conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Policial

Polícia Civil prende 6 ladrões de banco que sequestraram família de gerente em Rondonópolis

Publicado

Uma operação da Polícia Judiciária Civil, desencadeada após investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Rondonópolis, com apoio da  Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), cumpriu na manhã desta quinta-feira (08), seis mandados de prisão temporária (30 dias) em desfavor de um grupo criminoso investigado em crime de extorsão mediante sequestro qualificado, praticado contra a família do gerente de uma agência bancária da cidade de Rondonópolis (212 km ao Sul). Os criminosos roubaram R$ 372 mil do cofre do banco.

A operação denominada “Safe Box” (em alusão ao cofre do banco) cumpriu cinco mandados  em Cuiabá, levando à prisão: Donizete Oliveira de Paula, Guilherme Domingos Ferri e Hudson Conceição Mendes. Os suspeitos  Jhonatha Willian Dueti Dourado e Romário Alves Pinheiro já estavam presos e  tiveram as ordens de prisão cumpridas dentro da Penitenciária Central do Estado, na capital.  Em Rondonópolis foi preso Gabriel Agnelo Wallauer dos Santos.

Todos tiveram mandados de prisão temporária e busca e apreensão domiciliar decretados pela juíza da 2° Vara Criminal de Rondonópolis. Os suspeitos vão responder por crime de extorsão mediante sequestro qualificado com  pena de 12 a 20 anos de prisão.

O crime ocorreu no dia 2 de maio de 2018, por volta das 19h00, quando três criminosos portando armas de fogo (pistolas) invadiram a residência do vizinho do gerente do Banco Bradesco, mantendo-o em cárcere privado, tendo como finalidade entrar ar na casa do gerente da agência bancária. No dia seguinte, por volta das 04h30, mais três pessoas, portando armas de fogo, se juntaram ao grupo e invadiram a casa do gerente do banco. No imóvel estavam esposa e os filhos, um de 6 anos e outro de 4 meses.

Veja Mais:  PRF apreende cerca de R$4,5 milhões durante fiscalização na BR-070 em Poconé/MT

O vizinho, a esposa e filhos da vítima foram levados para um cativeiro, permanecendo na residência apenas o gerente do Banco Bradesco. Foi exigido como garantia para libertar seus filhos, esposa e vizinho, que retirasse todo o dinheiro do cofre da agência bancária e entregasse aos criminosos.

Os autores forneceram um telefone celular à vítima para manterem contato e monitorá-la. Por volta das 08h, a vítima foi até a agência bancária, retirou a quantia de R$ 372 mil do cofre, colocou em um saco de lixo e entregou aos criminosos. Em seguida as demais vítimas foram liberadas do cativeiro e deixadas em local ermo da cidade

Nas investigações da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), com apoio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), os policiais identificaram o envolvimento de seis pessoas, sendo cinco homens oriundos de Cuiabá e um de Rondonópolis.

As investigações apontam que o alvo Gabriel Agnelo Wallauer dos Santos foi o responsável por ceder à residência usada como cativeiro. O local foi reconhecido pelas vítimas e também descoberto um comprovante da locação da residência feita por ele.

Os demais envolvidos, todos da cidade de Cuiabá, são: Donizete Oliveira de Paula, Romário Alves Pinheiro, Guilherme Domingos Ferri, Jhonatha William Dueti Dourado e Hudson Conceição Mendes.

Os suspeitos Donizete e Romário foram reconhecidos fotograficamente por uma das vítimas. Também foram identificados dois veículos utilizados no crime, sendo  Gol branco, em nome do suspeito Hudson, que foi utilizado para recolher o dinheiro, e um veículo Sandero, cor cinza, em nome do pais do alvo Guilherme Ferri, que foi usado para transportar as vítimas do sequestro.

Veja Mais:  Trio é preso e Scania roubada em Goiás é localizada em Várzea Grande

As evidências contra os suspeitos estão em relatórios, termos de depoimentos e demais documentos produzidos dentro dos autos. Na operação de hoje foram apreendidos veículos (um usado no crime e outro comprado com o dinheiro roubado) e outros produtos ainda não contabilizados.

Foto: Assessoria-PJC

Comentários Facebook

Policial

Ex-PM é executado a tiros em Rondonópolis

Publicado

Um ex-policial militar, conhecido como Anderson Alves de Souza, de 34 anos, foi executado na noite desta segunda-feira (17) em Rondonópolis. O crime ocorreu no bairro Jardim Brasília, próximo a escola Dom Wunibaldo na Avenida Marechal Rondon.

A vítima estava em uma motocicleta quando foi alvejada por disparos de arma de fogo. Ela caiu da moto e morreu no local. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionado, a equipe médica constatou o óbito.

Não se sabe o que motivou o crime, o caso ainda será investigado pela Polícia Civil.

Anderson chegou a ser policial, mas foi expulso do quadro por indisciplina. A polícia ainda procura pelos suspeitos.

Comentários Facebook
Veja Mais:  Reeducando é encontrado morto dentro de cela na penitenciária da Mata Grande
Continue lendo

Policial

Polícia Civil prende interno por atuar com tráfico de drogas no Pomeri

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia de Repressão a Entorpecente (DRE), efetuou na manhã de segunda-feira (17.06), a prisão de C.C.S. 19 anos pelo crime de tráfico de drogas. O suspeito estava atuando na atividade ilícita dentro do Complexo Pomeri, na Capital.

Após revistas em vários quartos do complexo socioeducativo, os agentes prisionais encontraram um total de 17 porções pequenas de maconha.  As revistas foram intensificadas no quarto do investigado, confirmando as denúncias que o interno C.C.S. seria o responsável pelo comércio de entorpecentes no local.

Segundo o delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, o suspeito está internado no Pomeri devido a um roubo de veículo que ele praticou quando era menor de idade. “O preso vai passar pela audiência de custódia, podendo ser encaminhado a Penitenciária Central do Estado (PCE), por este crime”.

Diante dos fatos, os agentes encaminharam o suspeito a DRE, onde após ser interrogado, foi autuado em flagrante por comércio de drogas em unidade prisional. 

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Veja Mais:  Trio é preso e Scania roubada em Goiás é localizada em Várzea Grande
Continue lendo

Policial

Polícia Civil cumpre 15 mandados contra suspeitos de facilitar a entrada de celulares na PCE

Publicado

Assessoria |PJC-MT

A Polícia Civil de Mato Grosso cumpre. na manhã desta terça-feira (18.06). sete mandados de prisão e 8 ordens de busca e apreensão, na operação “Assepsia”, deflagrada após investigações da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) sobre a entrada de aparelhos celulares em unidades prisionais do Estado.

Os mandados de prisão foram decretados  cinco servidores públicos e dois internos da Penitenciária Central do Estado (PCE). As 15 ordens judiciais são pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá, e foram expedidas depois de representação dos delegados e manifestação favorável do Ministério Público Estado, via o Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (GAECO).

Os detalhes da operação serão apresentados às 10h30, desta manhã, em entrevista coletiva no auditório da sede da Diretoria Geral da Polícia Civil, na Avenida Tenente Coronel Duarte, bairro Bandeirantes, em Cuiabá, com a presença dos delegados da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e outras autoridades policiais.

No dia 6 de junho, na Penitenciária Central do Estado (PCE), foram localizados 86 aparelhos celulares, dezenas de carregadores, chips e fones de ouvido.  Todo o  material estava acondicionado dentro da porta de um freezer, que foi deixado naquela unidade para ser entregue a um dos detentos.

Equipes da GCCO estiveram na PCE e verificaram que não havia nenhum registro de entrada ou mesmo informações acerca da entrega do referido eletrodoméstico.  Diante dos fatos e da inconsistência das informações, todos os agentes penitenciários presentes foram conduzidos até a Gerência e questionados sobre os fatos. No mesmo dia, a autoridade policial determinou a apreensão das imagens do circuito interno de monitoramente da unidade, que foram extraídas por meio da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

Veja Mais:  Reeducando é encontrado morto dentro de cela na penitenciária da Mata Grande

Por meio dos depoimentos, da análise das imagens e conteúdo de aparelhos celulares apreendidos e ainda, da realização de diversas diligências, foi possível identificar e comprovar de maneira robusta, que três policiais militares, dentre eles um oficial de carreira, foram os responsáveis pela negociação e entrega do freezer recheado com os celulares. 

Com a ciência do diretor e do subdiretor da unidade, os militares enviaram o aparelho congelador que era destinado a um dos líderes de uma facção criminosa atuante no Estado.

Ao longo das investigações, a Polícia Civil conseguiu comprovar que nomesmo dia, duas horas antes do freezer ser interceptado, os três militares e os diretores da unidade, participaram de uma reunião a portas fechadas com o preso líder da organização criminosa, por mais de uma hora, dentro da sala da direção. “Toda a dinâmica dos fatos foi registrada pelas imagens da unidade prisional”, aponta o relatório da investigação.

No decorrer das investigações, ficou constado ainda que o veículo utilizado para a entrega do freezer, na unidade, pertence a outro reeducando, que também é considerado uma das lideranças da mesma facção. Esse reeducando divide cela com o destinatário do equipamento.

Além das prisões preventivas dos servidores públicos e dos líderes da facção criminosa, serão cumpridas medidas de busca e apreensão nas dependências da Penitenciária Central do Estado.

O inquérito será concluído nos próximos 10 dias. Os investigados poderão responder pelos crimes de integrar organização criminosa, corrupção passiva e ainda por facilitação de entrada de celulares em estabelecimento prisional. 

Veja Mais:  PRF MT participa do “Adesilaço” Maio Amarelo

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana