conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Mulher

Para mulher, ter amantes é o segredo para garantir o prazer no casamento

Publicado

Quando se está com alguém há muito tempo, é comum que o relacionamento caia na rotina e, consequentemente, esfrie e perca o romance. Casada há 23 anos, foi exatamente isso o que Ana*, 45 anos, começou a perceber sobre seu próprio casamento. Para resolver o problema, a mulher buscou uma ajuda não tão usual. Ana se cadastrou no site Ashley Madison , uma rede social de relacionamentos extraconjugais , ou seja, onde amantes se conectam, para encontrar novas pessoas para se relacionar.


Com o casamento em crise, mulher se cadastrou em rede social dedicada a unir pessoas que querem ser amantes
shutterstock

Com o casamento em crise, mulher se cadastrou em rede social dedicada a unir pessoas que querem ser amantes

Em entrevista ao Delas , Ana conta que a ideia de se relacionar com outras pessoas e ter amantes pareceu ser uma boa saída. “Casada há mais de 20 anos, eu me sentia triste, sozinha, com autoestima baixa e o meu relacionamento desgastado”, comenta. Por esse motivo, no início de 2018, Ana se inscreveu na rede social em busca de parceiros para vivenciar novas experiências sexuais. “Eu queria algo novo e excitante”, diz.

No site, é possível colocar as suas preferências sexuais e encontrar alguém compatível com você. Então, a conversa virtual começa e, se houver interesse, avança para o “mundo real”. Tudo isso acontece de forma bastante sigilosa, preservando a identidade dos envolvidos.

Ana fala que o contato começa por e-mail, depois evolui para o telefone e, se houver interesse e vontade de partir para algo mais quente, marca-se de se encontrar pessoalmente. Desde que se cadastrou na rede social, ela já passou por esse processo com sete homens, sendo três os que ela se relacionou sexualmente.

Veja Mais:  “É a conexão mais profunda”, diz mãe deficientevisual sobre amamentação

A princípio, tudo isso pode parecer estranho para quem observa a história de fora. No entanto, Ana garante que se relacionar com outras pessoas foi o segredo para melhorar a relação com o marido. “Meu casamento mudou”, diz. 

Autoestima e autoconfiança


Para mulher, manter relações fora do casamento foi o segredo para aumentar a autoestima e autoconfiança
shutterstock

Para mulher, manter relações fora do casamento foi o segredo para aumentar a autoestima e autoconfiança

Ana conta que depois que se cadastrou na rede social, sua autoestima aumentou, emagreceu e está praticando atividade física. A mulher fala que ficou mais vaidosa e cuidadosa com a saúde. Como consequência, sua autoconfiança se elevou. Com todas essas mudanças, o marido passou a admirar mais Ana e o casamento foi melhorando. “Foi um conjunto de mudanças”, diz.

“Depois de tanto tempo casado, você nem olha direito para o outro”, fala. Porém, com as mudanças na aparência – Ana chegou a perder 20 kg desde que entrou na rede social – o marido passou a enxergar a esposa com outros olhos. Ela revela que o sexo melhorou e voltou a ser frequente na vida do casal, uma vez que isso era algo perdido entre eles.

Além disso, outra questão positiva de se relacionar com outras pessoas foi que a conversa com outros homens fez com que Ana passasse a ser uma mulher mais segura e confiante de si, o que refletiu em outras áreas da sua vida, não somente a amorosa.  

Veja Mais:  Motorhome com estilo de decoração dos anos 1960 faz sucesso na web

Amantes x marido


Mulher concilia casamento com relacionamentos com amantes, mas garante que isso não é um problema
shutterstock

Mulher concilia casamento com relacionamentos com amantes, mas garante que isso não é um problema

Mas, como fica a relação com o marido diante de tudo isso? Algumas pessoas cadastradas no Ashley Madison têm relações extraconjugais com o aval do parceiro ou da parceira. Porém, esse não é o caso de Ana. “Eu não pretendo falar sobre isso com o meu marido. Ele não aceitaria”, revela.

Nesse sentido, é preciso estratégia para conciliar os relacionamentos extraconjugais com o casamento. Ana fala que os encontros costumam ser rápidos, com duração entre 1h e 1h30, nas brechas da agenda. Além disso, a comunicação também precisa ser cuidadosa.  

Quando questionada sobre o risco de se apaixonar por outro homem, Ana garante que ama o próprio marido e que as relações fora do casamento são como se fossem uma vávula de escape da rotina. “Eu gosto de ter relacionamentos extraconjugais, eu gosto do proibido. É algo que melhora a minha autoestima e eu preciso disso para respirar”, fala.

Além disso, ela fala que consegue respeitar bem o espaço do outro e não confundir casamento com as relações que mantém com outros homens. “Eu consigo me esquecer deles quando eu chego em casa. Eu não os procuro nesses horários. É algo que consigo separar bem”, diz.

Veja Mais:  Amamentação prolongada rende críticas e mãe responde nas redes sociais

Diante de tantas mudanças positivas, Ana entende que vale a pena continuar ocultando esses relacionamentos extraconjugais. Ela também fala que não pretende se separar do marido, por exemplo. “Como é algo que melhorou muito o meu casamento, eu penso em algum dia parar com o site. Acho que não vou continuar por muito tempo”, fala.

Ana não está sozinha nessa vida de conciliar casamento e amantes . No Brasil, o site Ashley Madison tem milhões de membros cadastrados. Só na cidade de São Paulo, há mais de 1,6 milhão de membros buscando relacionamentos fora do casamento. Além disso, outro dado interessante é que as mulheres brasileiras, como Ana, buscam mais relações extraconjugais que os homens .

*Nome modificado para preservar a identidade da personagem

Comentários Facebook

Mulher

Tem dúvidas de como fazer sexo oral? Mulheres dão 10 dicas que elas já testaram

Publicado

Sugar com força, usar as mãos, fazer movimentos circulares com a língua, massagear os testículos… A lista de possibilidades parece não ter fim quando o assunto é “como fazer sexo oral no parceiro”. E, apesar de o jeito de sentir prazer variar de homem para homem (e de mulher para mulher, afinal, não é só quem recebe que tem direito de se divertir), quanto maior a quantidade de informações sobre o ato, maiores serão as chances de encontrar um jeito de satisfazer você e seu  crush na hora da transa.

Leia também: Especialista dá 5 dicas de como arrasar na hora de fazer sexo oral; confira


Ninguém nasce sabendo como fazer sexo oral! Trocar informações com as amigas pode te ajudar a melhorar a prática
shutterstock

Ninguém nasce sabendo como fazer sexo oral! Trocar informações com as amigas pode te ajudar a melhorar a prática

Para isso, nada melhor do que conversar com outras mulheres sobre o que mais dá certo na hora da prática, até porque, ninguém nasce sabendo como fazer sexo oral , não é mesmo? Pelo menos é essa a filosofia de Thamiris Bueno, de 26 anos, que dispara: “A gente não é obrigada a saber tudo. Não sabe? Pergunte. E mesmo quando já sabe bastante, pergunte também porque sempre tem algo novo para testar”.

A enfermeira defende que compartilhar essas experiências com outras mulheres pode ser um bom jeito de conseguir aprimorar ainda mais o que já é bom e afirma que trocar dicas e truques já rendeu muitos elogios e ajudou a se soltar na hora “H”.

“Tenho um grupo no Whatsapp com outras quatro amigas, onde a gente só fala sobre dicas de como fazer sexo oral, anal, penetração dupla e todo tipo de loucura na cama que você imaginar. A gente expõe nossas vivências e pergunta tudo o que testamos ou temos dúvida, sem vergonha nenhuma. E eu posso garantir que graças a esse grupo já me dei muito bem nessa vida”, confessa aos risos.

A estudante Suellen Ribeiro, de 19 anos, também é adepta do compartilhamento de informações. “Sempre fui muito tímida para falar sobre isso, até mesmo com minhas amigas. Então comecei a fazer parte de grupos no Facebook destinados a esse assunto e o meu oral, que antes era bastante travado e desajeitado, passou a ser feito com mais confiança, o que melhorou muito minha vida sexual – pelo menos é o que diz meu namorado.”

Veja Mais:  Motorhome com estilo de decoração dos anos 1960 faz sucesso na web

Uma dica de como fazer sexo oral é aproveitar as mãos para massagear outras partes do corpo do parceiro
shutterstock

Uma dica de como fazer sexo oral é aproveitar as mãos para massagear outras partes do corpo do parceiro

“Se eu sei fazer um oral bom hoje, é por causa das minhas amigas”, brinca Ana Lúcia Menezes Gonçalves, de 20 anos. A estudante conta que, depois de uma experiência “desastrosa”, chamou as melhores amigas para uma conversa séria e pediu ajuda.

“Eu tinha iniciado minha vida sexual há pouco tempo, e meu namorado na época me pediu para fazer sexo oral. Eu nem sabia por onde começar! Fiz o movimento com a cabeça com muita força e acabei sentindo vontade de vomitar. Aí não deu outra: aconteceu em cima do pênis dele. Para ajudar, acabei passando os dentes de um jeito que machucou o menino. Foi horrível”, lembra. Desde então, ela e as amigas sempre recorrem uma a outra para dividir descobertas ou sanar dúvidas. 

Para evitar situações constrangedoras e ainda deixar o crush completamente apaixonado pelo seu talento, separamos aqui algumas das melhores dicas enviadas por mulheres sobre  sexo oral – os nomes das autoras dos depoimentos foram preservados a pedido delas.

Leia também: Homens revelam o que eles realmente gostam na hora do sexo oral

Mulheres contam como fazer sexo oral e enlouquecer o parceiro


Tentar outras posições é um dos truques de como fazer sexo oral compartilhados pelas mulheres
shutterstock

Tentar outras posições é um dos truques de como fazer sexo oral compartilhados pelas mulheres

1. Encoste a língua e faça sucção: “Tente colocar o pênis o máximo que puder dentro da boca e prenda o membro entre o céu da boca e a língua. Daí, você ‘suga com a língua’. Pode até raspar levemente o dente nesse processo, porque vai acontecer naturalmente, mas tenha cuidado. Funciona super e eles adoram!”

2. Não esqueça dos testículos: “Massagear os testículos com as mãos e passar a língua é sucesso garantido. Mas precisa fazer isso de um jeito não muito agressivo, porque a área é bastante sensível. Nada de apertar forte ou morder, por exemplo.”

3. Explore outras áreas: “Eu adoro usar as mãos para tocar os testículos, a barriga, as pernas, a virilha, o bumbum… Fazer o mesmo com a língua também ajuda e deixa eles com muito tesão.”

Veja Mais:  Mãe envia brinquedo erótico por enganopara atividade na escola do filho

4. Tente outras posições: “Além das clássicas ‘ele deitado’ ou ‘ele de pé’, meu namorado gosta quando eu estou deitada e ele vem por cima, de joelhos. Assim ele quem dita o próprio movimento. Dá para fazer com a mulher deitada na cama, com a cabeça para fora da cama e o homem de pé, no chão. Acho que não tem quem não goste”.

5. Atenção especial à glande: “Foquem na ‘cabeça’ do pênis, meninas! É uma região bastante sensível, então é bom demorar um pouco mais quando sua língua passar por alí. Lamber, fazendo movimentos circulares e chupar essa área deixam eles loucos.”

6. Clássicos também funcionam: “Fazer ‘garganta profunda‘ sempre dá certo para mim. Algumas mulheres têm dificuldade de colocar o pênis todo na boca porque, quando ele começa a chegar perto da garganta dá vontade de vomitar. Mas é só se concentrar, tentar ‘abaixar’ a língua, por ela pra fora antes de colocar o pênis e ir controlando a respiração. Faça isso no seu ritmo, até conseguir alcançar uma velocidade.”

Quando o assunto é “ garganta profunda ”, um truque em comum citado por algumas mulheres é o de “apertar o polegar da mão esquerda”. Elas juram que a técnica dá certo. “Não tem segredo: aperte o seu polegar da mão esquerda enquanto estiver colocando o pênis na boca. Parece bizarro, mas juro que isso vai ajudar a não engasgar nem ter ânsia.”

7. Use e abuse da saliva: “Babar nesses casos não é vergonha. Primeiro porque vai acontecer uma hora ou outra de escorrer saliva, conforme você vai fazendo o oral, e segundo porque isso facilita o deslizamento da sua boca.”

8. Mãos para que te quero: “Masturbar o boy enquanto pratica o sexo oral é infalível! Aperte o pênis com certa firmeza e acompanhe o mesmo movimento da sua boca com as mãos.”

9. Seja firme: “Pressione o pênis com a boca de um jeito firme, mas sem machucar. Dá para fazer isso ‘apertando’ os lábios e fazendo o movimento de ‘entra e sai’. Aí você pode variar em relação à velocidade: um pouco mais devagar, depois rápido, intercalando os dois jeitos. Ah! E quando você estiver ‘subindo’, não esqueça da cabeça e capriche ali por algum tempo.”

Veja Mais:  Quer saber o que fazer para o cabelo crescer? Especialistas dão 5 dicas

10. Tenha prazer em fazer o sexo oral: “Acho que o segredo é você gostar de fazer oral. Quando a gente gosta, sente vontade de fazer com mais frequência e acaba por conhecer melhor o parceiro, passa a saber do que ele gosta mais. Quando eu não sentia prazer nenhum em fazer oral, não proporcionava um oral tão bom. Agora que morro de prazer, faço que é uma beleza e eu sei que só de me ver com vontade, sem frescura, sem nojo, meu namorado fica muito excitado.”

Bônus: Diálogo e camisinha


Há como fazer sexo oral com segurança: preservativo também deve ser usado nessa hora
shutterstock

Há como fazer sexo oral com segurança: preservativo também deve ser usado nessa hora

É importante ter em mente que o que funcionou para algumas mulheres, nem sempre funcionará para todas – e a mesma coisa em relação aos homens. Por isso, é legal testar as dicas, mas não se preocupe caso você e seu parceiro não se adaptem às recomendações.

Além dos truques já ditos, muitas mulheres afirmam que para conseguir explorar ao máximo o prazer entre o casal é preciso haver diálogo. Conversar com o seu parceiro sobre o que vocês gostam ou têm curiosidade de tentar é primordial para que a experiência seja a melhor possível.

“Não tenha medo de perguntar. Peça ajuda para ele te dizer como prefere e também fale se você não se sentir à vontade com algo que ele pedir. Ninguém é obrigada a gostar de fazer sexo oral e se esse é o seu caso, não force a barra”, fala Thamiris.

Outro conselho importante é sobre o uso do preservativo na hora de fazer o oral. Doenças sexualmente transmissíveis não se dão apenas com a penetração e você pode, sim, contrair uma DST durante a prática. Por isso, a proteção é tão importante.

Especialistas afirmam que o risco de transmissão é maior quando quem está fazendo o ato possui pequenos cortes ou arranhões na boca (muitas vezes imperceptíveis). O risco também é grande quando há sangue menstrual envolvido. Então, proteja-se sempre! E se você tiver alguma doença e for fazer sexo enquanto estiver menstruada, converse com o parceiro e redobre o cuidado!

Leia também: 10 coisas que você precisa saber sobre o sexo oral antes de começar a fazer

Mas, como se proteger? É comum ouvir que não há como fazer sexo oral com segurança, ou então que desprotegido é mais prazeroso, confortável. No entanto, os preservativos estão aí para isso. As camisinhas com sabor são grandes aliadas nesse momento. Além da proteção, a experiência torna-se mais agradável com um gostinho diferente.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Delas responde: “Casada há 22 anos, meu desejo sexual só diminui; o que fazer?”

Publicado

Quando um casal está junto há muito tempo, é comum a relação cair na rotina e se desgastar. Como consequência, o  desejo sexual vai diminuindo e o sexo esfria. Uma leitora do Delas nos escreveu dizendo que está passando por essa situação em que a relação sexual está morna e o prazer cada vez menor. Além disso, o caso dela tem um detalhe importante: ela é casada há mais de 20 anos. Diante disso, a leitora quer saber: o que fazer?


Quando o casal está junto há muito tempo, é comum o sexo cair na rotina e o desejo sexual diminuir
shutterstock

Quando o casal está junto há muito tempo, é comum o sexo cair na rotina e o desejo sexual diminuir

A falta de desejo sexual pode estar atrelada a uma série de fatores que interferem na dinâmica sexual do casal. De acordo com a sexóloga Virgínia Gaia, é fundamental entender que algo que acontece na sexualidade, na intimidade do casal, acaba se refletindo no relacionamento e vice e versa. 

Situações do dia a dia que acabam virando um padrão para o casal também podem influenciar no sexo. Ou seja, se o casal está passando por um problema na relação e discutindo muito, por exemplo, isso vai afetar o sexo e fazer com que não seja algo tão prazeroso. Por outro lado, se a relação sexual não está satisfazendo ambos, é comum que em outros momentos isso se reflita de alguma forma na vida a dois, seja em discussões ou desentendimentos.

Segundo Virgínia, é possível listar os principais fatores que desgastam um relacionamento e, consequentemente, diminuem o prazer sexual :

  • Modo automático

“Existe um grande mito de que o desejo e a atração sexual acontecem automaticamente, espontaneamente, quando, na verdade, as coisas não são bem assim”, fala. De acordo com a sexóloga, por achar que as coisas acontecem automaticamente, o casal deixa de excitar um ao outro e acaba caindo na rotina. “O sexo acaba virando mais um item da agenda do casal a ser preenchido e isso é muito complicado”, fala.

  • T abu do sexo

O fato do sexo ainda ser um tabu para muitas pessoas é algo que reflete no prazer. A sexóloga fala que por conta desse tabu é comum existir a dificuldade de sugerir coisas novas e falar o que gosta na hora do sexo. “Por incrível que pareça, existem casais que são casados há anos, mas nunca tiveram uma conversa aberta e franca, sinalizando o que gostam”, diz.

  • Desgaste diário

As questões do dia a dia também podem ter consequências no sexo. “Esse desgaste diário, as pequenas discussões, as questões banais do dia a dia acabam criando questões emocionais que podem refletir também na hora do sexo”, fala.

Veja Mais:  Motorhome com estilo de decoração dos anos 1960 faz sucesso na web

O desejo sexual diminuiu, e agora?


Conversar, repensar a dinâmica do casal e buscar gatilhos sexuais são formas de retomar o desejo sexual
shutterstock

Conversar, repensar a dinâmica do casal e buscar gatilhos sexuais são formas de retomar o desejo sexual

Rever as questões citadas acima é o primeiro passo para trabalhar o resgate do desejo sexual. Após isso, se o casal tem intimidade e um bom companheirismo, Virgínia fala que é hora de trabalhar os chamados gatilhos de excitação ou gatilhos sexuais. “Nós vamos procurar encontrar maneiras de fazer a excitação daquele casal ser um pouco mais quente, um pouco mais sexy”, fala. 

Para isso, a sexóloga diz que é interessante repensar a dinâmica do casal e resgatar a individualidade,  a autoestima e o amor próprio de cada um dos indivíduos da dupla. “Despertar a autonomia e a individualidade dentro do relacionamento, destituindo esse vigor de se sentir mais seguro, mais livre e mais autônomo, muitas vezes acaba gerando uma atração maior, porque se resgata a admiração do início do relacionamento”, explica.

Além disso, outro ponto fundamental para resgatar o desejo e o prazer sexual é perceber se os parceiros realmente entendem o corpo um do outro. Virgínia ressalta a importância de entender melhor os gatilhos de desejo e o que excita o outro. Ela explica que pode ser até que o casal precise de um trabalho terapêutico para que isso floresça novamente.

Por fim, como sempre comentamos aqui no Delas , a sexóloga relembra a importância do diálogo entre o casal. Quebrar esse tabu do sexo e falar sobre o que gosta ou não na cama é fundamental. Só assim o outro vai entender o que te satisfaz e o que deve ser evitado. Se tiver vergonha, você pode tentar sinalizar durante a relação, mas nada substitui uma boa conversa.

Veja Mais:  Amamentação prolongada rende críticas e mãe responde nas redes sociais

O prazer na hora do sexo


Com produtos eróticos, como lubrificantes, e técnicas de estimulação clitoriana, é possível aumentar o desejo sexual
shutterstock

Com produtos eróticos, como lubrificantes, e técnicas de estimulação clitoriana, é possível aumentar o desejo sexual

Além da falta de desejo, a nossa leitora comentou sobre o fato de não sentir prazer durante a penetração e questiona se isso é normal. “Não sinto dor, fico lubrificada e tenho relação normal com o meu marido, só não tenho prazer com a penetração, somente através do clitóris”, escreveu.

De acordo com a sexóloga, isso é completamente normal e não há nada de errado nem com ela e nem com as relações que ela tem com o marido. Na verdade, existem muitas mulheres na mesma situação da leitora. Segundo Virgínia, cerca de 80% das mulheres não sentem prazer com a penetração ou não têm prazer sem a estimulação direta do clitóris.

O que acontece que é que essa informação é desconhecida e as mulheres acham que há algo de errado com elas. “Buscar o prazer com a penetração é uma coisa que pode ser bacana, pode ser uma grande aventura, mas nenhuma mulher deve se sentir errada ou diferente se não sentir prazer dessa forma”, fala a profissional.

“Então, a primeira que se deve trabalhar é que não há nada de errado com ela pelo fato de não sentir prazer durante a penetração. Se ela sentir prazer com outros tipos de estimulação e conseguir o orgasmo, está ok”, diz. “Não ter orgasmo durante a penetração não caracteriza nenhum tipo de disfunção. O que vai caracterizar alguma disfunção é não ter orgasmo de nenhuma maneira”, completa.

Veja Mais:  Quer saber o que fazer para o cabelo crescer? Especialistas dão 5 dicas

A sexóloga explica que existem algumas formas de incrementar o sexo e aprimorar o prazer sexual. O primeiro é o pompoarismo ou a ginástica íntima, que são exercícios para o fortalecimento da musculatura circunvaginal e pélvica que vão ajudar a aumentar a sensibilidade da região, já que melhoram a circulação.

Outra ferramenta são os produtos eróticos que aumentam o prazer durante a relação sexual e, principalmente, durante a penetração. Virgínia sugere o uso dos lubrificantes funcionais, que são aqueles podem causar sensação de formigamento, quente ou frio. “O próprio lubrificante comum, a base de água, só para melhorar a lubrificação, já ajuda na sensação durante a penetração”, fala.

Colocar em prática algumas dicas na hora do sexo podem ajudar a aumentar o desejo sexual e o prazer durante a penetração. “A mulher pode estimular o clitóris com as mãos enquanto está sendo penetrada naquela posição de cavalgar , por exemplo”, sugere a sexóloga. Se não quiser fazer a estimulação com as mãos, é possível usar vibradores.

Por fim, se conhecer e saber o que te causa prazer é uma boa forma de melhorar o sexo. “Às vezes a falta de intimidade, de falar sobre si mesma ou sobre o próprio corpo com o parceiro acaba refletindo na prática do sexo em si”, finaliza a sexóloga. E lembre-se: o principal é não encarar tudo isso como uma obrigação. O sexo deve ser algo divertido e prazeroso, sem neuras ou regras a serem seguidas.

Tem alguma dúvida sobre sexo, sexualidade ou até mesmo posições sexuais? Faça como a leitora que nos mandou a dúvida sobre desejo sexual  e entre em contato conosco pelo email  sexo@igcorp.com.br . Nós traremos uma especialista para respondê-la com sigilo total!

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Pesquisa afirma que orgasmo feminino pode ajudar a engravidar

Publicado

Muitos temas da sexualidade ainda são pouco explorados, como o orgasmo feminino. No entanto, há uma série de motivos para valorizá-lo, desde os inúmeros benefícios para o bem-estar físico e mental da mulher até o fato de que ele ajuda quem está tentando engravidar. Então, se você quer saber como ficar grávida, apostar em relações mais intensas e prazerosas pode ser o segredo. 

Leia também: Orgasmo pode ser atingido mais facilmente com ajuda de um determinado item


A pesquisa afirma que orgasmos femininos durante o sexo aumentam em até 15% as chances de a mulher engravida
shutterstock

A pesquisa afirma que orgasmos femininos durante o sexo aumentam em até 15% as chances de a mulher engravida

Um estudo recente da Universidade College Cork, da Irlanda, afirma que orgasmos femininos durante o sexo aumentam em até 15% as chances de a mulher engravidar. O responsável pela pesquisa sobre a natureza e a função do orgasmo feminino  no processo é o professor de psicologia aplicada Robert King.

De acordo com ele ao site “Metro”, quando uma mulher chega ao ápice do prazer sexual, o esperma do homem é “sugado” para o ovário dominante, aumentando as chances de concepção.

King comenta que essa pesquisa representa o fim de uma lacuna no tema do prazer da mulher. “Quando comecei a pesquisar sobre o orgasmo feminino isso representava tipo um quebra-cabeça”, diz. O profissional também fala que o prazer da mulher não tinha muita importância nesse campo de estudo, como se os orgasmos sentidos por elas não tivessem função alguma, além de complementar o prazer masculino.

Veja Mais:  Busque mais prazer no sexo explorando os cinco sentidos

No entanto, o estudo do psicólogo veio para quebrar essa ideia tão comum na medicina e na psicologia . “Minha pesquisa se baseia em evidências crescentes de que o orgasmo feminino está intrinsecamente ligado à fertilidade”, fala.

Leia também: Estudo diz o que a mulher deve fazer para ter mais prazer em posições clássicas

Detalhes do estudo sobre orgasmo feminino


O orgasmo feminino também é positivo para mulher que querem engravidar, pois ele diminui os níveis de estresse
shutterstock

O orgasmo feminino também é positivo para mulher que querem engravidar, pois ele diminui os níveis de estresse

Para chegar à conclusão de que o orgasmo das mulheres ajuda na concepção, King estudou um grupo de seis mulheres com idade entre 26 e 52 anos de idade. O especialista pediu para que elas registrassem os orgasmos que tiverem ao usar um vibrador para se masturbar durante o período de um mês. O psicólogo pediu que elas usassem um lubrificante durante a masturbação para representar o sêmen. Assim, mediu quanto de líquido as mulheres retinham no útero quando tinham um orgasmo e quando não tinham.

De acordo com o especialista, quando as mulheres da pesquisa chegavam ao clímax da relação sexual, ela retinha até 15% mais do “sêmen” do que quando não tinha orgasmo. Nesse sentido, de acordo com Robert King, quanto mais espermatozoide é retido, maior a probabilidade de gravidez .

O médico suspeita que isso aconteça por conta da liberação do hormônio oxitocina durante o orgasmo feminino que, por sua vez, provoca um movimento peristáltico no útero que leva o esperma até o óvulo. “O orgasmo ajuda significativamente esse processo”, afirma.

Veja Mais:  Amamentação prolongada rende críticas e mãe responde nas redes sociais

Além de ser significamente importante para a concepção, o orgasmo feminino tem uma série de benefícios às mulheres. Ao “Metro”, Hana Visnova, especialista em fertilidade, ressalta como o orgasmo é importante para ajudar a mulher a engravidar. Porém, Hana levanta o ponto sob uma nova ótica. A especialista afirma que o orgasmo ajuda bastante no alívio do estresse, o que também tem relação com a concepção.

“Quando o seu corpo está estressado, ele entra no modo ‘luta ou fugir’, liberando hormônios como adrenalina e cortisol na corrente sanguínea. É como se eles dissessem ao corpo que há uma ameaça, portanto, agora não é um bom momento para engravidar”, explica. Nesse sentido, quanto mais relaxadas as mulheres estão, maior a chance de engravidar.

Hana alerta que muitos casais que tentam engravidar naturalmente podem acabar caindo em uma rotina quando o assunto é sexo, o que prejudica muito a experiência. De acordo com ela, isso pode levar a instabilidade emocional, problemas de relacionamento, tristeza, ansiedade e até distanciamento sexual. Para ela, é fundamental que os casais abandonem a ideia de “sexo com um objetivo” (no caso, engravidar), e foquem na experiência agradável de se relacionar com o outro.

A especialista quer dizer que quanto mais focado e concentrado o casal estiver na ideia de ter um filho, provavelmente isso vai diminuir as chances de uma gravidez. O segredo está em relaxar, priorizar o prazer e chegar ao orgasmo, tanto o homem quanto a mulher. São as relações prazerosas que aumentam a probabilidade de um filho ser concebido.

Veja Mais:  “É a conexão mais profunda”, diz mãe deficientevisual sobre amamentação

Leia também: Quais os benefícios do orgasmo? Educadora explica e dá dicas de como chegar lá

Benefícios do orgasmo feminino


O orgasmo feminino tem uma série de benefícios para o bem-estar físico e emocional da mulher
shutterstock

O orgasmo feminino tem uma série de benefícios para o bem-estar físico e emocional da mulher

Os benefícios do orgasmo não se restringem apenas a quem está planejando ter um filho. Na verdade, o prazer feminino pode contribuir significamente para o bem-estar físico e mental das mulheres. Em entrevista prévia ao Delas , a educadora sexual Clariana Leal fala que os benefícios vão desde o alívio de dores musculares até a melhora na aparência da pele e brilho natural do cabelo.

Esses benefícios são uma consequência dos hormônios liberados na corrente sanguínea. Entre eles, a endorfina (promove o bem-estar), a dopamina (promove o prazer) e a ocitocina (melhora o humor e diminui a ansiedade). Os hormônios que chegam até a corrente sanguínea por conta do orgasmo também combatem insônia e doenças crônicas, além de problemas relacionados ao desequilíbrio hormonal.

Além disso, um estudo realizado pela Universidade Queens, no Reino Unido, comprova que ao atingir o orgasmo os níveis de dehidroepiandrosterona e estradiol aumentam. O primeiro é responsável pela manutenção dos tecidos e da pele saudável, enquanto o segundo deixa a pele e o cabelo mais viçosos. Além disso, o brilho natural também aumenta, já que há uma vasodilatação dos vasos sanguíneos.

Por fim, mais um estudo apresenta outro benefício do orgasmo feminino . A pesquisa Wilkes University, dos Estados Unidos, aponta que uma vida sexual ativa pode aumentar os níveis do anticorpo IgA, conhecido por ser responsável pela proteção do organismo de infecções, resfriado e gripes.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana