conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Carros e Motos

Relembre 5 SUVs que não deram certo no mercado brasileiro

Publicado

Mesmo que os SUVs tenham o status de sensação do momento, eles estão por aí há um bom tempo. Quem não se lembra da antiga Chevrolet Veraneio, a bisavó da atual Trailblazer na década de 60? Ou o elegante Rural Willys, que não abdicava o design de “carro do interior”. Foram vários os modelos que contribuíram para a consagração deste novo movimento no Brasil, mas vale apontar que nem todos foram bem sucedidos em suas empreitadas. Eis que aparecem os SUVs que fracassaram.

LEIA MAIS: As 5 piores versões dos melhores carros já vendidos no Brasil

Entre os novos queridinhos dos brasileiros, pudemos ver alguns modelos que não caíram no gosto do público em geral, seja por estilo, posição de dirigir ou simplesmente a preferência por carros que estivessem mais na moda. A reportagem do iG Carros entra na máquina do tempo para enumerar cinco SUVs que fracassaram no Brasil nas últimas décadas.

1 – Suzuki Ignis 


O pequeno Suzuki Ignis está mais para um subcompacto, mas acaba entrando para a lista dos SUVs que fracassaram
Divulgação

O pequeno Suzuki Ignis está mais para um subcompacto, mas acaba entrando para a lista dos SUVs que fracassaram

Vamos retomar o começo dos anos 2000, quando a Suzuki decidiu vender o pequeno Ignis no Brasil. A maior parte dos SUVs ainda apostava no design de “jipinho”, mas o modelo já trazia um conjunto mais urbano. No caso, era um dos poucos SUVs de sua época sem estepe na traseira, que apenas complica a vida do proprietário. O tamanho também chamava atenção, uma vez que sua carroceria de apenas 3,61 metros de comprimento era menor que a do Fiat Uno.

Muitos ainda poderiam questionar a sua classificação como SUV. O mesmo acontece nos dias de hoje com o JAC T40, uma vez que o modelo tem proporções de hatchback compacto, porém, com suspensão elevada e pneus graúdos. O pequeno crossover da Suzuki era fabricado em Shizuoka, no Japão, com motor 1.3, de 82 cv aliado ao câmbio manual de cinco marchas. Havia opção de tração nas quatro rodas, assegurando mais ainda as suas características de SUV.

Veja Mais:  Nissan Frontier 2019: o impactante retorno da versão Attack 4×4

LEIA MAIS: Veja 5 carros que estão à venda, mas são muito difíceis de encontrar na rua

Assim como outros modelos de nossa lista, o Ignis continua vivo na Ásia e Europa. Atualmente, ele assumiu de vez as características de SUV, com um econômico motor 1.2, de 90 cv, que pode fazer até 20 km/l com gasolina. O porta-malas é de apenas 260 litros, podendo se estender para 514 litros com os bancos traseiros rebatidos. É uma pena que não seja vendido no Brasil.

2 – Nissan Murano


O luxuoso Nissan Murano entra para a lista dos SUVs que fracassaram, mesmo com todas as suas qualidades
Divulgação

O luxuoso Nissan Murano entra para a lista dos SUVs que fracassaram, mesmo com todas as suas qualidades

A Nissan é especialista em SUVs no mercado brasileiro. Muito antes do bem sucedido Kicks – que chegou a ser líder de vendas em março de 2018 – a marca já investia no Pathfinder na segunda metade dos anos 90. No começo dos anos 2000, foi a vez do XTerra com seu visual aventureiro. O X-Trail também foi vendido por aqui entre 2005 e 2009, com motor 2.5 e câmbio automático. Mas no meio dessa história de sucesso, temos o Nissan Murano .

Esbanjando muita personalidade, o Nissan Murano vinha equipado com motor 3.5 V6, de 231 cv de potência e câmbio CVT, que simulava seis marchas. O porta-malas de 480 litros, contudo, era um de seus pênaltis. Apesar de sua importação ter sido interrompida, o modelo continua fazendo sucesso na Argentina com uma nova geração. Para o Brasil, apenas o X-Trail está confirmado para 2019.

Sua versão híbrida foi um dos destaques do Salão do Automóvel de São Paulo, onde a marca avaliou a recepção por parte do público. Com o devido aval de possíveis clientes, o X-Trail poderá se juntar ao Kicks na linha de SUVs da Nissan ainda em 2019, importado do Japão. Na Argentina, o X-Trail é vendido com motor 2.5, de 171 cv e câmbio automático do tipo CVT. Seu preço está na casa dos 960 mil pesos, equivalentes a R$ 167 mil. Por este valor, o carro poderia concorrer diretamente com VW Tiguan Allspace e Peugeot 5008. Vamos esperar que a Nissan se inspire nas vendas do X-Trail para voltar a apostar no estiloso Murano.

Veja Mais:  Suzuki S-Cross: SUV compacto, mas com fôlego de gente grande

3 – Ford Explorer


Entre os SUVs que fracassaram, o Ford Explorer não conseguiu superar o Jeep Cherokee nos anos 90
Divulgação

Entre os SUVs que fracassaram, o Ford Explorer não conseguiu superar o Jeep Cherokee nos anos 90

Antes do sucesso estrondoso do EcoSport, a Ford apostou no SUV Explorer em meados dos anos 90. O objetivo era rivalizar com o Jeep Cherokee, que era o queridinho dos fãs de utilitários esportivos na mesma época. Com duas gerações no Brasil, o Explorer não foi um exemplo de sucesso por aqui.

O modelo de 1995 vinha equipado com um grande V6 4.0, com tração 4×2 capaz de desenvolver 160 cv e 31 kgfm de torque. O câmbio automático de apenas quatro velocidades transformava o Explorer em um verdadeiro bebedor de gasolina, podendo aferir até 5,9 km/l na cidade. É possível encontrar algumas unidades do Ford Explorer 2013 nos classificados online, com importação independente. Não há qualquer plano de trazer o modelo oficialmente ao Brasil.

Mas isso não significa que a Ford ficará sem novos SUVs para 2019. O Ford Edge ST, a versão esportiva do utilitário, já pode ser encomendado no site da marca. Em meados da segunda metade de 2019, será a vez do Territory, que foi apresentado pela primeira vez no mundo em setembro do ano passado, na China. Ele virá para concorrer com os aclamados Jeep Compass, VW Tiguan, Peugeot 3008 e Nissan X-Trail.

4 – Daihatsu Terios


Poucos lembrar que o Daihatsu Terios foi vendido no Brasil. Isso justifica sua classificação entre os SUVs que fracassaram
Divulgação

Poucos lembrar que o Daihatsu Terios foi vendido no Brasil. Isso justifica sua classificação entre os SUVs que fracassaram

A Daihatsu embarcou na mesma balsa que levou Geely, Mahindra, Daewoo, Seat e outras fabricantes que abandonaram o Brasil. A marca japonesa trouxe vários tipos de carro, como os subcompactos Charade e Cuore, o sedã Applause e o jipe Terios. A alta do dólar e a crise asiática no fim da década de 90 atrapalharam os planos da marca, forçando uma retirada discreta do mercado brasileiro, coincidentemente, no mesmo ano em que foi comprada pela Toyota.

Veja Mais:  Fiat Weekend Adventure faz 20 anos e pode chegar a R$ 90.280

Com motor 1.3 de 82 cv de potência e 10,8 kgfm de torque, o Terios foi discreto nas concessionárias. O câmbio era sempre manual de cinco velocidades. Faltava força, uma vez que o utilitário levava longos 15,4 segundos para atingir 100 km/h. O espaço do porta-malas também era um tópico contra o utilitário, com apenas 270 litros de capacidade.

O Terios foi atualizado, e voltará a ser vendido pela Daihatsu na Ásia em 2019 (mais especificamente Japão, Indonésia e Malásia). A Daihatsu, por sua vez, já declarou seu desejo de retornar ao mercado brasileiro. “Há um mercado para carros compactos em mercados como Brasil”, disse Soichiro Okudaira, presidente da marca. “A Toyota vende modelos similares pela Ásia e América do Sul, e o Brasil tem sido um mercado importante para modelos como Corolla, embora eles estejam em uma classe um pouco maior.”

5 – Peugeot 3008


A lista dos SUVs que fracassaram termina com o Peugeot 3008 da primeira geração
Divulgação

A lista dos SUVs que fracassaram termina com o Peugeot 3008 da primeira geração

A Peugeot começou a vender o 3008 no Brasil em 2011. Era a primeira investida da marca na categoria dos SUVs, que já aflorava com o sucesso de Hyundai Santa Fe, Mitsubishi ASX e Chevrolet Captiva. O modelo, por outro lado, não caiu nas graças do povo por seu design desengonçado. Estava mais para um crossover de perua que SUV.

LEIA MAIS: Veja 5 protótipos que estrearam em filmes e inspiraram modelos de produção

Era também uma das poucas opções de SUVs com motorização turbo. O mesmo 1.6 THP de 156 cv que aparece em outros carros da PSA Peugeot Citroën, com câmbio automático de seis velocidades, um dos mais modernos de sua época.. Havia um generoso porta-malas de 432 litros, com bom pacote de equipamentos.

Todos os erros foram corrigidos com a geração atual, eleita o Carro do Ano de 2017 na Europa por diversas publicações. O modelo, entretanto, continua entre os SUVs que fracassaram nas vendas, ficando atrás de rivais como Jeep Compass e VW Tiguan.

Comentários Facebook

Carros e Motos

Renault lança nova geração do elétrico Zoe na Europa, onde chega no fim do ano

Publicado

Renault Zoe azul
Divulgação

Renault Zoe da nova geração tem autonomia de até 389 quiômetros, de acordo com a fabricante

Os europeus terão a nova geração do elétrico Renault Zoe a partir do fim do ano. O carro tem suas primeiras imagens oficiais e detalhes divulgados pela fabricante que não deu previsão de quando a novidade chegará ao Brasil, onde o elétrico é vendido com preço sugerido de R$ 149.990.

LEIA MAIS:  Renault Zoe 2019: primeiras impressões do modelo elétrico na cidade

Entre as principais novidades do Renault Zoe 2020 está a bateria de 52 kwh fabricada para dar uma autonomia de 389 km ao carro, o que significa implica em uma capacidade 30% maior sem aumento de tamanho. Além disso, a marca promete menor tempo de recarga.

Conforme as novas especificações, o Zoe da segunda geração pode ter 90% da recarga (o que garante rodar 145 km) em 30 minutos em um carregador de 50 Kw. Porém, em um aparelho doméstico, de 7 kw, será preciso 9 horas de 25 minutos para atingir 100% da carga.

O motor do novo Zoe tem 135 cv e bons 25 kgfm de torque, força suficiente para acelerar de 0 a 100 km/h em 10 segundos, conforme dados da fabricante. E para retomar de 80 a 120 km/h, ainda de acordo com a marca francesa, o carro elétrico leva 7,1 segundos, uma melhora de 2,2 segundos na comparação com a primeira geração do modelo, de 110 cv.

Veja Mais:  VW T-Cross: andamos no protótipo do novo SUV. Confira as primeiras impressões

Renault Zoe fica mais sofisticado 


Renault Zoe interior
Divulgação

Interior do novo Renault Zoe fica mais refinado e com sistema multimídia com tela de 10 polegadas entre as novidades

Entre outros recursos, o Renault Zoe 2020 tem o chamado “B mode”, opção do sistema de transmissão que reduz a velocidade do carro apenas tirando o pé do acelerador, o que ajuda a recarregar as baterias e torna possível dirigir usando apenas um pedal, em trechos urbanos. Há também o sistema de faz o carro estacionar sozinho entre os itens disponíveis.

LEIA MAIS: Kwid e Zoe representam os dois extremos da Renault

Aliás, a lista de equipamentos do novo Zoe inclui alertas de frenagem de emergência e de mudança indevida de faixa, bem como dispositivo que lê placas de trânsito e outro que muda automaticamente o facho dos faróis de alto para baixo para não ofuscar quem vier no sentido contrário. 

Por fora, a renovação do design inclui novos componentes, como grade dianteira e para-choques, além de faróis e lanternas de LED no lugar de lâmpadas, além de novas cores e rodas. E no interior as mudanças ficam por conta do novo painel, do acabamento mais caprichado e do sistema multimídia com tela de 10 polegadas compatível com Android Auto e Apple Car Play.

 LEIA MAIS: Carros elétricos e híbridos da VW entrarão no lugar dos a combustão, em 2026

Veja Mais:  Fiat Weekend Adventure faz 20 anos e pode chegar a R$ 90.280

Ainda entre os principais recursos do novo Renault Zoe , destaca-se a possibilidade de controlar algumas funções do carro por aplicativo de celular, como programar o acionamento do o ar-condicionado, checar a autonomia das baterias e saber como anda a recarga das baterias. 

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Caminhão autônomo da Volvo inicia transporte de carga na Suécia

Publicado

Vera
Divulgação

Testes internos fazem parte da nova etapa de planejamento para veículos autônomos da Volvo

O Vera, novo caminhão autônomo , conectado e elétrico da Volvo, foi autorizado pelo governo sueco a executar o transporte de carga do centro de logística da marca até o terminal do porto de Gotemburgo. Será a primeira vez que veremos um veículo autônomo do porte de um caminhão atuando, graças a uma parceria entre a Volvo Trucks e a companhia de logística DFDS.

LEIA MAIS: Veja 5 coisas que o carro autônomo poderá fazer por você no futuro

Compartilhando seu powertrain com outros caminhões elétricos , o Vera foi designado para atender às necessidades repetitivas dos centros de logística, fábricas e portos. De acordo com a Volvo , o modelo pode transportar grandes volumes de carga com muita precisão, até mesmo em curtas distâncias.

A Volvo Caminhões quer implementar um novo sistema conectado que atuará no gerenciamento de diversas unidades do Vera, que podem atingir até 40 km/h quando monitorados por uma torre de comando. O objetivo é permitir que os caminhões tenham ações mais intuitivas, flexíveis e sustentáveis, também servindo como um teste primário para vias públicas.

LEIA MAIS: Carro voador da Boeing faz primeiros testes nos Estados Unidos. Veja vídeo

“Agora, temos a oportunidade de testar o potencial do Vera para diversas operações especiais”, comemora Mikael Karisson, vice-presidente de soluções autônomas da Volvo Caminhões . “O transporte elétrico por um caminhão autônomo pode zerar a poluição dos serviços de logística, beneficiando os negócios e a sociedade. Vemos a colaboração entre Volvo e a DFDS como um importante passo para a automação da área”.

Veja Mais:  VW T-Cross: andamos no protótipo do novo SUV. Confira as primeiras impressões

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Citroën faz 100 anos com versões especiais e promete três lançamentos no Brasil

Publicado

Citroën C4 Cactus
Divulgação

Citroën C4 Cactus Origins chega ao mercado brasileiro por R$ 104.490, com motor 1.6 THP flex, de 173 cavalos

Conforme antecipado pela reportagem do iG Carros, a Citroën preparou versões especiais de quatro modelos para celebrar os 100 anos de história. A nova série “Origins” abrange os modelos C3, C4 Cactus, C4 Lounge e Aircross, trazendo novas configurações para a customização. Além da apresentação das novidades, a marca prometeu lançar um carro novo por ano no Brasil, até 2022.

LEIA MAIS: Fiat Doblò chega a R$ 97.020 e pode ficar mais caro que a Toro de entrada

Ao todo, a Citroën venderá 550 unidades da nova série Origins, sendo 300 do C4 Cactus 1.6 THP (R$ 104.490), 100 do C3 (R$ 71.790) , 100 do Aircross (R$ 74.490) e apenas 50 para o sedã C4 Lounge (R$ 107.490). Vale dizer que todos os modelos ultrapassam os valores pedidos por suas versões convencionais mais caras.

O Cactus Origins surge na cor branco Nacré, com opção de teto bi-tom preto, molduras na tonalidade “Lutèce”, rodas de 17″ na cor preta e adesivos alusivos à versão nas laterais.configuração possui o motor 1.6 THP de 173 cv de potência. O C3 integra rodas de 16″ em cinza escuro, capa dos retrovisores e costuras e bordados especiais.

LEIA MAIS: Jaguar I-Pace é diversão garantida na pista

Veja Mais:  VW T-Cross: andamos no protótipo do novo SUV. Confira as primeiras impressões

Com poucos detalhes, o Aircross tem o convencional motor 1.6 flex de 118 cv de potência. Para o sedã C4 Lounge, destaque para os bancos com acabamento em Alcântara.

Novos lançamentos da Citroën

Citroeën
Divulgação

O Citroën C5 Aircross deverá ser o próximo lançamento inédito da marca, substituindo a linha da minivan C4 Picasso

Durante a comemoração do centenário, a presidente da PSA no Brasil, Ana Thereza Borsari, também confirmou que a marca trará novos modelos nos próximos três anos. Um deles poderá ser o C5 Aircross, que corresponde ao Peugeot 3008 na Citroën e foi apresentado no Salão de Paris do ano passado.

LEIA MAIS: C4 Cactus THP enfrenta o VW T-Cross. Quem vence o comparativo?

O novo SUV virá para brigar na categoria dos modelos médios como VW Tiguan, Jeep Compass, Mitsubishi Eclipse Cross e Chevrolet Equinox. Suas patentes já foram registradas por aqui, anunciando que a etapa de homologação já começou. Confira acima um resumo da história dos 100 anos da Citroën.





Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana