conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Carros e Motos

Peugeot 2008 e o preconceito contra a marca do leão

Publicado


Peugeot 2008 de lado
Divulgação

Peugeot 2008 ficou com frente mais elevada, reforçando seu caráter SUV, e ganhou câmbio automático na versão turbo

O Peugeot 2008 ganhou um face-lift e surge como principal carro na estratégia de reinvenção da marca francesa no Brasil. Agora com uma nova versão de entrada de R$ 69.990, o Peugeot 2008 está pronto para atrair novos consumidores. Trata-se, na verdade, de um carro injustiçado pelo consumidor, pois tem atributos excelentes em comparação com seus rivais, mas nunca conseguiu ter uma venda expressiva no Brasil.

LEIA MAIS: Peugeot lança 2008 reestilizado a partir de R$ 69.990. E mostra retoques no 3008

O remodelado Peugeot 2008 traz também aquilo que o mercado sempre cobrou do fabricante: câmbio automático na versão Griffe THP, que utiliza motor turbo flex de 173 cavalos de potência. Essa versão topo de linha custa R$ 99.990. Mais equipado e com o mesmo preço que tinha antes, na versão com câmbio manual, o Peugeot 2008 Griffe THP torna-se bastante competitivo.

Entre a versão de entrada (motor 1.6 aspirado de 122 cv) e a topo de linha turbo, existem mais duas versões de 122 cavalos. Uma custa R$ 79.990 e a outra sai por R$ 89.990. Ficou fácil entender a gama.

O Peugeot 2008 vende menos do que merecia por duas razões. Uma delas são os erros da própria Peugeot. Outra é o preconceito do consumidor brasileiro.

Por isso, a diretora geral da Peugeot do Brasil, Ana Theresa Borsari, vem trabalhando há três anos na reinvenção da marca. Isso foi feito em três eixos: rede, serviços e produto.

Veja Mais:  VW revela SUV T-Cross por completo. Veja fotos e detalhes

A reinvenção da rede e dos serviços Peugeot


Ana Theresa Borsari na frente do Peugeot 2008
Divulgação

Ana Theresa Borsari: tese de doutorado sobre o consumidor e sonho de que a Peugeot seja vista como a marca dos SUVs.

A proposta da “nova Peugeot”, como dizem seus executivos, é “encantar o cliente”. Não é uma meta fácil, considerando o trabalho ruim que foi feito alguns anos atrás. Para mudar isso, a Peugeot investiu em três anos R$ 20 milhões em preparo da equipe e modificação da rede de concessionárias.

LEIA MAIS:  Peugeot 3008 Griffe Pack se mostra mais seguro e confortável

Para se ter uma ideia, esse é o valor que a marca tinha investido na rede nos 15 anos anteriores. A rede Peugeot vai dobrar até 2022 (atualmente são 100 concessionárias) e ainda este ano crescerá 30%. “Sabíamos que tínhamos que passar por esse alicerce qualitativo”, diz Ana Theresa, brilhante executiva que tem uma interessante visão de mundo e já dirigiu a Peugeot em outros países, inclusive numa região da França.

Quanto aos serviços, o custo de manutenção foi alinhado com o restante do mercado. Por isso, o Cesvi outorgou ao Peugeot 2008 o título de menor custo de reparabilidade. O balcão de reposição da fábrica agora conta com mais de 35.000 peças.

Mais de 1.000 carros reservas estão disponíveis nas concessionárias para que nenhum cliente fique sem veículo se a manutenção durar mais de quatro dias. Além disso, a Peugeot instituiu um serviço de reboque gratuito 24 horas durante os primeiros oito anos de uso do carro, mesmo que ele esteja fora da garantia.

Veja Mais:  Vendas de carros importados sobem 23% em agosto e 35% em relação ao ano passado

LEIA MAIS: AC T80 enfrenta o rival Peugeot 5008. Qual dos SUVs de 7 lugares vence?

É uma mudança e tanto para uma marca que durante anos foi vista como ineficiente nos serviços. Os memes feitos com as patas dianteiras do leão que representa a Peugeot dizem muito sobre isso. Mas já está mudando. Tanto que a prestigiosa pesquisa J.D. Power, perseguida por todas as montadoras do mundo, acaba de colocar a Peugeot em segundo lugar na satisfação do cliente no Brasil. O primeiro lugar ficou com o Grupo Caoa .

Peugeot 2008 pode crescer em vendas


Peugeot 3008 vermelho
Guilherme Menezes/iG

O Peugeot 3008 ganhou a versão Allure, bem mais barata do que as outras disponíveis na linha, mas muito bem equipado.


Com as modificações feitas no Peugeot 2008, a marca espera que suas vendas cresçam 30% este ano. Se antes a Peugeot era criticada por não oferecer câmbio automático no 2008 turbo, agora ela radicalizou: não existe mais câmbio manual na linha. Essa notícia desagradou alguns especialistas e puristas, mas a intenção foi exatamente esta: desassociar totalmente a imagem do câmbio manual com a marca Peugeot.

Outra ideia da Peugeot, segundo o diretor de marketing Antoine-Gaston Breton, é que a marca seja lembrada pelos atributos de robustez e durabilidade. Para isso, o desempenho da Peugeot no mercado de veículos utilitários, com os modelos Partner e Expert, tem ajudado bastante.

Veja Mais:  Você se lembra das estrelas do Salãodo Automóvel de 2008?

A confiança é tanta que o novo lema é: cliente insatisfeito com o serviço de manutenção não paga. Ana Theresa afirma que essa iniciativa não é bancada pelo fabricante, mas sim pelos próprios concessionários. Segundo ela, o entusiasmo da rede com a “nova Peugeot” é tão grande que houve um choro coletivo durante uma videoconferência entre os executivos da marca e todos os concessionários.

LEIA MAIS: Projeção antecipa visual da próxima geração do Peugeot 2008

Que bom! Antes quem chorava eram os consumidores, por causa de serviços ruins e carros que desvalorizavam. Hoje essa realidade mudou. Os carros são bons: o 208, o 2008, o 3008 e o 5008 são elogiados por todos os especialistas.

A desvalorização acima da média passou a ser um mito. Os próprios concessionários garantem a recompra por um valor de 85% da Tabela Fipe. Em alguns casos, o carro seminovo valoriza, segundo os números da Fipe, como ocorreu com o 3008.

Para Ana Theresa Borsari, a parte mais difícil vem agora: acabar com o preconceito do consumidor brasileiro. Para isso, uma grande campanha está sendo feita na televisão e na internet. Se conseguir isso, Ana Theresa talvez mereça uma estátua em Porto Real. “Sempre acreditei que esse era o caminho.

Minha tese de doutorado foi sobre o consumidor. É só através do cliente que você vira o negócio”, afirma. Seu sonho, agora, é que num futuro próximo os brasileiros se refiram à Peugeot como “aquela marca dos SUVs”, como o Peugeot 2008 .

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook

Carros e Motos

SUV-cupê do VW Polo projetado no Brasil será global, confirma executivo

Publicado

source

Motor Show

Projeção:João Kleber do Amaral

Motor Show já havia publicado com exclusividade a chegada de um novíssimo SUV cupê derivado do Volkswagen Polo ( CONFIRA AQUI TODOS OS DETALHES ), que foi chamado internamente — e mostrado em uma apresentção á imprensa sem imagem, apenas com o código “CUV”. Agora, a fabricante acabar de confirmar que a novidade será global.

LEIA MAIS: Ford prepara novo EcoSport para 2021 com a marca chinesa Changan, diz site

“Achamos o carro muito bonito e bacana”, declarou, nesta quinta-feira (15), Ralf Brandstätter, chefe global de Operações.

Projeção:João Kleber do Amaral

O lançamento está previsto para o próximo ano, que estuda a possibilidade de fabricá-lo também na Alemanha. Assim como o Polo/Virtus, o SUV cupê será feito sobre uma variação da plataforma modular A0. Sob o capô, o responsável por impulsioná-lo será o motor 1.0 TSI associado ao câmbio automático de seis marchas para entregar 128 cv de potência. Variantes 1.4 TSI não estão descartadas.

LEIA MAIS: Segredo! VW prepara versão do VW T-Cross com jeito de cupê

Projeção:João Kleber do Amaral

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Veja Mais:  Nissan Kicks Surf surge com chuveiro portátil, chave-pulseira e mais novidades
Continue lendo

Carros e Motos

Kia prepara nova picape média na categoria de Hilux, Ranger e S10

Publicado

source
Kia Telluride arrow-options
Newspress

Picape média da Kia poderá ter linhas baseadas no SUV Telluride mostrado em janeiro durante o Salão de Detroit (EUA)

A Kia já iniciou a etapa de projetos para uma nova picape média na mesma categoria de Chevrolet S10, Ford Ranger e Toyota Hilux ao mercado australiano, informa o site americano Cars Guide. O chefe de operações da marca no país, Damien Meredith, confirmou à publicação que o projeto incluirá versões de cabine simples e dupla, e provavelmente será um carro global.

LEIA MAIS: Jeep não terá SUV menor que o Renegade no Brasil, diz executivo

Outra fonte ligada ao grupo coreano que também inclui a Hyundai contou ao Cars Guide que o novo produto “precisa ser de interesse internacional para receber aprovação”. Dessa forma, podemos imaginar que a nova picape da Kia poderá aparecer em outros continentes, mas ainda é cedo para cravar se viria ao Brasil. Ela também não terá sua estrutura compartilhada com a compacta Santa Cruz .

LEIA MAIS: VW Tarok: nova picape deverá ser fabricada na Argentina em breve

Meredith antecipou à publicação que a Kia pretende assegurar 10% do mercado de picapes médias na Austrália com opções a gasolina e turbodiesel. Um conceito também deverá ser apresentado no segundo semestre de 2020, com mais informações sobre o que está por vir.

Veja Mais:  Kia Sportage renovado fica com visual mais arrojado, mas mantém parte mecânica

Hyundai também se move

Hyundai Santa Cruz arrow-options
Divulgação

Hyundai Santa Cruz será a nova picape intermediária da marca coreana. Ainda não é certa para o Brasil

No início do ano, foi confirmada a fabricação da nova picape intermediária da Hyundai nos Estados Unidos. Baseada no conceito Santa Cruz de 2015, será vendida na mesma categoria de Fiat Toro e Renault Duster Oroch, abaixo dos modelos médios.

LEIA MAIS: Hyundai Santa Cruz tem produção confirmada nos Estados Unidos

Executivos americanos confirmam que o modelo da Hyundai será vendido exclusivamente no arranjo cabine dupla, com capacidade para levar até 5 passageiro, e caçamba que poderá ser equipada com extensores, trilhos, ganchos de amarração e outros. Quanto à sua mecânica, se as decisões não mudarem para quando virar modelo de produção, seguirá com o 2.0 turbodiesel de 190 cv (que não deverá ser oferecido fora da América do Norte), além de 1.6 turbo com 204 cv ou a 2.4 aspirado de 185 cv, ambos a gasolina.

Fonte: Cars Guide

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Veja vídeo do VW Golf GTE, o híbrido esportivo que chega em novembro

Publicado

source

O Golf GTE será o primeiro carro hibrido que a Volkswagen vai vender no Brasil e deve chegar já no mês de novembro. É um modelo esportivo que tem dois motores. Um a gasolina, 1.4, TSI turbo e um elétrico acoplado. E o motorista pode optar em usar apenas o elétrico ou somente o a combustão, lembrando que a autonomia só na bateria é de 50 quilômetros, ao custo de cerca de R$ 5.

LEIA MAIS: Quem precisa de um Golf GTE híbrido que vai custar R$ 200 mil?

A diferença do híbrido da Volkswagen com outros que são vendidos no Brasil é que a bateria pode ser carregada na tomada. Ele é um modelo plug-in. Mas o motor a combustão também carrega a bateria bem como a regeneração dos freios. Juntando os dois motores a autonomia do Golf GTE chega a 900 quilômetros, com um tanque de apenas 40 litros de gasolina.

 Trata-se de um carro esportivo e esta designação está alinhada com as siglas GTI e GTD, dois ícones da linha Golf. O motor a combustão do GTE é 1.4 com 150 cavalos de potência e o elétrico gera mais 102 cavalos, totalizando 204 cavalos. Por isso é um carro esportivo . Só com o motor elétrico o Golf GTE chega a uma velocidade de 130 quilômetros por hora, com zero de poluição.

 Quando toda a potência combinada do sistema é utilizada, o GTE vai de 0 a 100 km/h em 7.6 segundos, atingindo 222 km/h. Ainda mais significativo é o potencial de propulsão. Com a combinação dos dois motores produz um torque de 35,7 kgfm, resultando em um grande prazer de dirigir.

Veja Mais:  Vendas de carros importados sobem 23% em agosto e 35% em relação ao ano passado

LEIA MAIS: Testamos o VW Golf GTE, versão híbrida com autonomia de até 900 km

 Tudo isso é transferido para as rodas através de um câmbio automático DSG de seis marchas com aletas atrás do volante. Apesar da potência e torque, o Golf GTE é um dos carros mais eficientes do mundo em termos energéticos. A bateria precisa de 2h45 para carregar totalmente em uma tomada convencional de 220V ou em uma estação de recarga.

 O Golf GTE tem vários modos de condução. Para rodar apenas com o motor elétrico, basta acionar um botão ao lado do câmbio para entrar no e-mode. Também tem o híbrido. Ao selecionar esse modo, a tecnologia do GTE escolhe qual sistema é o mais eficiente para cada situação de uso.

LEIA MAIS: VW terá 99 unidades do Golf híbrido no Brasil, a partir do segundo semestre

O motorista não precisa fazer nada. Também tem o modo recarga, quando apenas o motor 1.4 TSI de 150 cavalos movimentará o veículo, que também mandará carga para a bateria. E o modo esportivo GTE. Nele o motor a gasolina e o motor elétrico trabalham juntos para transformar o Golf GTE em um esportivo de verdade. As potências dos dois motores são combinadas e o motorista tem 204 cavalos à disposição.

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana