conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Mulher

Cabelo ruivo: 4 dicas para escolher o tom perfeito para você

Publicado

Ter um cabelo ruivo é o sonho de muitas mulheres brasileiras e o tom natural mais acobreado, como o de Marina Ruy Barbosa, é uma das opções mais visadas de quem quer ter o cabelo no tom avermelhado. Apesar disso, a maioria das mulheres não sabe chegar na coloração sem um profissional e acabam insatisfeitas e desapontadas com o resultado.

Leia também: Nem platinado, nem escuro! A tendência do momento é o cabelo loiro neutro

Marina Ruy Barbosa arrow-options
Reprodução/Instagram/marinaruybarbosa

Marina Ruy Barbosa é uma das famosas que são referência para as mulheres que querem ter cabelo ruivo

Por isso, é preciso ter muito cuidado na hora de escolher o tom para o cabelo ruivo , explica o hairstylist e colorista Bruno Oliver, à frente do Oliver Salon, ao Delas . Para ele, a decisão de qual tonalidade mais combina com você vai depender de alguns fatores, listados abaixo: 

1. Tom de pele

“Tons mais acobreados combinam com peles mais claras. Para os tons de pele mais escuros, as colorações mais intensas e fechadas casam bem. Consultar um profissional antes da coloração para ele fazer o processo de visagismo também faz parte do processo de escolha da cor”, diz.

Leia também: Balayage é tendência para ter cabelo castanho iluminado sem prejudicar os fios

2. Confiança

“A mulher deve escolher uma cor que valorize tanto sua personalidade quanto o estilo que ela se encaixa. O ruivo é uma coloração que nos permite brincar muito. Temos uma infinidade de tons e estilos de tinta, basta saber o desejo da cliente”, explica o colorista.

Veja Mais:  Como falar com os filhos sobre um assunto delicado?

3. Cores mais vivas

Para as mais ousadas, as cores fantasia, mais puxadas para o vermelho, podem ser uma opção. “Mulheres que curtem o visual mais vivo, a dica é fazer o procedimento e acompanhamento no salão, para não causar danos futuros irreversíveis aos fios. Há salões especializados apenas em colorações fantasia”, indica. 

Leia também: Tendência: cabelo ruivo alaranjado é escolha de Zendaya; inspire-se no visual

3. Ruivos básicos

Também há opção de cabelo ruivo para quem quer um visual mais natural. “Mulheres que não curtem o visual carregado podem apostar no ruivo mais básico. Um tom mais puxado para o cobre costuma agradar a todos nesse ponto. Recomendo que a mulher se atente bem no que quer para não se arrepender depois”, finaliza. 

Comentários Facebook

Mulher

Hashtags sobre abuso viralizam na web: saiba como fazer um #exposed seguro?

Publicado


source

Desde o surgimento do movimento #MeToo, em outubro de 2017, que trata de denunciar agressões físicas e sexuais nas redes sociais, muitas mulheres tomaram coragem para expor os seus casos pessoais de abuso.

celular
Pexels/Mikoto.raw

Hashtags sobre abusos sexuais e físicos têm viralizado nas redes sociais

Leia também: Ela levou 7 facadas do ex-marido: “Sem ter o que fazer, ele descontava em mim”

Nesta quinta-feira (28), as hashtags #ExposedLondrina e #ExposedCuritiba ficaram no Trend Topics do Twitter como os assuntos mais comentados do dia. Muitos relatos foram compartilhados sobre abusos familiares e até ameaças dos agressores. Mas você sabia que identificar os abusadores pode ser classificado como crime?

Veja Mais:  Repórter é assediada em transmissão ao vivo nos EUA

*esses textos podem provocar gatilhos relacionados à temática

Para explicar um pouco sobre como fazer um exposed seguro sem ser processada, a advogada especialista em direitos da mulher Ana Paula Braga dá algumas dicas.

“Nesses casos [de exposed nas redes] tem um conflito de princípios constitucionais. Ao mesmo tempo que a Constituição garante a liberdade de expressão, ela também garante a honra e a privacidade, e esses dois entram em conflito nesse cenário. A pessoa que foi exposta pode recorrer à Justiça por danos morais na esfera civil ou com processo criminal por injúria, difamação ou calúnia”, explica Ana Paula.

De acordo com a advogada, o recurso mais usado pela defesa dos agressores é o de calúnia, que é a imputação falsa de um crime. Geralmente isso ocorre após relatos de violência sexual ou violência doméstica .

Apesar de precisar ter cuidados ao expor nas redes sociais, Ana Paula incentiva que as mulheres continuem com o ato. “Esse movimento de hastag tem um poder de empoderamento feminino muito grande e rompe o silêncio. Para preservar as vítimas, o ideal é fazer um relato de forma a não violar a honra de outra pessoa, trazer para mais para a sua história e não do agressor. Não exponha o nome, ou elementos que o especifique, como escola onde estuda e etc., existem truques para continuar os relatos e eles são importantes”, alerta.

Veja Mais:  Horóscopo do dia: previsões para 28 de maio de 2020

O que fazer após sofrer um abuso sexual ou físico?

É importante que toda a agressão física e sexual seja reportada às autoridades. É de conhecimento geral que esse não é um processo fácil , não é uma atitude fácil de ser tomada, mas é necessária. Segundo Ana Paula, fazer um boletim de ocorrência na polícia após o ato irá te resguardar de ser acusada de calúnia.

“A Polícia Civil vai investigar, abrir um inquérito e seguir com o caso. Minha dica é que a mulher procure assessoria jurídica nesse momento. Não é obrigatório, mas existe essa recomendação porque a delegacia não é um ambiente acolhedor e, assim, ela terá um suporte”, explica.

Leia também: “Tive que sair de madrugada com meu filho no colo por medo dele”

Para as mulheres que não tem condições de pagar um advogado particular, a Defensoria Pública presta assistência gratuita e integral. “É importante ressaltar que as mulheres não tenham medo, não se calem. É importante romper o silêncio, mas de forma segura”, finaliza a advogada.

*Para denunciar abuso sexual e físico contra crianças e adolescentes Disque 100 (atendimento diário das 8h às 22h – inclusive feriados). Para violência contra mulher Disque 180 (atendimento 24h).

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

Como falar com os filhos sobre um assunto delicado?

Publicado


source

“Meu filho é muito pequeno e não vou assustá-lo mostrando a gravidade do coronavírus e todo o sofrimento que vêm ocorrendo no mundo”, é o que muitos pais e mães pensam. Mas, antes de  decidir “poupar” seu filho das más notícias , lembre-se que estamos falando do mundo real, de riscos reais. E, nesse caso, silêncio e o segredos não protegerão nossas crianças.

mãe conversando com filhos
Arquivo pessoal

Mesmo quando o assunto é complicado, é melhor falar com os filhos do que mascarar a realidade


Mas como falar com os filhos sobre um assunto tão delicado? Pra começo de conversa, é importante saber que os detalhes sobre a situação a qual estamos vivendo , com o coronavírus e todos o isolamento social no mundo, vai depender da idade de cada criança. Se seu filho é pequeno, menos de 4 ou 5 anos, o ideal é começar o assunto perguntando o que ele já sabe. Vá descobrindo até onde ele entende o que está acontecendo e fale sempre a verdade, claro que com as explicações respeitando a idade da criança.

Você não tem resposta para tudo? Bem-vinda ao mundo dos normais: ninguém tem. E tudo bem. Você não precisa ter todas as respostas . Sobre o que vai acontecer depois disso tudo, por exemplo, você pode dizer “nós não sabemos, mas acreditamos que…”.

O importante é que seu filho entenda o que está se passando e que ele tenha esse espaço para conversar e falar dos seus medos . Não precisa amenizar tudo, tá mãe? Não precisa dizer que essa pandemia não é nada de mais e que não precisa sentir medo. Explique que ter medo é normal e que até você também sente. A gente falou sobre isso no texto passado, não foi? Sobre falar dos seus sentimentos também para a criança. Isso ajuda na identificação dos sentimentos dele próprio.

Veja Mais:  Vale abrir a relação? Em live, Luana Piovani questiona modelo de casamento atual

Leia também: Desobediência, birras e gritos: entenda as reações de seu filho no isolamento

Você não está sozinha nessa, mamãe. Todas nós estamos no mesmo barco e dentro da mesma tempestade. Já está tudo bem difícil para crianças e adultos. Se o assunto sobre o isolamento social, a Covid-19 e tudo isso que estamos passando surgir – e é importante que surja – termine com um clima bom.

Depois de falar com os filhos , procure fazer alguma coisa divertida com as crianças. Isso vai ajudar a passar mais segurança e trazer a leveza tão necessária nesse momento. Para eles e para você.

Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Mulher

“Postura pós-pandemia”: projeto ensina como receber em casa depois da Covid-19

Publicado


source

A pandemia tem causado diversos impactos na sociedade. Dentre eles, podemos citar as questões relacionadas ao comportamento. Novos hábitos passaram a fazer parte do cotidiano de muitos brasileiros, desde usar máscaras a higinenizar as compras adequadamente.

Leia também: 10 dicas para montar um canto lúdico para as crianças em casa

chinelo
Reprodução

Retirar o chinelo na porta pode ser um novo hábito de visita

Pensando nisso, Camila Costa (@requintando_por_camilacosta), Isabela Azevedo (@beluquices), Rosana Brandão (@rosanabrandao) e Terezinha Ribeiro (@etiquetainteligente) criaram o projeto “Posturas Pós Pandemia” com o objetivo de compartilhar em seus perfis nas redes sociais dicas sobre os novos comportamentos advindos da pandemia

O primeiro assunto abordado é a questão do sapato que necessitará de um cuidado especial, a partir da perspectiva da higiene, tanto por parte do convidado quanto do anfitrião.

Recomenda-se ao convidado (a), ao chegar na casa do anfitrião (ã), retirar seus sapatos, tal ato é uma forma de demonstrar respeito ao espaço que te acolhe. 

Destaca-se  que uma atitude consciente é providenciar um chinelo para transitar pelos espaços internos da residência. Este chinelo deverá ser previamente limpo e higienizado. É indicado transporta-lo em uma bag, a qual deverá ficar posicionada em local específico, determinado pela anfitriã, assim como o seu sapato.

Diante deste novo contexto, em que a prática de retirar os sapatos para entrar nas residências, possivelmente, será uma nova realidade, o ideal é que a anfitriã providencie um local adequado para que os convidados possam depositar seus calçados. 

Veja Mais:  Vale abrir a relação? Em live, Luana Piovani questiona modelo de casamento atual

Algumas sugestões: cestas, estantes pequenas, tapete demarcador de lugar ou, simplesmente, delimitar um espaço na entrada da casa – use a criatividade e dê um novo uso a objetos que tenha em casa e que possam atender a tal finalidade.

Um aviso delicado e descontraído com uma frase sugestiva pode funcionar como um lembrete para os mais esquecidos, afinal estamos construindo este novo hábito.

Uma forma de demonstrar cuidado e carinho especial com os seus convidados é a própria anfitriã providenciar pares de chinelos (estilo pantufas) ou sapatilhas de tnt descartáveis. Outra opção é eleger um tapete ou um spray higienizador de sapatos. Já há opções disponíveis no mercado.

Leia também: A pandemia vai impactar no setor de decoração e mesa posta?

Frisamos que tais posturas são sugestivas e não pretendem discorrer sobre todas as prováveis possibilidades futuras, afinal estamos tratando de um cenário inédito para todos nós, entretanto destacamos que “tudo o que é feito com amor traz menos resistências.”


Fonte: IG Mulher

Comentários Facebook
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana