Rondonópolis

Laço Branco exalta tratamento digno às mulheres com pedalada neste sábado (05) em Rondonópolis

Publicado

 

Subir na bike e empunhar a bandeira da não violência contra as mulheres e das relações afetivas harmônicas e equilibradas entre os sexos é o mote da Pedalada do Laço Branco, que acontece no próximo sábado (05), com concentração na Praça dos Carreiros às 7h30 e saída às 8 horas. Aqueles que desejarem abraçar a causa podem aproveitar a oportunidade e seguir o fluxo montados em sua bicicleta, já que não haverá inscrição.

Extensivo a homens, mulheres e crianças, o ato é organizado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) em parceria com as Secretarias Municipais de Promoção e Assistência Social e de Transporte e Trânsito (Setrat), a Defensoria Pública, a Delegacia da Mulher, a Polícia Militar (PM), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Vara da Violência Doméstica, a Cadeia Feminina, a Pastoral da Mulher Marginalizada, o Movimento Negro, os Serviços Social do Transporte e Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat), a Ciclo Sport Bicicletas, a Rondonetto Transportes, além das Rádios Shalom, 105 FM, Centro América e SBT e, ainda, da TV Centro América e dos sites Agora MT e Gazeta MT.

“A Campanha do Laço Branco sustenta que o relacionamento a dois deve ser pacífico, baseado no respeito, na amizade e na confiança mútua”, enfatiza a assistente social e profissional responsável pelos programas de combate às diversas formas de violência na sociedade da SMS, Edna Rodrigues.

Antecipada para o sábado, já que o Dia do Laço Branco cai no domingo – 06 de dezembro -, a pedalada ocorre um dia antes para atingir um público maior, como esclarece Edna: “Os organizadores optaram por adiantar a pedalada porque o comércio está aberto no sábado e, assim, há mais pessoas nas ruas, nos permitindo evidenciar a causa de forma a ampliar a população para a qual vamos levá-la”.

Veja Mais:  Após intervenção de Claudinei, Coder recupera ponte que liga a comunidade da Três Pontes

Integrando as mobilizações dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, a Pedalada do Laço Branco terá como percurso, após sair da Praça dos Carreiros, a Avenida Marechal Rondon, seguindo pela Rua Arnaldo Estevão, Avenida Bandeirantes, Rua Aeroporto, Avenidas Frei Servácio, Presidente Médici e Ary Coelho e, então, passando pela Rua Rosa Bororo, Avenida Ponce de Arruda, Rua Fernando Corrêa e Avenida Marechal Rondon até chegar ao Cais. Dali, se encaminha à Avenida Dom Wunibaldo em direção à Rua Poxoréo e, na sequência, à Avenida Amazonas para, por fim, retornar à Praça dos Carreiros.

Toda a rota será acompanhada por uma ambulância da SMS, oferecendo segurança aos ciclistas para o caso de qualquer eventualidade. Ao final do passeio, os participantes vão poder degustar uma variedade de frutas servidas pela equipe realizadora da ação.

POR RELACIONAMENTOS SAUDÁVEIS
Em 1989, o jovem canadense Marc Lépine, de 25 anos, abriu fogo contra mulheres da Escola Politécnica de Montreal, onde funcionava uma faculdade de engenharia, matando 14 delas e deixando mais dez feridas. Em seguida, se suicidou. Inconformado com mulheres que trabalhavam em empregos não tradicionais, em sua carta de suicídio, Lépine classificou sua atitude como combate ao feminismo e atribuiu seu comportamento ao tormento que, segundo ele, as feministas causavam em sua vida.

Veja Mais:  Rondonópolis pode ganhar duas unidades das Lojas Riachuelo

Diante do Massacre de Montreal, como ficou conhecido, homens canadenses se revoltaram e, para demonstrarem sua reprovação em relação à atitude de Lépine e que se opunham a qualquer tipo de desigualdade e a agressão contra as mulheres, além de manifestarem a convicção de que relações entre os sexos construídas sobre valores como zelo, companheirismo e cumplicidade são possíveis, criaram a Campanha do Laço Branco.

Ganhando notoriedade mundo afora, o movimento se expandiu e, com a adesão de diversos países, se tornou uma mobilização internacional que acontece todo ano em 06 de dezembro – data em que ocorreu o feminicídio.

ONDE DENUNCIAR
Tanto a vítima de violência quanto alguém que saiba da agressão podem fazer a denúncia, já que, segundo Edna, nem sempre a mulher encontra forças para procurar apoio e se libertar do elo doentio que a prende ao agressor. “A denúncia pode ser anônima. Porém, se a pessoa sabe ou desconfia que a violência está acontecendo, é importante comunicar à polícia para que a situação seja investigada”, orienta a assistente social.

Há vários locais onde a denúncia pode ser feita, tanto de forma presencial como por telefone. Na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM), o atendimento ocorre presencialmente na Rua Armando Farjado 372, Vila Aurora, de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 18h30 – sem fechamento no horário de almoço – ou pelos telefones 3423-1133/1754. Outro canal disponível para comunicação com a DEDM é o WhatsApp 9 9954-5213.

Veja Mais:  Seletiva para ator 'Pornô' em Rondonópolis termina com Boletim de Ocorrência

Já o Conselho da Mulher fica na Avenida Tiradentes 1.904, Centro e está aberto das 7h às 11h e das 13h às 17 horas, durante a semana. O número para quem preferir ligar é 3411-5005.

Também é possível denunciar na Central de Atendimento da Secretaria Nacional de Política para Mulheres pelo 180 ou, ainda, pelo 190 da Polícia Militar e pelo 197 da Polícia Civil.

Comentários Facebook

Rondonópolis

Domingo (17): Rondonópolis registra 4 mortes e contabiliza 450 óbitos por Covid-19

Publicado

Unidade de Pronto Atendimento de Rondonópolis-Foto: Assessoria

O boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Saúde, neste domingo (17), mostrou que foram registradas 4 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas em Rondonópolis. Apesar disso, 16.428 casos da Covid-19 foram diagnosticados desde o início da pandemia. 15.562 pacientes recuperados, ainda há 416 casos ativos e 450 óbitos.

As vítimas se tratam de três mulheres de 70,75,78 anos e um homem de 95  anos.

O Boletim aponta também que houve uma diminuição de pacientes nas UTIs públicas e privadas na cidade.

Situação dos Leitos de UTI por Hospital

Hospital Natureza Total Ocupados Disponíveis Ocupação (%)
Santa Casa publico 20 14 6 70.0 %
Hospital Regional publico 10 9 1 90.0 %
UNIMED privado 1 8 -7 800.0 %

 

Veja o Boletim Epidemiológico completo. 

Comentários Facebook
Veja Mais:  Vereador Cláudio da Farmácia testa positivo para Covid-19
Continue lendo

Rondonópolis

Seletiva para ator ‘Pornô’ em Rondonópolis termina com Boletim de Ocorrência

Publicado

 

Um servidor público e um amigo não identificados, ambos de 41 anos, procuram a Polícia Civil após terem seus números de telefone inclusos em um anúncio de contratação de atores de filmes pornográficos que circula na internet desde ontem (14).  O caso foi registrado nessa quinta (14) no bairro Vila Operária, no município de Rondonópolis (a 217 Km de Cuiabá).

Uma das vítimas relatou no Boletim de Ocorrência que recebeu um anúncio para contratação de ator pornô e que os números de telefone celular dele e de mais um amigo estavam fixados na imagem que rivalizou nas redes sociais nessa quinta.

No anúncio constava vários requisitos aos interessados em ser um ator pornô, como por exemplo, não ter vergonha, disponibilidade para viagens, pênis mínimo de 13 centímetros e não ter nojo do órgão feminino. O cachê ofertado era de R$ 1,6 mil. Para participar da seletiva, os candidatos teriam que pagar R$ 15,00 reais.

Da redação com RD News

Comentários Facebook
Veja Mais:  Rondonópolis pode ganhar duas unidades das Lojas Riachuelo
Continue lendo

Rondonópolis

Diagnosticado com covid-19 por duas vezes, radialista Gino Rondon recebe alta médica

Publicado

Flávia ( de amarelo) comemora alta do pai Gino Rondon: “Só quero abraçar e levar ele para a casa”. (Foto: Henrique Kawaminami)

Diagnosticado com covid-19 por duas vezes, o radialista Gino Rondon, 66 anos, cruzou a porta do Hospital da Unimed na tarde deste sábado (dia 16) com status de sobrevivente.

“É um milagre. Ele tem diabetes, pressão alta, três stents no coração. Mas venceu. O médico disse que a situação era gravíssima”, afirma a filha Flávia Rondon, 40 anos.

A dupla vitória de Virgínio Aleixo Rondon Gomes da Silva, o Gino Rondon, sobre a doença é uma história que começa ser contada em setembro de 2019. Ele é chefe de gabinete em Itiquira (Mato Grosso) e fez exame naquela ocasião após contato com caso positivo. A doença foi confirmada, mas veio com sintomas leve, tratados em casa.

Em 4 de dezembro, Gino chegou a Campo Grande, onde mora a filha, para se submeter a procedimento de cateterismo, que estava agendado para dia 8. Logo na chegada, apresentou sintomas gripais e teve o segundo exame positivo para o novo coronavírus.

Gino (à direita) teve covid duas vezes e, na última, precisou ser entubado. (Foto: Henrique Kawaminami)

Ele ficou isolado na casa da filha. Mas, na sequência do diagnóstico, veio a torrente de problemas de saúde: infarto e edema agudo pulmonar. “Ele ficou muito fragilizado pela covid”, conta Flávia.

Veja Mais:  Diagnosticado com covid-19 por duas vezes, radialista Gino Rondon recebe alta médica

No dia 4 de janeiro, o quadro se agravou  e o paciente foi internado às pressas no hospital com severa falta de ar. Na madrugada seguinte foi entubado. Sem poder estar perto, a família se valeu da fé, com campanha de orações.

Gino respondeu bem ao tratamento, os aparelhos foram sendo retirados e, finalmente,  pôde trocar a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) por um quarto. “Deu o sopro da vida novamente. Chegou morrendo, a respiração dele zerou. Só quero abraçar e levar ele para a casa”, diz Flávia.

Da redação com Campo Grande News

Comentários Facebook
Continue lendo

CAMPANHA COVID-19 ALMT

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana