conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Portal Agro

Valor da Produção Agropecuária é estimado em R$ 602,8 bilhões em 2019

Publicado

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) estimado para 2019, com base nas informações de junho, é de R$ 602,8 bilhões, com acréscimo real de 1,1 % em relação a 2018. A pecuária teve acréscimo de 4,36% em relação ao ano passado e a lavoura ligeira queda (-0,45%). O faturamento é de R$ 398,8 bilhões nas lavouras e de R$ 204,0 bilhões na pecuária.

“Um grupo grande de produtos vem tendo resultados melhores do que no ano passado”, observa o coordenador geral de Avaliação de Políticas e Informação, José Gasques. Destacam-se algodão, 17,2 % de aumento; amendoim, 15,7 %; banana, 21,6 %; batata inglesa, 119,2 %; feijão, 72,9 %; laranja, 11,5 %; mamona, 34,3 %; milho, 18,8 %; tomate, 20,4 %, e trigo, 13,6 %. No grupo, chama atenção o algodão. A Conab em seu Boletim deste mês destaca que os agricultores, diante de boas cotações do pluma, investiram nesta safra, ocorrendo incremento recorde na área plantada, de 36,2 %.

Bons resultados vêm ocorrendo em carne bovina, suína e frango, destaca, o coordenador. “Essa melhoria deve-se especialmente ao mercado internacional favorável às carnes nos últimos 12 meses”, observou, citando como fonte o (Mapa/Agrostat 2019).

Os desempenhos desfavoráveis vêm ocorrendo com arroz ( -6,1%), café ( -24,1%), cana de açúcar(-8,2 %), mandioca (-9,4%), soja ( -13,4%) e uva (-6,6 %). Essas representam 67 % do valor da produção das lavouras. Nos últimos 10 anos, a área cultivada de arroz foi reduzida em aproximadamente 38 %, sobretudo em áreas de sequeiro. Mas houve forte salto de produtividade, estimado pela Conab em 95% entre 2001 e 2018.

Veja Mais:  Criada zona de proteção na fronteira ao sul da Venezuela

Na pecuária, leite e ovos também têm apresentado valor da produção abaixo do ocorrido no ano passado.
Nesta safra, alguns produtos vêm obtendo acentuados aumentos de preços reais. Pode-se observar na banana, 18 %; batata inglesa, 117%; feijão, 70% tomate, 27,2 %, e carne de frango, 14,1 %.

Os resultados regionais mostram, como em relatórios anteriores, que o Centro Oeste lidera o VBP nacional com estimativa de R$ 174 bilhões, Sul R$ 150,6 bilhões, Sudeste R$ 144,9 bilhões, Nordeste R$ 57,7 bilhões, e Norte R$ 36,7 bilhões.

Acesso o quadro resumo e dados regionais do VBP 

Mais informações à imprensa:Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook

Portal Agro

Qualidade e resistência de fibra chamam a atenção de participantes da Missão Compradores ABRAPA 2019

Publicado

Indústrias têxteis de oito países passaram por Mato Grosso entre os dias 18 e 20 de agosto para conferir de perto o trabalho desenvolvido por produtores, algodoeiras, cooperativas e laboratórios de análise de HVI

Missão Compradores 2019 ABRAPA

Qualidade, resistência, uniformidade e sustentabilidade. Estes foram alguns pontos levantados por representantes de indústrias têxteis de oito países sobre o algodão mato-grossense durante passagem no estado da Missão Compradores 2019, promovida pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (ABRAPA). A missão era composta por representantes da China, Paquistão, Vietnã, Coreia do Sul, Turquia, Índia, Peru e Bangladesh. Em Mato Grosso a ação contou com a parceria da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (AMPA).

A missão é realizada pela ABRAPA desde 2015 e tem como intuito trazer indústrias têxteis de diversas partes do mundo ao Brasil. Segundo a entidade, desde a primeira edição mais de 80 fiações de todo o mundo já estiveram no Brasil para conhecer o sistema de produção do algodão brasileiro, visitar propriedades rurais, conhecer a colheita mecanizada, as usinas de beneficiamento de algodão, os programas de qualidade e sustentabilidade do algodão brasileiro, os laboratórios de análise de HVI, bem como fazer negócios.

O Brasil na safra 2018/2019 figura como 4° maior produtor de algodão e 2º maior exportador. Além disso, o país é o maior fornecedor de algodão sustentável para o mundo.

Veja Mais:  Na CNA, ministra discute com embaixador de Israel uso da água e produção no semiárido

Em Mato Grosso os industriais têxteis visitaram fazendas, laboratórios de análise, algodoeira, fiação e o Centro de Treinamento do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt). As visitas ocorreram nos municípios de Sapezal, Campo Verde e Primavera do Leste.

Segundo o presidente da AMPA, Alexandre Pedro Schenkel, missões comerciais sempre são válidas para troca de informações e experiências independente se elas ocorram no Brasil ou em algum outro país. “O Brasil, em especial Mato Grosso, tem a capacidade de fazer duas safras em uma mesma área e de forma sustentável, sem a necessidade de abrir um centímetro de área. Em Mato Grosso temos três pontos que nos tornam eficientes na produção: solo, clima e pessoas”.

Schenkel lembra que 80% dos produtores de Mato Grosso plantam algodão há mais de 10 anos e que o emprego de tecnologia no campo também auxilia na produção.

O presidente da ABRAPA, Milton Garbugio, pontua que crises no mundo vem e vão. “É importante ações como essa, pois crises vem e vão e isso mostra o quanto somos eficientes”.

Missão Compradores 2019 ABRAPA

Sun Wei era um dos participantes que compunha a comitiva de chineses. Pela primeira vez no Brasil, ele comenta que a empresa para a qual trabalha todos os anos envia um representante nas missões da ABRAPA. “Queria conhecer mais sobre o algodão brasileiro. É importante participar. Consideramos o algodão brasileiro um dos melhores do mundo. Cada vez mais nossos clientes procuram o algodão brasileiro devido à guerra comercial com os Estados Unidos. Essa ligação Brasil e China é importante manter”.

Veja Mais:  Ministério e polícias vão tornar fiscalização do transporte de cargas de suínos, aves e bovinos mais rigorosa

Único integrante da América Latina, José Omar Perez possui no Peru uma indústria têxtil integrada que trabalha desde a fiação até a confecção. “Fiquei impressionado com a evolução da produção de algodão de Mato Grosso de modo sustentável e o respeito ao meio ambiente. E, o tamanho da produtividade e qualidade também. Isso torna o país cada vez mais competitivo”.

Já cliente do algodão brasileiro, Phan Duc Le Hoang possui no Vietnã uma tecelagem. “Já compramos algodão brasileiro e já estávamos impressionados com o produtor, porém queria saber mais detalhes sobre ele. Fiquei impressionado com as algodoeiras e o algodão o quanto é limpo comparado com os outros”.

Lalit Mahajan, da Índia, comenta que seu país está voltando a comprar o algodão brasileiro. De acordo com ele, a Índia teve em 2004 “uma experiência não muito boa com o algodão do Brasil, mas que viu hoje a evolução e o quanto há de qualidade, produtividade e tecnologia. A missão foi produtiva para ver isso de perto”.

Missão Compradores 2019 ABRAPA

A empresa a qual Mirza MD Shorforaj Hossain ainda não compra algodão produzido no Brasil, mas a qualidade vista o faz repensar. “Vi muita qualidade. Não compramos ainda algodão daqui e a missão é uma oportunidade para isso”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Autorizações de pesca são prorrogadas por 240 dias

Publicado

Foi publicada nesta quinta-feira (22), no Diário Oficial da União (DOU), a Instrução Normativa (IN) 31, prorrogando as autorizações de pesca por 240 dias para todas as embarcações pesqueiras que tenham o requerimento de renovação de Registro e Autorização de Embarcação Pesqueira, protocolado nas Representações Federais de Aquicultura e Pesca nas Unidades da Federação, conforme Instrução Normativa nº 9. A instrução foi assinada pela ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento). 

De acordo com a instrução normativa, publicada hoje, os proprietários ou armadores terão de cumprir as exigências previstas no Programa Nacional de Rastreamento de Embarcações Pesqueiras por Satélite (PREPS), apresentar mapa de bordo, comprovar pagamento da taxa de registro e respeitar as regras de atuação e períodos de defeso das espécies, assim como as proibições e restrições de captura de espécies de peixes e invertebrados aquáticos da Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção – Peixes e Invertebrados Aquáticos.

Os proprietários e armadores também devem manter a bordo das embarcações os seguintes documentos: último Certificado de Registro e Autorização de Pesca da Embarcação Pesqueira e o protocolo de requerimento de renovação da autorização de pesca carimbado, datado e assinado pela Representação Federal de Aquicultura e Pesca, nas unidades da Federação.

Em caso de dúvidas, os interessados podem procurar a Secretaria de Aquicultura e Pesca, sediada em Brasília, ou representação nas Superintendências Federais de Agricultura nos estados e no Distrito Federal.

Veja Mais:  Criada zona de proteção na fronteira ao sul da Venezuela

Informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social
imprensa@agricultura.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Portal Agro

Produção total de etanol deve ficar em 31,6 bilhões de litros em 2019

Publicado

Este ano o Brasil deverá produzir 30,3 bilhões de litros de etanol da cana-de-açúcar e mais 1,35 bilhão de litros a partir do milho, o que dá um total de 31,6 bilhões de litros. Os dados são do 2º levantamento da Safra de Cana 2019/20, divulgado nesta quinta-feira (22), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Nos subprodutos gerados a partir da cana-de-açúcar, o etanol anidro deve chegar a 10,5 bilhões de litros, ou seja, 12,6% a mais que em 2018/19. Este composto é utilizado na mistura com a gasolina. Já no caso do hidratado, a tendência é uma queda de 14,1%, em relação à safra passada, chegando a 19,8 bilhões de litros.

Com relação à produção de açúcar, esta deverá atingir 31,8 milhões de toneladas este ano, um crescimento de 9,5%. No plantio da cana, o estudo aponta um acréscimo de 0,3% na produção em relação à safra passada, chegando a 622,3 milhões de toneladas. Em compensação, a área colhida está estimada em 8,38 milhões de hectares, uma queda de 2,4%.

Milho 

A partir do 1º levantamento da safra 2019/20, divulgado em maio deste ano, a Conab passou a incluir na divulgação as estatísticas totais de etanol, o que engloba também os dados sobre o etanol à base de milho. Isso porque o cereal vem assumindo um papel de relevância crescente na produção do combustível.

Veja Mais:  Criada zona de proteção na fronteira ao sul da Venezuela

A região que mais se destaca na utilização do cereal como combustível é o Centro-Oeste, com 94,2% da oferta nacional em 2019, ou seja, 1,27 bilhão de litros, um crescimento de 62,4% em relação à safra passada.

Clique aqui para saber acessar o estudo completo.

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Imprensa
(61) 3312-6338/6344/6393/2256/6389
imprensa@conab.gov.br

Fonte: MAPA GOV
Comentários Facebook
Continue lendo

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana