conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Mulher

Mulher cogita romper relação após descobrir que anel de noivado é falso

Publicado

Algumas mulheres acreditam que ter um anel de noivado só vale a pena se ele for muito caro e brilhante  — o que significa que o futuro marido deve gastar muito dinheiro para demonstrar o quanto a amam. Toda essa pressão sobre a jóia faz com que os noivos tenham que encontrar um meio de agradar ambas as partes, mas qual seria essa “alternativa”? 


homem colocando anel de noivado no dedo de uma mulher
shutterstock

Mulher descobriu que anel de noivado não tem pedra de diamante e ficou chateada pelo fato do noivo ter mentido sobre jóia

Para um homem (que não teve a identidade revelada) a solução foi mentir para a noiva. Em relato divulgado na coluna “Ask Natalie” do portal Uexpress , a anônima conta que descobriu sobre o anel de noivado falso quando foi à um joalheiro para contratar um seguro para a jóia. 

“Ele olhou para o meu diamante e disse que, na verdade, era zircônia cúbica (uma pedra feita em laboratório como imitação do diamante real). Eu fiquei com muita vergonha. Meu noivo fez uma surpresa com o anel e não consigo acreditar nisso”, disse. 

A mulher ainda tentou confrontar o futuro marido depois da descoberta, mas ele tentou desconversar. “Disse que um diamante verdadeiro lhe custaria uma pequena fortuna e qual era a diferença para essa pedra? Parece real e não era para eu descobrir, de qualquer forma.”

“Não acho que ele entenda o motivo de eu estar tão chateada com isso. Estou triste porque me sinto traída, ele mentiu. Estou pronta para  terminar o noivado . O que devo fazer?”, questionou à colunista, que é expert em aconselhar pessoas.

Veja Mais:  Aos 80 anos, idosa realiza sonho e faz lifting facial: “Estarei linda no caixão”

Colunista e internautas concordam que mulher deve romper noivado

A conselheira concordou que essa não é “exatamente o jeito que você quer começar a vida junto com outra pessoa”, já que o início do casamento dos dois iria se basear em uma mentira. “O problema não é a zircônia cúbica, mas o fato que ele não te contou que não é um diamante real e ainda fez você acreditar que era”, disse. 

Segundo ela, ser uma pedra falsa faz com que a noiva ache que sua relação também é uma “fraude”. “As pessoas podem te  chamar de ‘materialista’ , mas é a simbologia desse anel que importa. Ele representa seu amor e compromisso com o outro.” 

Nos comentários da página, outras mulheres concordaram com o término. “Ele te enganou de propósito”, escreveu uma internauta. “Ele até permitiu que você fizesse um seguro para o anel e não confessou antes. Omissão ainda é mentir – e eu realmente consideraria se esse homem é a pessoa com quem você quer passar o resto da sua vida.” 

E você, leitora, o que faria se descobrisse que seu  anel de noivado  é falso? 


Fonte: IG Delas
Comentários Facebook

Mulher

Isabel Hickmann sobre cirurgia do lábio leporino do filho: “Difícil aceitar”

Publicado

Desde o nascimento do seu primeiro filho, Francisco, Isabel Hickmann usa as redes sociais para falar e conscientizar sobre lábio leporino. No domingo (14), a modelo publicou uma foto no Instagram comentando sobre a cirurgia de correção da deformidade que o pequeno passou.

Leia também: Irmã de Ana Hickmann luta para ressignificar o lábio leporino

Isabel Hickmann e filho com lábio leporino arrow-options
Reprodução/Instagram

Desde que o primeiro filho nasceu, Isabel Hickmann usa as redes sociais para conscientizar sobre lábio leporino

Segundo Isabel, Francisco ainda deve passar por mais três procedimentos para corrigir o lábio leporino . “O começo do quebra-cabeça, afinal temos um pálato, uma fenda completa do lado esquerdo e surpresa quando os dentinhos nascerem. Mas uma coisa de cada vez, ele segura a minha mão, eu seguro a mão dele e a gente segue juntos”, explica a mãe.

A cirurgia aconteceu há pouco mais de dez dias e, de acordo com a mãe, as melhorias na qualidade de vida do filho já podem ser observadas. “Já vemos inúmeras diferenças principalmente na hora de comer e mamar. Estética? Por alguns foi notado, outros passou despercebido nos últimos stories da mamãe. O que eu sei é que meu filho continua LINDO!!!”, diz.

Apesar de ser uma porta-voz da deformidade, Isabel revela que não foi fácil aceitar a cirurgia e a mudança na aparência do filho. “Ele nasceu perfeito, ele viva bem assim. Algumas dificuldades, mas nenhuma limitação. Sou daquelas q nem o cabelo branco eu faço questão de pintar. E meu sorriso… ele se vai. Foi muito, mas MUITO difícil aceitar isso”, fala.

Veja Mais:  Noiva pede para convidada mudar visual no casamento: “Quero que pareça perfeito”

“Até que tive um momento de lucidez e entendi q esse sentimento era egoísmo meu. Francisco ganha qualidade de vida com essa mudança”, completa.

Leia também: Mãe de criança autista é criticada após postar fotos: “Para chamar atenção”


Entenda o que é, as causas e o tratamento do lábio leporino

De acordo com a Associação Brasileira de Fissuras Lábio Palatinas (ABFLP), o lábio leporino é uma deformidade congênita , ou seja, a criança já nasce com ela. “É caracteriza pela abertura no lábio superior de um ou dos dois lados, com uma abertura no palato (céu da boca). Ocorre entre a 4ª e a 12ª semanas de gravidez”, explicam no site da organização.

As causas costumam ter origem genética e podem ser intensificadas por fatores ambientais. “Os fatores ambientais são nutricionais (carência de minerais e vitaminas), químicos (drogas, fumo e álcool utilizados pela gestante), endócrino (alterações hormonais), atômicos (radiações) e infecciosos (contato com doenças infecciosas no primeiro trimestre de gestação)”.

Leia também: O recém-nascido chegou em casa: como cuidar do bebê nos primeiros meses

Mas, como saber que meu filho nascerá assim? A deformidade pode ser identificada a partir da 22ª semana de gestação (cinco meses e meio) através de um exame de ultrassom morfológico. Segundo a ABFLP, crianças com fissuras lábio palatinas podem ter dificuldade de alimentação e desenvolvimento da fala.

O tratamento é feito por uma equipe interdisciplinar após o nascimento do bebê para acompanhar os procedimentos cirúrgicos e o desenvolvimento da fala e facial da criança. Geralmente, cirurgia plástica do lábio leporino é feita aos três meses de vida e a do palato até os 12 meses

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Mãe comemora evolução da filha com tumor raro após médico ter sugerido aborto

Publicado

Durante a gestação, Wendy Wong, de 41 anos, da cidade de Newcastle upon Tyne, na Inglaterra, foi aconselhada pelos médicos a abortar após a filha, Savannah, ser diagnosticada com um tumor raro no rosto. A mãe, no entanto, decidiu ignorar e seguiu com a gravidez. Hoje, a pequena, de cinco anos, é feliz e saudável.

Leia também: Mãe faz alerta após filha desenvolver doença grave e ficar com manchas na pele

filha de Wendy Wong arrow-options
Reprodução/Facebook/Alex Wong

Wendy Wong conta que, durante a gravidez, um médico sugeriu que ela abortasse por conta de uma condição rara da filha

“Quando eu estava grávida de 22 semanas, um médico que me disse que havia um caroço no pescoço do meu bebê e que ele precisaria de algumas semanas para fazer uma pesquisa sobre o que poderia ser”, conta a mãe para a agência Caters News Agency , de acordo com informações do The Sun

No entanto, duas semanas depois, ela e o marido, Alex, voltaram no médico, que sugeriu para Wendy abortar e disse que eles poderiam “começar de novo”. O profissional ainda informou que o bebê iria morrer dentro dela ou logo após o nascimento. 

Depois disso, o casal, que agora vive em Nevada, nos Estados Unidos, decidiu buscar uma segunda opinião. O outro médico disse que já viu muitos casos piores, o que os deixou animados para seguir com a gravidez. Savannah veio ao mundo com higroma cístico, uma malformação do sistema linfático.

Veja Mais:  Mulher diz que manteiga de amendoim é segredo para ter cabelão digno de Rapunzel

Leia também: Mãe faz alerta após filho de sete meses ter reação alérgica grave e quase morrer

“Há muitas mães solteiras e famílias que pensam que não podem ter um bebê com essa condição e eu quero dizer a elas que é possível administrar isso e que olho para a minha filha como prova”, aponta Wendy. 

“Estamos contente que não fizemos o aborto”

Assim que nasceu, a menina precisou ficar dois meses no hospital. Em seguida, ela foi liberada e está em um tratamento experimental. No mês passado, completou cinco anos. O pai explica que a filha está bem e que assisti-la brincar é a melhor parte de tudo isso. “Vê-la fazer qualquer coisa nos proporciona muita alegria”, diz. 

Wendy relata que muitas mães lhe enviam mensagem perguntando sobre sua filha e a realidade da sua condição. “Eu apenas digo a eles que não há nada que impeça um filho de ter uma vida completamente plena, e Savannah é uma prova disso”, aponta.

Leia também: Mãe leva bebê para balada, fica bêbada e acaba matando filho ao dormir sobre ele

“Se eu pudesse voltar no momento em que o médico me disse para eu me livrar dela, eu o chamaria de um monte de nomes desagradáveis. Estamos contente que não fizemos o aborto e agora temos nossa filha maravilhosa em nossas vidas”, finaliza a mãe

Veja Mais:  Noiva pede para convidada mudar visual no casamento: “Quero que pareça perfeito”

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Você está mesmo passando tempo com seu filho ou só está perto dele fisicamente?

Publicado

Quem não queria passar mais tempo com seu filho, ter todo o tempo do mundo para estar mais perto dele? Bem, independentemente do quanto a gente se dedica, sempre é bom poder estar mais presente, né não? Mas uma coisa é importante saber, anota aí, mamãe: uma coisa é estar verdadeiramente com o filho, e outra – bem diferente – é estar ao lado dele apenas fisicamente. Já parou pra pensar nisso?

Leia também: “Nem na ausência e nem diante de nossos ‘erros’ podemos compensar com presentes”

mãe e filho brincando na grama arrow-options
Arquivo pessoal

Como você passa o tempo com seu filho? Que tal aproveitar de fato e deixar o celular e os problemas de lado?

Lembro quando, falando sobre passar tempo com seu filho , uma mãe me disse: “Meu Deus, eu nunca havia pensado assim… Eu não trabalho e passo o dia todo com minha bebê, mas estou sempre estressada fazendo as coisas da casa e, quando estou perto dela, fico no celular… Eu realmente achei que estava com ela o dia inteiro. E, na verdade, não estou nem por um minuto”.

Bingo! Era isso que eu estava fazendo essa mãe entender. Não estava com a filho nem por um minuto, não tinha verdadeiramente tempo com o filho, mas dizia aos quatro ventos – e a ela própria – que estava com a menina 24h por dia.

Mas, vamos lá, uma coisa temos que entender: ter filho hoje em dia não é como no tempo da nossa avó, quando as mães não trabalhavam fora de casa e se dedicavam quase que exclusivamente aos filhos.

Veja Mais:  Chocolate amargo é amelhor opção para a pele? Saiba como torná-lo um aliado

A psicóloga Macira Sotero, especializada em terapia familiar, lembra que a pós-modernidade trouxe, junto com as tecnologias de informação e do conhecimento, várias atividades que não faziam parte do nosso repertório cotidiano. “Precisamos aprender línguas, praticar esportes, fazer ginástica, cuidar da nossa imagem estética, nos divertir, manter um relacionamento social com parentes e amigos e, claro, trabalhar”, diz.

Agora ficou difícil, né? Se a gente tem todo o direito – e tem mesmo! – de ter tantas atividades assim e tempo para nós mesmas, quando é que vamos cuidar desses meninos, curtir os filhos ? A resposta é simples, e a gente já falou nisso por aqui: não é quantidade de tempo que conta, e ,sim, a qualidade.

E a gente ainda pode ir além nessa questão de estar ao não com a criança, viu? Até porque podemos passar muito tempo cuidando das necessidades físicas do filho, como banho, troca de fraldas, papinhas… e nada disso significa estar atenta às necessidade emocionais, onde realmente a conexão materna é significativa.

E aí, ficou pensativa? Será que você está com seus filhos no dia a dia ou cuida só das obrigações? Sim, sim, eu sei que a rotina muitas vezes é cansativa. Eu sei mesmo, pode apostar! Isso de fazer bolsa da escola todo dia, separar a roupa do judô, colocar pra lavar o que voltou sujo, conferir a tarefa de casa, preparar o jantarzinho,… ai, a fralda acabou! E tem que comprar remédio porque ele tá tossindo à noite… Vixe, já cansei só de escrever.

Veja Mais:  Horóscopo do dia: previsões para 26 de abril de 2019

E o pior, quando a gente chega em casa, e tem aquele tempinho para brincar no chão com o filho, o cansaço já está no limite. Melhor dar um tablet para a criança, porque ainda tenho um monte de coisa pra fazer em casa… Não é assim?

Então não, você NÃO está com seu filho no dia a dia. Não está tendo tempo com o filho. Ainda mais se, quando você consegue aqueles minutinhos preciosos para ficar coladinha com ele, o celular está junto, aí você dá aquela conferida nas redes sociais ou… “Ah, é a única hora que tenho para responder aos grupos de mensagens”. Sim, mamãe, mas é também a única hora que você separou para seu filho. E não é para tomar banho que ele está chamando sua atenção. É porque ele quer você, a sua atenção.

Para dedicar tempo aos filhos , não tem jeito, tem que deixar outras coisas de lado. “É preciso aprender a priorizar o tempo juntos e qualificar esse tempo com sensibilidade às necessidades físicas e emocionais da criança. Portanto, o essencial não depende só das horas passadas juntos, mas da segurança e confiança estabelecida nesse laço materno, na construção desse vínculo estruturador que lastreará todas as futuras relações dessa criança. No entanto, como em qualquer tarefa, para alcançar qualidade é preciso administrar o tempo, assumir compromisso, e ter dedicação”, explica Macira Sotero.

Veja Mais:  Da passarela para a vida real: inspire-se nos looks apresentados na SPFW

Aí, quando a gente fala em ser mãe ou pai, a gente está falando em fazer escolhas. Isso mesmo: escolhas! Se você tem coisa demais no seu dia a dia, vai ter que aprender a reorganizar essa rotina para inserir o item “filho” nela. Se existem demandas demais no seu dia a dia atual, a questão crucial é questionar se todas essas atividades são necessárias. É saber diferenciar o essencial do supérfluo. O urgente do fundamental. Se for o caso, questione se você – e, se for o caso, o pais da criança também – pode trabalhar menos enquanto os filhos são pequenos. Dá para os pais revezarem o tempo com os filhos?

Leia também: “Não podemos e nem devemos privar nossos filhos da frustração”

Psicólogos lembram que é importante dar todas as condições emocionais para que a criança possa lidar, lá na frente, com os embates da vida. Viu o poder da sua presença e do tempo com seu filho ? De sentar no chão, de dar carinho, de brincar, de dar atenção? Então, se organize, não se preocupe com a “quantidade de tempo”, mas comece a perceber a qualidade do tempo que estão junto. Sim, e deixa esse celular de lado e vai curtir esse filhote!

Fonte: IG Delas
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana