conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Policia Federal

PF desarticula organização que fraudava o INSS

Publicado

Curitiba/PR – A Polícia Federal deflagrou nesta manhã, 06/12, a operação *Crotalus, com o objetivo de desarticular organização criminosa que fraudava os cofres públicos por meio de fraudes em benefícios do INSS. As fraudes chegam aos R$ 2 milhões até o momento.

Policiais Federais estão cumprindo seis mandados de busca e apreensão nas cidades de Curitiba, São José dos Pinhais, Cascavel e Marechal Cândido Rondon no Paraná e em Bombinhas, em Santa Catarina, além de um mandado de prisão em nome de um dos investigados, porém relacionado a outra investigação em crime de moeda falsa.

A investigação teve início em 2017 em razão da suspeita de recebimento indevido de um benefício previdenciário de pensão por morte, em decorrência do suposto óbito da esposa. Investigações mostraram que ambos não existiam: o viúvo e a suposta esposa morta.

Após as diversas diligências realizadas foi possível constatar a existência de um sofisticado sistema de criação de pessoas fictícias, criação de pessoas jurídicas em nome de pessoas fictícias, falsificação de documentos públicos diversos, abertura de contas bancárias, aquisição de financiamentos de veículos em nome de pessoas fictícias, entre diversas outras práticas criminosas.

As diversas pessoas físicas e jurídicas criadas pela organização eram utilizadas para dificultar o rastreamento dos reais autores das fraudes.

Em razão desse fato foram analisados centenas de registros financeiros dessas pessoas que não existem, o que auxiliou a Policia Federal na identificação dos integrantes da organização.

Além da análise das movimentações financeiras, os integrantes também foram acompanhados veladamente durante meses por policiais federais, sendo identificados os locais onde realizavam os saques, além de outros integrantes da organização ainda desconhecidos até aquele momento.

Os quatro benefícios indevidos começaram a ser recebidos por volta de 2008/2009. O total do prejuízo aproximado até agora nesses benefícios já identificados, em valores atuais, é de cerca de 2 milhões de reais. Os benefícios fraudados eram os do limite do INSS, R$ 5.645,00.

Foram identificadas diversas empresas de fachada criadas e mantidas pelos integrantes da organização para movimentar os valores obtidos através das fraudes em face do INSS.

Com a deflagração desta operação, foram suspensos imediatamente os benefícios obtidos mediante fraude, o bloqueio de ativos de 6 pessoas físicas relacionadas direta ou indiretamente às fraudes, restrição de transferência de veículos, bloqueio dos ativos de aproximadamente 20 pessoas físicas fictícias e empresas de fachada, assim como a indisponibilidade de quaisquer outros bens e valores sob guarda, depósito ou administração de instituições financeiras no Brasil.

*Crotalus é um gênero de serpentes. A operação tem esse nome em alusão ao local onde residia um dos principais alvos e local de forte atuação da organização criminosa.

Não haverá coletiva de imprensa. Informações no telefone abaixo.

 

Veja Mais:  PF desarticula grupo especializado em tráfico de drogas internacional em SP

Comunicação Social da Polícia Federal em Curitiba-PR

Contato: 41-3251-7809
cs.srpr@dpf.gov.br

 

Comentários Facebook

Policia Federal

Operação Contra-ataque investiga invasões ao site da Justiça Federal em Sergipe

Publicado

Aracaju/SE – A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (18/4) a Operação “Contra-ataque”, com o objetivo de identificar e responsabilizar os autores de invasões ao site da Justiça Federal em Sergipe, ocorridas em 05/11/2016, que interromperam o funcionamento do endereço eletrônico.

Foram cumpriram 6 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Belo Horizonte/MG, Brasília/DF e Novo Hamburgo/RS. Os mandados foram expedidos pela 3ª Vara da Justiça Federal da Seção Judiciária de Sergipe.

Policiais federais apreenderam celulares, computadores e mídias pertencentes aos envolvidos. Esses equipamentos serão submetidos a exames periciais, com o objetivo que incrementar as provas já colhidas no Inquérito Policial.

Os envolvidos podem responder pela prática do crime do art. 154-A do Código Penal, que prevê pena de multa e de detenção de até um ano.

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
Veja Mais:  Operação Diarista investiga desvio de recursos do Conselho de Odontologia em Rondônia
Continue lendo

Policia Federal

Operação Retomada desarticula grupo envolvido em roubo de cargas em Alagoas

Publicado

Maceió/AL – A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (18/4) a fase ostensiva da Operação Retomada, com o objetivo de reprimir organização criminosa envolvida com roubo de carga no Estado de Alagoas. Policiais Federais, com o apoio da Polícia Militar e Polícia Civil de Alagoas e da Polícia Rodoviária Federal, cumpriram dois mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal de Alagoas, na cidade de São Sebastião/AL.

Os materiais apreendidos serão submetidos à perícia técnica e, em seguida, juntados a Inquérito Policial instaurado em abril deste ano, quando da ocorrência de roubo de objetos pessoais e institucionais de um policial federal em mudança de endereço no Estado. O roubo aconteceu na rodovia BR 101, no município de Porto Real do Colégio/AL.

Identificados no curso das investigações, os suspeitos serão ouvidos, na Sede da PF em Alagoas, pela autoridade policial que preside o inquérito instaurado e responderão pelos crimes do art. 2º, da Lei nº 12850/13 e art. 157, do Código Penal.

O nome da Operação Retomada faz alusão à ação da qual se pretender recuperar, reconquistar e reaver um determinado bem.

Não haverá coletiva de imprensa.

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
Veja Mais:  PF prende homem tentando embarcar com objeto em ouro não declarado
Continue lendo

Policia Federal

Operação Contêiner investiga esquema de descaminho na aquisição de CFTV

Publicado

Campo Grande/MS – A Polícia Federal, juntamente com equipe da Receita Federal, cumpriu na quarta (17/4) dois mandados de busca e apreensão, no âmbito da Operação Contêiner, em investigação acerca da entrada de mercadorias do exterior, sem o correspondente recolhimento dos tributos devidos. Uma das buscas ocorreu na casa de um empresário, de 39 anos, morador do Bairro Vilas Boas, e outro mandado foi cumprido em sede de empresa importadora.

A PF apurou que a importadora mantinha contratos de fornecimento de equipamentos e serviços de instalação de sistemas de monitoramento e vigilância por câmeras, com diversos órgãos públicos. A investigação demonstrou que a firma servia, na verdade, como empresa de fachada para dar legalidade e confiabilidade aos serviços prestados por seu proprietário, que internalizava no país os equipamentos ilegalmente, sem o pagamento dos devidos tributos, ludibriando órgãos públicos contratantes e, assim, auferindo lucros.

Ao término das buscas, uma pistola calibre .380 de origem estrangeira foi encontrada sem a comprovação da importação lícita. O empresário foi preso em flagrante e conduzido para a Superintendência Regional, onde prestou depoimento. Também foi encontrada pequena quantidade de drogas supostamente para consumo próprio. Ele responderá criminalmente por infração aos delitos de descaminho, posse de droga e tráfico internacional de arma de fogo.

 

Fonte: Polícia Federal
Comentários Facebook
Veja Mais:  PF combate divulgação de material pornográfico pela internet
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana