Mato Grosso

Mães de gêmeos, auditoras da CGE-MT relatam desafios da “jornada dupla”

Publicado


Mãe é aquela responsável por embalar o filho no colo, envolver o bebê em afeto, um amor que estimula a circulação sanguínea, a respiração, o tônus muscular de todo o corpo. E, além disso, uma das questões continua sendo: como conciliar a carreira com a maternidade?

A maternidade é um divisor de águas na vida da mulher, isso não há o que se discutir. No entanto, o fato de se tornar mãe não anula os tantos outros papeis desempenhados pelas mulheres. Servidoras públicas, executivas, donas de casa e empresárias. Ser mãe no século 21 é sinônimo de multiplicidade, que se potencializou neste momento de pandemia. Quando se é mãe de gêmeos, então, nem se fala!

Por isso, nesta reportagem especial, três auditoras da Controladoria Geral do Estado de Mato Grosso  (CGE-MT) contam como conseguem conciliar a vida de funcionárias públicas com a importante tarefa de ser mãe de dois e sobre os principais desafios e conselhos para quem pretende seguir este caminho. Elas fazem malabarismo com as horas para encaixar todos os compromissos. São mulheres divididas entre a carreira, a educação dos filhos e a administração financeira da família. 

Mãe dos gêmeos Theo e Felipe, de um (1) ano e três meses, a auditora Rosane Rosa e Silva fala dos vários desafios e aprendizados desde o nascimento dos filhos. Segundo ela, cabe destacar que o romantismo em ser mãe de gêmeos nem sempre está presente no dia a dia, é preciso ter consciência do que é possível fazer sozinha e do que não é. Também é preciso aceitar os erros. Eles sempre existirão e, de uma forma ou de outra, irão te polir. Do mesmo modo, é fundamental saber dividir a atenção entre cada um dos filhos.

Veja Mais:  Oito pessoas são presas por envolvimento em homicídio de jovem em Lucas do Rio Verde

“Eu tento dividir o meu tempo entre ser mãe de gêmeos e ser auditora estabelecendo rotinas. Um dos pontos mais difíceis é estabelecer limites sem prejudicar nenhuma das duas facetas. Outro detalhe não menos importante é o valor de uma rede de apoio. A gente vive nesse tempo de isolamento social e percebe ainda mais o quanto valorizamos os nossos amigos e família. Mães de gêmeos têm motivos em dobro que as impulsionam e inspiram a serem cada vez mais uma boa profissional”, afirma.

O distanciamento social provocado pela Covid-19 mexeu completamente com a rotina das mães. O momento aumentou responsabilidades, mas também aproximou os corações e fortaleceu os laços com os filhos.

Para a auditora Kristianne Marques, uma das coisas mais importantes da maternidade é a proximidade que pode ter com seus filhos, os gêmeos Isaac e Samuel, de três (3) anos. Ser mãe é um desafio por si só e a quarentena trouxe algumas dificuldades, mas também alegrias. Ela e seu esposo fazem parte do grupo de risco, com comorbidades, e tiveram de tomar cuidados redobrados. A adaptação com a nova rotina foi se instalando aos poucos, e ela relatou sua realidade, dores e delícias de estar isolada com os filhos.

“A pandemia chegou bem na véspera do aniversário dos meninos. Tive de cancelar a festa com tudo já organizado. Aí está o jogo de cintura que as mães têm que ter. Ficamos mais ansiosas que eles (os filhos) para comemorar mais um ano de vida, de vê-los interagindo com os amiguinhos, fazendo bagunça que toda criança gosta. Desde então, estou de home office e eles não foram mais à escolinha. A administração do tempo é essencial, o esposo é um super companheiro que também enfrenta esse novo momento comigo”, relata.

Veja Mais:  "A Arena Pantanal está linda e nos trouxe muita sorte", disse Pablo Milad, presidente da Federação Chilena

A auditora comenta ainda que nunca imaginou que teria a oportunidade de conviver e compartilhar o dia a dia tão próximo deles como nesse um ano de pandemia.

“Ver cada palavra nova, cada aprendizado, ouvir baterem na porta do escritório enquanto estou de home office e chamarem “mamãe”, e eu quase todas as vezes consigo abrir para dar um abraço, um beijo e dizer “mamãe está trabalhando”, mas tanto eu quanto eles sabemos que estamos aqui”, comenta. 

Já outro sentimento comum entre as mães que trabalham fora é a culpa. O ideal de que as mulheres devem ficar em casa em tempo integral para que seus filhos tenham um bom desenvolvimento atormenta muitas mães que precisam trabalhar fora. Portanto, saber que o emprego maternal não afeta a felicidade das crianças na idade adulta é realmente importante.

A auditora Aline Dantas traz outro ponto bastante discutido. Quanto mais se tenta ser um bom cidadão, maior a cobrança e, consequentemente, a culpa. Mãe dos gêmeos Lucas e Gabriel, de 12 anos, fala como fez para aliviar o sentimento de culpa.

“Eu precisei fazer terapia para entender melhor esse sentimento e que estava tudo bem em ter uma carreira. Não era nenhum ato anormal. Então, quando você consegue se libertar desse sentimento, do que todos esperam que a mãe faça, todas as outras atividades ficam mais leves e você é capaz de se encantar verdadeiramente pela maternidade, pelos seus filhos. Diante dessas experiências e trocas afetivas, a relação que nós, mamães, criamos com nossos filhos nos permite sentir mais tranquilas e satisfeitas com o modo com que cuidamos deles. O tempo não precisa ser integral com a profissão ou com a maternidade, mas sim de qualidade”, finaliza.

Veja Mais:  Semana de Política sobre Drogas aborda desafios do atendimento ao usuário em tempos de crise sanitária
Fonte: GOV MT

Comentários Facebook

Mato Grosso

Sábado (19): Mato Grosso registra 438.719 casos e 11.635 óbitos por Covid-19

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde deste sábado (19.06), 438.719 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 11.635 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 875 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 438.719 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 12.750 estão em isolamento domiciliar e 412.610 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 441 internações em UTIs públicas e 376 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 79,17% para UTIs adulto e em 42% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (91.024), Rondonópolis (31.853), Várzea Grande (29.639), Sinop (21.288), Sorriso (15.234), Tangará da Serra (15.064), Lucas do Rio Verde (13.472), Primavera do Leste (11.160), Cáceres (9.488) e Alta Floresta (8.384).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 350.769 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 682 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na sexta-feira (18.06), o Governo Federal confirmou o total de 17.801.462 casos da Covid-19 no Brasil e 498.499 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 17.702.630 casos da Covid-19 no Brasil e 496.004 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Veja Mais:  Municípios sem ligação asfáltica do Noroeste de MT comemoram doação de novas máquinas

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta sábado (19.06).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Governo de Mato Grosso lamenta falecimento de pai do prefeito José Carlos do Pátio

Publicado


O Governo de Mato Grosso lamenta o falecimento de Altamirando de Araújo Miranda, aos 91 anos, pai do prefeito de Rondonópolis (212km de Cuiabá), José Carlos do Pátio, e um dos fundadores do município, neste sábado (19.06). 

Conforme a assessoria de imprensa da Prefeitura de Rondonópolis, o pai do prefeito morreu por complicações da Covid-19. 

O governador Mauro Mendes e a primeira-dama Virginia Mendes externaram as condolências aos familiares e amigos. “Que Deus conforte a todos e dê forças para superar essa perda. Eu e minha família estamos em oração por seu Altamirando, mais uma vítima desta doença devastadora”, lamentou o governador. 

Altamirando deixa esposa, sete filhos, netos e bisnetos.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Veja Mais:  Semana de Política sobre Drogas aborda desafios do atendimento ao usuário em tempos de crise sanitária
Continue lendo

Mato Grosso

Governo de Mato Grosso entrega títulos definitivos para famílias de assentamento rural em Cáceres

Publicado


Após 32 anos de espera pela regularidade de propriedades rurais, as 77 famílias que moram no assentamento Facão, no município de Cáceres (a 220 km de Cuiabá), receberam do Governo de Mato Grosso os títulos de propriedades, devidamente registrados em cartório. A entrega foi realizada pelo presidente do Instituto de Terras (Intermat), Francisco Serafim Barros, que esteve presente no assentamento para finalização da última etapa da regularização fundiária rural naquela localidade. 

“O governo Mauro Mendes está pagando aqui uma dívida que o Governo de Mato Grosso tinha com essa população do assentamento Facão que há mais de 30 anos aguardava por este documento. Hoje, estamos trazendo este título devidamente registrado, com a certidão da matrícula gratuitamente aos moradores que agora são donos da sua propriedade”, disse o presidente do Intermat.

Entre as 77 famílias beneficiadas, estavam os primeiros moradores que chegaram no assentamento, o casal Manoel Ribeiro e Catarina Magalhães. “Nós estamos aqui há 32 anos. Agora, com a entrega de título muita coisa muda porque sem documento não é possível fazer nada. Quando você procurava um banco para fazer alguma coisa era negado, porque não tínhamos documento para apresentar como garantia. Por isso estou feliz, quero agradecer ao Intermat, ao governador Mauro Mendes por entregar meu receber meu título”, declarou o casal.

Veja Mais:  Autor de feminicídio detalha crime e diz que levou notebook de vítima para ver mensagens

Com imóvel rural escriturado os moradores do assentamento passam a ser legalmente proprietários e podem realizar a venda do imóvel, reformar e construir com segurança. Além disso, somente com essa documentação é oportunizado linhas de diversos financiamentos usando o bem como garantia.

O secretário estadual de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Rural, Clovis Cardoso, que esteve presente na entrega dos títulos, destacou que essa importante ação é resultado de um trabalho em parceria com Intermat.

“O Governo o Estado é apenas um, atuamos conjuntamente, por isso designamos servidores da Seaf para auxiliar na vistoria social dessas famílias do assentamento Facão que estão aqui recebendo seu título. A entrega deste documento significa um grito de liberdade para o pequeno produtor. Pois, eles passam terão acesso ao crédito, um financiamento para investir na sua terra”, declarou o secretário.

Outro morador beneficiado com título da sua terra foi o senhor Paulo Esperança Antônio, que possui um lote 4.13 hectares e cultiva uma plantação de mamão, abacaxi, mandioca, além da criação de galinhas e suíno, sua única geração de renda.

“Não sei o que dizer, só tenho que agradecer a Deus, a todos o Intermat, o Governo de Mato Grosso, pois estamos aqui há mais de 30 anos. Agora, estou mais feliz ainda por receber o tão sonhado título definitivo,  posso dizer que tudo isso é meu, tenho um documento na mão, posso ter fazer um financiamento, ter acesso aos serviços que antes não era possível”, disse o pequeno produtor.

Veja Mais:  Sábado (19): Mato Grosso registra 438.719 casos e 11.635 óbitos por Covid-19

Assinatura do termo de regularização urbana em Cáceres 

Durante a solenidade de entrega dos títulos no assentamento Facão, o presidente do Intermat, Francisco Serafim Barros e a prefeita Eliene Liberato, assinaram um termo de cooperação para regularização fundiária urbana do Município de Cáceres. O presidente destacou que “essa parceria auxilia nos estudos a serem feitos e se tornam o caminho mais adequado e seguro para realização da regularização”.  A prefeita, disse que essa “ação é muito importante para regularização” das casas de várias famílias na região do bairro Cohab, “quero agradecer ao nosso governador Mauro Mendes e ao presidente do Intermat por mais essa parceria”.

O Instituto de Terras de Mato Grosso trabalha para entregar os títulos urbanos e rurais aos proprietários, garantindo posse definitiva. Os dados mostram que em 2019, foram entregues 2.318 documentos em 15 municípios de Mato Grosso. Em 2020, o número de entregas saltou para 2.512, mesmo com as limitações da Covid-19.

Fonte: GOV MT

Comentários Facebook
Continue lendo

ALMT – Campanha Fake News II

Rondonópolis

Polícia

Esportes

Famosos

Mais Lidas da Semana