conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Esportes

PSG admite racismo na seleção de jogadores das categorias de base do clube

Publicado


Em nota, o clube afirmou que as acusações de racismo traem o espírito e os valores do Paris Saint-Germain
Nike/Divulgação

Em nota, o clube afirmou que as acusações de racismo traem o espírito e os valores do Paris Saint-Germain

O Paris Saint-Germain ( PSG ) está envolvido novamente em uma grande polêmica. De acordo com um dossiê publicado ontem (8) pela plataforma “Football Leaks”, o clube francês praticou racismo para selecionar atletas para as categorias de base .

Leia também: Neymar recebe bônus para cumprimentar torcida e não criticar treinadores no PSG

Algumas horas depois da informação ter sido publicada no jornal “Mediapart”, ela foi confirmada pelo próprio PSG. O clube disse ter aberto uma investigação interna para apurar o métodos utilizados pelos seus agentes e o racismo na seleção de jogadores.

Segundo os dados do “Football Leaks”, alguns agentes catalogaram quatro “graduações” de acordo com a origem étnica do atleta para avaliar os jovens candidatos: “francês”, “do norte da África”, “das Antilhas” e “africano”.

O “Football Leaks” apontou que, na hora de fazer o registro e preencher as instruções dos atletas no computador, há um espaço em branco que, quando clicado com o mouse, mostra as quatro categorias para selecionar a etnia do jogador.

Neste método, baseado na etnia do adolescente, o PSG vetou em 2014 a contratação do meio-campista Yann Gboho, jogador da seleção francesa sub-17.

O atleta, nascido na Costa do Marfim, é negro e defende atualmente o time B do Rennes. Gboho, na época, tinha 13 anos e suas atuações no FC Rouen teriam chamado a atenção de um dos agentes do PSG, Serge Fournier.

Veja Mais:  Dia da Família: Conheça 10 famílias que fazem sucesso no esporte brasileiro

Leia também: “Football Leaks” revela detalhes da negociação de Mbappé com Real Madrid e PSG

Segundo Marc Westerloppe, que na época era o líder da área de recrutamento do clube em diversos países, o PSG orientou ele para “equilibrar a diversidade”, por ter “muitos atletas de origem das Antilhas e africanos” na equipe.

“A Direção Geral do clube nunca teve conhecimento de um sistema de registro étnico dentro de um departamento de recrutamento nem o autorizava. Em vista das informações mencionadas, essas formas traem o espírito e os valores do Paris Saint-Germain”, afirmou o clube em um comunicado.

O Paris Saint Germain também informou que já está tomando medidas para combater o racismo dentro da equipe francesa, entre elas, a elaboração de um outro método de recrutamento de jogadores para as categorias de base focado no comportamento e habilidade do atleta.

Leia também: Buffon irá torcer pelo Boca Juniors na final da Libertadores. Saiba o motivo

Em outro caso de  racismo no futebol do país, a Federação Francesa de Futebol (FFF) foi acusada em 2011 de estabelecer um “sistema de cotas” para atletas descendentes de árabes e africanos nas equipes principal e de base.

Comentários Facebook

Esportes

Após ‘caso Koulibaly’, Inter de Milão lança campanha antirracista nas redes

Publicado


O zagueiro do Napoli, Koulibaly, foi alvo de cantos racistas da torcida da Inter de Milão
reprodução / Twitter

O zagueiro do Napoli, Koulibaly, foi alvo de cantos racistas da torcida da Inter de Milão

Depois de seus torcedores entoarem cânticos racistas em partida contra o Napoli, a Inter de Milão lançou uma campanha antirracismo com um vídeo no qual jogadores pedem que a torcida não faça o barulho “buu”, conhecido como uma ofensa.

Leia também:  Fernando Diniz fala sobre chegada de Ganso ao Fluminense: “está animado”

A gravação foi divulgada nas redes sociais da Inter de Milão nesta sexta-feira (18) e conta com a presença de Icardi e Samuel Eto’o, além dos ex-jogadores Luís Figo e Javier Zanetti.

O barulho “buu” é normalmente considerado como racista no futebol italiano. Por isso, a ideia dos nerazzurri é utilizar o vídeo sob o slogan “Brothers Universally United” (BUU) (“Irmãos Unidos Universalmente”, em português). De acordo com um comunicado do clube italiano, a campanha é “um convite para combater o racismo com sua própria arma: o buu racista”.

“É uma transição do negativo, para o positivo. É isso que queremos da campanha Buu, escreva, não diga”, disse o presidente do clube, Steven Zhang.

Leia também:  “Minha vontade era arrancar a cabela dela”, diz Maradona sobre término

Veja Mais:  Pogba elogia Solskjaer no comando do United: “temos sistema de jogo e estrutura”

Logo depois, o Milan se uniu ao rival e endossou a iniciativa. “O Milan está ao lado da Inter na luta contra o racismo, porque há desafios que vão muito além das cores e rivalidades”, escreveram os rossoneros no Twitter.

A campanha foi lançada após o zagueiro do Napoli Kalidou Koulibaly virar alvo de cânticos racistas entoados por torcedores da Inter, que foi punida com dois jogos no San Siro com portões fechados e uma terceira sem público na “curva norte”, onde ficam suas torcidas organizadas.

Leia também:  Barcelona escapa de punição e enfrentará o Sevilla nas quartas da Copa do Rei

Embora o próximo jogo contra o Sassuolo no sábado(19) seja sem torcida, a Inter de Milão afirmou que a liga italiana autorizou a entrada de 10 mil crianças da região no estádio. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Medalhista olímpico de snowboard anuncia pausa na carreira para tratar câncer

Publicado


Max Parrot, medalhista olímpico de snowboard, foi diagnosticado com linfoma de Hodgkin, um tipo de câncer
Reprodução

Max Parrot, medalhista olímpico de snowboard, foi diagnosticado com linfoma de Hodgkin, um tipo de câncer

Medalhista olímpico de snowboard, o canadense Max Parrot anunciou nesta sexta-feira (18) que foi diagnosticado com linfoma de Hodgkin e estará ausente de toda a temporada 2019. O atleta de 24 anos é uma das maiores promessas dos esportes de inverno no Canadá.

Leia também:  Laís Souza comemora evolução em vídeo e agradece apoio de Neymar Jr.

A informação sobre a doença do atleta foi antecipada pelo perfil oficial da seleção de snowboard do Canadá na quinta-feira. Nas redes sociais, outros snowboarders prestaram solidariedade a Max Parrot , como o companheiro de seleção Marc McMorris.

O linfoma de Hodgkin é um tipo de câncer que acomete o sistema linfático no pescoço, axilas ou virilhas. Os maiores sintomas são fadiga, febre e calafrios e é mais comum na faixa etária dos 20 aos 40 anos. Em entrevista coletiva, Parrot explicou que em setembro começou a sentir coceira ao redor do pescoço e procurou auxilio médico assim que percebeu um inchaço.

“Não tem sido uma notícia fácil de digerir, tanto para minha família quanto para mim”, explicou o atleta. O diagnóstico de Parrot saiu no último dia 21 de dezembro após a realização de uma biópsia.

Leia também:  Amanda Nunes organiza campeonato de futebol feminino em sua cidade

Veja Mais:  Dia da Família: Conheça 10 famílias que fazem sucesso no esporte brasileiro

O snowboarder fez questão de ressaltar em sua entrevista que a batalha contra o câncer será sua única competição no ano. Ele deve se submeter a 12 sessões de quimioterapia nos próximos seis meses.

“Vou permanecer o mais positivo possível nos próximos meses. Teoricamente, se tudo correr bem, eu devo terminar a quimioterapia em junho. Mas é assustador, eu não vou esconder isso de vocês”, comentou aos jornalistas.

Inicialmente Parrot tinha pensado em pedir ao corpo médico que adiasse o inicio do tratamento para depois do X Games de Aspen, nos Estados Unidos, que acontece na próxima semana. Porém, o atleta mudou de ideia ao consultar os profissionais.

Leia também:  Rafael Nadal comemora boa forma física e classificação no Australian Open

Max Parrot é multicampeão no X Games, principal competição de esportes no mundo. Ele já venceu quatro vezes a categoria Big Air e uma vez a categoria Slopestyle. No início de 2018 o atleta do Canadá foi prata nos Jogos Olímpicos de PyeongChang na modalidade de Slopestyle.

Comentários Facebook
Continue lendo

Esportes

Rafael Nadal comemora boa forma física e classificação no Australian Open

Publicado


Rafael Nadal está classificado para as oitavas de final do Australian Open
Reprodução

Rafael Nadal está classificado para as oitavas de final do Australian Open

Recuperado de uma cirurgia no tornozelo, o tenista espanhol Rafael Nadal se classificou para as oitavas de final do Australian Open após vencer o jovem Alex de Minaur nesta sexta-feira (18) e comemorou o bom início de ano.

Leia também:  Eliminado na primeira fase do Australian Open, Murray rechaça aposentadoria

“O poder de ganhar hoje foi uma notícia muito boa para mim e poder vencer em três sets (parciais 6/1, 6/2 e 6/4) é melhor ainda”, confirmou Rafael Nadal . “De Minaur vinha de sete vitórias seguidas. Se somarmos que ele joga em casa e que o público está com ele, o fez um rival bem complicado”, ressaltou.

Após a partida, o atual número 2 do mundo do tênis também comentou sobre sua forma física. “Consegui ganhar as partidas com grande firmeza. Estou muito contente pela forma que consegui. Não é fácil depois de estar muito tempo sem poder competir. Não digo que esteja aqui pronto para ganhar o torneio porque cada partida é diferente e não se sabe o que acontecerá na próxima”.

Leia também:  Maya Gabeira e Medina são indicados ao ‘Oscar do Esporte’ na categoria ação

Rafael Nadal pegará o tcheco Tomás Berdych pelas oitavas de final do Australian Open . O jogo será disputado no domingo (20), com horário ainda a definir. Os outros confrontos de oitavas que já estão confirmados são entre Tsitsipas e Federer; Cilic e Bautista; Tiafoe e Dimitrov.

Veja Mais:  Nainggolan se atrasa para treinamento e é suspenso pela Inter de Milão

A terceira rodada da fase de grupos ainda terá seis partidas neste sábado entre Fábio Fognini x Pablo Busta; Pierre-Hugues Herbert x Milos Raonic; Djokovic x Shapovalov; Coric x Krajinovic; Zverev x Bolt e Pouille x Popyrin.

Leia também:  Amanda Nunes promove campeonato de futebol feminino em sua cidade

Em toda sua carreira, Rafael Nadal disputa 24 Grand Slam, vencendo 17 vezes. Na Austrália foi campeão apenas em 2009 e chegou na final em outras três oportunidades perdendo duas para Djokovic, atual número 1 do mundo, e a outra para Roger Federer.

Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana