será mais preciso explicar em um bate-papo privado sobre o qual assunto citado no grupo você está falando: basta clicar no “responder em particular.”

Veja Mais:  Lembra dele? Google+ será encerrado após vazar dados de 52,5 milhões de usuários

Leia também: Uber Juntos chega para substituir a versão Pool; veja o que muda no app 

A função promete atuar como substituta do “conversar com”, que não será excluído, mas pode acabar em desuso. Nele, o usuário também pode chamar o membro de um determinado bate-papo para uma conversa privada, mas não consegue anexar a frase na qual está respondendo.

A novidade, entretanto, tem alguns impedimentos. Não será possível enviar a mensagem de um usuário do grupo para qualquer um da sua lista de contatos, nem mesmo para qualquer membro do chat : apenas o próprio autor da fala poderá receber uma resposta em uma conversa particular.

Atualização do WhatsApp ainda não funciona para Iphone


Até o momento, nova atualização do WhatsApp só está disponível para Android
ALV / Flickr

Até o momento, nova atualização do WhatsApp só está disponível para Android

Leia também: Modo férias: WhatsApp deve criar novos meios de arquivar e silenciar mensagens 

Apesar de já estar funcionando no Android , a nova atualização do WhatsAapp ainda não está disponível para iPhone, mas deve chegar em breve. A última versão do aplicativo para celulares da Apple é a 2.18.101. 

Comentários Facebook

Tecnologia

772 milhões de emails expostos em vazamento: descubra se você foi afetado

Publicado


Vazamento de dados foi batizado de Collection #1 e é considerado um dos maiores da historia
Agência Brasil

Vazamento de dados foi batizado de Collection #1 e é considerado um dos maiores da historia

Um dos maiores vazamentos de dados da história da internet foi descoberto nesta quinta-feira (17). De acordo com as informações de um especialista em segurança cibernética, mais de 772 milhões de emails e 21 milhões de senhas foram expostos em um fórum para hackers. 

Leia também: Caiu na rede! De vazamento a fakes, relembre assuntos que tomaram a web em 2018 

Segundo o especialista Troy Hunt, que divulgou a descoberta do  vazamento de dados  em seu blog pessoal, esses dados (cerca de 12 mil arquivos) foram encontrados dentro de uma pasta de 87 gigabytes armazenada na nuvem Mega, uma das mais populares atualmente. 

Batizada de Collection #1 – nome da pasta na qual todas as informações estavam guardadas  -, a f alha de segurança  já foi retirada do  Mega , mas é possível que terceiros ainda tenham cópias desses dados em seus computadores pessoais e voltem a publicá-los. 

De acordo com o pesquisador, um dos maiores perigos de hackers conseguirem acesso a um correio eletrônico é que, além de conseguir detalhes pessoais do usuário, o invasor pode testar a senha do email em diversas outras plataformas. 

Assim, se a vítima usar o mesmo usuário e senha em outros sites, os hackers conseguirão acessar outros serviços, como contas bancárias e perfis em redes sociais. “As pessoas fazem listas como esta [ Collection #1 ] com nosso email e senhas e depois tentam ver onde mais funcionam. O sucesso desta tática se baseia em que as pessoas reutilizam as mesmas credenciais em múltiplos serviços”, disse Hunt na postagem em seu blog. 

Veja Mais:  Pego pelo estômago! Golpe no WhatsApp promete cupom de desconto no McDonald’s

Leia também: #10YearsChallenge: o Facebook está usando suas fotos do desafio?

O número de dados expostos divulgado por Hunt não considera dados duplicados ou inutilizáveis, já que o pesquisador fez uma seleção antes de anunciar o problema em seu site. Sem essas exclusões, a quantidade de endereços de email e senhas expostas passava de 2,7 bilhões, ficando atrás somente do vazamento do Yahoo em 2017, que atingiu três bilhões de contas da plataforma naquele ano.

Fui afetado pelo vazamento de dados? 


Para saber se suas informações foram expostas é possível acessar o  site Have I Been Pwned , do pesquisador Hunt. Nessa plataforma, além de descobrir se o seu email ou a sua senha já foram comprometidos, o internauta consegue checar até mesmo em quantos vazamentos esteve envolvido.  


O especialista recomenda que todos os usuários afetados troquem suas senhas. Ele também afirmou que a melhor forma de evitar ter problemas com  vazamento de dados  é utilizar senhas diferentes para cada login na internet. “Se usar um administrador de senhas digital é um passo muito grande para você, recorra à velha escola e arranje um analógico. Ou seja, um caderno. Anotar as senhas únicas em um livro e mantê-las dentro de uma casa fechada é muito melhor que reutilizá-las em toda a Internet”, disse. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

#10YearsChallenge: o Facebook está usando suas fotos do desafio?

Publicado


Jornalista acusou o Facebook de usar dados do #10YearsChallenge em benefício próprio
shutterstock

Jornalista acusou o Facebook de usar dados do #10YearsChallenge em benefício próprio

Na última semana, a brincadeira #10YearsChallenge (desafio dos dez anos, em português) dominou as redes sociais. O desafio consiste em publicar uma foto pessoal de dez ano atrás (ou seja, de 2009) ao lado de uma atual, tirada neste ano.

Leia também: Após protagonizar “desafio Bird Box”, YouTube proíbe vídeos perigosos

Ninguém sabe ao certo como a brincadeira começou, mas o fato é que todo mundo – de usuários anônimos à celebridades nacionais e internacionais – resolveram aderir à comparação de imagens do  #10YearsChallenge

Depois de inúmeros nomes conhecidos postarem a brincadeira no Facebook, Instagram (foram 3,5 milhões de publicações com a hashtag só nessa plataforma) e até no Twitter, o desfio dos dez anos virou polêmica depois que uma repórter da revista norte-americana Wired questionou a possibilidade de o Facebook estar utilizando as fotos pessoais dos usuários para fazer reconhecimento facial.

“Eu há 10 anos: provavelmente brincaria com o meme da idade da foto (…) Eu agora: pondere como todos esses dados poderiam ser extraídos para treinar algoritmos de reconhecimento facial no reconhecimento e na progressão da idade”, escreveu a jornalista Kate O’Neill em sua conta no Twitter.

Veja Mais:  Internet a preço acessível só é realidade para quatro em cada dez brasileiros

Depois da repercussão da postagem, O’Neill afirmou que não quis dizer que o meme era perigoso, mas sim tinha como objetivo chamar a atenção para como o Facebook pode se beneficiar da brincadeira.

Leia também: Ovo bate recorde de Kylie Jenner e se torna foto mais curtida do Instagram

Confira a polêmica nas redes sociais:

Veja Mais:  WhatsApp promete ferramentas para combater fake news na Índia

Em nota à BBC , o Facebook declarou que o desafio é um “meme gerado por um usuário e que se tornou viral sozinho.” A empresa também afirmou que não começou essa tendência e não ganha nada”com ela.

A marca de Mark Zuckeberg ainda disse que as pessoas podem desativar a opção de reconhecimento facial a qualquer momento.

Os famosos que aderiram ao #10YearsChallenge


O cantor Michel Teló também aderiu à brincadeira do #10yearschallenge na internet
Reprodução Instagram

O cantor Michel Teló também aderiu à brincadeira do #10yearschallenge na internet

Leia também: Vai subir no Brasil? Netflix anuncia aumento do preço da assinatura nos EUA

No Instagram, nomes nacionais e internacionais, como Neymar, Michel Teló, Whindersson Nunes e até Madonna entraram na brincadeira do. Para conferir mais fotos, basta buscar a hashtag #10YearsChallenge na rede social.

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Vai subir no Brasil? Netflix anuncia aumento do preço da assinatura nos EUA

Publicado

Preço da Netflix nos EUA aumentou pela primeira vez desde 2017
shutterstock

Preço da Netflix nos EUA aumentou pela primeira vez desde 2017

A Netflix subiu o preço da assinatura mensal nos Estados Unidos pela primeira vez desde 2017. Com a mudança, o preço da Netflix passa de US$ 12,99 (cerca de R$ 48,12) e US$ 15,99 (cerca de R$ 59,23) no País criador do serviço.

A alta do preço da Netflix ocorre em um momento em que a empresa volta seus esforços para produções originais e busca expansão internacional. O plano padrão, mais barato, permite a utilização em dois dispositivos simultaneamente, enquanto o pacote mais completo libera uso simultâneo de até quatro aparelhos.

Os preços anteriores eram de US$ 10,99 (cerca de R$ 40,71) e US$ 13,99 (cerca de R$ 51,82), respectivamente. Há ainda o plano mais básico, que passa de US$ 7,99 (cerca de R$ 29,60) para US$ 8,99 (cerca de R$ 33,30).

Recentemente, a empresa busca impulsionar suas produções originais, como “The Crown”, “Black Mirror” e “Wild Wild Country”, aumentando os custos de produção e até mesmo publicidade.

Na divulgação de mudança de preço, a Netflix frisa que o preço no Brasil e no México, por enquanto, não será alterado. Outros países latinos, no entanto, sofrerão aumento de preço que acompanha a mudança estadunidense.

Netflix está entre os aplicativos mais usados pelos brasileiros

Preço da Netflix, que é um dos aplicativos mais usados pelos brasileiros, aumentou nos EUA
Pixabay

Preço da Netflix, que é um dos aplicativos mais usados pelos brasileiros, aumentou nos EUA

Segundo pesquisa divulgada em dezembro de 2018 pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística ( Ibope ), as redes sociais são o tipo de aplicativo mais usados pelos brasileiros em seus smartphones.

Veja Mais:  Pego pelo estômago! Golpe no WhatsApp promete cupom de desconto no McDonald’s

O levantamento levou em consideração o comportamento de 2 mil internautas de todas as classes sociais e regiões do País. Entre eles, 75% disseram que as redes sociais são os aplicativos mais usados em seus celulares.

As redes sociais registraram liderença isolada, na frente por 29 pontos percentuais no ranking. Atrás delas, na segunda colocação, ficam os aplicativos de bancos, com 46% de uso, e apps de entretenimento (que incluem a Netflix ), que marcaram 41%.

O quarto e o quinto lugar ficaram com os aplicativos de jogos e de notícias, que apresentaram 37% e 35% dos mais usados em smartphones, respectivamente.

Segundo a divulgação, a princípio, o preço da Netflix não será alterado no Brasil, embora países vizinhos deverão ser afetados pela mudança ocorrida nos Estados Unidos.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana