Economia

Droga Raia bloqueia anúncio em canal bolsonarista e viraliza; entenda

Publicado


source
droga raia anúncio terça livre
Reprodução/YouTube

Droga Raia bloqueia anúncio em canal bolsonarista e viraliza nas redes

Após ser avisada e cobrada pelo movimento Sleeping Giants Brasil no Twitter, a Droga Raia anunciou que bloqueou anúncios no canal bolsonarista “Terça Livre TV” no YouTube, gerando reação de apoiadores do presidente na rede social. Eles ameaçam boicotar a rede de farmácias e citam a Drogasil como substituta. As duas redes se fundiram em 2011.

“Olá Droga Raia, tudo bem? Seguimos procurando o remédio pra curar de vez a desinformação mas enquanto isso seria legal não encontrar seus anúncios contribuindo com um canal no YouTube que dissemina Fake News, negacionismo e ódio. Pfv BLOQUEIEM✊? #SleepingGiantsBrasil”, publicou o Sleeping Giants no Twitter na última sexta-feira (22).

No mesmo dia, o perfil oficial da Droga Raia respondeu e prometeu bloqueio dos anúncios no canal bolsonarista . “Olá! Agradecemos a sinalização. Nós não compactuamos com disseminação de notícias falsas. Bloqueamos anúncios em vários sites extremistas, independente da ideologia, e continuamos atualizando diariamente esta lista”.

Neste fim de semana, o fato repercutiu entre a rede de apoio ao presidente Jair Bolsonaro e fez com que o termo “Droga Raia” fosse parar entre os assuntos mais comentados do Twitter na manhã deste domingo (24). Sites e perfis bolsonaristas se voltaram contra a empresa em uma campanha de cancelamento e boicote, com alguns inclusive ugerindo compras na “concorrente” Drogasil , que faz parte do mesmo conglomerado desde o início da década passada.

Veja Mais:  INSS divulga calendário de prova de vida para aposentados; confira

Os anúncios no YouTube que aparecem em canais profissionais são distribuídos aleatoriamente pelo Google, mas se o perfil discordar de algum, como foi o caso da Droga Raia com o perfil Terça Livre TV , basta pedir o cancelamento da veiculação.

Comentários Facebook

Economia

Novo Bolsa Família tem reajuste abaixo da inflação, mas traz benefícios; entenda

Publicado


source
MP prevê novos critérios de seleção e novos benefícios
Thais Carrança – Da BBC News Brasil em São Paulo

MP prevê novos critérios de seleção e novos benefícios

O governo federal estuda antecipar o lançamento do novo programa Bolsa Família . A ideia é aumentar a faixa de recebimento do benefício , que hoje é de famílias que tem renda entre R$ 89 e R$ 178 por pessoa, para R$ 92 a R$ 184 . Em teoria, o número de beneficiários aumentaria, mas o resjuste de 3,37% fica abaixo da inflação do ano passado, 4,52%, logo não ocorre aumento real, e sim perda

A ideia ainda está no estágio inicial e o sacunho da Medida Provisória (MP) que circula entre técnicos da equipe econômica traz algumas novidades. Segundo o Uol, entre estas estão: 

  • Auxílio creche de R$ 250 por mês para o pagamento da mensalidade em creches privadas particulares, comunitárias, confessionais, beneficentes ou filantrópicas que ofertem educação infantil, em tempo parcial ou integral;
  • Bolsa de R$ 200, paga de uma só vez, para os melhores alunos matriculados na escola;
  • Bolsa mensal de R$ 100, além de um prêmio anual de R$ 1.000 para alunos que se destacarem em atividades esportivas ou projetos de iniciação científica;
  • Benefício Primeira Infância, destinado às famílias com crianças com idade entre zero a 3 anos, no valor de R$ 96 por Benefício Variável, destinado às famílias com gestantes ou pessoas com idade entre 3 e 21 anos incompletos, no valor de R$ 48 por pessoa;
  • Benefício Cidadania, destinado a todas as famílias do Programa Bolsa Família, no valor mínimo de R$ 10 por integrante, cuja renda familiar mensal por pessoa, calculada após o acréscimo dos benefícios anteriores, seja igual ou inferior a R$ 92.
Veja Mais:  Imposto de Renda: MEI precisa declarar rendimentos? Entenda

Critérios para recebimento do benefício 

A MP também altera os critérios de extrema pobreza e pobreza do governo para que as pessoas possam receber o Bolsa Família. Atualmente, recebem o benefício todas as famílias com renda de até R$ 89 mensais por pessoa; e famílias com renda por pessoa entre R$ 89,01 e R$ 178 mensais, desde que tenham crianças ou adolescentes de 0 a 17 anos. 

A proposta do governo é dividir em duas faixas os que participarão do Bolsa Família, com renda por pessoa de até R$ 184:

Você viu?

  • famílias em situação de extrema pobreza , com renda por pessoa de até R$ 92,00;
  • famílias em situação de pobreza , com renda per capita mensal entre R$ 92,01 e R$ 184,00

Segundo a MP, as famílias em situação de pobreza só poderão receber o benefício se possuírem gestantes ou pessoas com até 21 anos incompletos.

A proposta ainda autoriza o governo a mudar o valor dos benefícios, os valores referenciais para caracterização de situação de pobreza ou extrema pobreza e as idades dos beneficiários, com base em estudos técnicos.

Bonificações pelo desempenho escolar e esportivo

A bolsa mensal de R$ 100, mais o prêmio anual de R$ 1.000 para alunos que se destacarem em atividades esportivas fará parte do Prêmio Esporte Escolar . Para receber o benefício, os atletas/alunos devem possuir os seguintes requisitos:

  • ter idade entre 12 anos completos e 17 anos incompletos;
  • ser medalhista de sua modalidade esportiva em competição oficial do sistema de Jogos Escolares Brasileiros, ocorrida no ano anterior;
  • é proibida a concessão simultânea de mais de um benefício mensal a um mesmo atleta escolar
  • Na hipótese de haver mais de um aluno que possa receber o benefício em uma mesma família, será permitido o pagamento de tantos benefícios quantos forem os alunos.
Veja Mais:  Você sabe a diferença entre o leite de vaca, cabra e ovelha? Entenda.

Bonificação escolar de R$ 200 e auxílio-creche


Para receber a bonificação escolar de R$ 200, a MP determina que os estudantes devem se enquadrar em um dos critérios determinados:

  • estar entre os 2% que possuem melhores médias de notas anuais nas disciplinas de português e matemática, com base em prova nacional unificada;
  • estar entre os estudantes que obtiveram as 12% maiores variações positivas em suas médias de notas anuais de português e matemática, com base em prova nacional unificada
  • O auxílio-creche será destinado, preferencialmente a mães ou pais solteiros do Bolsa Família que tenham crianças de 6 meses a 47 meses, condicionado à obtenção de emprego formal e à negativa de vaga na rede pública de ensino.


Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

IR 2021: empresas têm até esta sexta para entregar informe de rendimentos

Publicado


source
Empresas tem até esta sexta-feira (26) para entregar informe de rendimentos para o IR 2021
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Empresas tem até esta sexta-feira (26) para entregar informe de rendimentos para o IR 2021

Empregadores — sejam eles pessoas físicas ou jurídicas — têm até esta sexta-feira (26) para entregar o informe de rendimentos referente ao ano de 2020 a seus funcionários para que possam fazer a declaração de Imposto de Renda de 2021 . Isso porque a Receita Federal determina que o documento seja fornecido pela fonte pagadora até o último dia útil do mês de fevereiro.

A disponibilização pode ser feita pela internet, sem necessidade de fornecimento da via impressa.

Do informe devem constar os valores de todos os rendimentos de 2020 , incluindo o 13º salário, além de outros recebidos eventualmente, como participação nos lucros da organização.

Caso o empregado tenha sido demitido no ano passado, a empresa ainda tem que fornecer documentos comprobatórios, em uma via, com indicação da natureza e do valor total do pagamento, das deduções e do imposto retido no ano-calendário de 2020.

Você viu?

Se a fonte pagadora não fornecer os comprovantes, o contribuinte deve comunicar o fato a uma unidade de atendimento da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil (RFB) para que medidas legais sejam tomadas.

E se o informe apresentar informações erradas, como salários que não foram pagos ou rendimentos isentos computados como tributáveis, o interessado deve solicitar uma nova via corrigida.

Veja Mais:  Você sabe a diferença entre o leite de vaca, cabra e ovelha? Entenda.

Quem deve declarar

  • Deve declarar o IR neste ano quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020 — desde que não tenha recebido o auxílio emergencial . O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado;
  • Também devem declarar contribuintes que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado;
  • Quem obteve ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Quem teve, em 2020, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • Quem tinha, até 31 de dezembro de 2020, a posse ou a propriedade de bens ou direitos de valor total superior a R$ 300 mil;
  • Quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês do ano passado e nessa condição encontrava-se em 31 de dezembro de 2020;
  • Quem optou pela isenção do IR incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda, também precisa prestar contas ao Fisco.

Ficam dispensados de serem informados os saldos em contas-corrente abaixo de R$ 140, os bens móveis, exceto carros, embarcações e aeronaves, com valor abaixo de R$ 5 mil.

Veja Mais:  Imposto de Renda: MEI precisa declarar rendimentos? Entenda

Também não precisam ser informados valores de ações, assim como outro ativo financeiro, com valor abaixo de R$ 1 mil.

As dívidas dos contribuintes que sejam menores do que R$ 5 mil, em 31 de dezembro de 2020, também não precisam ser declaradas.

Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Desemprego bate recorde em 2020 e atinge 13,4 milhões, diz IBGE

Publicado


source
Redução da taxa no final do ano não indica recuperação econômica.
O Dia

Redução da taxa no final do ano não indica recuperação econômica.

Nesta sexta-feira (26) foi divulgada a  Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), realizada pelo  Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo os números do estudo, a taxa de desemprego caiu de 14,6% no terceiro trimestre, para 13,9% no quarto trimestre de 2020. Dessa forma, a taxa de pessoas sem trabalho no ano foi de 13,5%, a maior desde 2012 .

O recuo da taxa nos meses finais do anos se deve à sazonalidade de contratações temporárias no período, principalmente no setor de comércio e serviços. Nos últimos três meses do ano foi registrado aumento na ocupação em quase todos os grupos de atividades. Veja a lista:

  • Agricultura (3,4%)
  • Indústria (3,1%)
  • Construção (5,2%)
  • Comércio (5,2%)
  • Alojamento e alimentação (6,5%)
  • Informação e comunicação (5,8%)
  • Outros serviços (5,9%)
  • Serviços domésticos (6,7%)
  • Administração pública (2,9%)
  • Transporte ficou estável.

Em um ano, o número de pessoas empregadas caiu 7,3 milhões, chegando ao menor número da série anual. Em 2019, a população ocupada era 93,4 milhões de pessoas, e caiu para para 86,1 milhões em 2020. Pela primeira vez na série anual, menos da metade da população em idade produtiva estava ocupada no País. Em 2020, o nível de ocupação foi de 49,4%. 

Veja Mais:  Novo Bolsa Família tem reajuste abaixo da inflação, mas traz benefícios; entenda

A queda no número de empregados com carteira assinada no setor privado teve recuo recorde em um ano, 2,6 milhões de pessoas, significando uma redução de 7,8%. Os trabalhadores domésticos (5,1 milhões) também tiveram a maior queda registrada da série histórica, de 19,2%. Entre os autônomos a redução foi de 6,2%, ou seja, 1,5 milhão de pessoas.

A informalidade, entretanto, passou de 41,1% em 2019, para 38,7% em 2020, significando 33,3 milhões de pessoas sem carteira assinada, CNPJ ou sem remuneração. 

Você viu?

Entre os que desistiram de procurar trabalho, a alta foi de 16,1% na comparação com 2019, somando 5,5 milhões de pessoas.

Já no funcionalismo público o crescimento foi de 1%. Muito por conta da contratação para setores da saúde e educação. Confira a lista de de perda na ocupação por setor: 

  • Construção: 12,5% 
  • Comércio: 9,6% 
  • Indústria: 8% 
  • Alojamento e alimentação: 21,3%
  • Serviços domésticos: 19%
  • Transportes: 9,4%
  • Agricultura: 2,5%
  • Informação e comunicação: 2,6%
  • Outros: 13,8%




Comentários Facebook
Continue lendo

CAMPANHA COVID-19 ALMT

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana