conecte-se conosco
Copyright © 2018 - Agência InfocoWeb - 66 9.99774262


Nacional

Homem mais velho do mundo morre aos 113 anos no Japão

Publicado


Considerado o homem mais velho do mundo, o japonês Masazo Nonaka morreu neste domingo (20)
Divulgação/ Guinness World Records

Considerado o homem mais velho do mundo, o japonês Masazo Nonaka morreu neste domingo (20)

Considerado o homem mais velho do mundo, Masazo Nonaka morreu neste domeigo (20) aos 113 anos em sua casa, numa pousada com fontes termais, no Japão. A família informou que ele faleceu durante a madrugada, enquanto dormia em sua residência, em Ashoro, na ilha de Hokkaido, no norte do país.

Leia também: Pessoa mais velha do mundo, Nabi Tajima, morre aos 117 anos no Japão

Os seus familiares disseram que Nonaka morreu de causas naturais. O centenário, cuja família administra uma pousada com fontes termais há quatro gerações, foi certificado no ano passado como o homem mais velho do mundo
aos 112 anos e 259 dias.

Nascido a 25 de julho de 1905, Nonaka cresceu numa grande família e sucedeu aos seus pais na administração da pousada, que agora é gerida por sua neta. A mulher e três dos filhos de Nonaka já haviam morrido.

O registro de Masazo foi confirmado em abril do ano passado após um extenso processo de pesquisa e revisão de evidências por Robert Young, consultor sênior de gerontologia do Guinness World Records e co-diretor do Gerontology Research Group.

O maior  recordista
da pessoa mais velha (do sexo masculino) também era japonês. Jiroemon Kimura nasceu em 19 de abril de 1897 e morreu com 116 anos e 54 dias, em 12 de junho de 2013 – quatro anos mais velho que Masazo. No entanto, o recorde da pessoa mais velha da história é de Jeanne Louise Calment, da França, que viveu 122 anos 164 dias, de 1875-1997.

Veja Mais:  Editada MP que facilita crédito para pequenas e médias empresas

Em 2017, um homem que  afirmava ser o humano mais antigo do mundo
morreu aos 146 anos de idade. De acordo com seus documentos, o indonésio Sodimedjo, também conhecido como Mbah Ghoto (Vovô Ghoto), nasceu em dezembro de 1870.

Ele teria 43 anos de idade no início da primeira guerra mundial e completou 70 anos durante a segunda guerra mundial. O fumante, que ficou viúvo quatro vezes ao longo da vida, morreu em sua vila em Java Central dias depois de ser levado ao hospital em 12 de abril por conta da saúde já debilitada. Segundo os familiares, ele insistiu em voltar para casa para ficar com sua família e morreu
no dia 30 de abril.

Ex-agricultor e pescador, Mbah Ghoto disse no ano passado que ele viveu “uma vida longa, porque tenho pessoas que me amam cuidando de mim”. Ele era um herói local e contava histórias de vida sobre os colonizadores japoneses e holandeses. “A vida é apenas uma questão de aceitar o seu destino de todo o coração “, disse em entrevista ao Jakarta Post, em 2017.

Leia também: Em um “relacionamento sério” há 26 anos, tartaruga mais velha do mundo é gay

No entanto, segundo as informações da BBC, Mbah Ghoto não era reconhecido como o homem mais velho do mundo
 da história. Isso porque a Indonésia só começou a registrar os nascimentos em 1900. Ainda assim, oficiais afirmaram à BBC, que o cartão de residência, que tem a data de nascimento de Mbah Ghoto, era válido com base em documentos e entrevistas com ele.

Veja Mais:  Projeto permite recontratações dentro de 90 dias, sem sanções, durante a pandemia de Covid-19

Comentários Facebook

Nacional

Senado pode votar destinação de R$ 160 milhões para instituições de idosos

Publicado


.

Está na pauta do Plenário do Senado um projeto que dispõe sobre a destinação de R$ 160 milhões para instituições sem fins lucrativos que cuidam de idosos (PL 1.888/2020). Os recursos, do Fundo Nacional do Idoso, serão administrados pelo Ministério dos Direitos Humanos. O senador Nelsinho Trad (PSD-MS) lembra que os idosos formam um dos grupos de risco da covid-19 e o senador Flávio Arns (Rede-PR) defende políticas públicas definitivas para essa faixa da população. A reportagem é de Rodrigo Resende, da Rádio Senado

Comentários Facebook
Veja Mais:  Senado pode votar hoje o PL das Fake News
Continue lendo

Nacional

PF vai investigar vazamento de dados de Bolsonaro e outras autoridades

Publicado


.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, informou hoje (2) que a Polícia Federal vai investigar o vazamento de informações pessoais do presidente Jair Bolsonaro, seus familiares e outras autoridades por um grupo de hackers. Uma das contas do Twitter que supostamente pertence ao grupo foi suspensa por causa da ação.

Em publicação no Twitter, o ministro Mendonça explicou que as investigações devem apurar crimes previstos no Código Penal, na Lei de Segurança Nacional e na Lei das Organizações Criminosas.

 

Edição: Valéria Aguiar

Comentários Facebook
Veja Mais:  'Dedo de Prosa' lembra os 18 anos do assassinato do jornalista Tim Lopes
Continue lendo

Nacional

Projeto permite recontratações dentro de 90 dias, sem sanções, durante a pandemia de Covid-19

Publicado


.
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados
Reunião Ordinária para discussão e votação do parecer do relator. Dep. Rodrigo Coelho (PSB - SC)
Rodrigo Coelho: incertezas da pandemia de Covid-19 levaram a demissões em massa

O Projeto de Lei 2952/20 autoriza, durante estado de emergência ou de calamidade pública, a recontratação ou a readmissão de funcionário sem que a empresa venha a ser punida por rescisão fraudulenta ou fraude ao seguro-desemprego. Caso o funcionário esteja recebendo o benefício, o pagamento deverá ser interrompido na data da readmissão ou recontratação. O texto está sendo analisado pela Câmara dos Deputados.

De acordo com a proposta, para que não implique sanção à empresa, a recontratação ou readmissão de empregado demitido sem justa deve ocorrer dentro de 120 dias, contados mesmo após o encerramento do estado de emergência ou de calamidade pública.

Atualmente, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) estabelece que, em uma demissão sem justa causa, o funcionário tem direito de sacar o saldo do FGTS e de receber seguro-desemprego. Neste caso, a empresa deve esperar o prazo de 90 dias para readmitir ou recontratar o funcionário.

O projeto prevê sanções administrativas e criminais à empresa se ficar constatado que, em qualquer período em que prestou serviços ao empregador, de forma presencial ou remota, percebendo ou não salário, o o funcionário recebeu seguro-desemprego.

Autor, o deputado Rodrigo Coelho (PSB-SC) argumenta que as incertezas da pandemia de Covid-19 levaram a demissões em massa. “Muitas empresas tem sofrido sobremaneira com todo o isolamento, cuja restrição tem afetado o consumo”, observa.

Veja Mais:  Senado pode votar hoje o PL das Fake News

Ele acrescenta que, atualmente, mesmo que decida recontratar o trabalhador demitido sem justa causa dentro de 90 dias, os empregadores esbarram em portaria que considera tal conduta fraude presumida, já que pode estar ligada à percepção simultânea do seguro-desemprego. “A mudança, portanto, pretende a promoção do emprego e da renda”, finaliza.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei.

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Rachel Librelon

Comentários Facebook
Continue lendo

Câmara Municipal de Rondonópolis

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana