conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Policial

Polícia Civil localiza propriedade rural onde onças-pintadas teriam sido mortas

Publicado

Assessoria/PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil localizou nesta quarta-feira (13.11) a propriedade rural, no município de Cocalinho (923 km a Leste de Cuiabá), em que foi realizada a matança de três onças-pintadas, cujas imagens dos animais mortos foram divulgadas em diferentes redes sociais na internet.

A propriedade rural é de difícil acesso e fica a aproximadamente 150 quilômetros da região central de Cocalinho. No local, a equipe da Polícia Civil encontrou a caminhonete que aparece no vídeo, confirmando se tratar da propriedade onde ocorreu o crime ambiental.

Os policiais foram recebidos por um caseiro que chegou a fazenda há cerca de quatro dias, a pedido do proprietário que alegou que o imóvel estava vazio. Questionado, o funcionário disse que ficou sabendo do vídeo em que as onças aparecem mortas somente depois que chegou à propriedade.

O delegado Valmon Pereira da Silva explica que o crime ambiental ocorreu há aproximadamente cinco ou seis dias, antes do novo caseiro ser chamado para trabalhar na propriedade. “Os três suspeitos envolvidos na morte e na divulgação das imagens dos animais fugiram, porém, o dono da fazenda já foi identificado e será ouvido”, disse o delegado.

A Polícia Civil continua as diligências em buscas dos suspeitos da morte dos animais, que responderão por crime ambiental contra a fauna, previsto no artigo 29 da lei 9605/98.

Após confecção de relatório, a documentação será encaminhada para os órgãos ambientais, com objetivo de apurar o crime ambiental por parte dos suspeitos e também do proprietário, assim como a adoção de medidas administrativas cabíveis.

Veja Mais:  Polícia Civil prende homem por porte ilegal de arma de fogo em Rondonópolis

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Policial

Polícia Civil prende 4 e apreende mais 90 porções de droga em Poconé

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Quatro pessoas foram presas e um ponto de venda de drogas desarticulado em Poconé (104 km ao Sul de Cuiabá), pela Polícia Judiciária Civil do município na tarde de quinta-feira (12.12). O trabalho contou com apoio da 3ª Delegacia de Polícia de Várzea Grande.

A ação deflagrada para cumprimento de mandado de busca e apreensão, resultou também na apreensão de mais de 90 porções de drogas e mais de R$ 1 mil em dinheiro proveniente do tráfico.

Benedito Cassemiro de Oliveira, 45, Domingos Jorge de Souza, 42, Thales Vinícius da Silva, 28, e a suspeita Kelly Josiane da Silva, 35, foram atuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico.

As diligências iniciaram após denúncia pelo disque 197, sobre um endereço com suspeitas de ser usado para o comércio de entorpecentes, razão a qual os policiais civis passaram a apurar as informações.

Durante as investigações foram constatados os fatos e a existência de traficância no imóvel no bairro São Benedito. Com base nos indícios, a Polícia Civil de Poconé representou pelo pedido de busca e apreensão domiciliar, decretado pela Justiça.

De posse do mandado os policiais civis foram até a casa, alvo da ordem judicial, onde três homens e uma mulher foram surpreendidos.

No local foram apreendidas mais de 90 trouxinhas de pasta base de cocaína, prontas para a venda, diversos materiais utilizados para preparar e embalar as substâncias, além da quantia em dinheiro de mais de R$ 1 mil, proveniente da venda de entorpecentes.

Veja Mais:  Veículo carregado com cerca de 270Kg de maconha se envolve em acidente na BR-364 em Rondonópolis/MT

Diante do flagrante, os quatro envolvidos foram encaminhados para Delegacia de Poconé, interrogados pelo delegado Joaquim Leitão Júnior, e presos por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Após a confecção dos autos os conduzidos foram apresentados para audiência de custódia, ficando à disposição do Poder Judiciário.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Autores de homicídio consumado na Capital e tentado têm prisão cumprida

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Dois autores de homicídio consuma e tentado ocorrido na Capital tiveram mandados de prisão cumpridos pela Polícia Judiciária Civil, na quinta-feira (13.12), após serem identificados em investigações da Delegacia Especializada de Homicídios Proteção a Pessoa (DHPP).

Entre os presos estão, Jean Rodrigues Silva Santos, 18, e Jefferson Luiz Silva Pereira, 18, apontados como autores do homicídio consumado contra Gabriel Gama da Silva, 18, e homicídio tentado contra F.S.A., de 17 anos.

O crime ocorreu no dia 29 de janeiro, por volta das 23h50, no bairro Santa Terezinha II, em Cuiabá. Na ocasião, as vítimas estavam conversando na porta da residência, quando foram surpreendidas por quatro homens em um carro branco, que mediante emprego de arma de fogo (um revólver e uma pistola) os conduziram até uma região de mata no bairro Santa Terezinha II.

A vítima Gabriel foi levada para dentro do matagal, onde foi executada com um disparo de arma de fogo na barriga. A vítima tentada desceu do veículo e conseguiu correr, ocasião em que foi atingda com dois disparos de arma de fogo no rosto.

Acreditando que os suspeitos tinham ido embora, F.S.A. foi até o local em que Gabriel foi executado, momento em que foi atingido por mais um disparo no ombro. Quando os executores deixaram o local, a vítima procurou por socorro na vizinhança, sendo encaminhada ao Pronto Socorro de Cuiabá, onde permaneceu internada por três semanas.

Veja Mais:  Polícia Civil prende autor de vários furtos a comércios de Várzea Grande

De acordo com a vítima sobrevivente, ela não possuía dívida de drogas, porém não sabe dizer se Gabriel devia valores a traficantes. Durante as investigações da DHPP, conduzidas pelo delegado Caio Fernando Alvares de Albuquerque, os suspeitos Jean e Jefferson foram identificados como autores da ação criminosa.

Eles também foram seguramente reconhecidos pela vítima como ocupantes do veículo, mas precisamente Jean quem realizou o disparo contra Gabriel e Jefferson como autor dos disparos contra a vítima tentada. Com base nos indícios de autoria, o delegado representou pelas prisões temporárias dos dois suspeitos, que foram deferidas pela Justiça.

O mandado de prisão contra Jean foi cumprido na quarta-feira (11), durante trabalho investigativo dos policiais da DHPP e a prisão Jefferson foi realizada na quinta-feira (12), no presídio, onde o suspeito já está preso pela prática de tráfico de drogas.

A dupla foi indiciada em inquérito policial por duplo homicídio (consumado e tentado) qualificados pelo motivo torpe e emprego de recurso que impossibilitou/dificultou a defesa. Com as prisões, aguarda-se a conversão em prisões preventiva representadas no indiciamento.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Operação prende 12 pessoas e recupera mais de R$ 2 milhões em defensivos

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Mais de R$ 2 milhões em defensivos agrícolas foram recuperados pela Polícia Judiciária Civil, na operação “Fim da Linha”, deflagrada pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), com objetivo de desarticular o principal grupo criminoso atuante em roubo de agrotóxicos no estado.

A operação, deflagrada na quinta-feira (12.12), visava dar cumprimento a 16 ordens judiciais, entre mandados de prisão e busca e apreensão, em 6 cidades de Mato Grosso, Cuiabá, Primavera do Leste, Poxoréu, Sinop, Sorriso e Lucas do Rio verde.

Durante os trabalhos foi realizada a prisão de 12 pessoas, sendo 6 delas por mandado de prisão, apontados como integrantes do grupo criminoso, e outras 6 em flagrante por crimes de posse ilegal de arma de fogo, munições e receptação de defensivos agrícolas e veículos roubados.

Em toda a investigação, foram apreendidos ainda 13 armas de fogo e mais de 200 munições, além de vários galões de agrotóxico de origem ilícita, totalizando mais de R$ 2 milhões em produtos apreendidos. As cargas foram recuperadas em ações realizadas nos municípios de Lucas do Rio Verde, Sorriso, Campo Verde e São José do Rio Claro.

De acordo com o delegado que coordenou as investigações, Frederico Murta, essa é a primeira etapa do trabalho que tinha o objetivo de tirar de circulação o grupo criminoso que executava os roubos de maneira recorrente. “Os trabalhos serão continuados em nova fase, a qual visará a identificação e punição dos receptadores que encomendam e adquirem esses produtos”, disse.

Veja Mais:  PM prende dupla por furto e receptação de combustível em Rondonópolis

O delegado titular da GCCO, Flávio Henrique Stringueta, explica que os crimes de roubos e furtos de defensivos agrícolas impactam diretamente o estado, uma vez que a força motriz de Mato Grosso é o agronegócio.

“As cobranças de soluções para crimes dessa natureza são grandes, tanto pela sociedade civil, quanto pelo próprio Governo, que também é cobrado, principalmente pelos agricultores. Desta forma, a GCCO colocou como uma das metas intensificar a repressão a esses crimes, que culminou na desarticulação desse grupo, envolvido em pelo menos 11 roubos no estado”, disse o delegado.

A operação contou com o apoio das delegacias de Sinop, Lucas do Rio Verde, Sorriso, Primavera do Leste e do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer).

Investigações

As investigações iniciaram há cerca de um ano, conseguindo desarticular a principal organização criminosa especializada em roubos de defensivos agrícolas no estado de Mato Grosso. Durante os trabalhos, foram identificados os 08  principais integrantes do grupo criminoso responsável por pelo menos 11 roubos realizados no período de um ano.

Por meio de ações de inteligência e análise de dados, a GCCO conseguiu mapear e identificar 11 fazendas situadas em diversos municípios, as quais foram vítimas do mesmo grupo criminoso. De acordo com o delegado, Frederico Murta, que conduziu as investigações, em todos os fatos investigados os criminosos atuavam sempre da mesma maneira.

Veja Mais:  Dois postos de combustíveis são alvos de fiscalização após denúncias de consumidores

“Cerca de 10 indivíduos fortemente armados e com uso de coletes balísticos, rendiam e amarravam os moradores e funcionários das fazendas, cortando ainda todo tipo de comunicação. Valendo de muita violência e graves ameaças às vítimas que permaneciam amarradas por horas”, explicou o delegado.

Presos

Entre os presos estão, Fernando Serrando de Souza, conhecido como “Gordão”, Moisés Sales da Silva, o “Magrão”, Reinald Sthephanio Arouca de Moura, o “Rinodê”, Márcio Vieira Dias, conhecido como “Mineiro”, José Carlos Oliveira Duarte, o “Perninha” e Bruna Almeida Silva.

Outros dois integrantes do grupo, identificados como, Johne Ribeiro da Silva, o “John-John” e Cassiano de Lima Camargo, conhecido como “Cara de Arraia”, morreram durante confronto com a Polícia, no mês de outubro, ocasião em que um policial também ficou ferido.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana