conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Carros e Motos

Presidente da VW diz que picape Tarok chega em pouco mais de um ano

Publicado


VW Tarok no Salão do Automóvel 2018. Versão que será produzida em série deverá ser lançada até metade de 2020
Caue Lira/iG

VW Tarok no Salão do Automóvel 2018. Versão que será produzida em série deverá ser lançada até metade de 2020

A picape-conceito VW Tarok foi a grande surpresa deste Salão do Automóvel. Moldada para rivalizar com a Fiat Toro, ela apareceu sem aviso, e também chamou a atenção por estar praticamente pronta para ser produzida. AutoBuzz participou ontem de uma pequena coletiva de imprensa com o presidente da VW do Brasil, Pablo Di Si, e apurou que a novidade chega logo, mas não em menos de um ano. Embora não tenha falado de datas, dá para apostar que o modelo, totalmente projetado no Brasil, chegue às lojas no primeiro semestre de 2020.

LEIA MAIS:  Você de lembra das estrelas do Salão do Automóvel de 2008?

Além da VW Tarok , Di Si confirmou ainda para 2020 o lançamento do SUV Tarek, de porte médio, que virá da Argentina para desafiar o Jeep Compass. Portanto, os dois próximos anos representarão uma ofensiva sem precedentes da VW nos segmentos que mais crescem (em volume e margens de lucro) no Brasil e no mundo, o dos SUVs e picapes.


VW Tarok tem traseira arrojada com logo da marca com iluminação de LED, entre outros detalhes
Caue Lira/iG

VW Tarok tem traseira arrojada com logo da marca com iluminação de LED, entre outros detalhes

Questionado por AutoBuzz se a picape Tarok será produzida no Paraná, Di SI não confirmou, embora reconheça fazer sentido, não só pela plataforma em comum com o SUV compacto T-Cross (que será paranaense), mas também por ser a fábrica menos ocupada do Grupo na América do Sul, por enquanto. “Temos três turnos em São Bernardo e na fábrica de motores de São Carlos, dois turnos em Taubaté e uma fábrica Argentina repleta de modelos. A do Paraná trabalha em um turno, mas irá para dois em abril”. A fábrica paranaense produz ainda o Fox, o Golf e algumas unidades do Audi Q3 e do Audi A3 Sedan. Nos bastidores, especula-se que a montadora não terá pudor em tirar alguns deles de linha, em detrimento de modelos com forte potencial de vendas no país.

Veja Mais:  Maverick LDO: toque de luxo com motor V8

LEIA MAIS: Pesquisa mostra que, em 2030, híbridos e elétricos terão até 30% do mercado

Além da VW Tarok nos planos da marca alemã


VW T-Cross é o novo SUV compacto da marca, que chega em abril de 2019, com a mesma base da picape VW Tarok
VW T-Cross

VW T-Cross é o novo SUV compacto da marca, que chega em abril de 2019, com a mesma base da picape VW Tarok

Quanto ao T-Cross, grande lançamento da marca no Salão, Di Si afirmou que ele vem para disputar a liderança com os quatro modelos mais vendidos hoje, HR-V, Creta, Renegade e Kicks. “Temos a grande vantagem de entrar num segmento que estamos completamente fora, por isso deveremos ter pouca canibalização interna, e muita migração de clientes de outras marcas”. Segundo o presidente, a VW vai crescer 36% este ano, mais que o dobro da média da indústria.

Mas para ele, o ano-chave será 2019, com a chegada do T-Cross. “Este segmento SUV ainda tem forte potencial de crescimento, e nos permitirá dar outro salto de patamar em 2019.” Embora não admita, a briga será pela liderança geral do mercado até 2020, hoje nas mãos da Chevrolet como marca e da FCA (Fiat-Jeep) como grupo.


Pablo Di Si se diz confiante no Brasil e confirma lançamentos como a versão de produção da VW Tarok
Divulgação

Pablo Di Si se diz confiante no Brasil e confirma lançamentos como a versão de produção da VW Tarok

AutoBuzz também questionou se não é um exagero ter quatro hatches compactos na gama. “Para uma marca global como a VW, não, embora esse mercado esteja evidentemente perdendo espaço para os SUVs”. Segundo Di Si, várias marcas estão abrindo mão de ter modelos de entrada. “Não será o nosso caso, já temos a próxima geração do Gol confirmada, e o novo Polo é um sucesso absoluto”. Di Si não comentou sobre o futuro dos modelos Fox e Up.

Veja Mais:  Salão do Automóvel receberá o novo BMW Z4 pela primeira vez no Brasil

O executivo também foi questionado sobre a parceria global com a Ford, inicialmente na área de veículos comerciais, e até sobre a possibilidade de aproveitar a ociosidade da fábrica da Ford em São Bernardo do Campo, que poderia ser aproveitada para fazer modelos da VW. “Não posso comentar nada, apenas que há muitas discussões de alta cúpula, que em breve se tornarão públicas.”

LEIA MAIS: Ford quer recuperar território entre os SUVs no Brasil

Finalmente, Di Si se mostrou muito otimista com os rumos até agora apontados pela futura equipe econômica do governo brasileiro, o que implicará em alguns lançamentos, inclusive da VW Tarok . “Independentemente de questões sobre Rota 2030 e Mercosul, tudo sinaliza para um fortalecimento dos fundamentos econômicos do país”, declarou. “Estamos animados não só aqui no Brasil. Nossa matriz viu com bons olhos as escolhas ministeriais, em especial do futuro Ministro da Justiça Sérgio Moro”.

Comentários Facebook

Carros e Motos

MV Agusta Brutale 800 RR Dragster chega na versão especial America

Publicado


MV Augusta Brutale 800 RR America:  A motocicleta icônica dos anos 70, mas com tecnologias de última geração
Divulgação

MV Augusta Brutale 800 RR America: A motocicleta icônica dos anos 70, mas com tecnologias de última geração

A marca de motocicletas italiana MV Agusta tem como tradição apresentar séries especiais de seus modelos. Desta vez, a Brutale 800 RR Dragster foi o modelo escolhido, ganhando as cores da bandeira dos Estados Unidos. Com pintura azul, branca e vermelha — o “red white and blue” — tornou-se a versão America Special. Baseada no modelo convencional, a inspiração vem da histórica MV S America 750, esportiva de quatro cilindros e comando duplo no cabeçote, que produzia 75 cv nos anos 70. As únicas 200 unidades produzidas chegam às lojas nos Estados Unidos, neste mês, por US$ 18.000 (ou quase R$ 100.000).

LEIA MAIS: MV Agusta Brutale 800, a moto do tipo naked que faz jus ao nome. Veja avaliação

A nova MV Augusta fora de série, entretanto, é equipada com motor de 798 cc de cilindrada, três cilindros, 12 válvulas, que oferece 140 cv (12.300 RPM) e 9 kgfm (1000 RPM). Desse modo, é capaz de superar os 244 km/h. Com diversas atualizações no chassi desde a versão convencional, a Brutale 800 RR também traz novas tecnologias. Entre elas, estão quatro modos de pilotagem, controle de tração com oito níveis de intervenção e câmbio com mudanças de marcha assistidas, sem apertar a embreagem. A série limitada, especificamente, vem com assento diferenciado e a inscrição “America Special Edition” no radiador e no painel (além da pintura tricolor).

Veja Mais:  É revelado o Lamborghini Aventador SVJ, o mais rápido em Nürburgring, com 780 cv

LEIA MAIS: MV Agusta ganha série Brutale Pirelli Edition, a mais italiana de todas as motos

Vale lembrar que o seu comportamento dinâmico agressivo — que é quase uma marca registrada da fabricante de motocicletas esportivas italianas — independe do que compõe o chassi da Brutale. Quanto à suspensão, traz amortecedor da Marzocchi com garfo invertido na frente, enquanto a suspensão traseira é progressiva e com amortecedor único. O sistema de freios vem com discos duplos flutuantes de 320 mm na frente e disco simples de 220 mm atrás.

LEIA MAIS: MV Agusta F4Z é revelada com design feito pelo centro de design da Zagato

Outra edição especial da MV Augusta Brutale Dragster


MV Augusta da edição especial Lewis Hamilton toma como base a mesma versão convencional para a América
Divulgação

MV Augusta da edição especial Lewis Hamilton toma como base a mesma versão convencional para a América

A parceria da MV Agusta com o piloto de Fórmula 1 Lewis Hamilton , há quatro anos, segue gerando novidades. A mesma Brutale América, na edição especial de Hamilton, é batizada de Brutale 800 RR LH44. Entretanto, ao invés de uma temática patriota, esta tem como objetivo principal a esportividade e a agressividade, evidente pela combinação de cores preto e vermelho.

LEIA MAIS: Suzuki Katana, sucessora da clássica dos anos 80, ganha o seu registro no Brasil

O piloto inglês não só serviu de inspiração para a criação do modelo, como contribuiu no seu desenvolvimento. Os designers da MV Agusta revelam que, além dos resultados obtidos nas pistas (após testes de desempenho), Hamilton trouxe criatividade, estilo e atenção aos detalhes na concepção das motos.

Veja Mais:  Arrizo 5 mostra que a Caoa Chery quer ser top 10 no Brasil

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Kia Sportage renovado fica com visual mais arrojado, mas mantém parte mecânica

Publicado


Kia Sportage com retoques no desenho ganhou novos detalhes na grade e faróis de LED na versão topo de linha
Caue Lira/iG

Kia Sportage com retoques no desenho ganhou novos detalhes na grade e faróis de LED na versão topo de linha

Se você é um pouco familiarizado com o universo automotivo, talvez já tenha ouvido falar de Peter Schreyer. Ele é o atual gerente de design da Kia Motors, mas teve passagens por diversas marcas do Grupo Volkswagen, como Bentley, Lamborghini e Audi. Isso explica as linhas arrojadas do carro. Além da inspiração na Porsche, que foi amenizada com a atual reestilização, o Kia Sportage 2019 leva a assinatura do pai do primeiro Audi TT.

LEIA MAIS: Jeep Compass x Kia Sportage: acompanhe essa briga boa de titãs

Na verdade, designers têm um papel bem chato na indústria. Eles precisam alinhar seus esboços com os desejos do departamento de engenharia. Em algumas ocasiões, os desenhistas podem apostar em linhas mais robustas, enquanto o verdadeiro desejo dos engenheiros é criar algo mais aerodinâmico. Mas Schreyer parece ter encontrado um ponto de equilíbrio bem minucioso dentro de seu trabalho na versão renovada do Kia Sportage. A imprensa gringa gosta de dizer que o modelo é mais europeu que asiático.

O Sportage tem a frente alta que chega a lembrar alguns SUVs mais antigos. Neste mundo em que a dinâmica de condução está cada vez mais em pauta entre os utilitários, isso poderia ser uma bola fora para Schreyer. Mas, surpreendentemente, não é! Estamos falando de um SUV com ótima posição de dirigir, combinado aos ajustes elétricos do banco do motorista e altura e profundidade do volante. Não foi à toa que colocamos o Sportage lado a lado contra o Jeep Compass (líder absoluto da categoria) no ano passado, e sugerimos que o Kia seria uma ótima escolha.

É um modelo robusto, montado em grandes rodas aro 19 com pneus Kumho 255/55. A grade frontal no estilo nariz de tigre e os faróis com “mini-canhões” de LED também contribuem para sua imponência. As rodas também foram redesenhados, com uma proposta mais esportiva e acabamento escurecido.

Veja Mais:  Hatches médios que menos desvalorizam: veja os 5 destaques

Por dentro, destacamos o novo volante, quadro de instrumentos e saídas de ventilação – que foram repaginadas por conta da nova central multimídia. O freio de estacionamento que era no pé foi integrado ao console central. E por incrível que pareça, as mudanças param por aí! Em time que está ganhando não se mexe, diria um técnico ultrapassado.

LEIA MAIS: Kia Sportage: o importado mais vendido do Brasil vale a compra. Mas… Veja vídeo

Kia Sportage é confortável, mas merecia fôlego extra


Kia Sportage mantém o mesmo motor 2.0 flex da geração anterior, de 166 cv, potência para ir de 0 a 100 km/h em 10,6 s
Caue Lira e divulgação

Kia Sportage mantém o mesmo motor 2.0 flex da geração anterior, de 166 cv, potência para ir de 0 a 100 km/h em 10,6 s

Mesmo na linha 2018, não era um carro que clamava por tantas mudanças. A versão que testamos já integrava itens como sensor de chuva, chave smart key com acionamento à distância e ar-condicionado de duas zonas. Há também ajustes elétricos para os dois bancos da frente, mas o motorista tem o “plus” de contar com o ajuste de lombar.

Grandalhão, tem 4,48 metros de comprimento, 1,85 m de largura e 1,65 m de altura. Isso garante uma verdadeira sala de estar para os ocupantes do banco traseiro. Andando com um casal de amigos no banco de trás, ninguém se queixou do espaço para os joelhos. Mesmo com teto panorâmico, o espaço para a cabeça também é digno de aplausos.

Veja Mais:  Salão do Automóvel receberá o novo BMW Z4 pela primeira vez no Brasil

Kia Sportage teve poucas mudanças no interior. Uma delas fica por conta do freio de estacionamento, que passou a ser eletrônico, aposentando o pequeno pedal do lado esquerdo
Caue Lira e divulgação

Kia Sportage teve poucas mudanças no interior. Uma delas fica por conta do freio de estacionamento, que passou a ser eletrônico, aposentando o pequeno pedal do lado esquerdo

A central multimídia com tela sensível ao toque tem funções rápidas e intuitivas. Ela traz GPS nativo, mas você precisará fazer o download dos mapas. Ao menos, o espelhamento de tela por meio do sistema Apple CarPlay ou Android Auto é capaz de reproduzir Google Maps e Waze. Os comandos no console central estão bem distribuídos, e são acionados com muita facilidade. Há também o ótimo carregador de celular por indução, que foi bem útil, bem dia em que esqueci o cabo em casa.

Comparando com o Compass, ficou claro que o modelo da Jeep raspa com mais facilidade em obstáculos. Os ângulos entrada e saída do Kia são melhores (17,5° e 24,5°, ante 16,2° e 22,2°, respectivamente). Além disso, a suspensão do Sportage é mais rígida, o que controla melhor a oscilação da carroceria , inclusive nas curvas, o que ajuda a transmitir uma sensação de que o carro está mais sob controle. Mesmo assim, absorve bem as irregularidades do solo.

O Sportage tem a força de seu 2.0 de quatro cilindros, com 156 cv de potência e 19,2 kgfm de torque. Os números são suficientes para andar com o SUV de 1.500 kg na cidade, mas poderia ser mais ágil em subidas ou retomadas. De acordo com a marca, ele vai de 0 a 100 km/h em 11 segundos, com velocidade máxima de 175 km/h.

Veja Mais:  É revelado o Lamborghini Aventador SVJ, o mais rápido em Nürburgring, com 780 cv

Mas ambos os SUVs continuam gastanto mais combustível que o ideal. De acordo com dados fornecidos pelo Inmetro,  o Kia faz 6 km/l de etanol na cidade e 7,5 na estrada, ante 5,5 km/l e 7,2 km/l do Compass, respectivamente. E o tanque do Sportage é bem maior, o que acaba rendendo um pouco mais de autonomia (465 km, conforme a fabricante).

LEIA MAIS: Confira os 5 melhores SUVs de até R$ 150 mil que experimentamos

Mesmo com o fim da sobretaxa, o Kia Sportage 2019 ficaria acima do preço competitivo no Brasil se entregasse todos os equipamentos disponíveis na Europa. Mas o SUV cumpre bem seu papel, contando com um ótimo conjunto no cômputo geral. Por R$ 137.990, faz boa frente ao Jeep Compass. O único empecilho é a rede de concessionárias mais enxuta, comparado ao modelo concorrente, da Fiat-Chrysler.

Ficha técnica

Preço: a partir de R$ 137.990

Motor:  2.0, quatro cilindros, flex

Potência:  166 cv (E) / 159 cv (G) a 5.300 rpm

Torque:  20,5 kgfm (E) / 19,9 (G) a 4.000 rpm

Transmissão:  Automático, seis marchas , tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / multibraço (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / discos sólidos (traseiros)

Pneus:  225/55 R18

Dimensões: 4,42 m (comprimento) / 1,82 m (largura) / 1,64 m (altura), 2,64 m (entre-eixos)

Tanque: 60 litros

Porta-malas: 410 litros 

Consumo gasolina: 8,1 km/l (cidade) / 10.5 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 10,6 segundos 

Velocidade máxima: 192 km/h  

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

FCA ganha força com Jeep Renegade vendendo mais que Prisma na 1ª quinzena

Publicado


Jeep Renegade superou líderes de mercado até de outros segmentos nas vendas da primeira quinzena deste mês
Divulgação

Jeep Renegade superou líderes de mercado até de outros segmentos nas vendas da primeira quinzena deste mês

Com o fechamento das vendas na primeira quinzena deste mês, a FCA mostrou uma força a ser considerada. Apesar do 5º lugar com o Fiat Strada e, o maior destaque é o Jeep Renegade, que ficou em sexto lugar com 2.267 unidades, acima até do Chevrolet Prisma (2.169). Isso rendeu à Jeep uma posição inédita: oitavo lugar no ranking por marca, na frente da Honda. Na sequência, temos o Compass (2.055), na nona posição e o Fiat Toro (2.034), em 10º.

LEIA MAIS: Fiat Argo se destaca nas vendas de fevereiro. Veja os 10 primeiros do ranking


Apesar do sucesso do Jeep Renegade, o Fiat Strada segue o modelo mais vendido da FCA hoje em dia
Divulgação

Apesar do sucesso do Jeep Renegade, o Fiat Strada segue o modelo mais vendido da FCA hoje em dia

Mesmo que o Jeep Renegade tenha sido destaque, os mais vendidos nunca deixarão de ser também. Num âmbito mais geral, ainda temos Chevrolet Onix (5.545) em primeiro e Hyundai HB20 (4.552) em segundo, agora mais próximo do líder, mesmo às vésperas de receber uma série de mudanças, no final do primeiro semestre. Já a Volkswagen ficou com a quarta e a oitava posição com Gol (2.533) e Polo (2.159) respectivamente. O único carro da Ford que apareceu entre os dez primeiros foi o Ka, que fechou a quinzena com 3.308 unidades.

Veja Mais:  Conheça o novo aplicativo para carro que poupará o seu dinheiro com manutenção

LEIA MAIS: Veja os 10 carros seminovos e usados mais vendidos do Brasil em 2018

Migrado para os sedãs, fora o Prisma, temos na segunda colocação o Toyota Corolla , com 1.475 unidades, que em seu segmento, vem seguido de Civic (30º) — com 906 unidades — e Cruze Sedã (35º), com 787 vendidos. Quanto aos compactos, temos Ford Ka Sedan (1.334) na liderança, com Voyage (1.184), Virtus (1.145) e Yaris Sedan (1.107) na sequência.

LEIA MAIS: Novos Onix, Prisma e Tracker nacional conseguirão manter a GM na liderança?

Entre os comerciais leves, além de Strada e Toro, temos Saveiro (1.458) Hilux (1.392) e S10 (856) na sequência. Apesar da 4ª colocação da picape da Toyota, vale observar que, tal como ocorre para o Corolla, segue com o monopólio de vendas no porte das médias. Para se ter uma referência, é necessário mais de quatro quinzenas para a Mitsubishi L200 Triton conseguir resultado similar.

Sucesso do Argo em fevereiro, Além do Jeep Renegade


Do mesmo modo que o Jeep Renegade, o Fiat Argo chamou atenção no fechamento de fevereiro
Divulgação

Do mesmo modo que o Jeep Renegade, o Fiat Argo chamou atenção no fechamento de fevereiro

As vendas de automóveis e comerciais leves de fevereiro têm entre os principais destaques a subida do Fiat Argo de oitavo lugar no mês passado para quarto, com 6.674 unidades, de acordo com o balanço da Fenebrave (Federação dos Distribuidores de Veículos). Trata-se do melhor resultado para o hatch em seu segmento, que tem o expressivo VW Polo como o seu maior rival. Veja as tabelas dos automóveis e dos comerciais leves a seguir:

Veja Mais:  Arrizo 5 mostra que a Caoa Chery quer ser top 10 no Brasil

LEIA MAIS: Confira a lista dos 10 carros mais vendidos do mundo em 2018

Automóveis

1- Onix – 5.545 unidades

2- HB20 – 4.552

3- Ka – 3.478

4- Gol – 2.534

5- Renegade – 2.267

6- Prisma – 2.169

7- Polo – 2.161

8- Compass – 2.055

9- Kicks – 1.947

10- Kwid – 1.811

11- Creta – 1.661

12- Fox – 1.599

13- Argo – 1.541

14- HR-V – 1.539

15- Corolla – 1.475

16- Sandero – 1.387

17- Yaris – 1.354

18- Mobi – 1.350

19- Voyage – 1.184

20- Ka Sedan – 1.164

Comerciais leves

1- Strada – 2.344 unidades

2- Toro – 2.034

3- Saveiro – 1.458

4- Hilux – 1.392

5- S10 – 856

6- Amarok – 663

7- Ranger – 547

8- Montana – 521

9- Fiorino – 492

10- Oroch – 307

11- L200 – 304

12- Master – 302

13- Frontier – 265

14- Ducato – 165

15- Delivery Express – 116

16- Partner – 70

17- Sprinter 313 – 69

18- Jumpy – 67

19- HR – 58

20- Daily 3514 – 57

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana