Tecnologia

Bolsonaro quer alterar Marco Civil da Internet para incluir redes sociais

Publicado


source
Bolsonaro quer incluir redes sociais no Marco Civil da Internet
Victor Hugo Silva

Bolsonaro quer incluir redes sociais no Marco Civil da Internet

O presidente da república,  Jair Bolsonaro , anunciou que em breve deve publicar um decreto contendo algumas alterações nos termos do Marco Civil da Internet (Lei 12.965/2014). O anúncio foi feito na última quarta-feira (5) durante a cerimônia de abertura da Semana Nacional de Comunicação, evento para  discussão do 5G , que ocorreu no Palácio do Planalto.

Sem dar muitos detalhes, Bolsonaro declarou que as mudanças terão como objetivo a regulamentação de redes sociais, a fim de assegurar a “liberdade de comunicação na internet”. A proposta deve apresentar punições para empresas que cometam ações consideradas contrárias a esse conceito. 

O presidente alegou que ele e seus apoiadores são frequentemente cerceados pelas plataformas de redes sociais, que, frequentemente, marcam informações publicadas nos perfis de Bolsonaro e políticos de sua base aliada como informações falsas, por exemplo. 

Para mudar esse panorama, o presidente deseja mudar a lei sancionada por Dilma Rousseff em 2014 sem conversar com o Congresso Nacional. 

“Estamos na eminência de publicar um Decreto para regulamentar o Marco Civil da Internet, dando liberdade e punições para quem porventura não respeite isso. Estamos aqui vendo o quanto estamos precisando de liberdades”, disse o presidente durante seu discurso. 

Guerra de narrativas

Para Bolsonaro, essa seria uma forma de deixar o Brasil livre para que sua população possa ter informações às quais ele classifica como “de verdade” e possa ter acesso às narrativas defendidas por ele e seus apoiadores por meio das mídias sociais sem que as plataformas tenham a prerrogativa de vetar postagens ou comentários ao considerá-los falsos. 

“As mídias sociais, têm um papel excepcional aqui no Brasil, inclusive na minha eleição”, declarou o presidente.

A última postagem de Bolsonaro que foi restrita pelo Facebook foi um vídeo publicado no último dia 26 de abril. Na publicação, o presidente comparava manchetes de veículos de imprensa de língua espanhola com jornais e portais brasileiros sobre seu discurso no Fórum Econômico Mundial de 2019. 

Na ocasião, Bolsonaro escreveu que: “Se você não lê jornal está sem informação, sê lê está desinformado”. O vídeo foi classificado como “notícia falsa” pela rede social. 

Comentários Facebook

Tecnologia

Motociata serviu para recolher dados de 500 mil manifestantes, revela empresário

Publicado


source
Motociata pró-Bolsonaro
Reprodução

Motociata pró-Bolsonaro


O empresário bolsonarista Jackson Vilar da Silva contou que a “ motociata ” realizada no último sábado (12) em favor de Jair Bolsonaro serviu para criar um grande banco de dados com as informações dos apoiadores do presidente. Os registros de 500 mil pessoas foram coletados para, supostamente, garantir a segurança do lugar. 

Em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo, Vilar afirmou que, na verdade, trata-se da construção de uma rede digital bolsonarista para viabilizar novos atos em favor do presidente.


A orientação da coleta de dados teria vindo do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Ao menos 1,8 mil nomes teriam sido entregues ao governo para que fossem selecionadas as pessoas que integrariam o pelotão de Bolsonaro no passeio de moto. 

Eles exigiram nome completo, CPF , número de celular, data de nascimento, e-mail, nome da mãe, modelo da moto e placa. Vilar nega interesse em usar os dados comercialmente. “Não posso nem fazer isso. E aquelas pessoas não são do ramo que eu atuo. Só atuo com ônibus, transporte rodoviário e de cargas”, disse ao jornal.

Veja Mais:  Promoção de 20 anos do Mercado Livre que circula no WhatsApp é golpe

O GSI informou que “não se manifesta sobre protocolos de segurança e outras ações”.

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Promoção de 20 anos do Mercado Livre que circula no WhatsApp é golpe

Publicado


source
Golpe circula no WhatsApp
Unsplash/Alexander Shatov

Golpe circula no WhatsApp

Uma mensagem falsa circula no WhatsApp prometendo brindes e bônus por conta de uma celebração de 20 anos do Mercado Livre . Dentre os prêmios, estaria até um celular , e a mensagem pede que os usuários compartilhem o conteúdo com os amigos. A promoção é falsa, e o Mercao Livre completa, na verdade, 22 anos em 2021.

Ao clicar no link falso, a vítima tem que responder a algumas perguntas e, depois, deve compartilhar o link com amigos no WhatsApp. Nenhum brinde de fato é enviado, e o usuário ainda pode ter seus dados roubados .

Há algumas variantes da mensagem circulando no WhatsApp mas nenhuma delas, de fato, direciona o usuário para o site do Mercado Livre . Para se proteger de golpes desse tipo, as principais dicas são:

  • Desconfie de promoções boas demais para serem verdadeira;
  • Na dúvida, vá até o site oficial (no caso, do Mercado Livre) para procurar pela promoção ao invés de clicar no link;
  • Confira se o link é, de fato, o do site que diz ser;
  • Não compartilhe seus dados pessoais em sites recebidos pelo WhatsApp , mesmo se amigos e parentes tiverem enviado.
Veja Mais:  Facebook terá podcasts dentro do aplicativo a partir da semana que vem

Comentários Facebook
Continue lendo

Tecnologia

Instagram permite que grupos organizem vaquinhas direto no app

Publicado


source
Novidades no Instagram
Divulgação/Instagram

Novidades no Instagram

Cerca de dois anos depois do lançamento dos adesivos de doação, o Instagram percebeu que muitos de seus usuários têm usado suas ferramentas de arrecadação para criação de “ vaquinhas ”, que têm seu valor posteriormente revertido para organizações sociais. Por conta disso, a rede social criou um mecanismo para facilitar a organização de eventos de arrecadação de fundos como grupos para usuários da plataforma.

O Instagram observou que muitos tipos de arrecadação off-line de fundos são empreendimentos em grupo, como venda de alimentos, como o famoso bolo de pote ou brigadeiros, que são muito comuns no Brasil, e shows de caridade.

Você viu?

Tendo isso em vista, a rede social percebeu que poderia abraçar e cooptar esse espírito de comunidade, permitindo que, após criar uma arrecadação de fundos, os usuários possam adicionar outras pessoas, como amigos e familiares, no rol de organizadores.

Para isso, o usuário deve criar uma arrecadação de fundos e, posteriormente, tocar no ícone de compartilhamento na página de recolhimento de recursos e, logo depois, clicar na opção de “convidar membros do grupo”. A partir daí, o usuário poderá procurar outras contas para convidar pessoas para participar da arrecadação.

Veja Mais:  Facebook terá podcasts dentro do aplicativo a partir da semana que vem

Comentários Facebook
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana