conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Carros e Motos

Suzuki GSX 1300R Hayabusa sai de linha depois de duas décadas

Publicado

Suzuki Hayabusa pode acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 2,5 segundos, conforme a fabricante
Divulgação

Suzuki Hayabusa pode acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 2,5 segundos, conforme a fabricante

Uma as motos esportivas mais icônicas da história, a Suzuki GSX1300R vai sair de linha depois de duas décadas em produção. O modelo foi apresentado em 1999 e teve duas gerações. Entretanto, a Suzuki Hayabusa não irá conseguir atender aos padrões exigidos pela norma Euro 4 e deixará de ser produzida até o final deste mês de dezembro.

Embora a Suzuki Hayabusa ainda deverá atender aos pardrões exigidos nos Estados Unidos, a Suzuki decidiu tirar de linha o modelo, que continuará tendo estoque suficiente nas lojas americanas durante todo do ano de 2019.

A primeira geração da Suzuki Haybusa foi imbatível no seu segmento por vários anos. Conseguia atingir 312 km/h até ter um limitador instalado pela fabricante, o que manteve a velocidade máxima em 299 km/h. Isso aconteceu por um acordo entre as fabricantes japonesas e europeias em limitar seus modelos em 300 km/h.

 Veio a segunda geração em 2008 e o motor de 1.299 cc de cilindrada cresceu para 1.340 cc, mas a velocidade máxima ficou nos 299 km/h acordados entre as fábricas do Japão e Europa. Mas o torque passou ligeiramente dos 13,5 kgfm e a aceleração de 0 a 100 km/h podia ser feita em 2,5 segundos, o que era um feito impressionante entre as superbikes .

Veja Mais:  Toyota anuncia investimento de R$ 1 bilhão para modernizarfábrica do Corolla

O que também sempre causou boa impressão na moto esportiva é o bom nível de conforto que a moto proporciona, mesmo em viagens longas. Entretanto, é preciso estar disposto a arcar os com custos de manutenção e ter porte físico suficiente para pilotar uma moto grande, principalmente em terrenos que não são planos.

Curiosidades da Suzuki Hayabusa

Suzuki Hayabusa tem instrumentação simples. Mas repare no contagiros com marcação até 13.000 rpm
Divulgação

Suzuki Hayabusa tem instrumentação simples. Mas repare no contagiros com marcação até 13.000 rpm

Entre outros fatos interessantes da história da Hayabusa está o protótipo de um carro de 2003, feito pela Suzuki, que recebeu o motor da moto, com 175 cv. Mas o modelo não passou da fase conceitual e nunca foi fabricado, tornando-se um exemplar único.

Para os fãs da Hayabusa, existe uma chance do modelo voltar a ser fabricado no futuro, uma vez que acabou se tornando uma marca registrada. Porém, pelo menos por enquanto, a rainha dos motos mais velozes do mundo vai continuar sem substituta por algum tempo.

A potência máxima do motor da Suzuki Hayabusa é atingida a 10.100 rpm e o tanque de gasolina é um dos maiores do segmento, com 21 litros. Em ordem de marcha, a moto pesa 264 kg e tem 2,20 metros de comprimento. Além disso, o preço médio de seguro fica em torno de R$ 3.500.  Agora, resta apenas recordar os feitos do modelo da Suzuki e imagens como as que aparecem no vídeo abaixo.

Veja Mais:  Ferrari F8 Tributo, sucessora da 488 GTB, é revelada. Estará no Salão de Genebra

Comentários Facebook

Carros e Motos

Chevrolet Prisma: nova geração é revelada no mercado chinês

Publicado


Chevrolet Prisma 2019 é revelado oficialmente no site da marca na China, onde se chama Onix Sedan
Divulgação

Chevrolet Prisma 2019 é revelado oficialmente no site da marca na China, onde se chama Onix Sedan

A nova geração do Chevrolet Prisma foi revelada para a imprensa chinesa, onde o compacto é conhecido como Onix Sedan. O modelo ficará maior, mais elegante e próximo do sedã médio Cruze, apostando em lustres menores e a nova grade frontal com acabamento escurecido. Sua semelhança ao irmão Monza, exclusivo para o mercado asiático, também chama atenção.

LEIA MAIS: Novo SUV da Hyundai, menor que o Creta, será mostrado no Salão de Nova York

Conforme antecipado por nossa reportagem, o modelo já está sendo testado no Brasil há alguns meses. Sua estreia deverá acontecer no segundo semestre de 2019, ao lado do irmão Onix que também está em etapas avançadas do projeto. A nova plataforma do Chevrolet Prisma é o primeiro fruto da parceria com a SAIC, braço da GM na China, e equipará outros modelos da marca em todo o mundo (incluindo o Brasil).


A nova geração do Chevrolet Prisma já foi vista em testes no Brasil. Projeto está em etapas avançadas
Leonardo Gomes/Auto Aventura

A nova geração do Chevrolet Prisma já foi vista em testes no Brasil. Projeto está em etapas avançadas

Ao menos na China, o novo Chevrolet Prisma tem 4,47 metros de comprimento e 2,61 de entre eixos. Isso mostra um reposicionamento do modelo, que sai da categoria dos sedãs de entrada para ocupar o lugar de status na linha da Chevrolet. Este é um dos motivos pelos quais a GM também poderá manter o modelo atual como uma versão Joy mais em conta, da mesma forma que já ocorreu com Gol e Palio no passado – onde duas gerações coexistiram no mercado.

Veja Mais:  JAC T50 CVT: o SUV mais equipado de sua categoria

LEIA MAIS: Projeção antecipa futuro Fiat que chegará ao Brasil em 2021

Entre as novidades da nova geração do Prisma também se destacam os novos motores que vão sair da fábrica de Joinville (SC) a partir do terceiro trimestre de 2019. Entre os quais estará o 1.0, de três cilindros, que segue o projeto da Opel, marca alemã que era da GM e agora faz parte da Peugeot-Citroën. A novidade promete ser mais eficiente e moderna que o atual, uma vez que a linha Onix e Prisma tem alguns entre os motores mais defasados do mercado brasileiro.Vale dizer que o modelo chinês é equipado com 1.0 turbo, de três cilindros, capaz de render 116 cv e 1.3, que também deverá ser tricilíndrico, mas aspirado, de 103 cv.

Chevrolet Prisma terá novos rivais


O Renault Logan será o primeiro novo rival do Chevrolet Prisma a chegar ao Brasil. Será apenas uma leve renovação
Divulgação

O Renault Logan será o primeiro novo rival do Chevrolet Prisma a chegar ao Brasil. Será apenas uma leve renovação

Além do Prisma, três modelos estão engatilhados para os próximos três anos: Logan , HB20S e City. O sedã da Renault será lançado ainda no primeiro semestre deste ano, com uma reestilização leve e novo câmbio automático do tipo CVT.

LEIA MAIS: Novo EcoSport é visto com camuflagem antes da estreia

Em seguida, teremos o lançamento do HB20S em meados do primeiro semestre de 2020. O modelo acompanhará as mudanças do hatchback que será renovado ainda em 2019, possivelmente com os mesmos motores 1.0 e 1.6 da geração atual (considerando que o 1.0 turbo não foi bem aceito). O último rival do Chevrolet Prisma será o Honda City, que chegará em meados de 2021. Apesar de ainda não ter aparecido em fotos na internet, o site indiano Livemint divulgou que suas vendas começam no oriente ainda em 2020, possivelmente com uma versão híbrida.

Veja Mais:  Veja 5 carros à venda no Brasil, mas que são difíceis de achar nas ruas do País

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Fiat 500 terá apenas versões elétricas na próxima geração

Publicado


Fiat 500 deixará de ter motores a combustão para se tornar economicamente viável e atender às normas de emissões
Divulgação

Fiat 500 deixará de ter motores a combustão para se tornar economicamente viável e atender às normas de emissões

A próxima geração do Fiat 500 será totalmente elétrica e já tem data marcada para chegar ao mercado europeu: no Salão de Genebra de 2020. Segundo o diretor de marketing da FCA, Olivier Francois, passará a ter um perfil comercial ainda mais refinado. Apesar de surgir em imagens, ainda não saiu nenhuma especificação técnica.

 LEIA MAIS: Fiat 500 faz 60 anos com edição especial para comemorar o aniversário

“A linha premium é o caminho que vamos seguir com o Fiat 500 EV. Um novo 500, totalmente renovado. Um novo carro totalmente elétrico. É uma espécie de Tesla urbana, com um estilo bonito, italiano. Haverá uma nova plataforma, projetada especificamente para eletrificação. Isso tornará o carro radicalmente diferente. Ainda será um 500, com proporções iguais, mas não é o mesmo carro.”, segundo afirma Olivier François.

LEIA MAIS: Fiat 500 Cabrio: para guiar de cabeça fresca. Confira avaliação

 François também assumiu que o posicionamento mais sofisticado do Fiat 500 elétrico ante o modelo atual terá reflexos diretos nos preços, mas não falou nada sobre quanto custará. Com medo de perder os clientes fiéis do subcompacto, o executivo disse que o 500 tem “apelo forte o suficiente” para que isso não aconteça. O alcance novo modelo continuará sendo global, com oferta tanto na Europa quanto em países da América, incluindo os Estados Unidos, onde o modelo é o principal cartão de visitas da Fiat.

Veja Mais:  Lâmpadas de  LED iluminam melhor, mas cuidado com o que você encontra por aí

Além do Fiat 500 elétrico


Assim como o Fiat 500, o VW Up! será encontrado na Europa apenas em versões movidas a eletricidade
Divulgação

Assim como o Fiat 500, o VW Up! será encontrado na Europa apenas em versões movidas a eletricidade

 A tendência dos subcompactos que nasceram com motores a combustão passarem a ser vendidos apenas como elétricos parece estar estabelecida. A Volkswagen também vai fabricar apenas versões movidas a eletricidade do pequeno VW Up! na Europa, em 2020.

Isso faz parte de uma estratégia de aproveitar parte do projeto dos subcompactos já existentes, tornando-os economicamente viáveis e atendendo às rígidas normas de emissões de CO2. Por isso é que o pequeno Smart ForTwo também passará a ser apenas elétrico. 

LEIA MAIS: VW Up! será vendido apenas elétrico na Europa a partir do ano que vem

No caso do Up!, essa mudança vai durar até a chegada de um novo subcompacto da VW, que será feito em parceria com a empresa e.Go. O novo modelo precisará cumprir a difícil missão de ser minimamente lucrativo e estar de acordo com os padrões de segurança e emissões.

LEIA MAIS: Confira 5 motivos para comprar  Up! e não Mobi, ou Kwid

O novo subcompacto da VW ficará abaixo do I.D, hatch totalmente elétrico cujas encomendas começarão a serem aceitas a partir de 8 de maio próximo. de acordo com a fabricante alemã. Sabe-se que o carro terá autonomia em torno de 550 km e vai custar algo em torno de 30 mil euros, o que equivale a cerca de R$ 129 mil numa conversão simples, bem mais caro do que deverá custar o novo Fiat 500 elétrico.  

Veja Mais:  Toyota anuncia investimento de R$ 1 bilhão para modernizarfábrica do Corolla

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Renault Duster 2.0 com tração dianteira e  Captur mais em conta saem de linha

Publicado


Versões com baixa procura do Renault Duster saíram de linha. Outro modelo que também passa por isso é o Captur
Caue Lira/iG

Versões com baixa procura do Renault Duster saíram de linha. Outro modelo que também passa por isso é o Captur

Tanto o Renault Duster quanto o Captur perderam uma versão cada. Enquanto o primeiro deixou de ser oferecido nas configurações 2.0, com câmbio manual de seis marchas e automática de 4 velocidades, o Captur perdeu sua única versão com câmbio manual, a Zen 1.6. Agora, sobram duas versões deste SUV: a Intense 1.6 CVT (R$ 90.690) e a Intense 2.0 automática (R$ 91.690). No caso do Duster 2.0, agora só com tração integral. 

LEIA MAIS: Renault Duster 4×4: testamos e aprovamos o SUV compacto aventureiro 


Tal como Renault Duster, o Captur não vingou na sua versão mais em conta. Apesar disso, surgirá renovado em 2020
Caue Lire/iG Carros

Tal como Renault Duster, o Captur não vingou na sua versão mais em conta. Apesar disso, surgirá renovado em 2020

Enquanto isso, com nova geração prevista para chegar em 2020, o Renault Duster é oferecido nos modelos 2.0 4×4 com câmbio manual de seis marchas (R$ 81.130) e o automático 1.6 CVT (R$ 77.560). De acordo com montadora, a linha do SUV ficou mais enxuta  por causa do reposicionamento de preços e versões.

LEIA MAIS: Renault Captur 1.6 CVT se revela a melhor face do SUV compacto

Pelo que se observava, o Captur manual 1.6 não tinha bons resultados nas vendas, uma vez que todos os modelos desse segmento com câmbio manual não são muito procurados. Por sua vez, o Duster 2.0 batia de frente com o Renault Captur 2.0 com o mesmo e antiquado câmbio automático de 4 marchas.

Veja Mais:  JAC T50 CVT: o SUV mais equipado de sua categoria

LEIA MAIS: Renault Captur: nova geração será mostrada em 2020, com várias mudanças

Renault Duster de lado, Captur e Kwid no cardápio do Rappi


Parceria oferece test drive de Captur e Kwid. Se vingar, poderá oferecer até o Renault Duster
Divulgação

Parceria oferece test drive de Captur e Kwid. Se vingar, poderá oferecer até o Renault Duster

Enquanto espera o sushi chegar, a Renault diz que vale a pena conferir a nova ação para Renault Kwid e Captur, no Rappi — aplicativo de entrega de comida e compras. O cliente agenda o test drive usando o app no celular e a concessionária mais próxima enviará o carro até onde estiver.

LEIA MAIS: Apesar de estar longe do Brasil, o Renault Clio renovado lidera vendas na Europa

As duas concessionárias habilitadas até o momento são do Grupo Sinal em São Paulo — uma na Avenida Ibirapuera e outra na Avenida das Nações Unidas — que ainda estão em fase de testes para consolidar a novidade. A condição para realizar o pedido dos carros será o usuário estar em até 5 km de distância da loja, que oferecerá apenas dois modelos: Kwid Intense e Captur Intense 1.6.

LEIA MAIS: Renault Kwid com retoques no desenho aparece antes mesmo da estreia

Entre outros detalhes para realizar o pedido, incluem agendamentos com um dia de antecedência ou mais, em horários entre 10h e 16h, de segunda a sexta. Se for dia de rodízio, este horário será reduzido para entre 11h e 15h. O passo a passo consiste em baixar o aplicativo da Rappi e procurar por “Renault”. Para realizar o pedido, ele irá exigir o número da CNH, validade e categoria da habilitação. Caso a campanha se expanda, poderemos ver outros modelos, como o próprio Renault Duster .

Veja Mais:  Ferrari F8 Tributo, sucessora da 488 GTB, é revelada. Estará no Salão de Genebra

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana