Mato Grosso

Equipe técnica comprova economicidade e viabilidade da implantação do BRT em Cuiabá e Várzea Grande

Publicado


O Governo de Mato Grosso, conduzido pela equipe técnica da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), realizou audiência pública por meio virtual nesta sexta-feira (07.05), em que demonstrou as vantagens e benefícios da implantação do sistema de Ônibus de Trânsito Rápido (BRT), movido à eletricidade, e comprovou a viabilidade do BRT como solução de mobilidade urbana na Região Metropolitana de Cuiabá.

A audiência foi transmitida pelo canal do YouTube do Governo de Mato Grosso. Ao longo das três horas de audiência, mais de 150 pessoas chegaram a acompanhar a transmissão ao vivo.

Foram apresentados os estudos realizados pelo Governo de Mato Grosso e pelo Grupo de Trabalho criado em conjunto com a Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana e a Caixa Econômica Federal, que subsidiaram a escolha pela implantação do BRT. Também foram esclarecidos os litígios judiciais envolvendo o processo do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que totalizam 14 ações judiciais tendo o modal ferroviário como objeto.

De acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, é tecnicamente atestado, através dos estudos elaborados e apresentados, que a solução BRT é a mais vantajosa, principalmente para o usuário do transporte coletivo, que é o maior impactado com as decisões a respeito da mobilidade urbana dos municípios de Cuiabá e Várzea Grande.

“É um projeto muito importante para a população. Não tenho dúvida nenhuma de que o Estado de Mato Grosso está pensando no melhor para Cuiabá e Várzea Grande. Estamos pensando em um transporte moderno, com menor custo para o cidadão e com melhor integração, para quem realmente utiliza o transporte público, para as pessoas que precisam realmente sair de sua casa e chegar mais rapidamente ao seu destino”, disse o secretário.

Veja Mais:  Governador define local em Confresa para construir Hospital Regional do Araguaia

Ainda segundo ele, nenhum dos dados constantes nas modelagens técnica e econômico-financeira, no relatório de gestão de risco ou nos estudos da engenharia de valor ao Sistema de Transporte Público Metropolitano de Cuiabá demonstram outro caminho mais vantajoso para o Estado e o cidadão que não seja o BRT.

“Nós não estamos fazendo aqui trabalho para beneficiar empresas de engenharia e, muito menos, para beneficiar pessoas que fazem lobby para este ou aquele modal. Estamos trabalhando para a satisfação de quem precisa do transporte coletivo.  Muitas pessoas que fazem lobby nunca entraram em um ônibus e nunca vão entrar em um transporte coletivo. E nós estamos trabalhando para que os que realmente precisam do transporte coletivo tenham o melhor”, afirmou o secretário.

De acordo com o engenheiro de transportes Rafael Detoni, que apresentou os estudos durante a audiência pública, um dos pontos mais favoráveis para a implantação do BRT é a tarifa mais acessível, no valor de R$ 3,04, quando comparada ao do sistema VLT, que custaria em torno de R$ 5,28. Ou seja, mensalmente o VLT demandaria um custo adicional que teria que ser custeado pelos usuários por meio da tarifa, ou por meio do aumento de subsídios públicos.

Além disso, segundo os estudos demonstrados, o BRT apresenta melhor desempenho operacional e proporcionará maior flexibilidade de operação junto aos ônibus do sistema alimentador dos municípios, permitindo reduzir o número de integrações para os usuários, quando comparado à modelagem da rede com o sistema VLT, dada a possibilidade de uso compartilhado no corredor segregado.

Outro destaque favorável à solução por ônibus, conforme identificado nos estudos, está na possibilidade de extensão dos corredores estruturais de transporte coletivo para bairros populosos e mais distantes da área central das duas cidades a um custo menor do que a solução ferroviária com o VLT. Ou seja, o BRT apresenta maior compatibilidade com a distribuição das demandas locais.

Veja Mais:  Pesquisa aponta que 89% dos servidores do TCE-MT se sentiram acolhidos durante período de teletrabalho

“Tudo que nós mencionamos aqui foram resultados de análises do âmbito jurídico, da parte técnica de transportes, da modelagem econômico-financeira, os riscos, quais soluções são possíveis. Tudo isso foi levantado, estudado e esses números foram refinados e entregues para a tomada de decisão. Não há sombra de dúvidas, pelo que foi colocado, da vantajosidade do sistema por ônibus do que o VLT. É um resgate que o Estado faz da versão original que foi projetada e esperamos que possamos dar continuidade e trabalhar na implementação e finalmente entregar um transporte coletivo para a sociedade”, disse Rafael Detoni.

Para a implantação do BRT,  o Governo do Estado se responsabilizará pela realização das seguintes obras de infraestrutura: corredor segregado, paradas, estações e terminais, tratamento das calçadas, Parque Linear da Av. Rubens de Mendonça, Centro de Controle Operacional, Garagem Operacional do BRT com subestação de recarga elétrica dos ônibus, sistema de monitoramento e segurança da frota e usuários, sistema de comunicação com os usuários e também pela aquisição dos ônibus movidos à eletricidade.

Essas obras, ainda segundo os estudos, apresentam o menor custo e menor tempo de implantação quando comparadas às de outros modais. As obras devem durar até 18 meses e os investimentos estimados são da ordem de R$ 460 milhões, com a aquisição da frota de ônibus elétricos. Esses recursos, inclusive, já estão garantidos, segundo o secretário de Fazenda, Rogério Gallo.

“Esses recursos estão assegurados no orçamento da Sinfra e o Estado para que façamos a execução dessa importante obra para Cuiabá e Várzea Grande: que é entregar um modal de mobilidade urbana extremamente moderno, eficiente e que faça menos integração e que demande menos tempo das pessoas. Um transporte adequado para a cidade, menos oneroso em curto prazo em R$ 330 milhões para os cofres públicos e, o mais importante, ao longo do tempo ele vai onerar menos o bolso de quem paga a tarifa”, disse.

Veja Mais:  Mato Grosso recebe 37.440 doses da Pfizer nesta sexta-feira (18)

Gallo lembrou ainda que existe um recurso junto à Caixa Econômica Federal, da ordem de R$ 190 milhões, oriundos dos contratos de financiamento firmados para implantação do VLT, que já está sendo pleiteado pelo Governo de Mato Grosso.

“Estamos postulando a alteração só do objeto do contrato, de mudar de VLT para BRT, mas ainda continuando dentro do programa de transportes, que é o programa de solução de mobilidade urbana moderna. Já temos precedente desse tipo de alteração de objeto, mantendo ainda o objetivo daquela linha de crédito do Fundo de Garantia.  Estamos confiantes de que a Caixa Econômica e o Ministério de Desenvolvimento Regional possam voltar para aquilo que era a decisão antes das fraudes que aconteceram para transformar o BRT, lá atrás, em VLT”, encerrou Gallo.

Além da apresentações técnicas de engenharia, jurídica e financeira, foram esclarecidas todas as dúvidas dos participantes acerca do assunto durante a audiência pública. Já as manifestações escritas, por sua vez, ainda podem ser feitas  pelo e-mail [email protected] até as 23h59 desta sexta-feira. As respostas serão encaminhadas também por e-mail na próxima semana.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Mato Grosso

Corpo de Bombeiros e Sema iniciam construção de aceiros mecânicos no Parque Encontro das Águas

Publicado


O Corpo de Bombeiros Militares (CBM-MT) e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) iniciaram na última quarta-feira (16.06) a construção de aceiros na região do Parque Encontro das Águas, localizado no Pantanal mato-grossense, em Poconé (104 km distante de Cuiabá). As equipes técnicas avaliaram que esta modalidade, sem uso do fogo, era a mais adequada para aquela área.

As demarcações com maquinários pesados tiveram início por volta de 7h, quando ainda não há sol. As equipes retiram vegetação – que serve como combustível para o fogo – de locais estratégicos, e formam o que chamam de “linhas de defesa”, uma barreira natural por onde o fogo não passa. A ação aconteceu em parceria também com a Associação de Defesa do Pantanal (Adepan).

“O Corpo de Bombeiros está auxiliando a Sema na execução do plano de prevenção aos incêndios do Parque, na construção das linhas de defesa, que vai ajudar a mitigar os focos de calor, para que a gente possa combater de forma mais facilitada caso aconteçam os incêndios”, explica o comandante da Companhia de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do BEA, 1° tenente Isaac Wihby.

O objetivo é proteger dos incêndios a região conhecida como “refúgio das onças”, localizada no coração do Pantanal, que foi castigado pelo fogo no ano anterior. O Parque Estadual Encontro das Águas é uma área de proteção integral de 108 mil hectares que abrange Poconé e Barão de Melgaço, gerida pela Sema-MT.

Veja Mais:  Pesquisa aponta que 89% dos servidores do TCE-MT se sentiram acolhidos durante período de teletrabalho

Os aceiros são demarcações para criar uma espécie de faixa ao longo das cercas, onde a vegetação é completamente eliminada da superfície do solo. A finalidade é prevenir a passagem do fogo para a área de vegetação, evitando queimadas e criando espaços para que os animais possam escapar das chamas.

A avaliação das condições climáticas, tendo em vista que algumas áreas do Parque ainda estão úmidas, foi determinante para a definição de que a modalidade de aceiro mecânico fosse a escolhida.

Conforme a superintendente de Mudanças Climáticas e Biodiversidade, Gabriela Priante, esta é uma ação contínua que vai continuar sendo feita no entorno do Parque. Os maquinários utilizados foram apreendidos de infratores flagrados em crimes ambientais.

Capacitação

Os aceiros mecânicos foram feitos por servidores que foram capacitados para a operação de pás carregadeiras, com o objetivo de somar esforços qualificados no enfrentamento ao fogo em períodos críticos, e na prevenção. Técnicos da Sema também fizeram parte da turma e adquiriram conhecimento que possibilita a remoção dos maquinários em caso de apreensão em crime ambiental.

Foram capacitados 25 servidores, entre Bombeiros Militares do Estado de Mato Grosso pertencentes ao Batalhão de Emergências Ambientais e sete comandos regionais, e analistas ambientais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), entre os dias 3 e 5 de junho. O curso foi realizado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR).

Veja Mais:  CGE abre inscrições para webinar sobre "Ouvidoria na Defesa dos Direitos dos Usuários de Serviços Públicos"

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Quinta-feira (17): Mato Grosso registra 436.453 casos e 11.584 óbitos por Covid-19

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quinta-feira (17.06), 436.453 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.584 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 2.437 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 436.453 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 13.292 estão em isolamento domiciliar e 409.853 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 478 internações em UTIs públicas e 353 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 85,82% para UTIs adulto e em 39% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (90.721), Rondonópolis (31.652), Várzea Grande (29.540), Sinop (21.200), Sorriso (15.151), Tangará da Serra (14.968), Lucas do Rio Verde (13.375), Primavera do Leste (11.119), Cáceres (9.458) e Alta Floresta (8.324).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 682 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na quarta-feira (16.06), o Governo Federal confirmou o total de 17.628.588  casos da Covid-19 no Brasil e 493.693 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 17.533.221 casos da Covid-19 no Brasil e  490.696 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Veja Mais:  Mato Grosso recebe 37.440 doses da Pfizer nesta sexta-feira (18)

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta quinta-feira (17.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Governador define local em Confresa para construir Hospital Regional do Araguaia

Publicado


O governador Mauro Mendes decidiu que o Hospital Regional que atenderá a Região do Araguaia será construído na cidade de Confresa.

A decisão foi tomada na noite de quarta-feira (16.06), e foi baseada em parecer técnico da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT).

“O Araguaia finalmente terá um hospital regional. Já temos dinheiro em caixa, dentro do programa Mais MT, para construir esse hospital para a população do Araguaia, que há muitos anos vive uma triste realidade de ter que deslocar mais de mil quilômetros para conseguir atendimento de média e alta complexidade”, afirmou o governador. 

De acordo com o governador, a obra vai seguir o padrão de qualidade do Governo de Mato Grosso, para oferecer toda a estrutura necessária para o atendimento digno à população, bem como os equipamentos de trabalho aos profissionais de Saúde.

“Com mais essa unidade, já são quatro novos hospitais em processo de construção no interior do Estado, porque também vamos ter em Alta Floresta, Juína e Barra do Garças. Sem contar que estamos construindo os hospitais Julio Muller e Central aqui em Cuiabá. E todos com padrão de excelência, à altura dos mato-grossenses”, ressaltou.

O secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, explicou que o Hospital contará com 111 leitos de enfermaria e 40 UTIs, entre adultas, pediátricas, neonatal e unidade semi-intensiva neonatal, para atendimento na média e alta complexidade.

Veja Mais:  Pesquisa aponta que 89% dos servidores do TCE-MT se sentiram acolhidos durante período de teletrabalho

A unidade de Saúde também vai ter 10 consultórios médicos, 2 consultórios para atendimento a gestantes, 6 salas de centro cirúrgico, além de espaços para banco de sangue, banco de leite materno e realização de exames, como tomografia e colonoscopia.

A previsão é que após a licitação e a definição da empresa que irá tocar a obra, o hospital seja entregue em até 24 meses.

“A região do Araguaia ganha muito com esse Hospital Regional. A equipe técnica entendeu que o município de Confresa reúne aspectos técnicos e necessários para o funcionamento desta unidade, que atenderá diversos municípios da região. Esse será o mais moderno hospital do Araguaia”, frisou o secretário.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana