Mato Grosso

Confira quantas doses de Pfizer e AstraZeneca cada município recebeu na última semana

Publicado


O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), concluiu nesta sexta-feira (11.06) a distribuição aos pólos regionais de saúde das 93.520 doses de vacina contra a Covid-19, sendo 36.270 doses da Pfizer e 57.250 doses da AstraZeneca, recebidas na última terça (08.06) e quarta-feira (09.06), respectivamente. 

A quantidade de doses que cada município recebeu foi pactuada pela Resolução n° 59 da Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT). A CIB é composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems-MT) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

Conforme a Resolução, um quantitativo das doses da Pfizer deverá contemplar a aplicação da primeira dose em gestantes e puérperas com comorbidades com prescrição médica. As pessoas com comorbidades e deficiência permanente e os trabalhadores de Educação do Ensino Básico deverão ser imunizados com a primeira dose da Pfizer ou AstraZeneca. Já os trabalhadores de Transporte Aéreo serão contemplados com a primeira dose do imunizante AstraZeneca.

As doses de vacinas destinadas às Forças de Segurança e Salvamento e Forças armadas foram redistribuídas para os demais grupos, tendo em vista o atendimento total deste grupo. No entanto, devido à manifestação da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SESP), em que relata um déficit de doses de vacina em alguns municípios, os quantitativos faltantes estão sendo analisados e serão atendidos na próxima remessa de vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde. 

Veja Mais:  Seaf registra queda nos preços dos hortifrúti em junho

Considerando o recebimento anterior da vacina AstraZeneca, o colegiado descontou o quantitativo de 227 doses que o município de Cuiabá receberia deste imunizante e também descontou o quantitativo de 241 doses que o município de Várzea Grande receberia para igualar ao quantitativo entregue ao restante do estado. Também foi pactuado o acréscimo do quantitativo de 788 doses no total que o município de Sinop receberia da vacina AstraZeneca.

O documento ainda pactua a distribuição de 60 doses da AstraZeneca remanescentes de outras remessas que estavam armazenadas na Rede de Frio Central como estoque estratégico para reposição de eventuais perdas técnicas.

Para a vacina AstraZeneca, o prazo de aplicação da segunda dose é de até 90 dias; já para a vacina Pfizer, o prazo é de até 12 semanas.

Caso os municípios alcancem a completa vacinação dos públicos-alvo estabelecidos para a imunização, a CIB orienta a continuidade da imunização dos demais públicos elencados pelo Ministério da Saúde.

Após a distribuição dos imunizantes aos municípios, as vacinas deverão ser armazenadas conforme as condições estabelecidas pela fabricante e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e com o apoio da segurança pública.

A aplicação das doses deve ser obrigatoriamente registrada pelos municípios no Sistema Nacional do Programa de Imunização (SI-PNI), do Ministério da Saúde. Até o momento, Mato Grosso já recebeu 1.501.221 doses de imunizantes contra a Covid-19.

Confira a seguir, em anexo, a quantidade de doses que cada município vai receber.

Veja Mais:  Senador Wellington: "O Estado está com contas em dia, recursos em caixa e grandes perspectivas"
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Mato Grosso

Seaf registra queda nos preços dos hortifrúti em junho

Publicado


A Central Atacadista de Cuiabá começou o mês de junho com registro de queda nos preços dos principais produtos hortifrutigranjeiros comercializados em Cuiabá e Várzea Grande. Segundo a cotação de preços realizada pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), de janeiro a junho desse ano, coentro, maçã, tomate, cenoura, batata lisa, batata doce, banana nanica, prata e a banana maça despencaram no valor. Cenário atípico frente à escala de alto nos preços dos produtos alimentícios como carne, arroz, leite, dentro outros.

Os itens com maior registro de queda foram a banana nanica e a batata lisa, que juntos reduziram 50% de valor. A caixa com 20kg da banana nanica de R$ 70 reduziu para R$ 35. Já o saco de 25kg da batata lisa caiu de R$ 110 para R$ 55. Já a maça nacional, a caixa com 18kg, está sendo vendida a R$ 75, enquanto que em janeiro essa mesma quantidade custava R$ 140. A banana-maçã, de R$ 70 abaixou para R$ 35, a caixa com 20kg. Ambos tiveram queda de 46%.

Segundo a técnica de Desenvolvimento Econômico Social da Seaf, Doraci Maria de Siqueira, responsável pela cotação de preços, a explicação para o registro dessas quedas se deve ao fato de estarmos no período final de produção dos itens relacionados acima, mas que a tendência é a de subir nos próximos meses. “A safra da maioria dos produtos que tiveram o preço reduzido foi muito boa, e quando isso ocorre, a tendência é uma maior presença deles no mercado e, consequentemente, redução no valor de venda”, pontuou Doraci Siqueira.

Veja Mais:  "Essa entrega veio na hora certa", celebra presidente de Consórcio ao receber máquinas

O coentro, planta muito utilizada, principalmente, na forma de tempero, registrou queda de 42% nesses últimos cinco meses. O maço passou de R$ 7 para R$ 4. Já o tomate e a banana prata estão 40% mais baratos. A caixa com 20kg do tomate e da banana prata caiu de R$ 100 para R$ 60.

Já a batata doce, a saca de 20kg, está sendo vendida a R$ 40, enquanto que em janeiro era vendida a R$ 60, registrando uma queda de 33%. A cenoura está custando 30% mais barata, ao passar de R$ 50 para 35, a caixa com 21kg. “A área plantada tanto da cenoura quanto a da batata doce aumentaram no período de estiagem, o que refletiu nos preços desses dois produtos nesse período de janeiro a junho”, acrescentou a técnica da Seaf.

No lado oposto ao registro de redução, estão pimenta-de-cheiro e o alho. Esse último item aumentou 27%, ao subir de R$ 150 para R$ 190, a caixa com 10kg. Já a pimenta-de-cheiro, muito utilizada para tempero, aumentou 75% a caixa com 8kg, ao passar a ser vendida a R$ 140 ao invés de R$ 80. “No caso do alho chegamos ao fim do período de colheita, e por isso, houve essa alta. Já a pimenta de cheiro, com o início da estiagem, a área de cultivo foi drasticamente reduzida, ficando apenas a produção que faz uso de irrigação, e o produtor, para cobrir os custos que é o de ter uma área irrigada, repassa o valor ao consumidor”, concluiu Doraci.

Veja Mais:  Em um ano, Detran-MT atende quase 800 mil pessoas com sistema de agendamento

COTAÇÃO

A cotação de preços dos principais produtos da agricultura familiar é realizada semanalmente, toda terça-feira a partir 5h, por técnicos da Seaf, Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e prefeitura de Cuiabá. A pesquisa de preço é realizada na Central de Abastecimento de Cuiabá, levando em conta o preço mínimo, mais comum e o preço máximo dos produtos encontrados nas barracas em três horários distintos durante o período matutino.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Quarta-feira (16): Mato Grosso registra 434.016 casos e 11.549 óbitos por Covid-19

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quarta-feira (16.06), 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.549 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 2.096 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 434.016 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 12.863 estão em isolamento domiciliar e 407.880 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 445 internações em UTIs públicas e 367 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 83,65% para UTIs adulto e em 42% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (90.308), Rondonópolis (31.549), Várzea Grande (29.427), Sinop (21.092), Sorriso (15.018), Tangará da Serra (14.872), Lucas do Rio Verde (13.308), Primavera do Leste (11.054), Cáceres (9.359) e Alta Floresta (8.279).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 682 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na terça-feira (15.06), o Governo Federal confirmou o total de 17.533.221 casos da Covid-19 no Brasil e 490.696 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 17.452.612 casos da Covid-19 no Brasil e 488.228 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Veja Mais:  Em um ano, Detran-MT atende quase 800 mil pessoas com sistema de agendamento

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta quarta-feira (16.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

“Essa entrega veio na hora certa”, celebra presidente de Consórcio ao receber máquinas

Publicado


Com aproximadamente 860 quilômetros de rodovias não-pavimentadas e poucas condições de realizar manutenções com frequência e qualidade, o Consórcio Vale do Guaporé festeja o recebimento das máquinas e equipamentos rodoviários realizado nesta quarta-feira (16.06) pelo governador Mauro Mendes.

Consideradas um “presente que chegou na hora certa”, as novas máquinas vão substituir os equipamentos antigos, com mais de 10 anos de uso, e que já não têm condições de operar, de acordo com o presidente do Consórcio Vale do Guaporé, o prefeito de Nova Lacerda, Uilson José da Silva.

“Estamos trabalhando para fazer o melhor. Nós estamos fazendo o possível e o impossível para que Nova Lacerda fique cada vez melhor. Essa entrega veio na hora certa. É um presente. Estávamos precisando muito. As máquinas do consórcio são muito velhas, de 2008, e estão muito defasadas. E hoje essas máquinas serão de suma importância para a região”, afirmou.

O Consórcio Vale do Guaporé é composto pelos municípios de Campos de Júlio, Comodoro, Nova Lacerda, Conquista D’oeste, Pontes e Lacerda e Vila Bela da Santíssima Trindade e recebeu cinco máquinas, sendo três motoniveladoras, uma pá-carregadeira e uma escavadeira hidráulica.

Esses equipamentos, disponibilizados por meio de convênio com a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), serão utilizados especialmente na conservação e manutenção das rodovias MT-478, MT-477, MT-388, MT-245, MT-265, MT-248, MT-247 e MT-246, que cortam a região e que precisam de constante atenção e investimento, segundo o presidente.

Veja Mais:  "Essa entrega veio na hora certa", celebra presidente de Consórcio ao receber máquinas

“As demandas das estradas lá são muitas e precisamos muito manter essas estradas em dia. Foi uma ótima iniciativa. Quero agradecer o governador que está fazendo um excelente trabalho, o secretário e todos os deputados envolvidos nessa ação, que vai ajudar o escoamento da nossa produção que é de pecuária e soja”, garantiu.

Ainda segundo o presidente, a expectativa é que a utilização das máquinas na melhoria das rodovias dê novo fôlego para o desenvolvimento e a economia da região, uma vez que vai facilitar o escoamento da produção do agronegócio, além de fortalecer o turismo local, que é marcado por uma grande diversidade de fauna, flora, rios e belas paisagens.

“É importantíssimo para a região, que está crescendo muito. A agricultura no nosso município, e em toda região, cresceu muito. Nosso turismo, nossa economia. Então são importantíssimas essas máquinas neste momento, para que possamos melhorar as rodovias da nossa região”, concluiu Uilson Jose da Silva.

Outros equipamentos

Além do Consórcio Vale do Guaporé, outros nove consórcios intermunicipais, 10 prefeituras e duas associações foram beneficiadas com a entrega de máquinas e equipamentos rodoviários. Ao todo, foram entregues 74 máquinas, sendo 46 motoniveladoras, 14 pás-carregadeiras e 14 escavadeiras hidráulicas. O investimento realizado foi de R$ 42,2 milhões oriundos do Mais MT, maior programa de obras e ações da história de Mato Grosso.

Todos esses equipamentos rodoviários fazem parte do primeiro lote de máquinas que foram repassados pelo Governo de Mato Grosso às entidades. No total, o Estado vai repassar 175 máquinas e equipamentos rodoviários, com investimento de R$ 96,5 milhões como parte do Programa Mais MT, de modo a atender todas as regiões de Mato Grosso.

Veja Mais:  Quarta-feira (16): Mato Grosso registra 434.016 casos e 11.549 óbitos por Covid-19
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana