Economia

Azul manterá voos do projeto “Verão Azul Conecta” no Rio de Janeiro

Publicado


source

Contato Radar

Azul manterá voos do projeto
Gabriel Araújo

Azul manterá voos do projeto “Verão Azul Conecta” no Rio de Janeiro

De acordo com o portal Diário do Rio , a Azul manterá os voos realizados pelos Cessna Grand Caravan que partem do Santos Dumont (SDU) para outras três cidades do estado fluminense, operados pela sub-regional Azul Conecta.

Inicialmente, os voos que partem do aeroporto central da capital do Rio de Janeiro para Angra dos Reis (QAR), Paraty (JPY) e Búzios (BZC) teriam duração do dia 14 de dezembro do ano passado até o fim do mês de janeiro, fazendo parte do projeto “Verão Azul Conecta”, no qual a companhia oferta voos para alguns dos principais destinos mais procurados pelos turistas durante a temporada de verão.

Na última sexta-feira (22), o Governo do Estado do Rio de Janeiro acertou com a Azul a manutenção desses voos, tornando-os regulares. Além disso, a companhia vai aderir ao decreto estadual 46.827/2019, que concede redução da alíquota do ICMS sobre o querosene de aviação (QAV). A adesão permitirá ainda a ampliação do número de operações da subsidiária.

“Conseguimos chegar a um bom termo para que os voos continuem durante o ano inteiro. Isso será muito importante para as duas regiões. É um incentivo importante para o turismo. Esta é, certamente, mais uma grande vitória para o nosso estado”, pontuou o governador em exercício, Claudio Castro.

No Rio de Janeiro, a Azul Conecta também atende regularmente as cidades de Campos dos Goytacazes (CAW), Cabo Frio (CFB) e Macaé (MEA).

O post Azul manterá voos do projeto “Verão Azul Conecta” no Rio de Janeiro apareceu primeiro em Contato Radar – Notícias de aviação .

Comentários Facebook

Economia

Amazon vai doar R$ 5,3 milhões para construção de nova fábrica de vacinas em SP

Publicado


source
Amazon divulga aumento de 44% na receita em resultados de 2020
Luciano Rocha

Amazon divulga aumento de 44% na receita em resultados de 2020


A Amazon anunciou que doará R$ 5,3 milhões para a construção do novo prédio do Instituto Butantan que fabricará vacinas contra a Covid-19. Assim, a empresa passa a integrar a lista de 39 companhias que irão repassar parte de suas receitas para acelerar a construção do prédio na capital paulista.

Essa é a segunda vez que a empresa doa ao Brasil em prol do combate à pandemia de covid-19. Em julho de 2020, a Amazon doou 5 milhões de reais para a compra de itens de proteção individual e equipamentos médicos essenciais, como ventiladores mecânicos.

Leia também:

Na lista, estão empresas como Vale, iFood, Magazine Luiza, B2W, Minerva, Ambev, BTG Pactual e JBS, que doou 5 milhões para o projeto.

A fábrica, que está em construção desde o início de novembro, abrigará a produção nacional da vacina e terá 11.000 m². A atual fábrica do Instituto Butantan tem 1.880 m², quase quatro vezes menor que a em construção. O objetivo é produzir 100 milhões de doses anualmente a partir de janeiro de 2022. A previsão para a conclusão é setembro deste ano

Veja Mais:  Mulher reclama ter encontrado frango em pacote de molho de tomate; saiba mais

“Queremos oferecer nosso apoio onde a ajuda é mais necessária, e no momento vemos que é na vacinação. Esperamos que o valor ajude o Instituto Butantan a atingir a meta estipulada para a conclusão da fábrica, de forma que as doses da vacina possam ser fabricadas e assim imunizar toda a população brasileira”, disse em nota Alex Szapiro, gerente nacional da Amazon Brasil..

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Guedes defende vacinação e diz que Bolsonaro “não deixou claro o problema”

Publicado


source
Guedes afirmou que não seria possível reajustar salários de servidores neste momento
Lorena Amaro

Guedes afirmou que não seria possível reajustar salários de servidores neste momento

O ministro da Economia, Paulo Guedes , disse nesta sexta-feira (05) que a vacinação em massa contra Covid-19 é a “coisa mais importante” que se tem agora. Ao comentar a votação da proposta que permite o pagamento do auxílio emergencial em 2021, o ministro disse que saúde e economia andam juntas.

“O próximo passo agora é a vacinação em massa. É a coisa mais importante que tem agora. O presidente (Jair Bolsonaro) sempre falou que economia e saúde andam juntas. É a vacinação em massa, se não a economia não se sustenta. Ela volta a cair ali na frente. Da mesma forma, a saúde não se sustenta. Imaginem que a gente deu o auxílio emergencial e as prateleiras vazias porque as pessoas perderam a saúde, ou porque a economia se desorganizou. Nós não podemos deixar a economia se desorganizar”, afirmou Guedes.

Apesar da declaração do ministro, a vacinação anda em ritmo lento no Brasil por conta da baixa quantidade de doses disponibilizadas pelo Ministério da Saúde . O ministério prevê entregar 38 milhões de doses de vacinas em março, numa redução de quase 8 milhões de doses em relação ao que foi divulgado em fevereiro. Até agora, 7,6 milhões de pessoas receberam a a primeira dose da vacina, o equivalente a 3,62% da população brasileira. 

Guedes disse também que essa é a “mensagem” que o presidente Bolsonaro tenta passar. Crítico das medidas de isolamento necessárias para combater a doença, Bolsoanro afirmou ontem ser preciso parar do que ele chamou de “frescura” e “mimimi” com a pandemia de Covid-19 e questionou até quando as pessoas ficarão, nas suas palavras, “chorando”. O novo coronavírus já matou quase 260 mil brasileiros, e a mortes estão em alta, batendo recordes nos últimos dias.

“É muito importante isso. Essa é a mensagem que, o tempo inteiro, o presidente tem tentado passar também. Que, talvez por infelicidade, não deixou claro o problema da saúde e da vacinação em massa. Mas a agonia dele com a economia é a seguinte: se você der o auxílio e chegar lá e a prateleira estiver vazia, todo mundo com o dinheiro na mão, há inflação, falta de alimentos. Temos que manter os sinais vitais da economia”, disse Guedes.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Lojas Americanas vai abrir 150 lojas em 2021 apesar do comércio online crescente

Publicado


source
Lojas Americanas
Eduardo P/Creative Commons

Lojas Americanas


Nesta sexta-feira (5), executivos da Lojas Americanas disseram que a rede vai manter sua estratégia de abertura de lojas físicas, mesmo com a forte migração de compras para o comércio eletrônico. 

“A abertura de lojas faz parte da nossa estratégia”, disse o diretor-presidente da Lojas Americanas, Miguel Gutierrez. Em teleconferência com analistas sobre os resultados do quarto trimestre, frisou que, dentro do plano de longo prazo, a expectativa é de abrir cerca de 150 novas unidades em 2021.

Leia também:

Você viu?

O dono é o mesmo da B2W, com a qual está avaliando uma fusão. No quarto trimestre, o faturamento da Americanas subiu 15%, movimento liderado pela B2W, que mostrou crescimento de 38,2% no faturamento (GMV) sobre um ano antes.

Empresas com operações físicas e de comércio eletrônico, como a Americanas e as rivais Via Varejo e Magazine Luiza, têm usado suas lojas para que os clientes retirem produtos comprados pela internet.

“Nosso plano de aquisições é para o longo prazo”, disse Gutierrez.

Comentários Facebook
Veja Mais:  Guedes defende vacinação e diz que Bolsonaro "não deixou claro o problema"
Continue lendo

CAMPANHA COVID-19 ALMT

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana