Saúde

5 dicas para perder o medo de doar sangue

Publicado

source
5 dicas para perder o medo de doar sangue
Redação EdiCase

5 dicas para perder o medo de doar sangue

Entenda como esse procedimento é simples, seguro e pode ajudar a salvar vidas

Por Guilherme de Melo

O Dia Mundial do Doador de Sangue é comemorado no dia 14 de junho em homenagem ao nascimento do imunologista austriaco Karl Landsteiner, responsável por descobrir o fator Rh e outras diferenças entre os tipos sanguíneos.

Em 2005, a Assembleia Mundial da Saúde designou essa data para conscientizar as pessoas sobre a doação e agradecer aos doadores, já que doar sangue é um ato de amor ao próximo e que pode dar esperança de vida e saúde para quem mais precisa. Assim, não importa quem será o beneficiado, mas, sim, que outras pessoas terão novas oportunidades e chances de recomeçar a própria vida.

> HPV em homens: entenda sobre o diagnóstico e o tratamento

Importância de doar sangue

Para a mestre em medicina tropical e saúde pública e professora de biomedicina, Daynara de Lima Paiva, não existe nada que substitua o sangue. “Isso [o sangue] desempenha funções vitais para nosso organismo como levar oxigênio a todo o corpo e nos defender contra infecções. Diversas pessoas todos os dias enfrentam situações em que é necessário receber sangue de doador ou algum tipo de hemoterapia para sua sobrevivência. Por isso, é importante estimular este hábito”, explica.

Os estoques dos bancos de sangue de todo o país precisam ser constantemente abastecidos para atender tanto pessoas em situação de emergência quanto quem necessita de sangue com frequência ou passa por cirurgias.

Veja Mais:  Imunoterapia utilizada em estudo cura câncer em todos os pacientes

Medo de realizar a doação

Existem algumas pessoas que ainda têm medo ou preconceito com a doação de sangue. “A desinformação é a maior geradora desse preconceito. Muitas pessoas possuem o medo de que o sangue retirado venha afetar sua saúde”, reforça Daynara.

Pensando nisso, a professora de biomedicina preparou 5 dicas para não ter mais medo de doar sangue:

1. A quantidade de sangue retirada não afeta a saúde

O volume coletado não ultrapassa 10-15% da quantidade de sangue que o doador possui. Esse volume é reposto naturalmente pelo organismo em até 24 horas após a doação.

> Freekeh: conheça as vantagens desse tipo de grão

2. Não há risco de contaminações

Durante a doação de sangue, todos os materiais utilizados para doação de sangue são descartáveis e de uso único.

3. A técnica é simples 

O procedimento para doação de sangue é simples, prático e rápido, muito parecido com uma coleta de sangue para exames médicos.

> Hipertireoidismo e hipotireoidismo: entenda as causas e as diferenças e veja como tratar

4. Somente profissionais realizam a coleta

O atendimento é feito por profissionais altamente capacitados que garantem a total segurança do doador.

5. O procedimento é realizado somente em local adequado 

O local de coleta conta com todo suporte e material necessário para que a retirada do sangue seja feita de forma adequada, e que o doador se sinta tranquilo e a vontade durante todo o procedimento.

Veja Mais:  Brasil tem 485 óbitos por covid-19 em 24h

Confira mais conteúdos na revista ‘Cuidando da Saúde’

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook

Saúde

Produção da CoronaVac é suspensa por baixa demanda e falta de registro

Publicado

source
Vacina do Butantan (Coronavac) foi fundamental para conter o atraso das importações das outras vacinas
Crédito: SOPA Images/LightRocket via Getty Images

Vacina do Butantan (Coronavac) foi fundamental para conter o atraso das importações das outras vacinas

O Instituto Butantan anuncia a interrupção da produção da CoronaVac. A vacina foi a primeira aplicada no Brasil, e teve sua última produção realizada em outubro de 2021. Apesar das mais de 110 milhões de doses entregues, o último envio ocorreu em fevereiro. Sem novos pedidos por lotes do imunizante, não há previsão de retomada.

Pano de fundo para uma briga política entre o ex-governador João Doria (PSDB) e o presidente Jair Bolsonaro (PL), a CoronaVac foi aprovada pela Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) para uso emergencial em janeiro do ano passado, e desde então, nunca foi deixada de lado. Hoje, é utilizada especialmente para a vacinação de crianças e adolescentes.

A CoronaVac ajudou bastante a manter a eficiência da vacinação em “rebanho” no Brasil, uma vez que, os demais modelos, demoraram para chegar ao Brasil. Entretanto, assim que o abastecimento dessas demais aumentou, a vacina do Instituto Butantan perdeu espaço na campanha nacional de vacinação.

Em abril deste ano, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou o fim da emergência sanitária pela covid-19 no país. Sem emergência sanitária, apenas vacinas registradas definitivamente podem ser aplicadas em adultos — por isso, a CoronaVac foi barrada e ficou restrita a crianças e adolescentes. Os outros três imunizantes aplicados no país já têm registro definitivo pela Anvisa : Pfizer, AstraZeneca e Janssen .

Veja Mais:  Pesquisa: Pandemia influenciou percepção do brasileiro sobre a dengue
Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Vacinação contra a gripe é ampliada a partir deste sábado no país

Publicado

source
Reforço para a imunização ocorre pelo SUS (Sistema Único de Saúde)
Rovena Rosa/Agência Brasil – 19.01.2022

Reforço para a imunização ocorre pelo SUS (Sistema Único de Saúde)

A campanha contra a gripe será ampliada a partir deste sábado (25) para a população a partir de 6 meses de idade, em todo o país, enquanto durarem os estoques da vacina. A mobilização busca prevenir complicações decorrentes da doença e diminuir óbitos e pressão sobre o sistema de saúde.

Quem faz parte do público-alvo e ainda não se imunizou, também poderá se vacinar. Para receber a vacina da gripe, basta ir a qualquer posto de vacinação. O Sistema Único de Saúde (SUS) tem cerca de 38 mil salas de vacinas espalhadas por todo país e o Ministério da Saúde já distribuiu 80 milhões de doses da vacina contra a gripe para estados e Distrito Federal.

Até o momento, a mobilização contra a doença atingiu 53,5% de cobertura vacinal. “Os pressupostos para o sucesso das campanhas de vacinação são absolutamente atendidos no nosso país. Temos vacinas, temos uma capacidade sem precedentes de aplicação, graças aos vacinadores que estão nas salas de vacinação do Brasil .

Ano passado, tivemos casos em várias regiões do País por conta da cepa H3N2 . A vacina deste ano já protege contra essa cepa e as passadas. Precisamos combater essas doenças”, disse o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Ele fez um apelo à população para que à população para que ajude a aumentar os índices de imunização contra a doença no Brasil. Veja os grupos preferenciais, a seguir.

Veja Mais:  Mortes pelo consumo de álcool aumentaram 24% no 1º ano de pandemia

Idosos acima de 60 anos; Trabalhadores da saúde; Crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias); Gestantes e puérperas; Povos indígenas; Professores; Pessoas com comorbidades; Pessoas com deficiência permanente; Forças de segurança e salvamento e Forças Armadas; Caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso; Trabalhadores portuários; Funcionários do sistema prisional; Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; População privada de liberdade.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Saúde

Brasil tem 17 casos confirmados de varíola dos macacos

Publicado

source
Brasil tem 17 casos confirmados de varíola dos macacos
Reprodução / CNN Brasil – 17.06.2022

Brasil tem 17 casos confirmados de varíola dos macacos

O Brasil registra, no momento, um total de 17 casos confirmados para a varíola dos macacos – monkeypox –, sendo 11 em São Paulo, dois no Rio Grande do Sul e quatro no Rio de Janeiro. Outros dez casos seguem em investigação. Do total de caso, cinco seriam autóctones, o que significa que houve transmissão local da doença. Dois deles no Rio de Janeiro e três em São Paulo.

Nesta sexta-feira (24), a pasta foi notificada de três novos casos da doença no país, sendo dois no estado do Rio de Janeiro e outro no estado de São Paulo, confirmados pelos laboratórios da Fiocruz-RJ e Adolf Lutz em São Paulo. Os dois casos do Rio de Janeiro já tinham sido confirmados pela prefeitura na noite de quinta-feira (23).

Em São Paulo, trata-se de um caso importado, com histórico de viagem para a Europa. O paciente é do sexo masculino, 29 anos, residente na capital paulista. Segundo informações do MS, os casos apresentam quadro clínico estável, sem complicações e estão sendo monitorados pelas Secretarias de Saúde dos estados e municípios.

São Paulo

Nesta quinta (23), o Ministério da Saúde foi notificado de três casos autóctones confirmados para a varíola dos macacos no estado de São Paulo, segundo divulgou a pasta. São três pacientes do sexo masculino, residentes na capital paulista, com idade entre 24 e 37 anos, sem histórico de viagem para países com casos confirmados.

Veja Mais:  Crianças que fazem esportes individuais têm mais risco de ansiedade

De acordo com o MS, os casos ainda estão em investigação para a busca de vínculos de transmissão. Eles estão isolados, com quadro clínico estável, sem complicações e sendo monitorados pelas Secretarias de Saúde do Estado e do município.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana