Nacional

Comissão aprova projeto que obriga cinemas a informar duração de trailers e comerciais antes da sessão

Publicado

Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Audiência Pública - Tema: Proteção de Dados. Dep. Jorge Braz (REPUBLICANOS - RJ)
Jorge Braz: consumidor poderá aguardar o início do filme para adentrar à sessão

A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei que obriga os cinemas a informar ao público a duração de peças publicitárias ou trailers antes do início do filme. As eventuais infrações sujeitarão a sanções previstas no Código de Defesa do Consumidor.

O texto foi aprovado na forma do substitutivo elaborado pelo relator, deputado Jorge Braz (Republicanos-RJ), ao Projeto de Lei 26/19, do deputado Weliton Prado (Pros-MG). Braz retirou do texto original o limite de 15 minutos para propagandas e trailers antes dos filmes.

Para ele, em vez de prever um tempo máximo, melhor é informar a duração dessas peças por meio de avisos nos ingressos e na entrada das salas de cinema. “O substitutivo mitiga o ‘elemento surpresa’, uma vez o consumidor não será obrigado a assistir peças publicitárias ou trailers e poderá aguardar o início do filme para adentrar à sessão”, justificou Jorge Braz no parecer aprovado.

O relator recomendou ainda a rejeição do substitutivo aprovado em 2021 pela Comissão de Cultura, que apenas promove ajustes no texto original.

Segundo Weliton Prado, “não raro há relatos de reclamações contra o elevado número de propagandas antes do início das sessões”. Assim, as eventuais condutas abusivas devem ser submetidas a penalidades como multa, suspensão temporária da atividade e até mesmo a cassação da licença, entre outras.

Veja Mais:  Falas sobre AI-5 devem ser consideradas sob “aspecto pessoal”, diz porta-voz

Tramitação
O texto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Reportagem – Ralph Machado
Edição – Geórgia Moraes

Comentários Facebook

Nacional

Comissão lança campanha para alertar sobre a situação de população submetida ao racionamento de água

Publicado

Alexandre Cruz Noronha/Amazônia Real
Meio Ambiente - Água - crise hídrica – seca – falta de água no Acre - açudes da comunidade Manoel Marques
Campanha pretende sensibilizar governo e sociedade sobre o racionamento de água

A Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados realiza audiência pública para lançar a campanha Sede Zero, que pretende sensibilizar autoridades, parlamentares e sociedade civil sobre o acesso à água das populações submetidas a racionamento ou rodízio do abastecimento.

O lançamento da campanha, seguido de debate, será às 14 horas, no auditório Nereu Ramos, e poderá ser acompanhado de forma virtual e interativa pelo e-Democracia.

Foram convidados para a audiência pública, entre outros, representantes da Federação Nacional do Urbanitários (FNU); do Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento (Ondas) e da Central de Movimentos Populares (CMP).

Veja a lista completa de convidados.

O deputado Joseildo Ramos (PT-BA), autor do requerimento para realização da audiência, disse que o acesso à água potável e o esgotamento sanitário são direitos humanos e precisam ser assegurados a todos, priorizando os que vivem em situação vulnerável.

“O lançamento da campanha Sede Zero, nesta Casa legislativa e na Comissão de Legislação Participativa, busca dar a exata dimensão que uma ação dessa magnitude representa”, disse.

Entre as medidas defendidas pela campanha Sede Zero está a implementação de tarifa social de água e esgoto como direito “automático” para famílias inscritas no Cadastro Único dos Programas Sociais e com membros recebendo o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Veja Mais:  Bolsonaro se aproxima do DEM e deve nomear terceiro ministro do partido

Da Redação – RS

Fonte: Câmara dos Deputados Federais

Comentários Facebook
Continue lendo

Nacional

Audiência na quarta-feira vai debater abertura de agências bancárias aos sábados e domingos

Publicado

André Santos/Prefeitura de Uberaba-MG
Economia - geral - bancos públicos sistema financeiro agências bancárias FGTS Caixa Econômica Federal CEF (Uberaba-MG)
Agência da Caixa em Uberaba (MG)

A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados realiza na quarta-feira (6) audiência pública sobre o Projeto de Lei 1043/19, do deputado David Soares (União-SP), que dispõe sobre a abertura de agências bancárias aos sábados e domingos.

O debate foi sugerido pelo deputado Ivan Valente (Psol-SP). “A abertura das agências bancárias aos finais de semana altera substancialmente a rotina dos trabalhadores e tem impacto direto em seu direito ao descanso semanal”, afirma o parlamentar. “Exatamente por isso, a mudança não pode ser aprovada por esta comissão sem que antes tenhamos a oportunidade de ouvir as entidades representativas dos trabalhadores e as entidades representativas dos próprios bancos”, acrescenta.

Foram convidados para o evento o diretor de Sustentabilidade, Cidadania Financeira, Relações com o Consumidor e Autorregulação da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Amaury Oliva; a presidente do Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região (Seeb/SP), Ivone Maria da Silva; além de representantes de entidades como a Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf – CUT), dentre outros.

O debate será realizado às 9 horas no plenário 8.

Da Redação – AC

Fonte: Câmara dos Deputados Federais

Comentários Facebook
Veja Mais:  Falas sobre AI-5 devem ser consideradas sob “aspecto pessoal”, diz porta-voz
Continue lendo

Nacional

Precificação do querosene para aviação é tema de debate na Câmara

Publicado

Tomasz Wyszolmirski/Depositphotos
avião - aviação civil - aeroporto
O preços do QAV é definido pela Petrobras

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados promove, na terça-feira (5), audiência pública sobre a precificação do querosene para aviação (QAV) no Brasil.

A audiência foi sugerida pela deputada Jaqueline Cassol (PP-RO). Ela afirma que a política de precificação – conhecida como sistema de Preços de Paridade de Importação – encarece o insumo em 17%, já que segue o preço de referência determinado pela Petrobras. Esse preço é o adotado no Golfo do México, apesar de 92% do QAV consumido no Brasil ser produzido em suas próprias refinarias.

Foram convidados para a audiência:

  • o coordenador-geral de Acompanhamento do Mercado do Departamento de Combustíveis Derivados de Petróleo do Ministério de Minas e Energia, Deivson Matos Timbó;
  • o secretário nacional de Aviação Civil, Ronei Saggioro Glanzmann;
  • um representante da Petrobras;
  • o superintendente de Defesa da Concorrência da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Bruno Conde Caselli;
  • um representante da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear); e
  • um representante da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O evento será realizado no plenário 11, às 11 horas, e terá transmissão interativa pelo e-Democracia.

Da Redação – AC

Fonte: Câmara dos Deputados Federais

Comentários Facebook
Veja Mais:  Deputados analisam MP que cria sistema eletrônico de registros públicos; acompanhe
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana