conecte-se conosco


Economia

Morte de cachorro em unidade do Carrefour gera onda de protestos

Publicado


Cachorro que morreu teria sido envenenado e espancado por um funcionário do Carrefour
Reprodução Twitter

Cachorro que morreu teria sido envenenado e espancado por um funcionário do Carrefour

Ativistas e protetores de animais tem se manifestado nas redes sociais e realizados protestos contra uma unidade da rede de hipermercados Carrefour de Osasco, na Grande São Paulo. Segundo relatos, um funcionário da loja teria envenenado e espancado um cachorro na última quarta-feira (28), causando sua morte.

Leia também: Foto do cachorro de ‘Bush pai’ deitado ao lado do seu caixão comove a internet

De acordo com a versão de Isabela Marcelino, que fez a denúncia em suas redes sociais, o animal estava pelos arredores da unidade do Carrefour há cerca de uma semana, quando foi espancado por um dos seguranças do local a pedido de um superior.

“O cachorro foi quase morto a pauladas por um segurança da loja a mando de seu superior responsável, só porque pessoas importantes e diretores da matriz da empresa visitariam a loja. Para fazer “bonito”, não queriam o cachorro abandonado rodando por lá. Mandaram eliminar o animal como se não fosse nada e da pior forma possível!”, escreveu Isabela no Facebook, em um post que já reúne mais de 22 mil compartilhamentos.

Carrefour culpa Centro de Controle de Zoonoses pela morte

O vira-lata chegou a ser socorrido pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ). mas não resistiu ao ferimentos e morreu. 

Veja Mais:  No Brasil, desigualdade para de cair após 15 anos e número de pobres cresce 11%

Em nota, o Carrefour afirmou que “repudia qualquer tipo de maus-tratos contra animais” e que afastou a equipe responsável pela segurança. A rede de hipermercados confirmou que o cachorro circulava pelo estacionamento da empresa há alguns dias, alegando que a tentativa de afastar o animal “pode ter ocasionado um ferimento na pata”. 

A empresa também diz que o CCZ foi acionado diversas vezes para retirar o cachorro do local, mas não compareceu, e culpa o Centro pela morte.  “No momento da abordagem dos profissionais do órgão para imobilização, o cachorro desfaleceu em razão do uso de um “enforcador”, tipo de equipamento de contenção”, diz a nota oficial do Carrefour.

Um inquérito foi aberto na Delegacia Especializada de Osasco para investigar o caso. O vereador da cidade, Ralfi Silva, e o delegado Bruno Lima, eleito deputado estadual pelo PSL, acompanham as investigações.

Leia também: Como funciona a participação de animais em produções do cinema e da televisão

No Facebook, Lima repudia o comunicado do Carrefour, afirmando que a loja tenta “jogar toda responsabilidade para a Zoonoses, emitindo um comunicado ridículo, sendo que testemunhas presenciaram e relataram a ação do segurança”.  O vereador Silva também defendeu o CCZ , com “repúdio e indignação à nota do Carrefour”. Também na rede social, Silva publicou um vídeo do momento em que os profissionais atendem o cachorro machucado “com muito respeito e carinho durante o resgate”.

Confira:

Veja Mais:  Aposentados que precisam de cuidadorterão adicional de 25%, determina STJ

A Prefeitura de Osasco informou que o Departamento de Fauna e Bem-Estar Animal foi acionado no dia 28 para prestar socorro a um cachorro ” ferido e sangrando”, possível vítima de atropelamento.  De acordo com a nota, somente no sábado (1) o departamento recebeu a denúncia de que 
” se tratava de um caso de maus tratos”. 

Ativistas protestam pela morte do animal

Leia também: Falta de planejamento para ter um pet atinge 60% dos consumidores do País

Além da repercussão do caso nas redes sociais, defensores dos direitos dos animais realizaram, ontem (3), um protesto na unidade do Carrefour que protagonizou a história. Confira:

$

Veja Mais:  Economia brasileira cai 0,5% no trimestre encerrado em julho, diz Monitor do PIB

Comentários Facebook
publicidade

Economia

“Ser patrão no Brasil é um tormento”, diz Bolsonaro ao criticar lei trabalhista

Publicado


Bolsonaro cobrou que leis trabalhistas sejam mais próximas da informalidade, reafirmando a dificuldade ser patrão no Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Bolsonaro cobrou que leis trabalhistas sejam mais próximas da informalidade, reafirmando a dificuldade ser patrão no Brasil

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), voltou a falar sobre as dificuldades de ser empresário no Brasil e reforçou críticas às leis trabalhistas em vigor no País, chegando a cobrar que estas se aproximem do trabalho informal. As declarações foram feitas durante reunião com parlamentares do DEM, nesta quarta-feira (12), em Brasília.

Leia também: Merkel avalia que Bolsonaro dificulta acordo entre União Europeia e Mercosul

“As leis trabalistas têm de aproximar, no que for possível, da informalidade”, afirmou Bolsonaro, em trecho de vídeo transmitido ao vivo pelo deputado federal Francisco Floriano (DEM-RJ) em seu Facebook. Confira o vídeo abaixo:

O capitão reformado também fala sobre outras questões, como a demarcação de terras indígenas e de quilombolas e as mudanças no Brasil. “Não demarcarei 1 cm² de terra a mais”, disse Bolsonaro, acrescentando ataques ao PT e cobrando união da direita. “Nós agora somos governo, não é mais a esquerda. Mas nós temos que estar unidos.”

Bolsonaro ainda afirma que “não quer impor, não vai, e sequer tem força para impor coisas de sua cabeça”, reforçando a necessidade de união , sugerindo mostrar os projetos aos líderes de partidos antes de enviá-los ao Congresso, para aumentar a chance de aprovação. “Dá para mudar o destino do Brasil, depende de nós. E todo mundo vai ganhar com isso, sem exceção”, argumentou.

Veja Mais:  Petrobras anuncia aumento de 2,2% no preço médio dagasolina

Sobre sua força popular e o crescimento do PSL, seu partido, o presidente eleito questiona: “Quem sou eu para levar 30 mil pessoas [a Juíz de Fora, em comício]? Não sou eu, é o simbolismo de ser diferente. Eu jamais esperava fazer 15 deputados federais, fizemos 52.”

A cobrança de união e a necessidade desta para “vencer a guerra” contra a esquerda marcaram o discurso de Bolsonaro. “Se a gente der errado, o PT volta. A gente enfrenta esses caras desde 1922, esse tipo de filosofia. Eles hibernam, esperam o momento adequado para voltar das cinzas, como estão agora. Eu não quero eliminar o PT, eu quero colocá-lo em seu devido lugar pelo voto.”

Leia também: Bolsonaro diz que quer “fatiar” reforma da Previdência e priorizar idade mínima

Leis trabalhistas no governo Bolsonaro


Luciano Hang, dono da Havan, é citado por Bolsonaro em sua crítica às leis trabalhistas
Reprodução

Luciano Hang, dono da Havan, é citado por Bolsonaro em sua crítica às leis trabalhistas

O presidente eleito se mostra a favor da maior liberdade da economia e do menor contole do estado às relações entre empresários e trabalhadores , e, mais uma vez, criticou a legislação trabalhista e argumentou que é difícil ser patrão no País, falando também programas sociais.

Bolsonaro conta com Paulo Guedes , seu ‘superministro’ da Economia, para aprovar reformas estruturais de cunho liberal, entre elas uma nova revisão da lei trabalhista, que buscaria estimular investimentos e passar confiança ao empresariado, ao prometer maior flexibilização do trabalho.

Veja Mais:  Economia brasileira cai 0,5% no trimestre encerrado em julho, diz Monitor do PIB

Apesar de não dar detalhes, é esperado que os pontos no artigo 7º da Constituição, que trata de direitos como a previsão do pagamento de 13º salário, férias, salário mínimo e outras questões não sejam alteradas. Durante a campanha, seu vice, Hamilton Mourão, caracterizou o 13º salário como “jabuticaba”, sendo prontamente corrigido.

Ao reafirmar a dificuldade de ser empresário no Brasil, Bolsonaro cita o caso de Luciano Hang , da empresa Havan, que recebeu multa de R$ 100 milhões por supostamente ter coagido funcionários a apoarem o presidente eleito durante o período eleitoral.

“Nós queremos que tenha fiscalização sim, mas que chegue no órgão a ser fiscalizado e que a empresa seja atendida como amiga. Vê o que está errado, faz observações, dá um prazo, e depois volta pra ver se a exigência foi atingida. E aí multa. Não fazer como está aí”, disse o presidente eleito.

Leia também: Temer diz que PIB chegaria a 3,5% no ano, não fosse a greve dos caminhoneiros

“Eu, por exemplo, poderia ter uma microempresa com cinco funcionários, não tenho porque eu sei das consequências se meu negócio der errado ou quiser mandar alguém embora”, afirmou Bolsonaro ao defender a flexibilização das leis trabalhistas no Brasil.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Abono salarial do PIS começa a ser pago hoje para 1,7 milhão de trabalhadores

Publicado


Pagamentos do abono salarial para nascidos em dezembro começa nesta quinta-feira (13)
Reprodução

Pagamentos do abono salarial para nascidos em dezembro começa nesta quinta-feira (13)

O sexto lote do abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) começa a ser pago nesta quinta-feira (13). Neste lote, os valores serão destinados aos trabalhadores da iniciativa privada nascidos em dezembro, que estejam cadastrados no programa. 

Leia também: Copom mantém Selic em 6,5% ao ano na última reunião de 2018 

De acordo com o Ministério do Trabalho, cerca de 1,7 milhão de trabalhadores poderão sacar o abono salarial , que devem receber, ao todo, R$1,3 bilhão.  

O pagamento é feito nas agências da Caixa Econômica Federal . Para o clientes do banco, os valores começaram a ser depositados na terça-feira (11) e o dinheiro já está disponível na conta. 

O prazo final para sacar o benefício é  em 28 de junho de 2019 e serve para todos os trabalhadores favorecidos pelo programa. Quem perde o prazo de saque do abono deve ficar sem o dinheiro, que vai para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

Leia também: Projeto de reforma tributária que unifica dez impostos avança na Câmara

Quem pode receber o abono salarial?


Saques do abono salarial do PIS devem ser feitos na Caixa Econômica Federal
Arquivo/Agência Brasil

Saques do abono salarial do PIS devem ser feitos na Caixa Econômica Federal

O valor do abono salarial varia de R$ 80 a R$ 954, de acordo com o tempo trabalhado no ano passado. Assim, quem esteve empregado o ano todo recebe o valor cheio, equivalente a um salário mínimo (R$ 954). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é de um doze avos do salário mínimo (R$ 79,5), e assim sucessivamente.

Veja Mais:  Aposentados que precisam de cuidadorterão adicional de 25%, determina STJ

Têm direito ao pagamento os trabalhadores inscritos no PIS há pelo menos cinco anos, que tenham trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias naquele ano. Também é preciso que a remuneração mensal média no tempo trabalhado tenha sido de até dois salários mínimos e que os dados do funcionário tenham sido fornecidos corretamente pelo empregador à Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Leia também: Temer diz que PIB chegaria a 3,5% no ano, não fosse a greve dos caminhoneiros

 Esse é o último lote do abono salarial do PIS disponibilizado em 2018. Para os servidores públicos, que são inscritos no Pasep (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público), não haverá mais saques neste ano.

*Com informações da Agência Brasil

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

8 dicas para descubrir se você tem perfil para empreender no setor de educação

Publicado

Estima-se que o mercado de educação, levando em conta os setores público e privado, em todos os níveis, movimenta mais de R$ 134 bilhões ao ano. Só o ensino de idiomas fatura mais de R$ 35 bilhões. De acordo com pesquisas de empresas do setor, só 3% da população brasileira é fluente em outra língua que não o português, o que mostra que há uma grande lacuna a ser preenchida para empreender em educação e aproveitada por escolas e instituições que atuam nesse segmento.


Descubra se você tem perfil para empreender no setor de educação
Divulgação

Descubra se você tem perfil para empreender no setor de educação

No mercado de trabalho, é cada vez mais comum a escolha por profissionais bilíngues. Não à toa, 77% das pessoas que buscam cursos para aprender outras línguas o fazem com objetivo de atingir crescimento profissional. No setor de franchising, as franquias de educação movimentaram mais de R$ 2,6 bilhões no primeiro trimestre deste ano, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF). O resultado representa um incremento de 0,3% sobre o registrado no mesmo período do ano passado. Em número de unidades, as franquias do segmento expandiram sua atuação em 1,5% na mesma base de comparação,um dado relevante para pensar em empreender em educação .

Diante desses dados atraentes para quem deseja investir no próprio negócio, você pode estar se perguntando se tem ou não o perfil para empreender no ramo. Vale ressaltar que o interessado em ser franqueado de uma escola de idioma não precisa ser da área pedagógica, mas precisa obviamente gostar de gente e em especial de vendas, afinal a escola precisará prospectar alunos, gerir professores e as áreas relacionadas ao negócio, administrativo, por exemplo. Um exemplo de um perfil, a principio sem relação alguma como setor, é o caso de um dos sócios da rede Rockfeller. Fundada em 2004 em Santa Catarina, a Rockfeller surgiu com a concepção de sempre buscar a excelência no ensino de idiomas. Seu crescimento rápido permitiu que, em 2006, a escola abrisse sua primeira franquia, e, em 2008, fosse oficialmente implementado seu modelo de negócios como franqueadora, levando unidades Rockfeller para todo o Brasil. Hoje são 40 escolas em todas as regiões do país, com alunos e franqueados satisfeitos e uma marca premiada por sua excelência no segmento. A meta é chegar a 50 unidades em 2019 e cem em três anos.

Veja Mais:  Dólar opera abaixo dos R$ 4 após pesquisa Ibope apontar crescimento de Bolsonaro

O sócio fraqueador da Rockfeller, Andre Belz, apesar de ter aptdão com idiomas, estava se formando em dentisa e foi na volta do intercambio, antes de ingressar na faculdade de odontologia, o jovem estudante aceitou o desafio de dar aulas particulares de inglês enquanto esperava para ingressava no curso. Nesse período muita coisa aconteceu até que André se envolveu definitivamente com a area de educação e tempo depois se junto a Renata que era engekheira e o pai dela Romeu Morais para vitazar e remodelar a escola que ela já tinha. Hoje os três sócios franqueadores orgulham-se da escolha. “Ia ser dentista, como pai, e claro que a decisão não foi fácil, foi muito investimento na carreira, mas me envolvir a tal ponto com o lado pedagcigo que na hora da decisão daquilo que ira fazer pelo resto da vida bateu mais forte e assim me tornei franqueador”, conta Belz.

Muitos outros casos na rede seguem esse mesmo caminho. A rede tem vários casos parecidos de pessoas que conheceram a Rockfeller, seja na condição de aluno, empregado e fornecedor e que acabaram se tornando franqueado. “pelo menos 90% da rede são pessoas que de algum modo já conhecia a marca, isso é um fator muito importante se você pensar que elas de fato conhecem profundamente a rede antes de investir”, sintetiza André Belz.

Veja Mais:  No Brasil, desigualdade para de cair após 15 anos e número de pobres cresce 11%

O franqueador enumera alguns diferenciais da rede e o perfil de quem deseja investir em uma rede de ensino de idioma. Confira:
1 – sendo ou não da área de educação é importante saber que suporte a rede oferece, qual apoio a franquia presta. Isso desde a parte interna da unidade, gestão, administrativo, consultoria de vendas, captação de matriculas, e público final. Aqui na Rockfeller estamos sempre preocupados em oferecer material de ponta, afinal a velocidade com que as coisas mudam é impressionante. Somos a primeira rede a adotar as lousas interativas obrigatórias para toda a rede. Acabamos de reformular toda nossa plataforma digital e nosso material didático, que já era moderno, agora está muito mais inovador e efetivo.

2 – os nossos alunos vêm conquistando bons resultados no exame de proficiência em inglês TOEIC®, um dos mais requisitados na área profissional. A média de pontos dos alunos adultos da rede é de 800, de um total de 990. Crianças e adolescentes também obtêm desempenho semelhante no TOEFL JR®, sendo que 90% dos estudantes atingem 840 pontos de um total de 900.

3 – adotamos o método da sala de aula invertida, uma prática que vem sendo usada lá fora e aqui começa a ser explorada pelas escolas mas ainda não vi nas escolas do ensino de idioma. O aluno é protagonista do seu aprendizado desde o início da aula. As aulas são menos expositivas e mais participativas, ou seja, fogem daquele modelo de o professor falar, o aluno ouvir e fazer as suas atividades de forma passiva dentro e fora da sala de aula. Nessa metodologia, o estudante ‘tem a aula fora da sala’ e chega com todo o conteúdo pronto para colocar em prática com o professor. Ele passa a ser o protagonista do curso.

Veja Mais:  Tesouro nacional pagou R$ 602,43 milhões em dívidas de estados apenas em julho

4 – a rede também foi pioneira na oferta de aulas de 80 minutos, 20 minutos a mais do que a maioria dos cursos, o que no final do curso garante 60 horas a mais de aprendizado e prática, o equivalente a um ano a mais de conteúdo, na comparação com escolas de idiomas que oferecem cursos de dois anos e meio.

5 – em 2019 a rede lança o modelo Duo, o aluno poderá estudar onde quiser e, a cada 15 dias e quatro aulas completadas na plataforma on-line Rockfeller Play, ele deverá agendar uma aula presencial de conversação na escola pelo aplicativo My Rockfeller.

6 – outra modalidade é a On Demand, que é presencial, mas não há turmas. O estudante faz o curso sozinho por meio da plataforma Rockfeller Play nos RockSpots – espaços modernos com vários computadores onde ele também poderá agendar suas aulas pelo aplicativo My Rockfeller, nos dias e horários que desejar. Durante toda a aula ele contará com o auxílio de um tutor

7 – não se exige ser da area pedagogica, mas o franqueado deve ter aptidão comercial, já que vendas, captação de matriculas é essencial

8 – gostar de gente, de lhe dar com público, é sem dúvida outra questão a ser considerada, isso de forma direta e indireta. Tem que se levar em conta o público aluno e a gestão de funcionários. Seleção e treinamento de professores é importantissimo, claro que a rede odefere todo treinamneto, mas é preciso ficar atento ao capital humano o tempo todo
-ter capacidade de inovar e compartilhar boas práticas. Bom relacionamento interpessoal

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana