conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Portal Agro

Valor da Produção Agropecuária deve atingir R$ 603,4 bilhões em 2019

Publicado

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) deve atingir R$ 603,4 bilhões neste ano, com base nas informações de junho, 1,2% acima do obtido em 2018 (R$ 596,1 bilhões). O valor é o segundo maior alcançado pela agropecuária em 30 anos. O primeiro ocorreu em  2017, com R$ 607,9 bilhões.

As principais lavouras representaram R$ 399 bilhões, e a pecuária, R$ 204,4 bilhões. A pecuária apresenta variação positiva de 4,5% e as lavouras tendência de redução.

“Essas tendências observadas devem permanecer até o final do ano, pois a safra deste ano está praticamente encerrada”, observa o coordenador-geral de Avaliação de Políticas e Informação, da Secretaria de Política Agrícola, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, José Garcia Gasques.

>> Veja aqui dados do VBP

Os melhores resultados são observados nas culturas do algodão, com aumento real de 16,6% no VBP, amendoim (14,3%), da banana (20,5%), da batata inglesa (117,8%), do feijão (64,9%), do cacau (1,9%), da laranja (8,1%), da mamona (34,9%), do milho (22,9%), do tomate (19,6%) e do trigo (8,2%).

O que mais se destaca nos resultados, além do elevado acréscimo de valor em algumas lavouras, é o desempenho do milho por meio do excepcional valor obtido, atingindo R$ 60,4 bilhões de VBP. Torna-se, entre as lavouras, a segunda atividade mais importante depois da soja (R$ 129 bilhões).

Veja Mais:  Campanha nacional vai informar população sobre melhores formas de identificar os orgânicos em feiras e mercados

O desempenho do milho 2ª safra, conforme apresentado pela Conab e pelo IBGE nos relatórios deste mês, foram decisivos para os resultados deste ano. A produtividade cresceu 25,8% em relação a 2018. Do mesmo modo, explica Gasques, “a safra recorde de grãos prevista em 241,3 milhões de toneladas foi essencial para o crescimento da agropecuária como um todo”.

Na pecuária, destacam-se os valores da carne de frango (13,4%) e de suínos (9,3%), e por último a carne bovina, com aumento de 1,3%.

>> Veja aqui o VBP dos principais produtos agropecuários

Um grupo importante de produtos tem apresentado desempenhos desfavoráveis em relação ao ano passado. O coordenador do estudo cita o arroz, café, cana-de-açúcar, mandioca, soja e uva. A participação desses produtos no valor das lavouras é de 58%. No caso da soja, cana-de-açúcar e do café, principalmente, os preços têm sido responsáveis pelo desempenho negativo.

Os resultados regionais mostram novamente que Mato Grosso, São Paulo, Paraná, Minas Gerais e Rio Grande do Sul lideram a geração de valor da produção agropecuária no país.

Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
Inez De Podestà
imprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
publicidade

Portal Agro

Ministério assina contrato com o BID para destinar US$ 200 milhões para a Defesa Agropecuária

Publicado

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento assinou nesta quarta-feira (4) o contrato de empréstimo com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para o Programa de Modernização e Fortalecimento da Defesa Agropecuária (ProDefesa). A assinatura ocorreu durante cerimônia para celebrar os 60 anos do banco. 

O custo estimado do programa é de US$ 200 milhões para os próximos cinco anos, sendo que US$ 195 milhões virão de empréstimo junto ao BID e US$ 5 milhões de aporte do governo federal. A operação foi autorizada pelo Senado Federal.

Segundo a ministra Tereza Cristina, o programa vai permitir que o Brasil continue livre da febre aftosa, aumente as áreas sem a peste suína clássica (PSC) e sem a mosca da carambola. Com esses recursos, também serão reestruturados os serviços de sanidade animal e vegetal.

“Estou muito feliz com este momento porque um dos pilares da minha gestão é justamente a defesa agropecuária. Hoje, o agro responde por mais de 40% das exportações brasileiras e por isso precisamos aprimorar nossa vigilância internacional e agilizar, pela informatização, a liberação de mercadorias, bem como inspeções, registros e autorizações. Simplificar sem precarizar, como digo sempre, usando a tecnologia a nosso favor”, disse a ministra.

Do total a ser investido, o controle e erradicação de pragas e doenças receberá US$ 137 milhões, a melhoria da eficiência dos serviços de defesa agropecuária ficará com US$ 23 milhões, e ao conhecimento e inovação para a defesa agropecuária caberá US$ 35 milhões. Adicionalmente, o Ministério aportará contrapartida de US$ 5 milhões para acompanhamento e avaliação dos projetos.

Veja Mais:  Novo episódio do Mapacast fala sobre as projeções do agronegócio para os próximos 10 anos

A ministra disse que, além do Prodefesa, o Mapa está elaborando uma Carta Consulta de Apoio do BID ao Plano AgroNordeste, voltado para inclusão de pequenos e médios produtores na região do semiárido brasileiro. Ela anunciou que o Ministério da Economia já autorizou a aprovação da carta para março de 2020.

Tereza Cristina lembrou que o BID é um parceiro importante do Brasil na disseminação de tecnologias de agricultura de baixa emissão de carbono, como o Projeto Rural Sustentável, aprovado pelo banco em 2013, que atuou na Amazônia e Mata Atlântica, beneficiando 25 mil produtores e atingindo 46 mil hectares.

O representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán, disse que a assinatura do contrato de empréstimo é simbólico para o momento atual do Banco, e ressaltou que o BID quer continuar sendo um parceiro estratégico do Brasil. “Para os próximos anos, vamos continuar acompanhando o país em seus esforços para aumentar o ritmo de crescimento da produtividade e assim consolidar seus ganhos sociais”, disse.

O contrato foi assinado pelo representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán, pela ministra Tereza Cristina e pela procuradora da Fazenda Nacional, Suely Dib de Sousa e Silva

O contrato foi assinado pelo representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán, pela ministra Tereza Cristina e pela procuradora da Fazenda Nacional, Suely Dib de Sousa e Silva

 

 

Informações à imprensa:imprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Convênio prevê expansão da palma forrageira na Paraíba

Publicado

A expansão da palma forrageira, importante alimento do rebanho do Nordeste em períodos de seca, é o objetivo do convênio entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o governo da Paraíba. Assinado nesta quarta-feira (4) pela ministra Tereza Cristina e pelo secretário de Agricultura da Paraíba, Efraim Morais, o convênio integra as ações do AgroNordeste. 

Segundo o convênio, serão investidos R$ 5,4 milhões na implantação de campos de multiplicação da palma forrageira irrigada, com transferência de tecnologia e capacitação, visando revitalizar a cultura na Paraíba. Serão dois hectares de palma em cada município paraibano. As mudas serão usadas para expandir a palma para os demais estados do Nordeste. 

Para a ministra, o projeto servirá de berço para a multiplicação da palma forrageira, criando uma fonte de alimento para os animais na época da seca. “Temos experiências da Embrapa com a palma resistente à cochonilha, que acabou com essa cultura no passado e que deixou muita gente sem condições de sobreviver com seus animais na seca que assolou a região por muitos anos”, disse. 

Alimento de bovinos, caprinos e ovinos, a palma forrageira fortalece a cadeia produtiva da pecuária nordestina. “Fico muito feliz de estarmos juntos assinando esse convênio porque sei que isso vai beneficiar diretamente o pequeno agricultor, aquele que precisa dessa ajuda para sobreviver com dignidade, ter renda para continuar na área rural”, destacou a ministra. 

Veja Mais:  Auditoria do Serviço de Registro Genealógico de Animais passa a ser totalmente digital

O secretário de Agricultura disse que o projeto será implantado em 169 municípios da Paraíba, o que significa 388 hectares de palma irrigada no estado. “Estamos retomando uma das culturas mais importantes para a sobrevivência dos rebanhos, sejam de bovinos, ovinos e caprinos, principalmente na época da seca”, afirmou Morais. Segundo ele, em um ano e meio já será possível colher os primeiros resultados do projeto. 

Também participaram da assinatura do convênio, o secretário executivo do Mapa, Marcos Montes; o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo, Fernando Schwanke; o coordenador do AgroNordeste, Danilo Forte; o deputado federal Efraim Morais Filho; os prefeitos de São Sebastião do Umbuzeiro, Adriano Wolff, e de Alhandra, Renato Mendes Leite.

Informações à Imprensaimprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Inmet prevê chuva para os próximos 15 dias no país

Publicado

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), informa que, nas próximas duas semanas, a previsão é de chuva no Brasil.

As chuvas devem se concentrar principalmente nas regiões Centro-Oeste e Sudeste. Na primeira semana de dezembro, os maiores volumes estão previstos para Minas Gerais, Espírito Santo e Mato Grosso do Sul, com totais entre 80 e 130 mm, e em Goiás e Distrito Federal, com totais entre 50 e 90 mm.

Na segunda metade da quinzena, as previsões indicam que pode haver concentrações significativas, acima de 50 mm, em algumas áreas nos estados das regiões Centro-Oeste e Sudeste, com possibilidade de acumulado de chuvas acima de 100 mm no centro-sul do Mato Grosso do Sul.

Não há previsão de chuva significativa para a Região Nordeste nas próximas duas semanas.

>> Veja aqui o informativo completo das condições observadas no Brasil nos últimos 15 dias e a previsão para os próximos 15 dias.

iStock/Mapa

Informações à imprensa:acs.inmet@inmet.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Veja Mais:  Novo tomate desenvolvido na Embrapa pode conter três vezes mais licopeno
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana