Economia

André Brandão é escolhido como novo presidente do Banco do Brasil

Publicado


source
brandão
Marcelo Camargo/Agência Brasi

André Brandão: atual presidente do HSBC será presidente do BB, segundo integrantes do governo

O atual presidente do banco HSBC no Brasil, André Brandão, aceitou convite do governo para presidir o Banco do Brasil. Brandão substituirá  Rubem Novaes, que pediu demissão do cargo na semana passada.

Segundo falou uma fonte da equipe econômica do governo ao canal GloboNews, ainda faltam alguns detalhes burocráticos para o anúncio oficial de Brandão. O governo o vê como tendo um perfil parecido com o do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

“Um banqueiro jovem, mas bastante experiente, técnico, discreto e apolítico”, explicou o integrante da equipe econômica do governo à comentarista Cristiana Lôbo, da GloboNews.

Quem é o novo presidente do BB

Brandão entrou no Grupo HSBC em 1999, na área de renda fixa, vendas e câmbio. Em 2001, assumiu o cargo de diretor de tesouraria e depois foi promovido a diretor-executivo de tesouraria. Com 26 anos no mercado financeiro, Brandão trabalhou por 11 anos no Citibank, entre São Paulo e Nova York.

Veja Mais:  Golpista aplica fraude por WhatsApp e zomba: "é gostoso, vou falar pra você"

Em 2015, o executivo foi convocado a uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) no Senado Federal que investigava contas brasileiras no braço suíço da instituição. O escândalo ficou conhecido à época como “Swissleaks”.

Brandão então afirmou aos senadores não ter nenhum conhecimento sobre as contas mantidas por cerca de oito mil brasileiros na Suíça e manifestou reprovação à conduta de Hervé Falciani, ex-funcionário do HSBC e delator do escândalo.

Na época, ele também disse que depois de levantadas suspeitas de que as contas no país poderiam ser usadas para fins ilícitos – como lavagem de dinheiro e evasão de divisas – o HSBC reforçou suas políticas de compliance.

Economia

Conta de luz contará na hora de pedir empréstimo; veja novo horário da Enel

Publicado


source
Conta de luz contará na hora de pedir empréstimo; veja novo horário da Enel
Reprodução

Conta de luz contará na hora de pedir empréstimo; veja novo horário da Enel

A associação de distribuidores de energia elétrica ( Abradee ) afirmou, nesta quinta-feira (13), que irá assinar na terça (18) um acordo com as companhias para que o histórico de pagamento das faturas comece a ser usado na análise de concessão de empréstimos e produtos financeiros.

O cadastro positivo começou a funcionar em janeiro, mas coletando apenas informações do sistema bancário. A estratégia é um dos esforços para tentar reduzir as taxas de juros pagas pelos brasileiros.

Novo horário de funcionamento da Enel

A distribuidora de energia elétrica Enel irá funcionar com horário de atendimento ampliado em 24 postos na cidade de SP e na Grande SP.

A companhia disponibilizará, a partir desta quinta (13), o atendimento com hora marcada nas lojas, sendo feito pelo site da própria empresa ( www.eneldistribuicaosp.com.br ).

O novo horário de funcionamento, de segunda a sexta, é das 7h às 16h30. Anteriormente, era das 9h às 15h. A Enel também afirmou que 12 de suas lojas passaram a abrir aos sábados, das 9h às 15h.

Confira as lojas que funcionam das 7h às 16h30 de segunda a sexta:

Zona Leste

  • São Miguel – av. São Miguel, 9.419
  • Tatuapé – rua Padre Estevão Pernet, 314
Veja Mais:  Câmera flagra cliente arrancar cabelo e colocar em lanche; vendedor era careca

Zona Oeste

  • Freguesia do Ó – av. Santa Marina, 2.523 / 2.525

Zona Sul

  • Jabaquara – av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 394
  • Santo Amaro – rua Barão do Rio Branco, 425

Zona Norte

  • Santana – rua Voluntários da Pátria , 1.068

Grande SP

  • Barueri – av. Henriqueta Mendes Guerra, 604
  • Cajamar – av. Tenente Marques, 1667
  • Cotia – av. Prof. Joaquim Barreto, 322
  • Diadema – av. Nossa Senhora das Vitórias, 275
  • Embu-Guaçu – av. Elias Yazbek, 984
  • Itapevi – rua Manoel Alves Mendes, 204
  • Juquitiba – rua ver. João Aquino Soares, 180
  • Mauá – rua dr. Getúlio Vargas, 172
  • Osasco – rua Euclides da Cunha, 150
  • Pirapora do Bom Jesus – rua José Bonifácio, 64
  • Ribeirão Pires – rua João Domingues de Oliveira, 337
  • Rio Grande da Serra – rua José Maria de Figueiredo, 130 A
  • Santana de Paranaíba – av. Copacabana, 55 C
  • Santo André – rua Onze de Junho, 461
  • São Bernardo do Campo – av. Brigadeiro Faria Lima, 1.280
  • São Caetano do Sul – av. Goiás, 215
  • São Lourenço da Serra – rua Honório Augusto de Camargo, 320
  • Taboão da Serra – praça Nicola Vivelechio , 287
  • Vargem Grande – José Manuel de Oliveira, 248

Confira as unidades que abrem aos sábados, das 9h às 15h:

Zona Leste

  • São Miguel – av. São Miguel, 9.419
  • Tatuapé – rua Padre Estevão Pernet, 314
Veja Mais:  PF desarticula chácara no interior de SP que era "central de fraudes" no auxílio

Zona Oeste

  • Freguesia do Ó – av. Santa Marina, 2.523 / 2.525

Zona Sul

  • Jabaquara – av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 394
  • Santo Amaro – rua Barão do Rio Branco, 425

Zona Norte

  • Santana – rua Voluntários da Pátria , 1.068

Grande SP

  • Diadema – Av. Nossa Senhora das Vitórias, 275
  • Mauá – rua dr. Getúlio Vargas, 172
  • Osasco – rua Euclides da Cunha, 150
  • Santo André – rua Onze de Junho, 461
  • São Bernardo do Campo – av. Brigadeiro Faria Lima, 1.280
  • São Caetano do Sul – av. Goiás, 215

Continue lendo

Economia

Mudança: haverá redução da mistura de biodiesel a partir de setembro

Publicado


source

Agência Brasil

biodiesel
Geraldo Kosinski/Petrobras

Diesel e biodiesel sofrerão mudança a partir do próximo mês; entenda

A diretoria colegiada da Agência Nacional do Petróleo,  Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), com a concordância do Ministério de Minas e Energia (MME), aprovou hoje (13) a redução excepcional e temporária do percentual de mistura obrigatória do biodiesel ao óleo diesel dos atuais 12% para 10% no bimestre de setembro e outubro de 2020.

Segundo a ANP, a medida é necessária para dar continuidade ao abastecimento nacional, uma vez que a oferta de biodiesel para o período poderia não ser suficiente para atender à mistura de 12% ao diesel B, que vem sendo bastante consumido, apesar da atual situação de pandemia de Covid-19.

Reação de empresários do setor

Segundo a coluna Vaivém das Commodities, da Folha de S.Paulo, a reação dos empresários do setor do biodiesel foi ruim.

“Insanidade, retrocesso, decisão surreal, vergonha, lamentável, pior do que nos tempos do PT, absurdo, insegurança jurídica. Essa é a reação da cadeia de biodiesel sobre a decisão da ANP e do Ministério de Minas e Energia de reduzir a mistura de biodiesel de 12% para 10% no bimestre setembro-outubro. Não faltaram também palavrões pouco comuns na boca de empresários”, publicou o colunista do jornal, Mauro Zafalon.

Veja Mais:  Venezuela coletará impostos em criptomoedas em algumas cidades do País

De acordo com o jornalista, os empresários se espantaram e disseram que esta foi a primeira interferência governamental na política de mistura do biodiesel. O problema para os empresários é que as indústrias adquiriram matéria-prima e há um cronograma de produção, que serão afetados com a mudança.

Continue lendo

Economia

Banco Central não prevê nova onda de covid-19 no país, afirma diretor

Publicado


source
Banco Central não prevê segunda onda de covid-19 no país, diz diretor
Raphael Ribeiro/BCB – 26.4.2019

Banco Central não prevê segunda onda de covid-19 no país, diz diretor

O Banco Central não espera a ocorrência de uma “segunda onda” da pandemia do novo coronavírus ( Sars-Cov-2 ) no país, disse hoje o diretor de Política Econômica do Banco Central, Fabio Kanczuk, em seminário virtual promovido pela Associação de Bancos no Estado do Rio de Janeiro ( Aberj ).

“Em nosso cenário básico não há uma segunda onda do vírus, que é a grande ameaça atual nos países desenvolvidos. Quando parecia que a pandemia já tinha acabado, veio a reabertura e as medidas de isolamento voltaram. Esse é o grande assunto hoje nos Estados Unidos e na Europa . O nosso cenário, aqui, é de que as coisas voltem sem uma nova onda.”

Para Kanczuk , apesar dessa perspectiva, a instituição analisa cenários alternativos, baseado no que vem ocorrendo em outros países. O diretor disse que se houver uma segunda onda, serão tomadas outras medidas com relação à economia, como uma nova expansão de crédito.

“Nosso papel é atuar. A gente tem certeza de que, dependendo do caminho, se acontecer uma segunda onda, vamos com tudo de novo. Estamos prontos para atuar mais uma vez e fazer medidas de expansão de crédito novo. Mas é um pouco mais reativo do que pró ativo. Esse é o nosso papel. É assim que a gente vê a nossa atuação”, disse ele.

Veja Mais:  Golpista aplica fraude por WhatsApp e zomba: "é gostoso, vou falar pra você"

Retomada

Sobre a recuperação da economia, Kanczuk afirmou que existem várias indicações, podendo se dar no formato de V (swoosh), em que após uma queda profunda começa a recuperação no mesmo ritmo em que caiu. Há também a representação em U, quando a volta não é tão rápida e ainda em W, em que são duas quedas com duas retomadas.

O diretor destacou que, em crises econômicas, o sistema bancário precisa dar respostas e se refazer, como nos Estados Unidos , mas disse que aqui a situação pode ser diferente nesse sentido, porque o sistema bancário brasileiro é sólido e respondeu bem nas crises econômicas de 2008 e 2009.

“Nos Estados Unidos , o sistema bancário vai ter que se refazer, não vai ser algo rápido, lá tem todo um estudo de como crises financeiras mais se parecem com um U do que um V”, disse.

No caso do Brasil, o diretor acredita que a economia pode voltar em uma velocidade do U. Ele afastou a possibilidade de ser como um V, com a recuperação mais rápida, porque há setores que não conseguem retomar, devido ao isolamento social. Na falta de uma letra, aparece o símbolo usado pelos economistas, o swoosh . “Parece o símbolo da Nike, mas é um pouco diferente. É alguma coisa assim. Volta, não é um U, mas começa a perder um pouco de força, porque alguns setores não conseguem voltar.”

Veja Mais:  Câmera flagra cliente arrancar cabelo e colocar em lanche; vendedor era careca

Varejo e indústria

Neste período de pandemia, segundo Kanczuk , as compras pela internet e o movimento dos que receberam renda de programas do governo favoreceram setores do varejo e da indústria. Mas outros setores não conseguiram dar resposta rápida, como os de serviços prestados a famílias, de cabeleireiro e limpeza, por exemplo. “Esses não retornam com a mesma força e ficam meio em função da pandemia, de quando isso vai se encerrar”.

Para Kanczuk, dados como o da Pesquisa Mensal de Serviços ( PMS ), divulgada nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE ), têm mostrado isso. “Não teve surpresa nenhuma. Foi mais ou menos o que todo mundo esperava”.

Autonomia

Em sua apresentação, o diretor disse que a autonomia do Banco Central atrai mais os investidores externos que conhecem pouco o Brasil . “A minha impressão é de que o brasileiro não vê diferença, mas um cara que conhece bem menos de Brasil, e quer saber onde vai colocar o dinheiro, olha o país e vê que tem banco central independente, que é uma coisa de instituição correta”, afirmou.

Ele disse ainda que a Aberj se apresenta como a antiga entidade de classe representante do sistema financeiro, fundada pelos banco, e que o principal objetivo é o aprimoramento técnico. “Responsabilidade que margeia sua personalidade socioeconômica, política e cultural.”

Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana