Tecnologia

Diversidade: veja os mais de 200 emojis que serão lançados em 2021

Publicado


source

Olhar Digital

Emojis
Emojipedia/Divulgação

Novos emojis chegarão aos celulares em 2021

Há novidades à vista no universo dos emojis . Outras 217 novas imagens foram aprovadas pelo Consórcio Unicode, organização voluntária responsável pela seleção e inclusão destes pictogramas à família. Os novos membros estarão à disposição em meados de 2021.

Entre as estreias, destaque para um coração em chamas, o rosto nas nuvens, uma mulher barbada, além de novas opções de tons de pele mistos para casais, que representam a maioria das adições.

A atualização é pequena e é reflexo da própria pandemia de Covid-19 , que provocou inclusive o adiamento do Unicode 14.0 , previsto agora para 2022. Nesta futura oportunidade, espera-se que seja liberado um pacote completo de figuras. Como ainda estão em desenvolvimento, o 14.0 poderá ter novas figuras além das de abutre, bolhas, corvo, panela e mão com indicador e polegar cruzados (também conhecido como coração de dedo).

Personalização depois de aprovação pelo Consórcio Unicode

A respeito das novas imagens que fazem parte do pacote 13.1, estas foram anunciadas antes mesmo de a maioria dos usuários ter tido acesso ao conjunto 13.0, já previamente divulgado. Google e Samsung , por exemplo,  só fizeram o lançamento no mês passado para um subconjunto de telefones.

Veja Mais:  Sim, o PS5 é gigante! Veja a comparação com o Xbox e outros consoles

Já o novo suporte a emoji da Apple , também parte do 13.0, foi anunciado em 17 de julho, no Dia Mundial do Emoji. Espera-se que esteja disponível para o iOS até o fim do ano. Na lista apresentada constam Ninja, Boomerang, Piñata e Bubble Tea.

Embora o conjunto de novos emojis já tenha sido aprovada pelo Unicode, em janeiro, como parte do pacote 13.0, cada fornecedor de plataforma precisa de mais tempo até torná-los disponíveis para o usuário final. Isso porque eles criam seus próprios designs e padronização, o que demanda igualmente tempo para a execução. É por isso que, geralmente, as novidades deste universo acabam chegando somente na segunda metade do ano.

Além dos novos ícones, o pacote 13.1 adicionará 200 combinações de tons de pele para os emojis de casal com coração e casal se beijando. Será possível, por exemplo, utilizar o emoji de uma pessoa branca beijando uma pessoa negra, entre muitas outras possibilidades, podendo mesclar as cinco tonalidades de pele existentes nas figuras.

emojis
Divulgação/Emojipedia

Novos emojis darão mais possibilidades de combinações entre casais

Até então, os emojis de casais com coração ou de casal se beijando mostravam apenas pessoas com tom de pele neutro, na cor amarela. Os novos modelos permitirão usar emojis de pessoas do gênero neutro, masculino ou feminino, formando centenas de combinações diferentes. Evidentemente, como cada empresa usa padrões gráficos exclusivos, os traços finais dos emojis acabam sendo diferentes daqueles que são lançados pelo Consórcio Unicode .

Veja Mais:  Instagram muda regra para fotos de seios e comunidade plus size comemora

Tecnologia

FCA e TIM lançam parceria para carros com conectividade a bordo a partir de 2021

Publicado


source
fca tim jeep compass
Divulgação/Leo Lara

Parceria entre FCA e TIM trará conectividade aos carros

Futuros lançamentos das marcas Fiat , Jeep e RAM fabricados a partir da primeira metade de 2021 já virão conectividade embarcada. A novidade foi anunciada nesta quarta (28) durante apresentação online de CEO´s da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) e da operadora TIM .

Os executivos da TIM e da FCA não deram detalhes específicos sobre o funcionamento prático da novidade e nem quanto impactará no valor dos veículos , mas disseram que os “clientes vão se surpreender”.

Haverá uma plataforma integrada às funções multimídia do veículo e também com parceiros externos, como redes de fast food, restaurantes, postos de gasolina e serviços, como seguro do automóvel.

Será possível, por exemplo, receber no veículo o anúncio de uma promoção de lanche de uma cadeia de fast-food e, em um toque, escolher o sanduíche desejado. Com um outro toque, realizar o pagamento. E, sem seguida, passar pela lanchonete e buscar o pedido. Sem invadir a privacidade dos usuários.

“O carro conectado criará uma experiência digitalizada e personalizada do usuário, que terá acesso a serviços e tecnologias integradas, fáceis de usar e seguras, mudando a forma como o carro é utilizado e como os ocupantes se relacionam com tudo o que está ao redor”, comenta André Souza, chief information officer da FCA para a América Latina.

Veja Mais:  Facebook, Twitter e Google depõem nos EUA; entenda o que está em jogo

Os veículos já virão com o chip virtual eSIM para acesso a Wi-Fi nativo a bordo, com cobertura 4G da operadora. Será possível, por exemplo, dar a partida remotamente no veículo e acionar o ar-condicionado para garantir a temperatura interna desejada antes mesmo de entrar no automóvel. Os proprietários também poderão fazer a identificação remota de eventuais falhas carro , por meio de sensores conectados, que vão enviar os dados aos servidores da montadora, para que seja feita a análise.

“Na medida em que conhecemos e aprendemos junto com o consumidor, teremos condições de desenvolver novas soluções que irão melhorar significativamente sua experiência ganhando mais conveniência e fluidez”, disse Luis Santamaria, diretor de Mopar – o braço de pós-vendas, peças, acessórios e serviços da FCA.

Cobertura 4G

Em relação à parceria entre FCA e TIM , a ideia é aproveitar a cobertura 4G da operadora (atualmente presente em mais de 3,5 mil cidades no Brasil). “Somos pioneiros no desenvolvimento de projetos com o 5G e acreditamos no potencial que a próxima geração de redes móveis tem, especialmente na geração de negócios explorando novas possibilidades”, destacou Alberto Griselli, chief revenue officer da TIM Brasil.

Continue lendo

Tecnologia

Instagram muda regra para fotos de seios e comunidade plus size comemora

Publicado


source
instagram
Reprodução/Instagram

Nyome Nicholas – Williams foi quem iniciou a discussão que levou à mudança da política do Instagram

A partir desta quarta-feira (28), uma regra sobre  fotos de seios femininos foi alterada no  Instagram . A novidade veio depois de uma série de pedidos iniciados com a modelo britânica  Nyome Nicholas-Williams .

Depois de ter fotos excluídas, a influenciadora percebeu que isso só acontecia com mulheres gordas, e a onde de protestos contra a gordofobia na rede social começou. Hoje, foi dia de comemorar. 

“Essa é uma vitória enorme para a comunidade negra e plus size”, disse ela, em uma publicação no Instagram. “Esse é apenas o começo, ainda há muito trabalho a ser feito. Instagram e Facebook estão dando passos na direção certa para garantir que a comunidade plus size seja protegida”.

De acordo com o Instagram , o algoritmo realmente errava ao analisar fotos de mulheres plus sizes. A justificativa é que havia mais pele à mostra e, por isso, os conteúdos eram considerados inapropriados por nudez – o que raramente acontecia com fotos de mulheres magras.

Depois de admitir a falha e realizar a mudança, a rede social ainda disse, porém, que erros podem continuar acontecendo mesmo com a nova medida. Diante disso, Nyome criou um formulário encorajando mulheres negras e gordas que tiverem suas fotos barradas no Instagram a entrarem em contato com ela. 

Veja Mais:  Instagram libera lives de até 4 horas e permite salvá-las por um mês

“Esses dados independentes serão coletados por nós e repassados ​​ao Instagram para ajudar a retratar como essa política está funcionando e como poderia funcionar melhor”, disse a modelo. 

A novidade foi comemorada não só por Nyome, mas por muitas outras mulheres. “Ah que bom, gente! Poxa, isso era um absurdo tão grande! Que bom que mudaram!”, disse uma usuária, em comentário a publicação da conta @gordanalei. “Até que enfim!”, comentou outra. 

Algumas internautas reclamam, porém, que a medida demorou a ser tomada. “Sério que isso acontecia? Em pleno 2020… Lamentável”, disse uma. “Eu fiz um vídeo ensinando o autoexame de mamas, estava usando calcinha grande, sutiã e por baixo usei protetor para mamilos e mesmo assim o instagram retirou meu vídeo. Informaram que meu conteúdo era sexual, fiquei muito p***. Postei de novo no fim do dia e tá lá. F*** tu querer levar informação e autocuidado e eles simplesmente barrarem. Agora mulheres magras pode, aí pode tudo”, relatou a usuária @gauchaplussize, sobre como as medidas funcionavam anteriormente.

Apesar da mudança, algumas pessoas ainda reclamam do fato de os mamilos femininos ainda serem proibidos no Instagram . “Mas e os mamilos, que são uma pequena parte dos seios? Bom, estes continuam sendo um privilégio do patriarcado, infelizmente…”, reclamou a usuária @hera.ozelo.

Continue lendo

Tecnologia

Facebook, Twitter e Google depõem nos EUA; entenda o que está em jogo

Publicado


source
facebook twitter google
Wikimedia Commons

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook Sundar Pichai, CEO do Google e Jack Dorsey, CEO do Twitter

Os CEOs do Facebook , Twitter e Google , depõem, nesta quarta-feira (28), em uma audiência no Senado dos depõem, que começou às 11h (horário de Brasília).

Na audiência, Mark Zuckerberg (Facebook), Jack Dorsey (Twitter) e Sundar Pichai (Google), são questionados pelos senadores a respeito da chamada Seção 230 . O tema, que divide parlamentares, vem sendo discutido para criar mudanças na forma como as redes sociais interferem nos conteúdos que são publicados pelos usuários. A ideia é que a audiência de hoje dê base para que a polêmica lei seja reformada.

O que é a Seção 230

A Seção 230 do Communications Decency Act, na prática, protege empresas de tecnologia ao não responsabilizá-las pelos conteúdos que os usuários publicam nas redes sociais. 

Do lado das redes sociais, os executivos argumentam que a regra é essencial para que haja liberdade de expressão na internet. Por outro lado, o assunto começou a se intensificar depois que o presidente Donald Trump pediu diversas vezes para que as empresas de tecnologia fossem responsabilizadas por “sufocar” vozes conservadoras nas redes sociais.

Veja Mais:  iPhone 12 é jogado na calçada por YouTubers; veja se o celular resistiu

O que está sendo discutido no Senado

Na audiência desta quarta-feira, os executivos estão sendo interrogados pelo senador republicano Roger Wicker , que preside o comitê. Em sua fala inicial, ele disse que a Seção 230 tem protegido Facebook , Twitter e Google de “processos judiciais potencialmente danosos”.

“Mas também deu a essas plataformas de internet a capacidade de controlar, sufocar e até censurar conteúdo de qualquer maneira que atenda aos seus respectivos padrões. Chegou a hora de esse passe livre acabar”, disse o senador.

De acordo com ele, as plataformas decidem suas próprias formas de controlar os conteúdos publicados pelos usuários, o que ele considera um “passe livre”. Wicker lembrou do recente caso no qual as  redes sociais bloquearam artigos do New York Post que faziam acusações baseadas em conteúdos hackeados a respeito do filho do candidato à presidência Joe Biden .

“É importante notar que a aversão do Twitter e do Facebook a materiais hackeados nem sempre foi tão rigorosa. Por exemplo, quando as declarações de impostos do presidente vazaram ilegalmente, nenhuma das empresas agiu para restringir o acesso a essas informações”, argumentou o senador.

Na defesa, Zuckerberg e Dorsey salientaram a importância da Seção 230 para a liberdade de expressão. “Graças à Seção 230, as pessoas têm a liberdade de usar a internet para se expressar. Acreditamos em dar voz às pessoas, inclusive quando isto significar defender os direitos de pessoas com as quais não concordamos”, afirmou o CEO do Facebook .

Veja Mais:  Hackers vendem imagens íntimas de mais de 50 mil câmeras; veja como se proteger

Já Dorsey disse que a lei permite que as plataformas eliminem discurso de ódio e conteúdos inadequados, mas sem impedir que os usuários comentem o que quiserem. “Socavar a Seção 230 resultará em uma eliminação maior do discurso online e imporá graves limitações à nossa capacidade coletiva de abordar o conteúdo nocivo e proteger as pessoas online”, argumentou o CEO do Twitter .

Continue lendo

CAMPANHA COVID-19 ALMT

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana