conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Policial

Operação prende integrantes de facção que coordenava tráfico de drogas em Juína

Publicado

Investigações da Polícia Judiciária Civil, conduzidas pela Delegacia de Juína, desarticularam uma organização criminosa que atuava com o tráfico de drogas no município e região. Foram presas 29 pessoas envolvidas em diversos crimes. Ao longo dos trabalhos da operação denominada “Camisa Vermelha”, foram apreendidos cerca de 50 quilos de entorpecentes, aproximadamente R$ 25 mil em dinheiro e seis armas de fogo.

Apontado como líder da facção, Evandro Luz de Santana, teve o mandado de prisão cumprido na sexta-feira (08.02), na Penitenciária Central do Estado (PCE) em Cuiabá, de onde mandava as ordens e coordenava a ação do grupo criminoso. A Polícia ainda procura por Ederson Antunes Lopes, acusado de atuar como gerente do grupo e que continua foragido.

As investigações, coordenadas pelos delegados Edison Ricardo Pick e Marco Bortolotto Remuzzi, começaram em setembro de 2018 com a prisão de um outro líder da quadrilha, Raffael Aruã Pompeu Amorim Souza, responsável por determinar e implantar as primeiras ordens da organização criminosa na cidade de Juína. O suspeito também teve o mandado de prisão cumprido dentro Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), onde cumpre pena por outros crimes.

Segundo o delegado, Edison Pick, as determinações visavam estruturar toda a logística do tráfico, desde o cadastramento de “lojistas” (traficante cadastrado, que atua na venda de droga e paga um valor mensal para facção), que eram obrigados a vender drogas somente para a organização criminosa, fazer o recolhimento de dinheiro referente a comercialização.

Veja Mais:  Polícia Civil promove debates sobre violência contra a mulher nesta sexta-feira (07/12)

“Com o desdobramento das investigações foi revelado que havia uma rede de pessoas cadastradas e aliciadas pela organização criminosa para atuar no controle e estruturação do tráfico de drogas na cidade de Juína e região noroeste”, disse o delegado. Nesse ponto da investigação, foram identificados os dois líderes da organização, responsáveis por dirigir todas as ações e logísticas da facção, com objetivo de determinar e assegurar reiteradamente o comércio de drogas, além de outros crimes relacionados.

O nome da operação “Camisa Vermelha” está relacionada as pessoas de confiança dos líderes, chamados de “Camisas” que atuavam do lado de fora do presídio. “Os ‘camisas’  funcionavam como braços direitos dos chefes presos para estruturar o tráfico de drogas em Juína. Gerenciando a atividade ilícita do lado de fora, eles tinham a função de disciiplinar os integrantes do grupo, falar sobre as regras da organização, fazer cobranças de valores e aplicar punições, cada um em sua localidade determinada” explicou Pick.

Entre as pessoas presas está a traficante, Marta Souza Amorim, 26 anos, acusada de mandar matar a jovem, Raquel Meira Duarte, de 22 anos na  cidade de Castanheira (779 km a Noroeste de Cuiabá). A prisão foi efetuada no dia 23 de janeiro, em Juína. O crime foi motivado por dívida relacionada ao tráfico de drogas. O irmão da vítima estava junto e conseguiu escapar ileso dos tiros disparados por um suspeito, correndo para o outro lado da estrada e se escondendo em uma mata.  Dois homens que participaram da execução foram presos na ocasião do crime.

Veja Mais:  Autores de roubo a estabelecimento comercial de Barra do Garças são presos pela Polícia Civil

Durante a operação, foram detidos outros traficantes locais (lojistas) que pegavam drogas e pagavam as mensalidades para a organização criminosa. O delegado Edson Pick ressalta que a identificação do grupo e o sucesso da operação foi possível graças ao empenho dos policiais da Delegacia de Juína que não mediram esforços para desarticulação do grupo criminoso.

“Quero agradecer toda a equipe de investigadores e escrivães, que participaram dos trabalhos, uma vez que sem a dedicação deles a operação não alcançaria o mesmo êxito. O reconhecimento do empenho da equipe nos deixa de alma leve e nos permite mostrar a quem nos faz bem o quanto é importante acreditar no trabalho das pessoas”, destacou o delegado.

Segue lista de integrantes da facção criminosa, identificados e presos durante a operação..

  • Evandro Luz de Santana, preso por conta de mandado de prisão, exercia a função de líder e atuava mesmo preso dentro da PCE;
  • Raffael Aruã Pompeu Amorim Souza, preso por conta de mandado de prisão, exercia a função de líder e atuava mesmo preso na CRC;
  • Mart Souza Amorim, presa por conta de mandado de prisão, exercia a função de gerente geral;
  • Ederson Antunes Lopes, está foragido, exerce a função de gerente geral;
  • Lucas Ferreira do Prado, preso por conta de mandado de prisão;

  • Marcos Antonio Rodrigues, preso por conta de mandado de prisão;
  • Edson Gomes de Oliveira, preso em flagrante;
  • Eric Ruan Bueno Ferreira, preso em flagrante;
  • João Paulo de Lima Sanzovo,  preso em flagrante;
  • Cristian Willian da Silva Rosa, prisão em flagrante;
  • João Paulo Vasconcelos Santiago, preso em flagrante;
  • João Paulo de Souza Massarolo, preso em flagrante;
  • Alexsandro Claro da Silva,preso em flagrante
  •  Harisson Patrick de Oliveira Ferreira preso em flagrante
  • Cristiano Rodrigues Correia, preso em flagrante;
  • Luís Fernando da Silva Rosa preso em flagrante;
  • Cleberson Willian Domingues Gonçalves, preso em flagrante;
  •  Dalino Marques da Silva, preso em flagrante
  •  Angélica de Oliveira Renau presa em flagrante
  •  Pedro Henrique Bueno Ventura, preso por conta de mandado prisão;
  • Wesley Freire Gelbari preso em flagrante
  • Daniel Marques Lobato, preso em flagrante.
  • Alexssandro Dimas Monfardini, preso em flagrante
  • Nayara Aparecida dos Santos, presa por conta de mandado de prisão.
  • Marcelo Campos de Souza, traficante local que pagava mensalidade para a organização
  • Fabiana Moreira da Silva, traficante local que pagava mensalidade para a organização
  • João Paulo da Silva Souza, traficante local que pagava mensalidade para a organização
  • Edmar Barbosa Borges, traficante local que pagava mensalidade para a organização
  • Paulo Lopes Ferreira, traficante local que pagava mensalidade para a organização

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook

Policial

Operação descobre depósito de mais de R$ 350 mil em bebidas

Publicado

Assessoria  | PJC-MT

Mais de R$ 350 mil em bebidas sem o recolhimento do ICMS ao Estado de Mato Grosso foram apreendidos  na operação “Liber Pater”, realizada pela  Polícia Civil com a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), por meio de investigações da Delegacia Especializada em Crime Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz).

O depósito, localizado no bairro Jardim Marajoara, em Várzea Grande, foi descoberto na sexta-feira (23), após depoimentos de envolvidos na operação. No local, policiais civis e fiscais da Fazenda encontraram grande quantidade de bebidas armazenadas, que possivelmente entraram no Estado sem o recolhimento de tributos, e seriam comercializadas para estabelecimentos (mercados, supermercados, bares, distribuidoras) de Cuiabá, Várzea Grande e interior do Estado.

A propriedade do depósito ainda não foi identificada. O local foi apontado pelos presos ouvidos na operação, que teve 10 pessoas presas por força de mandados de prisão cumpridos.

A operação denominada, “Liber Pater”, foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (23), para cumprimento de 11 mandados de prisão preventiva e 37 ordens de busca e apreensão. Foram seis mandados de prisão cumpridos em Cuiabá e quatro na cidade de Várzea Grande. Todos vão responder por integrar organização criminosa e crimes contra a ordem tributária, entre outros a serem delimitados até o final do inquérito policial. 

Uma pessoa, considerada líder da organização criminosa, segue foragida sendo procurada pela Polícia fora do Estado de Mato Grosso.  “Acreditamos que é questão de tempo até que seja efetuada dele, o único mandado ainda não cumprido. Temos uma equipe que já localizou a cidade onde está esse alvo”, informou o delegado  Sylvio do Vale Ferreira Júnior.

Veja Mais:  Polícia Civil prende autor de latrocínio que vitimou comerciante no Pedra 90

Os mandados foram expedidos para cumprimento em 13 cidades de Mato Grosso e 1 cidade do Estado de Tocantins, sendo elas: Cuiabá, Várzea Grande, Pontes e Lacerda, Comodoro, Jauru, Cáceres, Mirassol D’oeste, São José dos Quatro Marcos, Figueirópolis D’Oeste, Tangará da Serra, Campo Novo dos Parecis, Primavera do Leste, Juína e Palmas (TO), cidade que a 1.510 km de Cuiabá. 

A ação policial apura o comércio de bebidas quentes (Velho Barreiro, Jamel, Pirassununga, etc.), oriundas de outros Estados da Federação, desacompanhadas de notas fiscais, sem registro de passagem nos postos fiscais ou com simulação de trânsito para outros estados, mas com o descarregamento do produto no Estado do Mato Grosso.

A fraude, conforme o delegado Sylvio do Vale Ferreira Júnior, adjunto da Defaz, se concretiza com a distribuição das bebidas quentes aos comerciantes espalhados pelo interior do Estado de Mato Grosso, sem qualquer recolhimento de tributos ou até mesmo sem quaisquer notas fiscais.

De acordo com o delegado Sylvio, a fraude promovida pela organização criminosa foi bem estruturada ao passo que faturou aproximadamente R$ 14 milhões com a venda de bebidas quentes. “O ICMS sonegado, a título de substituição tributária, em decorrência do ingresso desses produtos (bebidas quentes) de maneira irregular no Estado de Mato Grosso, perfaz o valor de aproximadamente R$ 4 milhões, segundo dados da Secretaria de Fazenda do Estado do Mato Grosso”, pontua o delegado.

Veja Mais:  Corpo de jovem morto durante assalto em Rondonópolis está sendo velado na funerária São José

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Deletran alerta para o compartilhamento de notícia falsa referente a fiscalização

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Uma notícia que está circulando nos últimos dias nas redes sociais não condiz com os procedimentos adotados pela Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), da Polícia Civil, em relação a fiscalização Lei Seca. O artigo de opinião publicado em um site de notícia é do ano de 2016, e foi replicando passando a impressão de que os policiais foram autorizados a realizar flagrante de pessoas que estão em bares consumindo bebidas alcoólicas.

O delegado titular da Deletran, Christian Alessandro Cabral, alertou que o texto do artigo não corresponde aos procedimentos adotados pela Delegacia, apesar da técnica ser legal e usada em algumas localidades do País. O modelo de abordagem é considerado inadequado por direcionar as ações e pela imparcialidade nos atos.

“O propósito da fiscalização da Deletran é a imparcialidade e impessoalidade, fazendo com que todos, absolutamente todos, independente da classe social, econômica  e cultural, fiquem sujeitos aos rigores da lei”, afirmou.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Veja Mais:  Casal de namorados é preso pela PRF com armas
Continue lendo

Policial

Núcleo de Pessoas Desaparecidas preserva privacidade de vítimas localizadas

Publicado

Assessoria | PJC-MT

As Redes Sociais se tornaram um grande aliado da Polícia Civil, em relação ao recebimento de denúncias e informações que auxiliam o trabalho investigativo. O Núcleo de Pessoas Desaparecidas, da Delegacia Especializada de Proteção a Pessoa (DHPP), é um dos setores que mais se beneficia com a ajuda da população, que em grande parte das vezes contribui para o esclarecimento dos casos de desaparecimentos.

É natural que a comunidade que se preocupa com o fato e até mesmo ajuda solucionar uma investigação em andamento, queira saber da localização do desaparecido (o que é informado), mas também outras informações como onde e em que condições a pessoa foi encontrada, situações muitas vezes não divulgadas pela Polícia Civil

A preservação da vítima depois de localizada, ocorre porque a príncipio, quando a pessoa desapareceu, as razões eram desconhecidas. É importante ressaltar que o desaparecimento de pessoa em si não é crime, mas as circunstâncias que ocorreram durante ou depois podem estar vinculadas a algum tipo de crime ou situação que envolva a intimidade da vítima.

Os desaparecimentos ocorridos nos centros urbanos, normalmente estão relacionadas pelos seguintes motivos: Afastamento ou abandono do convívio familiar; Vítimas de acidentes; Práticas criminosas; Desaparecimento enigmático; Fuga de Custódia legal (Lar da criança/adolescente, Hospital Psiquiátrico, Clínicas de tratamento); Subtração por familiares; Sequestro, entre outros casos em que a polícia é envolvida para tentar solucionar o desaparecimento.

Veja Mais:  Sesp orienta sobre providências em casos de estupro ou assédio

Entretanto, a confirmação do real motivo do desaparecimento só acontece quando a vítima é localizada. Nesse momento, o Núcleo de Pessoas desaparecidas, opta por manter o direito de preservar a imagem e a privacidade das vítimas e dos familiares.

Normalmente (nos casos de pessoas localizadas), as vítimas voltam para casa sem dar maiores explicações, e outras situações são encontradas em situações vexatórias, presas ou em óbito. Alguns casos de maior repercussão, a própria imprensa faz matérias em que descrevem a situação a qual a vítima foi localizada, entretanto é de responsabilidade da própria família fazer essa divulgação.

O Núcleo de Pessoas Desaparecidas recebe um grande número de ocorrências e mesmo com poucos servidores, consegue êxito em localizar mais de 90% das vítimas desaparecidas.

É importante ressaltar que as páginas do Núcleo de Desaparecidos no Facebook e Instagram (@desaparecidosdhppmt), em que são publicados os cartazes de pessoas desaparecidas, assim como o número de WhatsApp da unidade (65) 9 9982-7766, são instrumentos de suma importância no êxito para a localização das vítimas.

É a partir das denúncias da população, em casos em que não há nenhuma pista, que as investigações são direcionadas, sendo essencial a ampla divulgação, repercussão e denúncias que ocorrem graças ao auxílio da sociedade e a popularidade da página.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana